Saúde Integral

Shiatsuterapia e saúde

Mulher deitada de olhos fechados com pessoa aplicando a shiatsuterapia
123RF/Andriy Popov
Escrito por Giselli Duarte

A Shiatsuterapia está entre as PICS (Práticas Integrativas e Complementares) mais recomendadas para manter o bom funcionamento da saúde. Ela tem sido muito indicada para pessoas que desejam dormir melhor, aliviar os sintomas de ansiedade, depressão, doenças crônicas como a bronquite, enxaqueca aguda, entre outras.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) reconhece as PICS como “Tratamentos que utilizam recursos terapêuticos baseados em conhecimentos tradicionais, voltados para prevenir diversas doenças”.

Em uma sessão, o terapeuta pressiona pontos específicos dos principais meridianos de seu interagente, com o objetivo de liberar as energias estagnadas encontradas ao longo do percurso. Os meridianos na Shiatsuterapia são reconhecidos pela Medicina Tradicional Chinesa (MTC) como canais que conectam a superfície do corpo com os órgãos internos. Esses canais têm a função de transportar a energia através de todo o corpo.

Mulher deitada no chão com profissional de shiatsu segurando sua mão e seu pé
123RF/ microgen

Os intervalos entre uma sessão e outra precisam ser no mínimo de uma semana, pois pressionar os canais energéticos, seja para sedar ou tonificar, são de alta intensidade. Após uma sessão a pessoa que recebeu shiatsu pode sentir na prática os seus efeitos, desde ter uma excelente noite de sono, se sentir mais relaxada, menos ansiosa e obter sensações de bem-estar.

Todavia, quando há algum acúmulo de energia estagnada em algum ponto dos meridianos, o qual o terapeuta identifica ao trabalhar na região, o interagente (a pessoa que recebe a terapia) sente na hora uma dor local. E em alguns casos o interagente poderá vir a ter sonolência ou febre. Tudo depende de cada caso. É importante monitorar os sintomas e caso os mesmos persistam, o ideal é procurar um médico. Às vezes a liberação da energia é tão forte que pode ocorrer esse fato, mas não é preciso preocupação excessiva, apenas monitorar. O meridiano da vesícula biliar é o que mais apresenta queixa de dor, desde dores mais leves até as mais intensas, por exemplo.

Mulher com as mãos na barriga curvada para frente
132RF/belchonock

Vale ressaltar que o shiatsu possui algumas contraindicações, a saber:

Casos de câncer, processos inflamatórios agudos, doenças infectocontagiosas, doenças hemorrágicas em geral, gestantes até o terceiro mês, fraturas, vasculites ou flebites, sangramento ocasionado por traumas, entre outros.

Você também pode gostar

Essa terapia é muito séria e requer muito conhecimento e experiência de quem faz. Por isso, é muito importante buscar um terapeuta qualificado para fazê-la.

Buscar referências e indicações é fundamental.

Sobre o autor

Giselli Duarte

Sempre gostei muito de escrever, mas antigamente eu falava sobre outros temas. A partir do momento que eu me permiti trilhar o caminho do autoconhecimento, tudo começou a fazer mais sentido e ficar muito mais leve.

Hoje gosto de escrever e compartilhar aquilo que pode fazer sentido para alguém.

Às vezes faço uma coletânea de pensamentos ou experiências próprias, e em outros momentos utilizo um quê de inspiração de pessoas maravilhosas espalhadas pelo mundo.

Sinto que tudo o que busquei para me especializar e atuar em certas áreas me ajudou bastante. Sou formada em marketing e gestão de negócios e atuei em mercados distintos, os quais moldaram meu lado profissional. Todavia, gosto de pensar que toda a bagagem que aprendi em cursos como hatha yoga, reiki, aromaterapia, florais de Bach, fitoterapia, naturopatia e em tantos outros me deu o contraponto que eu precisava. Não à toa amo ler e intercalar livros de empreendedorismo e negócios com os de espiritualidade e autoconhecimento.

Fique à vontade para ler meus textos e comentar aquilo o que sentir no coração.

Acesse os links abaixo:

Email: giselli.du@outlook.com
Site: : insighttimer.com/giselli/
Facebook:: @giselli.d
Instagram : @giselli.d
Twitter : @gisellidu
Linkedin : Giselli Duarte
Spotify: No Caminho do Autoconhecimento