Autoconhecimento Comportamento

A generosidade pode mudar sua vida — Saiba como!

Imagem de várias mãos, de várias etnias e idades, mostrando a empatia e a generosidade em ajudar o próximo.
Leejoann / Pixabay
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Nos tempos de mais dificuldades, algumas pessoas tendem a ser mais solidárias, demonstrando atitudes de atenção, cuidado e apoio a quem precisa. Temos como exemplo situações de terremotos, de enchentes, de deslizamentos de terra com soterramento de pessoas, de furacões e de tantos outros em que as pessoas se mobilizaram a prestar ajuda a fim de minimizar a dor e o sofrimento de quem estava passando pelo problema.

Há, entretanto, pessoas que são naturalmente atentas para socorrer os demais, independentemente de situações de catástrofes ou similares, pois elas praticam boas ações rotineiramente, apresentam a virtude da generosidade e são voltadas a doar-se em benefício dos demais, sendo generosas em relação a si próprias, apresentando estima elevada. Neste artigo, vamos abordar o assunto generosidade e como essa virtude é capaz de transformar a vida de todos. Acompanhe a dissertação do tema a seguir!

O que significa generosidade?

A generosidade é uma característica evidenciada na ajuda ao próximo, quando há satisfação e alegria em socorrer e auxiliar alguém de forma genuína e desinteressada, sem desejar receber algo em troca ou obter algum mérito por isso.

Ela se assemelha à compaixão, porque há uma profunda e verdadeira atenção com o bem-estar dos demais, o que leva a pessoa a praticar o autossacrifício para que esse objetivo seja alcançado. É possível identificar um ato de generosidade, principalmente, nos bons relacionamentos, pois ele gera simpatia, entusiasmo e esperança.

Em qualquer sociedade, essa virtude é bem vista, valorizada e incentivada, porque ela é capaz de gerar gratidão, que é o sentimento fundamental para o bem-estar e para o ciclo de abundância.

Imagem de duas senhoras sentadas usando lenços sobre suas cabeças. Ambas estão abraças e sendo generosas uma com a outra.
Belajati Raihan Fahrizi / Pixabay

Socialmente, a generosidade é entendida nas ações de caridade, no voluntariado, na ajuda humanitária, no apoio à comunidade, em maior ou menor esfera, local ou global.

Podemos enxergar generosidade genuína em ações como doação de órgãos e de sangue, quando, de forma desinteressada de retorno para si, a pessoa generosa consegue que alguém possa viver ou ter melhor qualidade de vida, sem sequer se tornar identificada.

O que é uma pessoa generosa?

Uma pessoa generosa é aquela que se enxerga fazendo tudo o que pode para ajudar de alguma forma, conscientemente, voluntariamente e despretensiosamente quem precisa. Ela também volta essa virtude para si, por exemplo, quando adoece e faz tudo para melhorar e para “não dar trabalho”.

Além disso, é a pessoa que sente que pode compartilhar o que tem, não necessariamente algo concreto, mas conhecimento, encorajamento, entusiasmo, diálogo, pois tem muito desenvolvido o sentimento de empatia quando consegue se “colocar” na situação vivenciada pelo outro.

Imagem de uma mão idosa sendo segurada por uma mão de uma pessoa jovem.
Truthseeker08 / Pixabay

A pessoa generosa se sente no dever moral de ajudar ou servir, expressando comportamentos solidários e altruístas em situações até corriqueiras, e fazem isso por vontade de contribuir de forma efetiva na comunidade ou por acreditar na importância do amor ao próximo, como conduta religiosa.

Quando a pessoa generosa é financeiramente abastada, ela pode se tornar uma grande filantropa e, quando não, pode ser uma ativista a ponto de conseguir fundos de ajuda humanitária ou de caridade ou ainda incentivar movimentos que estimulem leis e direitos numa amplitude maior.

Qual o valor da generosidade?

A generosidade é muito poderosa, de valor incomensurável. Ela proporciona a sensação de “dever cumprido”, a percepção de que se tem o que dar, não necessariamente dinheiro ou objetos, mas conhecimento, tempo, sentimentos, atenção. Proporciona uma sensação de bem-estar e de paz interior, com respostas neurológicas de produção de serotonina e de dopamina, que são “hormônios da felicidade”. Logo, ela faz bem à pessoa generosa.

Uma pessoa generosa envia uma mensagem de abundância, uma energia positiva, como “Eu ajudo porque posso ajudar”, por isso a resposta é de mais abundância em retorno, de crescimento e de evolução.

Imagem de uma pessoa idosa sentada com as mãos sobre as pernas. Sobre as mãos da idosa as mãos de uma pessoa mais jovem, segurando as mãos dela.
Sabine van Erp / Pixabay

Um alto valor da generosidade ocorre quando ela se transforma numa corrente de ação ou de ajuda, extrapola os limites mais próximos e as pessoas se engajam pelo exemplo que observam com as outras. Há o chamado efeito cascata e um sentimento generalizado de mais valia.

Portanto, além das ações concretas de ajuda que a generosidade apresenta como resultado, há uma aquisição de comportamentos positivos e socialmente favoráveis, além de mudanças na forma de exercer a cidadania e os valores humanitários, com ganhos na espiritualidade.

Como a generosidade pode mudar sua vida?

A generosidade pode transformar a vida de muitas pessoas que necessitam de ajuda de diversas formas em diferentes situações, principalmente quando leva essas pessoas a desenvolver autonomia e poder a ponto de não necessitarem de ajuda.

Em relação à pessoa generosa, o resultado das ações de generosidade é que ela se torna uma pessoa mais feliz, que tende a ver a vida de forma otimista, considerando possibilidades e oportunidades com visão ampliada. É mais saudável, mais agradável, constrói relacionamentos mais significativos, tem autoestima mais elevada, menos ansiedade, mais alegria de viver e menos probabilidade de desenvolver depressão. Inspira a generosidade dos outros.

Em relação à espiritualidade, também é possível entender que o exercício da generosidade está intimamente ligado ao amor ao próximo e ao processo evolutivo espiritual, principalmente quando as esferas de apoio extrapolam os limites geográficos e pessoas diversas são auxiliadas, rompendo barreiras e tabus como etnia, credo, origem etc.

Imagem de duas amigas em uma praia. Uma está sentada em uma cadeira de madeira e a outra está em pé, apoiando a outra. Ambas olham para as águas e ondas do mar.
Steve Buissinne / Pixabay

A generosidade, portanto, é uma virtude que, muito embora seja forte em algumas pessoas, pode ser desenvolvida, começando com ações locais, menores e aparentemente corriqueiras. É importante ressaltar que o que pode parecer ínfimo para uns é de grande valor para outros.

A velha frase de que “cada um só pode dar o que tem” é válida, no sentido de que tempo, atenção, empatia, escuta ativa, cuidado e tantos outros sentimentos são significativos no exercício da generosidade.

Você também pode gostar

Os benefícios gerados pela generosidade, além dos visíveis e concretos, são amplos e capazes de gerar sentimentos de mais valia, de gratidão e a sensação de bem-estar. Então, seja num trabalho voluntário, seja num apoio financeiro ou seja na leitura de um livro no asilo, busque uma maneira de desenvolver a generosidade que está dentro de você e perceba as mudanças ocorrerem na sua forma de ver a vida e no sentimento de felicidade. Esteja pronto para receber gratidão e, como retorno energético, muita abundância, pois tudo o que você dá você recebe de volta! Boas ações!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]