Energia em Equilíbrio

Yoga solidário: uma forma de ajudar mais pessoas

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Muitos falam que a prática de yoga deixa as pessoas mais gratas e também preocupadas com a realidade que as cerca. E foi através de um projeto “yoga solidário” que um grupo de amigas resolveu praticar yoga ao ar livre e também contar com ajuda da comunidade para arrecadar o que for necessário de acordo com o evento. A gente entrevistou uma das idealizadoras e abaixo você confere a entrevista.

Eu sem Fronteiras: Me fale um pouco de você. Onde mora e o que faz?

Lidi Borges: Atualmente, moro em Novo Hamburgo e trabalho em uma escola de yoga, fazendo de tudo um pouco, inclusive dando aulas. 

ESF: É, em relação ao yoga, como tem sido o contato com a prática desde o seu descobrimento?

Lidi Borges: Descobri o yoga por acaso. Estava procurando um emprego e achei uma filosofia para a minha vida. Meu primeiro contato foi em 2014, quando me apaixonei pelo bem-estar que a prática física me proporcionou e, logo em seguida, fiz um breve curso de introdução à filosofia do yoga. Foi então que me apaixonei e a prática começou a fazer sentido. No início de 2015, comecei minha formação como instrutora, que durou até o final do ano. Logo depois, fiz especialização em yoga para gestantes e crianças.
Hoje, além de posturas no tapetinho, levo os preceitos do yoga para o meu dia a dia.

ESF: Como surgiu a ideia do Yoga Solidário? E como funciona?

Lidi Borges: O Yoga Solidário surgiu de duas paixões: yoga e solidariedade. O projeto é sobre levar o yoga para pessoas que tenham interesse, seja pela prática ou pela doação. Algo aberto a qualquer pessoa, independente de ser iniciante, praticante ou apenas curioso, com uma energia de troca que fosse beneficiar outras pessoas.  O projeto acontece em parques públicos e oferece uma aula de hatha yoga bem leve para qualquer pessoa que queira participar. Como contribuição, pedimos alguma doação específica do evento. Em junho, fizemos Yoga Solidário de Inverno, onde arrecadamos agasalhos; em setembro, aconteceu o Yoga Solidário Patas Unidas, onde arrecadamos ração e medicamentos para cães e gatos. 

ESF: Para colocar o projeto em prática, você contou com a ajuda de outras pessoas? Quem? Poderia falar a respeito?

Lidi Borges: Se não fosse a Ananda Schmitz e a Camila Cattaneo, o Yoga Solidário seria apenas uma ideia deixada de lado. 
Surgiu com uma conversa com a Ananda, onde falei da ideia e ela disse sim sem pensar duas vezes. Ela já criou evento no Facebook, nosso atual meio de divulgação, onde começou a tomar proporções enormes, de muitos compartilhamentos e muitos interessados. Decidimos então chamar a Camila para dar um reforço e incrivelmente foi ali que o projeto se estabeleceu, quando nós três começamos a organizá-lo juntas.

ESF: Quando o Yoga Solidário começou? 

Lidi Borges: O primeiro evento foi em junho deste ano, em um dos dias mais frios do ano, onde arrecadamos muito agasalhos que foram doados a uma fundação da cidade que faz um trabalho fantástico. Tivemos 40 praticantes de yoga e mais algumas pessoas que preferiram apenas observar a aula e ajudar com doações.

ESF: Quando ocorre e como tem sido essa experiência?

Lidi Borges: Por enquanto, não temos datas fixas para os evento. Eles acontecem esporadicamente, de acordo com a nossa disponibilidade. Mas, para 2017, estamos programando uma agenda com mais aulas. Seria maravilhoso poder fazer pelo menos um evento por mês.

ESF: Qual o maior desafio em relação a esse projeto?

Lidi Borges: Acredito que manter o foco durante a prática ao ar livre, com distrações de todo o tipo acontecendo. É um desafio também escolher para quem vai as doações. São tantos lugares precisando…

ESF: Pretendem expandir o projeto ou ficar somente em NH?

Lidi Borges: A ideia é expandir por todos os lugares possíveis! Por enquanto, está sendo apenas em Novo Hamburgo, mas queremos fazer eventos em outras cidades também e inspirar colegas instrutores de yoga a fazer eventos parecidos em suas cidades. 

ESF: O que as pessoas têm relatado a vocês sobre o projeto?

Lidi Borges: Tivemos um retorno incrível! Não imaginávamos que teríamos tantos alunos nas aulas, tanto apoio e tanto incentivo! 

 ESF: Deixe uma mensagem:

Lidi Borges: Quem quiser acompanhar o nosso trabalho, pode acompanhar pela nossa página no Facebook https://www.facebook.com/hathayogasolidario/

O último evento deste ano será no dia 26 de novembro, às 9h, em Novo Hamburgo,  onde arrecadaremos alimentos que serão doados a famílias de São Leopoldo em situação de vulnerabilidade social. 

Créditos da imagem: Reprodução/Facebook


Escrito por Angélica Weise da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]