Saúde Integral

Saiba o que os antibióticos podem fazer com seu intestino

Medicamentos sobre palma de uma mão. Ao fundo, há cartelas fechadas com mais pílulas.
Lucian Milasan / 123RF
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Você sabia que o uso de alguns antibióticos podem fazer mal à saúde do seu intestino? Um estudo publicado neste ano detectou que a utilização de alguns medicamentos comuns podem causar distúrbio às bactérias benéficas presentes no intestino.

Isso significa que você não deve mais tomar antibióticos? Não! O problema é que nem todo mundo usa medicamentos com discernimento. É importante utilizar apenas o remédio prescrito pelo especialista, durante o tempo certo, pois só assim algumas infecções serão tratadas.

Alguns pesquisadores suecos e britânicos avaliaram o que acontece no intestino ao receber o antibiótico. O estudo foi realizado por meio de exames de fezes e saliva. Depois de uma rodada de antibióticos, foi detectado que o uso destes medicamentos eliminam diversas bactérias intestinais responsáveis pela produção do butirato, um ácido graxo que funciona como um antioxidante que inibe inflamações e auxilia a combater o câncer.

Medicamentos sobre mão de mulher.
Klaus Nielsen / Pexels
O estudo testou quatro antibióticos comumente prescritos pelos médicos:
  • Ciprofloxacino – conhecido como cipro, este medicamento é indicado para infecções urinárias.

Classe: Fluoro quinolona.

  • Amoxicilina – utilizado para combater diversas doenças no trato urinário, gonorreia, infecções nos ouvidos, garganta, bronquite e problemas de pele.

Classe: semelhante à da penicilina

  • Minociclina – indicado na maioria das vezes para problemas respiratórios, dermatológicos como acnes, além de combater infecções urinárias e genitais.

Classe: Tetraciclina

  • Clindamicinautilizado para tratar infecções vaginais, problemas no pulmão e pele.

Classe: Lincomicina

Dentre os remédios citados acima, a amoxicilina prejudica o intestino durante cerca de uma semana. A monociclina destrói as bactérias benéficas por um mês. Já os outros dois medicamentos são extremamente prejudiciais, pois acabam com as bactérias de forma mais agressiva por até um ano.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br