Convivendo

Como reconhecer e tratar um manipulador?

Você sabia que uma pessoa manipuladora pode ser um mal gigantesco para a vida daqueles que convivem com ela?

Conviver com uma pessoa assim – e estar sob seu controle – é muito prejudicial à saúde mental, porque, pouco a pouco, mina a autonomia, o autocontrole e a autoestima, além de causar problemas como depressão, síndrome do pânico e transtorno de ansiedade generalizada.

Por esses motivos, reconhecer e tratar a pessoa manipuladora o quanto antes é melhor. Leia o artigo completo e entenda as principais características das pessoas manipuladoras e saiba como lidar com elas.

O que é manipulação?

Ainda que não seja catalogada como uma doença, a manipulação é um comportamento em que o indivíduo tenta, a todo custo e usando suas artimanhas, moldar e conduzir o comportamento daqueles que convivem com ele ou de uma pessoa específica, com o intuito de conseguir benefícios ou de manter essa(s) pessoa(s) sob controle.

Imagine que as relações humanas sejam um jogo de tabuleiro, em que um jogador consegue mover peças e instrumentos de acordo com seus desejos e interesses, procurando se beneficiar de situações como se as pessoas fossem apenas um fantoche em suas mãos.

Menina olhando pela janela, vista de perfil.
SeaReeds / Pixabay

Essa dinâmica acontece diariamente em diversos tipos de relação, nas quais pelo menos uma das partes se enquadra como manipuladora, performando esse comportamento de forma anormal e maquiavélica.

Como reconhecer um manipulador?

Nesses casos de relações em que uma ou mais pessoas apresentam esse traço, o tipo de manipulação mais comum é a psicológica, na qual a pessoa manipuladora tenta transformar as atitudes, as percepções, as opiniões e os comportamentos por meio de suas táticas de forma indireta e dissimulada.

O fato de a manipulação ser indireta impede que o comportamento seja reconhecido logo de cara. Afinal o manipulador nunca mostrará ou fará parecer quem é que está movendo as cartas. Pessoas terceiras, a própria vítima ou qualquer outra coisa será apontada como culpada.

Para ficar atento se você está sofrendo manipulação ou convive com um manipulador, saiba quais sinais podem ser identificados:

  • Induz culpa à vítima;
  • Age como inocente;
  • Troca de assunto em momentos oportunos, conseguindo levar a conversa para outro caminho;
  • Usa meias verdades, quando até mesmo os fatos conseguem ser manipulados para caber em um discurso;
  • Domina as pessoas com sua máscara social;
  • Planta discórdias e abre desconfianças;
  • Não demonstra ter empatia genuína pelo outro.

5 dicas para desarmar um manipulador

Agora que você já sabe como age uma pessoa manipuladora, saiba o que você pode fazer para desarmá-la e se libertar de vez de tanta manipulação. Afinal aprender a lidar com esse tipo de pessoa é questão de autocuidado, certo? Confira:

Reconheça-o

Um manipulador agirá de acordo com os sinais citados no tópico anterior, mas além disso, há outras duas características que predominam na personalidade da pessoa manipuladora: suas necessidades pessoais sempre colocadas em primeiro lugar e alta expectativa de que você esteja sempre disponível para ela.

Duas mulheres estudam juntas em um banco de praça. Uma, à direita, está com um notebook sobre as pernas, enquanto a outra segura um caderno e escreve nele.
Zen Chung / Pexels

Uma ótima dica para você que quer saber como reconhecer um manipulador é perguntar para pessoas de sua confiança e que estejam ao redor de sua relação com o manipulador. Às vezes, o olhar de fora pode ser o mais aguçado.

Ligando os pontos, você saberá se essa pessoa é manipuladora ou não. A partir disso, podemos seguir para os próximos passos.

Aprenda a dizer não

Como apontado na dica anterior, pessoas manipuladoras esperam sempre pela sua disponibilidade, fazendo com que você se sinta na obrigação de atendê-las sempre, de acordo com as necessidades delas. É um caminho encontrado para aplicar e manter a manipulação.

Algo muito comum no ser humano é a dificuldade de dizer não. Por vergonha, por falta de coragem, por intimidação ou por outra motivação, o sim acaba saindo antes mesmo de pensar se essa exigência está dentro dos seus limites.

Reconhecer o seu limite e o seu valor fará com que você tenha mais preparação para dizer não a alguém e, após essa pessoa ver que você se colocou em primeiro lugar, ela percebe que suas artimanhas estão começando a fracassar.

Mantenha a distância

Infelizmente – ou felizmente, em alguns casos –, não há nada que o ajudará a lidar melhor com um manipulador além da distância. Esse pode ser um passo difícil de se dar pela primeira vez, mas depois você percebe que sua vida é melhor longe de alguém manipulador. Você verá que foi a melhor escolha.

“Mas e se a pessoa for do meu trabalho, da faculdade ou de algum outro espaço que me obrigue a estar perto dela?”, você pode estar se perguntando. O distanciamento pode ser feito mesmo quando essa distância não é física.

Você também pode gostar

A forma como você estará ou não disponível a trocar conversas com essa pessoa também se caracterizará como distância. E, claro, não precisa ignorar completamente. Um oi e um tchau podem ser ditos, mas a interação não passará muito disso e muito menos chegará perto de uma conversa entre amigos. Avalie o terreno e saiba até onde você pode ir para se manter bem, mesmo fisicamente perto dessa pessoa.

Faça perguntas sempre que puder!

Não há nada que ajude a desarmar mais um manipulador do que perguntas certeiras. Quando alguém está mentindo, manipulando fatos ou dissimulando a conversa, perguntas que o fará se aprofundar no que está dizendo podem quebrar um manipulador por completo.

Eles sempre buscarão justificativas e, quando estamos desatentos, elas até parecem fazer sentido. Mas prestar atenção em cada coisa que está sendo dita e mostrar que você tem firmeza o suficiente para desconfiar do que um manipulador está dizendo pode colocar uma barreira em suas artimanhas contra você.

Não se culpe nem se pressione

O típico dos manipuladores é a performance de inocência e culpabilização do outro sobre tudo o que acontece. Essa é uma armadilha baixa e o manipulador pode pregar a qualquer momento para que você caia.

E, infelizmente, você está suscetível a cair, assim como qualquer ser humano tem suas fraquezas. Portanto, enquanto está em sua jornada de distância das pessoas manipuladoras, lembre-se de não se culpar por isso nem se pressionar a ser alguém mais próximo e mais legal.

Em algum momento, essa culpa pode torná-lo ainda mais frágil e fazer você dar passos para trás durante esse caminho de libertação.

Preserve-se de manipulações daqui em diante

De uma forma ou de outra, a convivência com pessoas manipuladoras pode ser algo tóxico e muito nocivo para sua saúde mental, que, por sua vez, tem muito valor. Por isso não deixe de se valorizar e colocar o que você aprendeu neste artigo em prática!

Caso essa pessoa que pratica manipulações seja muito próxima de você – como um familiar –, não hesite em aconselhar uma ajuda profissional para que ela possa buscar a mudança. Mas caso ela se recuse em reconhecer que precisa mudar, entenda que isso não está sob seu controle e muitas coisas só o tempo pode curar.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br