Autoconhecimento Parapsicologia

Parapsicologia: o que é e como atua?

Homem branco deitado numa maca com mão em cima.
Jean-Paul / 123rf
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Objetos que se quebram ou caem repentinamente, ter o mesmo sonho de maneira recorrente, ter premonições e fazer previsões para o futuro, ouvir vozes ou se comunicar com pessoas que já morreram… você provavelmente já ouviu histórias desse tipo, não é mesmo? Elas são conhecidas como experiências paranormais, ou seja, que extrapolam o normal, o que pode ser explicado.

E você sabia que existe um campo científico que se propõe a estudar os acontecimentos paranormais para encontrar possíveis causas ou explicações para eles? Sim, é a parapsicologia!

O que é parapsicologia?

Antes de mais nada, é preciso dizer que a parapsicologia é uma pseudociência, ou seja, é um estudo que se autoafirma como ciência, mas que não pode ser comprovado cientificamente, por carecer de métodos para isso.

A parapsicologia é, segundo seus estudiosos, uma ciência que estuda fenômenos paranormais, isto é, eventos e acontecimentos extraordinários, no sentido de que extrapolam os limites do que é considerado normal e possível. Isso inclui, por exemplo, poderes premonitórios ou de levitação de objetos, curas milagrosas, aparições, possessões, visões, profecias, dentre outras situações que fogem a qualquer explicação racional e que, de acordo com aqueles que acreditam na parapsicologia, seriam manifestações do mundo sobrenatural.

De certa forma, portanto, feliz ou infelizmente, a parapsicologia se mistura um pouco ao seu objeto de estudo, passando a ser vista por cientistas de outras áreas como um campo de estudo que em vez de desmistificar charlatanismos e histórias irreais, perpetua-os.

Outras situações estudadas pela parapsicologia são telepatia, precognição, retrocognição, clarividência, tecinese, projeção da consciência, experiências de quase morte, reencarnação, mediunidade, dentre outras.

A palavra “parapsicologia” foi criada por Max Dessoir, em 1889, mas só se popularizou em 1930, quando o Joseph Banks Rhine, o mais popular estudioso da parapsicologia, propôs esse termo para substituir outros que corriam à época, como “pesquisa psíquica” ou “metapsíquica”. O termo foi aderido por aqueles que estudam esse campo e permanece até hoje.

Mulher branca sentada num banco.
Priscilla Du Preez / Unsplash

Voltando ao que foi explicado no primeiro parágrafo deste tópico, a parapsicologia é contestada como ciência, porque, após mais de um século de investigações e pesquisas, não foi possível conseguir resultados que sejam suportados por métodos científicos, apenas suposições que apelam à suposta existência da espiritualidade e do sobrenatural.

O que a parapsicologia estuda?

Os campos da parapsicologia são diversos, já que existem diferentes fenômenos paranormais já relatados, mas os principais pilares desse campo de estudo são os seguintes:

• Possibilidade da existência de fenômenos associados à memória extra-cerebral (conhecida também como retrocognição), que inclui experiências de quase morte, projeção de consciência, mediunidade, dentre outros;

• Pesquisa a respeito da existência da percepção extrassensorial, isto é, uma forma de comunicação entre pessoas ou entre seres de outros planos que utilize outros métodos que não os cinco sentidos humanos; exemplos disso são a telepatia, a precognição e a clarividência;

• Hipótese de que seja possível realizar ação física sobre um objeto físico sem utilizar meios físicos (força humana ou mecânica, por exemplo), o que é conhecido como telecinese, que inclui levitação de objetos, dentre outros.

Quais são os principais campos estudados pela parapsicologia?

Confira abaixo uma lista que detalha alguns dos principais campos de estudo da parapsicologia:

Precognição: recebimento ou percepção de informações e eventos antes que eles tenham acontecido verdadeiramente, a famosa previsão do futuro.

Experiências aparicionais: provavelmente o mais romantizado entre os estudos da parapsicologia, é o campo que estuda supostas aparições de fantasmas e de outras entidades sobrenaturais.

Reencarnação: teoria de que há em todo ser humano uma alma, que transcende a existência atual e retorna à vida, de uma outra forma, após o término da vida atual.

Experiências de quase morte: tipo de sensação sentida por uma pessoa que tenha estado muito perto da morte ou que tenha experimentado uma morte clínica, mas foi trazida de volta por meio de métodos medicinais e científicos.

Homem idoso observa o ambiente externo através da janela.
Kindel Media / Pexels

Telepatia: estudo sobre a existência da capacidade de haver transmissão de pensamentos e sentimentos entre indivíduos que usem outros sentidos que não sejam os cinco sentidos naturais ao ser humano.

Clarividência: possibilidade de haver maneiras de receber informações sobre eventos ou lugares distantes, onde o suposto clarividente nunca tenha ido e sobre o qual não teria como saber, a não ser por meio de alguma experiência sobrenatural.

Psicocinese: suposta capacidade de a mente humana manipular a matéria, o espaço, o tempo ou outros tipos de energia ainda desconhecidos pela ciência moderna.

Esses são apenas alguns dos campos de estudo da parapsicologia, mas há muitos outros.

Origem da parapsicologia

É impossível precisar em que momento a parapsicologia surgiu, porque desde que o ser humano passou a viver em sociedade, começou a se questionar a respeito da possibilidade de eventos sobrenaturais fazerem parte da vida. Um exemplo que ilustra isso é o surgimento de tantas religiões em tantos lugares do mundo, da Grécia Antiga às tribos que povoavam o Brasil antes da chegada dos portugueses por aqui.

Foi somente em 1940, porém, que esse estudo virou algo mais organizado. Nesse ano, surgiu a Sociedade de Pesquisa Psíquica, nos Estados Unidos. Há muitas críticas, até hoje, ao trabalho dessa entidade, que realizava testes em crianças considerados antiéticos. Hoje, há institutos de ensino e até mesmo faculdades dedicadas ao estudo da parapsicologia, apesar de ela não ter o status de ciência.

Parapsicologia no Brasil

O maior representante do estudo da parapsicologia no Brasil é o Centro Latino-Americano de Parapsicologia, hoje renomeado para homenagear um de seus fundadores, o mítico padre espanhol Oscar González-Quevedo, que ficou famoso por participar de um quadro do programa Fantástico, o dominical da Rede Globo.

Padre Quevedo foi um dos que mais difundiu o estudo sério da parapsicologia no Brasil. Um de seus métodos era desmascarar charlatães e provar ao público e às pessoas interessadas no assunto que o tema era um estudo que deveria ser levado a sério, em vez de ser fonte para crendices absurdas.

O que é parapsicologia clínica?

Recentemente, surgiu um conceito moderno: a parapsicologia clínica. É uma área clínica que se dispõe a estudar e atender fenômenos parapsicológicos, como adivinhações, visões e supostas realizações de curas ou comunicação com mortos. Não se dispõe a substituir terapias científicas, como a psicologia e a psiquiatria, porque não é uma terapia para problemas psicológicos e emocionais. Também não substitui o papel da religião, porque não realiza curas nem rezas ou orações. É, unicamente, uma técnica para entender se algo sobrenatural está afetando a vida da pessoa ou, caso ela suspeite ter habilidades sobrenaturais, para que aprenda a lidar com elas.

Você também pode gostar

O principal conceito difundido por aqueles que praticam a parapsicologia clínica é o da reprogramação. Segundo aqueles que realizam a técnica, ao contrário da psicologia ou da psiquiatria, em que uma pessoa procura um profissional para relatar um incômodo, a parapsicologia descobre qual é esse incômodo sem que a pessoa precise passar por traumas.

Segundo essa teoria, tudo aquilo que se manifesta fisicamente em nosso corpo tem, em sua origem, uma causa mental/psicológica, então é possível curar os males do corpo se descobrirmos quais gatilhos mentais estão causando essas mazelas.

Usando técnicas como hipnose, relaxamento profundo e acesso a lembranças e memórias traumáticas ou onde se originaram problemas, essa técnica promete resultados permanentes e definitivos, já que supostamente ajudaria a extrair problemas antes mesmo que eles se manifestem claramente.

Exemplos de parapsicologia clínica

Por meio das técnicas, especialmente de hipnose, reprogramação mental, regressão de memória e mediunidade, os profissionais que realizam a técnica supostamente conseguem descobrir quais são as causas de doenças físicas. Confira abaixo algumas doenças e quais são suas possíveis causas emocionais.

Homem com pêndulo pratica hipnose.
cottonbro / Pexels

Ansiedade: pouca confiança;

• Gordura: necessidade de se sentir protegido;

• Pressão alta: problemas emocionais não resolvidos.

Pressão baixa: pouco amor recebido na infância;

• Câncer: mágoa profunda;

• Insônia: culpa e medo;

Dor de cabeça: baixa autoestima;

• Resfriados: confusão mental;

• Asma: choro ou tristeza reprimida;

• Acne: falta de aceitação de si mesmo;

• Colesterol: receio de aceitar a felicidade;

• Tumores: alimentação de mágoas.

A parapsicologia é o estudo da possibilidade de haver manifestações sobrenaturais em nossa vida normal e cotidiana. Apesar de se propor a ser um campo sério e que combate charlatanismo e enganação, não é considerada uma ciência, por não utilizar métodos científicos. Agora que você já sabe o que é, vai procurar a parapsicologia clínica? Ah, só não substitua uma terapia com psicólogo ou uma consulta médica por essa técnica. Antes de recorrer a ela, consulte o seu médico.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br