Autoconhecimento Nutrição Saúde Integral

Riscos de uma dieta quando feita de forma errada

Uma batata com olhos de plático assustada ao olha sua versão frita
Pexels / Pixabay
Escrito por Eu Sem Fronteiras

O cuidado com a própria saúde é essencial para todas as pessoas, afinal todos nós queremos viver o máximo de tempo possível e isso inclui se alimentar de forma saudável, fazer exercícios físicos, realizar exames anualmente e preservar uma boa saúde mental, com acompanhamento médico.

A visão que temos sobre saúde, no entanto, é muito deturpada pela mídia, pois somos levados a acreditar que um corpo bonito e saudável é um corpo magro e que se encaixa em uma série de outros padrões. Assim, ao colocar um ideal de beleza como sinônimo de boa saúde, um direcionamento inadequado é oferecido à população.

Na verdade, não devemos nos preocupar com as nossas aparências acima de tudo, visto que uma pessoa pode ser magra e não ser saudável, assim como uma pessoa pode ser gorda e saudável. O motivo disso é que a saúde não depende dos nossos pesos, mas dos nutrientes que ingerimos e do funcionamento dos nossos organismos. Nada disso, portanto, é visível diante de um espelho.

Como resultado desse cenário, muitas pessoas decidem fazer dietas alimentares para emagrecer ou para engordar até determinado ponto, acreditando que dessa forma serão mais bonitas e, consequentemente, mais saudáveis. Será que esse procedimento oferece riscos? Investigue esse tema com o conteúdo a seguir!

Motivos para fazer dieta

Em 2020, a Associação Brasileira de Nutrologia realizou uma pesquisa para identificar a relação da população com as dietas alimentares. Nesse estudo, identificou-se que 70% dos entrevistados buscavam emagrecer.

Também foi verificado que 43% dos participantes queriam uma melhor qualidade de vida, 45% almejavam se alimentar bem e 18% desejavam melhorar o condicionamento físico. Para responder à questão, era possível escolher mais de uma alternativa.

Embora existam motivos responsáveis e conscientes para começar uma dieta, como se alimentar melhor ou desenvolver um bom condicionamento físico, a busca pelo corpo ideal ainda lidera a motivação para realizar esse processo.

Uma balança com uma fita métrica em cima
Pexels / Pixabay

Além disso, foi apontado pela pesquisa que 40,6% das pessoas que começaram uma dieta não incluíram a prática de exercícios físicos nos novos hábitos, dificultando a obtenção de bons resultados.

Levando essa informação em conta, é importante destacar que uma mudança apenas na alimentação não é capaz de promover mudanças positivas significativas na saúde de alguém que não se exercita.

Logo, procurar por dietas milagrosas, que prometem perda de peso, melhoria da qualidade de vida e muitos outros benefícios, é uma perda de tempo e um risco para a saúde. Isso porque uma receita padronizada de como cuidar bem do seu corpo pode não atender ao que o seu organismo realmente necessita.

Riscos de fazer dieta do jeito errado

Vamos supor que uma pessoa queira mudar os próprios hábitos alimentares e que o principal objetivo dela é perder peso, mas também espera se tornar mais saudável e ter uma boa qualidade de vida. O primeiro passo dela é pesquisar na internet alguma dieta bastante eficiente, mas que não exija qualquer esforço físico.

Imediatamente, uma série de cardápios e de alimentos revolucionários surgem diante dessa pessoa, incluindo alguns remédios que garantem o emagrecimento acelerado. Ao mesmo tempo, ela encontra alguns artigos que informam sobre a necessidade de procurar auxílio médico e de fazer uma mudança em todos os hábitos, não só na alimentação, para ser mais saudável.

Lanche saudável com uma régua medindo sua espessura
Steve Buissinne / Pixabay

Como, porém, essa pessoa quer um resultado rápido, seja para um evento ou para levantar a autoestima, ela escolhe a primeira opção. Então, sem qualquer acompanhamento médico e sem compreender o que está acontecendo por dentro do próprio corpo, ela começa uma dieta por conta própria, a qual aparenta ser muito eficiente e promissora.

Por mais que as intenções dessa pessoa tenham sido as melhores possíveis, infelizmente ela não terá o resultado esperado; pelo contrário, pois ela correrá riscos sérios, como os descritos a seguir:

1) Escassez de nutrientes no corpo

Todos nós devemos ter uma alimentação balanceada e equilibrada. Cada grupo da pirâmide alimentar deve estar presente no nosso cotidiano em quantidades controladas, fato ignorado por grande parte das dietas milagrosas.

Mulher expressando incômodo devido a uma tontura que está sentindo
Ion Chiosea / 123RF

É muito provável, portanto, que um indivíduo sofra uma escassez de nutrientes no corpo por cortar algum grupo de alimentos do cardápio. Ao consumir muito de um alimento e pouco de outro, o que ocorre é um desequilíbrio no organismo, que nunca é sinônimo de saúde.

Em decorrência disso, o indivíduo pode experienciar tonturas, fraqueza, mal-estar, desmaios, dores de estômago, queda de cabelos, quebra de unhas e perda de músculos, que são a massa magra, por exemplo.

2) Desaparecimento dos resultados

Mesmo que uma dieta milagrosa pareça ter dado ótimos resultados, essa situação não será permanente. O principal motivo disso é que, para ver mudanças reais na saúde, é preciso passar por um processo de reeducação alimentar, que dure a vida inteira, e não apenas algumas semanas.

Nesse sentido, a rápida e passageira perda de peso, que normalmente se conquista com uma dieta muito restritiva, pode ocasionar frustração, dificuldade de concentração, rápida recuperação do peso e os efeitos listados no tópico anterior.

Conceito de perder peso com mulher em uma balança mostra OMG
Shao-Chun Wang /123RF

Ou seja, uma dieta restritiva e que promete a rápida perda de peso dificilmente estará preocupada em manter a saúde do indivíduo. Como se isso não bastasse, ela também não tem um compromisso com resultados duradouros, o que pode causar ainda mais pensamentos negativos sobre si.

3) Desenvolvimento de distúrbios alimentares

Ainda que todos nós devamos nos preocupar com a nossa alimentação, essa preocupação não pode ser excessiva. Não deve existir culpa no processo de comer e isso é o que muitas dietas impõem, como o fato de uma pessoa se sentir mal por querer desrespeitar as restrições do cardápio.

Os distúrbios alimentares começam a se desenvolver desse jeito. Anorexia e bulimia, por exemplo, são caracterizadas pela obsessão com o próprio peso e com a própria alimentação. Esses e outros transtornos se manifestam afetando a saúde mental na mesma proporção em que afetam a saúde física.

Mulher abraçando suas pernas expressando tristeza
Engin Akyurt / Pexels

Muitas das pessoas que sofrem desses problemas recorrem a dietas restritivas para reduzir as medidas e comer cada vez menos, sentindo-se cada vez pior. Pedir ajuda para encerrar esse ciclo de culpa, de remorso e de arrependimento por se alimentar é um grande desafio, mas precisa ser cumprido!

O perigo da ortorexia

A ortorexia é um transtorno alimentar que se caracteriza pela preocupação excessiva com a alimentação saudável. Nesse caso, uma pessoa não se alimenta de produtos que contenham agrotóxicos, que sejam de origem animal, que tenham muita gordura ou muito açúcar, por exemplo.

Talvez você imagine que seguir esse tipo de alimentação seja o ideal e que não apresenta riscos, mas isso não é o que se verifica na prática. Ao restringir excessivamente a própria alimentação e se preocupar tanto com isso, é provável que o indivíduo que sofre de ortorexia deixe de ingerir nutrientes essenciais para o próprio corpo.

Outro problema decorrente do transtorno é o prejuízo da saúde mental, visto que a pessoa que apresenta tal condição se sente ansiosa com a possibilidade de comer algo que não é saudável. É provável, inclusive, que ela sinta a necessidade de planejar o que vai incluir no cardápio com vários dias de antecedência.

Você também pode gostar

Até mesmo a socialização desse indivíduo pode ser prejudicada, visto que, eventualmente, comemos fora de casa e nem sempre conseguimos controlar todos os alimentos que nos são oferecidos. É comum, portanto, que as pessoas que sofrem de ortorexia evitem sair com os amigos e com os familiares para se alimentar, isolando-se.

Os resultados físicos da ortorexia são desnutrição, anemia, fraqueza e outros sinais de que há um desequilíbrio no corpo, por isso apenas um profissional da saúde é capaz de indicar que uma pessoa sofre desse transtorno. Portanto, se você acredita que esse é o seu caso, procure ajuda!

A partir de cada informação apresentada, compreende-se que nenhuma pessoa deve realizar uma dieta sem acompanhamento profissional, pois é preciso realizar exames laboratoriais e compreender quais são as reais necessidades do próprio corpo. Lembre-se de que apenas esse tipo de análise poderá dizer se você é uma pessoa saudável e quais são os passos a serem seguidos para se tornar uma, caso não o seja. Cuide-se!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br