Espiritualidade Religiões

Benzedeiras: quem são as mulheres que curam nosso corpo e espírito?

Imagem de um benzimento nas mãos de uma senhora. A benzedeira está lavando as mãos dela com água aromatizada que está dentro de um pote prateado.
Prasit Rodphan / 123RF
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Há séculos é comum as pessoas conhecerem uma benzedeira e recorrerem a ela quando não se para de bocejar (“abrição de boca”), o que se acredita ser quebranto ou mau-olhado. Em locais mais remotos, onde a disponibilidade de médicos e hospitais é mais escassa, ela tem o papel de auxiliar na cura de muitos males e algumas realizam partos.

Atualmente não é muito comum encontrar na zona urbana essa mulher que por meio de reza e benzimento consegue curar. Mas por que ela tem esse poder? Como tudo começou? Siga a leitura e descubra a resposta para essas perguntas e muito mais!

Benzedeiras ou rezadeiras são as mulheres requisitadas para afastar o mal, resolver desarmonia familiar, eliminar energia negativa de um ambiente, quebranto, mau-olhado (olho gordo), febre, tristeza, dores em geral e outros males, promovendo a cura. Elas também desfazem feitiços e algumas são chamadas para realizar partos.

Todas as benzedeiras acreditam que possuem uma missão a ser cumprida na Terra. Receberam os ensinamentos da atividade por meio oral, de seus ancestrais, sendo responsáveis por repassá-los da mesma forma.

Elas fazem uso de oração e incluem no benzimento um buquê ou ramos de ervas, de acordo com o objetivo que se quer atingir ou de qual problema se deseja resolver. Normalmente conhecem muito bem as plantas, estão em plena harmonia com a natureza e muitos as consideram as verdadeiras bruxas da vida real.

Imagem de uma senhora benzedeira fazendo um benzimento em dois senhores sentados.
Anirut Rassameesritrakool / 123RF

O benzimento é feito gratuitamente, embora as pessoas contribuam com alguma coisa. É um trabalho espiritual que caminha pelas gerações, pois a benzedeira de hoje foi ensinada pela mãe, pela avó ou por alguém antes dela e posteriormente fará o mesmo.

No Brasil, as benzedeiras estão presentes desde a época da colonização, quando não existia assistência à saúde ou ela era deficitária. As benzedeiras no país têm uma formação religiosa variada, principalmente na zona urbana, onde se pode encontrar seguidoras do kardecismo, da Umbanda e do catolicismo, este último preponderando na zona rural. Todas, entretanto, têm como base a humildade, a justiça, a solidariedade e a forte ligação com o divino.

A cura que as benzedeiras promovem é resultado de muita fé, de oração, do desejo de fazer o bem e de uma força espiritual sobre quem precisa. Para o ato de benzer é importante que a pessoa a ser benzida deseje o benzimento, mas ela não precisa ter a mesma religião da benzedeira.

Como funciona o benzimento?

Benzimento é o ato de benzer ou de bendizer alguém ou algo. É quando as experiências de doença, dor ou sofrimento são removidas e dão lugar a outras de paz espiritual.

Há várias formas de fazer um benzimento. Algumas benzedeiras se utilizam de um terço, de um ramo de determinada erva, um galho de arruda, de panos que costuram durante a reza e outros meios ou simplesmente a imposição das mãos. O mais importante é que sempre aplicam sobre a parte do corpo ou nele integralmente o recurso usado para apoiar a reza ou a oração, com gestos simples.

É normalmente benzida uma pessoa de cada vez, embora o benzimento possa ser coletivo. Qualquer ser vivo pode recebê-lo, da mesma forma que lugares e objetos, quando o objetivo é abençoar e proteger de energias negativas, por exemplo.

Imagem das mãos de um casal de idosos recebendo o benzimento com água. As mãos dela está disposta sobre uma almofada de crochê azul.
Chaiyon Srichiangha / 123RF

A sessão de benzimento é rápida, podendo durar até trinta minutos e pode ser feita à distância. No benzimento, o pensamento, as palavras que mobilizam a fé, o corpo e a energia espiritual universal se tornam uma unidade. Tudo se funde no que essencialmente é – UM.

Dessa forma, faz todo o sentido usar o terço cristão juntamente com ervas como manjericão, alecrim, lavanda e hortelã, além de cachimbo, velas, incensos, imagens de santos católicos, divindades de outras religiões, orixás de religiões de matriz africana e outros.

O ritual adotado pelas benzedeiras depende do que cada pessoa precisa e dos meios e rezas que elas desenvolvem ao longo da vida.Quando o benzimento termina, se alguma erva foi utilizada, ela pode ser incinerada ou descartada na terra ou em água corrente para dispersar a energia indesejada.

As benzedeiras na atualidade

Partindo da ideia de que a oração ou a reza e o benzimento mobilizam a energia do universo e tudo se une num único elemento, o benzimento pode ser feito à distância e pode fazer uso da tecnologia. Algumas benzedeiras na atualidade mantêm as tradições recebidas de ancestrais, mas também assimilaram a modernidade, a dinâmica e a facilidade da tecnologia.

Toda benzedeira tem a característica de ser intuitiva e de ter a intenção de cuidar e curar o outro. Acredita que benzer é uma doação amorosa, de desejar o bem ao outro. A reza é um diálogo que se estabelece com o Espírito Superior e cada uma desenvolve o seu jeito.

Imagem de dois homens sendo benzidos por uma senhora em um ritual onde ela coloca várias flores e água.
Jinnaritt Thongruay / 123RF

A tecnologia vem se tornando uma grande aliada das benzedeiras modernas que sabem como utilizá-la e diminuem distâncias e facilitam contatos com acessos rápidos. Atualmente, quando se deseja recorrer a uma benzedeira e não se conhece uma na comunidade, é possível localizar no Google uma indicação, no local desejado ou nas proximidades.

Apesar da facilidade do recurso, as tradições de aprendizagem do benzimento são preservadas e a transmissão é feita entre pessoas com afinidade e para aquelas que possuem esse dom, percebido ainda na infância ou quando se é capaz de entender a influência energética com a qual a futura benzedeira lidará. A conexão que as benzedeiras têm com o divino vai se aperfeiçoando ao longo da vida. Elas leem a Bíblia, estudam plantas, conhecem outras formas de obter ligação às forças do universo.

Por que as benzedeiras curam o corpo e o espírito?

As benzedeiras e o próprio ato do benzimento não são assunto novo. Na Europa, na África, entre os indígenas e em rituais espirituais orientais, ele está presente, ainda que com outras denominações.

Há uma utilização e um direcionamento das energias universais, que, por meio da fé de quem benze sobre quem é benzido, são capazes de promover a cura do corpo e do espírito. Não é necessário religiosidade, embora ela seja presente nas benzedeiras, mas acreditar nessa ligação e nessa “canalização” poderosa garante melhor resultado, como se tudo “conspirasse” a favor.

Há um reconhecimento real do papel da benzedeira nesse processo. Assim como outros recursos não convencionais voltados à saúde, como arteterapia, reflexoterapia, reiki, termalismo e outros, o benzimento apoia o processo de restabelecimento. Contudo não deve ser substituto do tratamento convencional, principalmente no caso de doenças crônicas, por mais que se confie nesse instrumento.

Para finalizar, a prática de se buscar nas benzedeiras um caminho para a cura e para o bem-estar é salutar quando associada aos tratamentos convencionais. O poder da fé é incontestável nos processos terapêuticos de restabelecimento e manutenção da saúde.

Imagem de uma mulher de pé fazendo um benzimento nas pessoas idosas e que estão sentadas. Ela joga água nas mãos dessas pessoas.
Jinnaritt Thongruay / 123RF

As benzedeiras detêm um conhecimento ancestral sobre usos medicinais naturais contidos nas plantas, mas principalmente sabem como mobilizar nos benzidos a fé para restabelecer motivação, combate a enfermidades e alegria de viver.

Com a atualização que a dinâmica moderna permite, as benzedeiras não se limitam somente ao que a tradição oral de mães e avós deixaram como legado no exercício dessa ajuda ao próximo. Elas avançam incorporando o conhecimento de outras técnicas que atuam de forma semelhante e fazem uso dos recursos tecnológicos que facilitam a vida de todos.

Você também pode gostar

Como reflexão, pense sobre as benzedeiras como as mulheres que acessam o Sagrado Feminino e resgatam na ancestralidade a ligação com a natureza e com a essência superior e por isso mesmo fazem uso de um poder capaz de curar por meio da fé.

Não é magia, feitiçaria ou qualquer outro termo com conotação pejorativa que se empregue, embora não haja qualquer demérito nestes atos. É acreditar que há uma permissão natural de uso da energia vital para quem deseja usá-la conscientemente em benefício próprio e do outro. É um exemplo de amor pela vida e fraternal.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]