Budismo Energia em Equilíbrio Espiritualidade Hinduísmo

O que você pode aprender com Ganesha?

Pequena escultura da Ganesha em umas flores
Murali Nath / 123RF
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Um dos deuses mais importantes do hinduísmo, filosofia religiosa que se originou no subcontinente indiano, Ganesha é também conhecido como Vighneshvara, que significa “destruidor dos obstáculos ou das dificuldades” na língua hindu.

Ganesha simboliza o universo e é conhecido como o deus da sabedoria e da fortuna. Ele é possuidor de uma consciência lógica e também representa o pleno equilíbrio entre generosidade e força.

Sua imagem é bastante característica e com certeza você já se deparou com ela na internet, em livros ou até mesmo em estampas de camisetas. A divindade é retratada com tronco humano, cabeça de elefante, quatro braços e uma enorme barriga. Geralmente, Ganesha é representado sentado e na companhia de um ratinho.

Mas como interpretar essa figura tão conhecida no mundo todo? E quais são as lições que podemos aprender com Ganesha?

A origem

Segundo a mitologia hindu, Ganesha é filho de Shiva e Parvati. Shiva é o deus da destruição, enquanto Parvati, a deusa do amor e considerada a Mãe-Suprema. Uma das histórias que narra a origem de Ganesha conta que, quando menino, Ganesha foi decapitado pelo próprio pai.

Isso porque Parvati fora amaldiçoada para que não pudesse ter filhos. Porém ela se sentia bastante sozinha quando Shiva passava longos períodos fora de casa, então criou Ganesha a partir de lascas de sua própria pele. Um dia, ela pediu ao filho que vigiasse a casa para que ninguém entrasse enquanto ela estava no banho.

Foi então que Shiva apareceu e o menino, seguindo as ordens da mãe, não deixou o deus supremo passar. Sem saber que aquele era seu filho, Shiva cortou fora a cabeça de Ganesha. Assim que Parvati apareceu e viu a cena, ficou desesperada e ameaçou destruir o universo.

Imagem do Deus Ganesha
PRASANNAPiX / Getty Images / Canva

Para se redimir, Shiva ordenou que colocassem sobre o menino a cabeça da primeira criatura que fosse encontrada, que, no caso, foi a de um elefante, animal sagrado na cultura hindu. E assim Ganesha ressurgiu como um deus meio homem, meio elefante.

Entendendo a simbologia de Ganesha

Ganesha é quase sempre representado de maneira parecida, seja em forma de estátua, escultura ou pintura. São muitos os detalhes que compõem a sua figura, e cada um deles está repleto de significados muito importantes para a cultura hindu. Confira cada um desses símbolos:

Cabeça e orelhas

Sua cabeça e suas orelhas de elefante são grandes por uma razão particular. A cabeça simboliza a inteligência, a sabedoria e a compreensão. Já as orelhas enormes nos lembram que precisamos ouvir mais as pessoas, e uma vez que conseguimos escutar e realmente assimilar os ensinamentos, estaremos no caminho certo para alcançar nossos objetivos. A cabeça e as orelhas traduzem também os dois primeiros passos para a autorrealização dos devotos do hinduísmo, o Sravanam e o Mananam, que, respectivamente, significam escutar e refletir sobre os ensinamentos. Há ainda um detalhe na testa de Ganesha: a marca de um tridente, que representa Shiva.

Tromba

A tromba curvada da divindade simboliza o “viveka”, que é a capacidade de discernimento entre aquilo que é eterno e aquilo que é infinito. Além do mais, ao mesmo tempo que a tromba tem a força necessária para derrubar uma árvore, ela é sensível o suficiente para levar água até a boca do elefante. Por meio dessa simbologia, Ganesha nos ensina a termos certa perspicácia para lidar com os opostos em nossa vida, e eles estão em constante convívio, como as dores e as alegrias ou a saúde e a doença.

Presas

Estátua do Deus Ganesha
Wichatsurin / Getty Images Pro / Canva

Se observarmos atentamente, podemos reparar que as presas de Ganesha estão quebradas. Dessa forma, elas representam os sacrifícios que fazemos durante a vida. Cada presa também tem uma pequena peculiaridade. Enquanto a presa esquerda simboliza as emoções humanas, a presa direita corresponde à sabedoria. Essas duas faces da personalidade de um indivíduo precisam estar em constante equilíbrio dentro de cada um de nós, assim como a dualidade existente em todo o universo, como o frio e o calor, a noite e o dia, o bem e o mal.

Barriga

Sua grande barriga representa algo bem profundo. Ela mostra sua capacidade de engolir e digerir todos os obstáculos da vida, além de todos os ensinamentos que ele já assimilou. Ganesha nos mostra que precisamos passar por todas as experiências reservadas a nós durante a vida, sejam elas boas ou más, afinal o que tiramos dessas experiências é o que realmente importa. Devemos sempre encarar todos os momentos como aprendizado e, assim, superar todos os desafios.

Braços

Ganesha possui quatro braços, cada um representando uma aptidão diferente do corpo sutil (ou corpo energético). Seriam elas: a mente (manas), o intelecto (budhi), o ego (ahamkarar) e a consciência (chitta).

Mãos

Assim como os braços, Ganesha possui quatro mãos, e cada uma delas carrega algum objeto com um significado específico.

Mão direita superior

Nesta mão, Ganesha segura um machado, ferramenta que ele utiliza para espantar os obstáculos. Como ele é o deus da sabedoria, Ganesha também usa o machado para destruir a ignorância, causadora de tantos males na Terra.

Mão esquerda superior

Estátua do Deus Ganesha
DipakShelare / Getty Images / Canva

Em sua mão esquerda superior, podemos observar a flor-de-lótus, que representa o maior objetivo da realização humana, o autoconhecimento e o encontro com seu “eu interior”. Nesta mesma mão, ele também segura uma corda, símbolo de força e que representa os apegos e os desejos terrenos que devem ser abolidos.

Mão direita inferior

Esta é a mão direcionada ao devoto. Posicionada em abhaya mudra, gesto de acolhimento na filosofia hindu, a mão voltada para quem a enxerga simboliza bênçãos e proteção. É também uma forma de emanar energia e dar boas-vindas a quem está em busca da espiritualidade.

Mão esquerda inferior

Por fim, a mão esquerda inferior exibe um prato de modaka, doce típico indiano feito com leite e arroz tostado. Não à toa, é também a guloseima favorita de Ganesha. Esse prato simboliza a paz, a satisfação e a plenitude que o conhecimento pode trazer às pessoas.

O rato

Imagem do rato, ao lado da estátua do Deus Ganesha
Nikhil Patil / Getty Images / Canva

Há várias versões que explicariam o porquê de Ganesha estar sempre acompanhado de um rato. Uma delas diz que o rato seria o ego e que, antes de controlarmos o nosso ego, devemos ter consciência dele. O ego seria, principalmente, nossos desejos e nosso orgulho. Outra interpretação entende o rato como o veículo de Ganesha e vê o deus como o conhecimento e o rato como a mente. Quando Ganesha aparece montado no rato, essa é a representação de que a consciência é algo muito maior e que tem o poder de controlar a mente.

O que aprendemos com essa divindade?

No hinduísmo, as divindades são reconhecidas sob três pontos de vista: o material, o psíquico e o espiritual. Logo, as forças divinas que estão presentes nessa religião abrangem todas as esferas da vida. Ganesha, assim como as demais divindades, nos convida a olharmos para dentro, a buscarmos o autoconhecimento e refletirmos sobre o mundo em que vivemos. Nossa mente, assim como tudo que existe na natureza, pode ser bastante instável. Ganesha é a sabedoria que comanda a natureza e é ele que conduz e protege todos os seres.

Um fato interessante sobre o elefante é que esse animal, por causa do seu tamanho, toma a frente e abre caminhos para outros animais em florestas onde a mata é fechada. Essa característica traduz perfeitamente bem o deus dos obstáculos. Ganesha é venerado por seus devotos principalmente no início de alguma nova jornada.

Quando alguém vai iniciar uma nova fase em sua vida, seja ela pessoal ou profissional, é imprescindível fazer um ritual com oferendas para Ganesha, a fim de atrair prosperidade, sucesso e felicidade no futuro projeto.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br