Autoconhecimento Espiritualidade

Ano novo chinês

Imagem da fantasia da cabeça de um dragão colorido para comemorar o ano novo chinês.
Foto por lme007 no Pixabay
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Cada cultura tem uma concepção e organização própria do tempo. No Brasil e na maioria dos países do ocidente e do oriente próximo, obedecemos ao calendário gregoriano. Criado na Europa, em 1582, pelo Papa Gregório XIII, esse calendário organiza a duração do ano a partir do movimento de translação da Terra e, por isso, tem 365 dias.

Algumas culturas, no entanto, como a judaica e a islâmica, organizam seu tempo a partir de outros métodos. Esse também é o caso da China, que, embora utilize o calendário gregoriano como calendário civil, ainda segue seu milenar calendário lunissolar para determinar feriados e festivais.

Esse calendário lunissolar também é conhecido como calendário agrícola ou apenas como calendário chinês. Nele, a duração dos anos é medida com base nas fases da Lua e na posição do Sol. Dessa forma, o primeiro dia do ano chinês não segue uma data fixa e varia conforme o movimento dos astros.

Em 2020, o Ano Novo chinês foi comemorado em 25 de janeiro. Nesse dia em que se celebrou o ano 4718º ano do calendário lunissolar, a Lua Nova esteve mais próxima do décimo quinto grau da constelação de Aquário. Em 2021, a data será celebrada em 11 de fevereiro, quando um novo ciclo começará.

O Ano Novo chinês tem início com a primeira Lua Nova do calendário lunar e encerra com a primeira Lua Cheia. Esse período, que dura quinze dias, também é conhecido como Festival da Primavera. Essas duas semanas entre uma fase lunar e outra são repletas de superstições, simbolismos e tradições que os chineses seguem como forma de atrair bons agouros para o ano que começa.

Tradições do Ano Novo chinês

Assim como nós temos nossas tradições e superstições, os chineses também têm as deles. Afinal, todos queremos um ano próspero e muito auspicioso. Embora não seja comprovado cientificamente que usar roupa íntima amarela traga fortuna e prosperidade, não custa nada tentar!

Embora nos rituais de celebração do novo ano, sejam eles ocidentais ou orientais, sejam usadas certas simpatias para assegurar um ano harmonioso, há uma série de diferenças entre eles. Essas divergências vão desde a sua estética (cores, símbolos etc.) até a duração do período das festividades.

Na véspera do Ano Novo chinês, as pessoas costumam acrescentar ao vestuário as cores vermelha e dourado. Presentes na bandeira da China, essas cores carregam um forte simbolismo para os chineses, em especial nessa data; o vermelho representa a fortuna, a alegria e a sorte e o dourado, por sua vez, simboliza a prosperidade e a abundância.

É comum também que as casas sejam enfeitadas com essas mesmas cores. Além disso, não é raro se deparar com estátuas ou imagens de dragões e leões dentro das residências ou pelas ruas. A representação desses animais é vista como uma forma de afastar os maus espíritos e os maus agouros.

Imagem de vários itens como frutas, doces, velas nas cores vermelho e dourado representando a adoração para celebrar o ano novo chinês.
Foto por Silentpilot no Pixabay

Frutas e flores também marcam presença nas casas chinesas durante essa celebração. Entre as flores preferidas, estão as de pessegueiro (que representam sorte), os crisântemos (longevidade) e os narcisos (boas energias e vibrações). Quanto às frutas, os chineses tradicionalmente comem laranjas e tangerinas, que são símbolos da felicidade.

Quando o relógio marca meia-noite, os membros mais velhos da família entregam envelopes vermelhos aos mais jovens e solteiros. Dentro deles, há sempre uma quantia de dinheiro que contabiliza valores com o número oito. Esse número representa, para os chineses, a perfeita simetria, o infinito. Ele é tão querido pelos chineses que os Jogos Olímpicos de Verão de 2008, em Beijing, tiveram início em 08/08/08!

É comum que esse período de festividades dure 15 dias, marcando o início da primeira Lua Nova e o início da primeira Lua Cheia do ano. Ao longo dessas duas semanas, os chineses fazem um pouco de tudo: rezam aos deuses e aos antepassados, homenageiam os parentes mais velhos, visitam amigos e familiares, vão a templos etc., tudo conforme as tradições.

No 15º e último dia desse festival, as pessoas saem às ruas com lanternas coloridas para celebrarem a chegada da Lua Cheia e marcarem o fim das festividades. Nessa ocasião, é comum se alimentarem de bolinhos de arroz como forma de purificar o organismo.

Os animais no Ano Novo chinês

Cada Ano Novo representa o nome de um dos 12 animais do horóscopo chinês devido ao fato de esse horóscopo ser organizado com base em ciclos de 12 anos, em que cada ano é representado por um animal.

De acordo com a tradição chinesa, esses seriam os 12 animais que teriam atendido ao pedido de Buda para realizar uma reunião. Assim, para homenageá-los, eles foram convertidos em símbolos da astrologia chinesa.

A posição de cada um desses animais foi definida a partir da ordem em que teriam se encontrado com Buda. Dessa forma, cada ciclo obedece à seguinte sequência: rato, boi, tigre, coelho, dragão, cobra, cavalo, cabra, macaco, galo, cachorro e porco.

Imagem de fundo de um prédio marrom e uma rua decorada com lanternas vermelhas representando a comemoração do ano novo chinês.
Foto por Katherinelake no Pixabay

Ainda segundo a tradição, cada animal recebe também a influência de um dos cinco elementos que, para os chineses, compõem o Universo, sendo eles: metal, madeira, água, fogo e terra. Por isso o calendário lunissolar chinês tem cinco ciclos de 12 anos.

O ano de 2019 marcou o final de mais um ciclo de uma dúzia de anos. Sendo assim, em 2020 teve início o ano do rato. Embora ele não seja um animal muito bem visto aos olhos do ocidente, para diversas culturas orientais (inclusive a chinesa), o rato representa a inteligência, a fertilidade e a liderança.

No Brasil

Aqui no Brasil, o Ano Novo chinês é celebrado em algumas cidades. Em São Paulo, maior centro sino-nipônico do Brasil, a celebração toma conta das ruas do bairro Liberdade, região marcada por restaurantes, lojas e mercearias de imigrantes de origem chinesa, japonesa ou coreana. Com concentração na Praça da Liberdade, a festa tem música, fogos de artifício, apresentações e muita comida típica!

Você também pode gostar

A comemoração também ocorre na capital fluminense, Rio de Janeiro, em que se celebra o Ano Novo chinês na colônia oriental no bairro de Santa Cruz. Além desse local, a celebração ocorre no bairro da Tijuca, na colônia oriental da Rua da Alfândega, localizada na região da Saara, e na Vista Chinesa, onde há um grande encontro de chineses e de turistas.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]