Autoconhecimento Sagrado Feminino

Plante a lua – Resgate da tradição da tenda vermelha

Floresta escura com fogueira à noite
Juliana Luz
Escrito por Juliana Luz



Antigamente, as mulheres se juntavam em suas tendas vermelhas para reverenciar o momento sagrado da menstruação. As anciãs passavam seus conhecimentos para as mais novas da tenda e todas compartilhavam segredos, rituais e ensinamentos antigos. Essa tradição foi sendo abandonada ao longo dos anos, devido à correria e desconexão com o próprio corpo. Hoje, estamos em um processo de resgate desses rituais da tenda vermelha e o principal deles é o de “plantar” a lua.

Plantar a lua, é simplesmente agradecer à mãe terra, honrando nosso sangue sagrado e nossas ancestrais.
 Ao devolvermos nosso sangue para a terra, nos reconectamos com nossas raízes e principalmente com todo o sagrado que habita dentro de nós. É como se encerrássemos um ciclo, reverenciando todas as transformações, conquistas e aprendizados e nos abríssemos, em gratidão, ao próximo ciclo.

Para realizar o ritual de plantar a sua lua, basta ter um jarro de ágata, cerâmica ou barro e coletar o sangue durante o período menstrual, de preferência no primeiro ou segundo dia de ciclo. Para a mulher que utiliza o coletor menstrual, basta colocar o sangue coletado dentro do jarro. Para as que utilizam absorvente comum, a coleta deve ser realizada durante o banho e ainda para as mulheres que optaram por panos ou absorventes ecológicos, basta deixá-los de molho por alguns minutos no jarro com água limpa. É importante que em qualquer uma das situações de coleta, o sangue seja misturado com um pouco de água limpa.

Mulher nova e sorridente usando um avental e luvas de trabalho regando vaso de plantas em um jardim

Depois de coletar o sangue, basta escolher uma planta para regar, você pode escolher a planta que mais tem afinidade. As mais comuns são: alfazema, lavanda, alecrim, artemísia e flores. É importante regar todos os meses a mesma planta, assim, a conexão será ainda maior. Antes de regar a planta escolhida, é importante acalmar a mente e o coração, se conectando com o momento sagrado. Como esta planta terá uma grande força com você, é bastante interessante meditar próximo a ela todos os dias, transformando este momento em algo renovador e fortalecedor.

Para as mulheres que não sangram mais (menopausa) ou as que ainda não tiveram a primeira menstruação, pode se regar a planta com água de rosas ou simplesmente água limpa, intencionando a renovação e agradecendo pelo fim de um ciclo e início de outro. Neste caso, este ritual pode ser realizado durante a lua Nova.

Plantar a lua, traz diversos benefícios à saúde física, emocional e energética da mulher. Entre os benefícios, a diminuição de alguns desconfortos como cólicas, TPM, ovários policísticos, miomas entre outros. Sem dúvida, o maior deles é a reconexão com a natureza interna e externa.

Plantar a lua é fertilizar o solo com gratidão e respeito.


Você também pode gostar de outros artigos da autora: Mandala Lunar

Sobre o autor

Juliana Luz

Juliana Luz

Nutricionista, terapeuta holística e astróloga. Atende em consultório com aconselhamento terapêutico, é facilitadora de cursos de gastronomia saudável, nutrição energética, autoconhecimento, ginecologia natural e círculos de mulheres, sendo uma das idealizadoras do projeto “Lua Azul - Despertar do Feminino”.

Pioneira em Nutrição Energética no Brasil e uma das sócias da empresa Cozinha da Iaiá – Geleias Terapêuticas .

Difunde a ideia de que o alimento nutre, não somente o corpo físico, como também fortalece a alma, por meio do equilibro físico, emocional e energético.

Contatos:

E-mail: [email protected]
Facebook: Cozinha da Iaiá | Julliana luz | Julliana Luz Terapeuta
Instagram: @cozinhaiaia | @jullianaluz_terapias
Celular : 11 9 4811 9149 (WhatsApp)
Site: www.nutricaoenergetica.com.br (Em breve)