Energia em Equilíbrio

Você sabia que as plantas têm sentimentos?

Natural plants in pots, green garden on a balcony. Urban gardening, home planting. Basil and celery regrow.
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

As plantas têm sentimentos e captam emoções humanas. A primeira pesquisa sobre o assunto foi em 1966. Cleve Backster, especialista em detectores de mentira, descobriu a Percepção Primária, sistema sensório das células vivas.

Backster decidiu colocar o detector nas plantas enquanto regava, pois queria saber quanto tempo a água levaria para chegar à ponta das folhas. A cobaia foi uma dracena, flor da África tropical. Eletrodos foram colocados em cada lado da folha e o detector identificou uma sensação parecida com alívio. Backster ainda mergulhou a folha numa xícara de café, mas nada foi registrado. Porém, ao pegar um fósforo, o detector registrou emoção semelhante ao terror.

Emoções negativas prejudicam o desenvolvimento dos vegetais.

Estudos idênticos foram feitos com três plantas da mesma espécie, idade e condições de saúde, com a mesma quantidade de terra, adubo e água. A primeira foi tratada com carinho, a segunda com agressividade e a terceira não recebeu atenção. As plantas tiveram desenvolvimentos diferentes. Isso prova que emoções positivas funcionam como adubo. Não é à toa que jardineiros carinhosos cultivam belos jardins e hortas.

Maçãs histéricas

O físico alemão Ralph Gaebler criou uma máquina que converte o gás etileno, usado na agricultura no amadurecimento de frutos, em sons. Ele chegou à conclusão de que as plantas “gritam” ao serem maltratadas. O dispositivo converteu o gás em grito quando ele cortou uma orquídea. O mesmo aconteceu quando o físico injetou mofo num pepineiro. O experimento observou ainda que os frutos colhidos continuam a “gritar” ao sofrerem agressões. Segundo Gaebler, as maçãs são as frutas mais “histéricas”.

As plantas ouvem

Lagartas produzem sons quando comem plantas. Alguns desses vegetais reagem a esses sons, de acordo com pesquisadores da Universidade de Missouri-Columbia (EUA). Lagartas foram colocadas numa Arabidopsis thaliana, planta nativa da Europa e Ásia parecida com a couve. Os cientistas gravaram os sons feitos pelo inseto com um microfone a laser. Depois, a lagarta foi retirada e os estudiosos reproduziram os áudios do animal. Para outra Arabidopsis thaliana, foi reproduzido um áudio sem vibrações. Quando as lagartas foram colocadas de volta na planta, ela produziu grande quantidade de óleo de mostarda, substância que repele bichos famintos.  A pesquisa, porém, não descobriu o mecanismo auditivo das plantas.

Com a palavra, os frugivoristas

Boy Hold SeedlingO frugivorismo é uma ramificação do vegetarianismo. Além de não comerem carne, seus praticantes mais ortodoxos não comem folhas, caules e raízes, apenas frutas e castanhas. Entretanto, essa dieta pode ser mantida apenas por alguns meses, porque o organismo estoca e recicla certos nutrientes. Os menos radicais comem vegetais, frutas, sementes, oleaginosas e leguminosas. A recomendação são 500 g de folhas verdes e 500 g de frutas e vegetais.

As plantas, como todo ser vivo, têm sentimentos e merecem respeito. Não mexa nelas quando estiver mal-humorado, ou com qualquer outra emoção ruim. As plantas atraem coisas boas, entretanto, fica difícil se o cuidador não estiver psicologicamente bem.

E você, conversa com suas plantinhas? Qual seu ritual de carinho com elas? Conte como você transmite energia positiva para os vegetais.


  • Escrito por Sumaia Santana da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sua opinião é bem-vinda, sempre que colocada com a educação e o respeito que todos merecem. Os comentários deixados neste artigo são de exclusiva responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]