Convivendo

Como reconhecer e tratar um manipulador

Mão segurando cordas de uma marionete.
SVIATLANA ZYKAVA / 123RF
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Você já deve ter ouvido o adjetivo “manipulador” por aí, não é mesmo? Mas você sabia que a manipulação pode ser um mal gigantesco para a vida daqueles que convivem com manipuladores? Ainda que não seja catalogada como uma doença, a manipulação é um modelo de comportamento em que o manipulador tenta, a todo custo e usando suas artimanhas, moldar e conduzir o comportamento daqueles que convivem com ele ou de uma pessoa específica, com o intuito de conseguir benefícios ou de manter essa(s) pessoa(s) sob controle.

Conviver – e estar sob controle – com uma pessoa assim é muito prejudicial à saúde mental, porque, pouco a pouco, mina a autonomia, o autocontrole e a autoestima, além de causar problemas como depressão, síndrome do pânico e transtorno de ansiedade generalizada, por exemplo.

Entenda, no texto a seguir, a principais características das pessoas manipuladoras e saiba como lidar com elas.

O que são pessoas manipuladoras?

As pessoas manipuladoras usam seus recursos emocionais e psicológicos, que podem ser vários, para moldar o comportamento de suas vítimas e criar uma relação de dependência emocional em seus relacionamentos.

Confira abaixo uma lista com as principais atitudes que as pessoas manipuladoras usam para manter suas vítimas sob controle, mas lembre-se: cada caso é um caso e muitas outras artimanhas podem ser usadas por elas para atingir seus objetivos:

• Mentir: é a principal arma dos manipuladores. Eles inventam verdades convenientes ao momento e às pessoas que desejam atingir. Caso você suspeite que alguma coisa não seja verdade, eles se sentem ofendidos;

• Bajular: eles descobrem o que você adora e o que você detesta, com o objetivo de ganhar a sua confiança. Eles comemoram ardentemente suas conquistas e ficam superchateados quando as coisas vão mal. Os manipuladores convencem você de que você é merecedor do que há de melhor e de que os momentos de “vacas magras” são enormes injustiças cometidas por pessoas cruéis. Manipuladores usam suas descobertas contra você;

• Fazer favores: manipuladores são pessoas sempre dispostas a ajudar. Realizar consertos ou providenciar alguém que faça isso, acompanhar você nas consultas médicas… Manipuladores ajudam compulsivamente, mas eles saberão quando e como cobrar por esses favores;

• Fazer promessas: pessoas manipuladoras prometem céus e terra. Juram amizade e amor eternos, porque querem convencer você de que são pessoas confiáveis;

• Ocultar coisas: um manipulador sabe tudo ao seu respeito. Sem perceber revela endereço, telefone fixo e celular, e-mail, onde estudou, número do sapato, manequim, peso. Porém, quando sentem que as informações não estão vindo na velocidade desejada, usam familiares e amigos da vítima para acelerar o processo, trazendo mais uma pessoa para a sua teia. O manipulador sabe rigorosamente sobre você, entretanto, não há recíproca.

Além das ferramentas mais comuns, é importante conhecer os tipos mais frequentes de manipuladores, que são estes a seguir:

• O aldrabão: essa palavra, não muito conhecida, é sinônima de enganador, mentiroso, vigarista e trapaceiro. O manipulador aldrabão tem objetivos políticos, financeiros e até mesmo sentimentais;

• O bruto: os manipuladores brutos têm problemas psicológicos. São donos de personalidades narcisistas e perversas, ou seja, colocam-se sempre em primeiro lugar e têm pouca ou nenhuma empatia. Eles fazem suas vítimas se sentirem emocionalmente dependentes;

• O bom: diferentemente das outras modalidades, o manipulador bom acredita que tem sentimentos nobres e que pode mudar o mundo conforme sua retidão de caráter, que é uma ilusão.

Como lidar com pessoas manipuladoras?

Menina olhando pela janela, vista de perfil.
SeaReeds / Pixabay

Apesar das ferramentas serem parecidas, cada manipulador tem seu modus operandi e ferramentas únicas individuais, por isso é importante lidar com cada caso de maneira singular. Mas é possível tomar algumas atitudes para lidar com ele, dependendo do ambiente que vocês frequentam juntos. Confira como identificar e lidar com essas pessoas:

Ambiente profissional

No ambiente profissional, o manipulador é o funcionário sempre pronto para ajudar. Mas lembre-se: é uma ajuda compulsiva.

Ele fica nos calcanhares dos colegas, reforçando a todo momento o quanto adora auxiliar os colegas que apresentam dificuldades nas tarefas. O manipulador, no ambiente de trabalho, é capaz de ficar até mais tarde e até mesmo de dar uma passadinha no escritório, tudo pelo “prazer de ajudar o próximo”. Os alvos da “boa vontade” ficam encantados com tamanha dedicação.

O manipulador é visto como a pessoa mais legal da empresa, funcionário e colega pau para toda obra. Porém, ele estabelece uma relação de dependência. Quem é alvo da “boa vontade” vai sendo enredado em uma teia. Quem recebe a “ajuda” perde sua autonomia, visto que não consegue mais agir sem pedir a opinião, e, consequentemente, perde a confiança e faz tudo para não perder a “amizade”. Quando a vítima começa a se perceber como tal e tenta escapar, o manipulador inverte os papéis, convencendo sua presa de que ela está sendo má. A presa, por sua vez, aceita tal condição e faz todas as vontades de seu algoz.

Num ambiente acadêmico (escola, faculdade, curso etc.)

Duas mulheres estudam juntas em um banco de praça. Uma, à direita, está com um notebook sobre as pernas, enquanto a outra segura um caderno e escreve nele.
Zen Chung / Pexels

No ambiente acadêmico, o manipulador é o colega perfeito. Elege como alvo alunos pouco populares, constantemente ridicularizados.

O manipulador elogia as notas altas e tem certeza de que o “novo amigo” é o melhor aluno. Quando suas notas são baixas, coloca a culpa no professor, pois ele certamente fez isso no intuito de prejudicá-lo. Não hesita em defender seu “novo amigo” das injustiças. Não há tempo ruim que impeça de ajudar com as atividades e faz questão de fazer os trabalhos com sua presa. O alvo de tamanha amizade, sem perceber, revela a que horas sai de casa, a que horas pega a condução, revela possíveis inimizades com outros alunos e conta seus medos e angústias. O manipulador nada revela sobre sua vida.

Quando a vítima começa a perceber que algo está estranho e tenta se desvencilhar, o manipulador se sente extremamente ofendido. Coloca o “amigo” como uma pessoa injusta, incapaz de reconhecer uma amizade verdadeira. O manipulador passa a depreciar o “amigo”, listando seus defeitos e dizendo que ele voltará a ser uma pessoa solitária e ridicularizada caso a amizade termine. A presa, que já tinha baixa autoestima, fica ainda mais vulnerável, acredita nisso, pede desculpas e não mede esforços para fazer todas as vontades do manipulador, tamanho o medo de perder a “amizade”.

No ambiente familiar

Na família, o manipulador cola naquele parente tímido e tido por todos como bonzinho. Pode ser aquele primo que sempre recebe elogios, mesmo quando pisou feio na bola. O manipulador justifica as mancadas do seu “objeto de afeto” e afirma a todo momento que seu alvo é injustiçado. Faz questão de sempre dizer o quanto adora e fica contente por estar ao lado de uma pessoa tão especial.

O manipulador está sempre pronto para ir ao shopping, ajudar nas atividades escolares, acompanhar nas consultas médicas e realizar algum conserto. Bajula pessoalmente, por telefone, por WhatsApp e nas redes sociais. Quando o alvo começa a ficar incomodado com tanto grude e bajulação, o manipulador vira a mesa e rebaixa sua vítima, ressaltando sua falta de traquejo social e ressaltando que ela é vista como uma coitadinha solitária, uma fracassada incapaz de ter amigos. Além disso, mostra-se ofendido e sentencia que a vítima continuará sendo vista como alguém sem importância. O alvo, já emocionalmente instável, concorda com tudo, pede desculpas e retoma a “amizade”, fazendo todas as vontades do seu algoz, com medo de não poder contar com uma pessoa tão valiosa.

Manipuladores em relacionamentos afetivos

Apesar de, como já explicado, cada manipulador agir de uma maneira única e individual, há características comuns entre eles. Nos relacionamentos amorosos, por exemplos, homens e mulheres manipuladores costumam se utilizar de ferramentas comuns a cada um dos gêneros. Confira abaixo quais são essas artimanhas!

O que é um homem manipulador?

Homem vestido socialmente com o semblante misterioso.
cottonbro / Pexels

Veja uma lista com as principais características de um homem manipulador em um relacionamento amoroso:

Tímido: ele observa o seu comportamento, transmite fragilidade e submissão para convencer de que é alguém carente;

Simpático: é sempre simpático, extrovertido e sabe viver a vida. Demonstra-se extremamente preocupado e atencioso com sua vítima, mas faz questão de mostrar quem manda. A vítima não sente coragem para discordar desse homem tão simpático;

Altruísta: dá muitos presentes e faz inúmeros favores, sempre na intenção de receber alguma coisa em troca. Quando não é “retribuído”, atribui à vítima um sentimento de culpa;

Sedutor: vaidoso e atraente, olha nos olhos, faz perguntas embaraçosas e adora fazer mistério sobre si;

Culto: possui excessiva admiração por diplomas, currículos profissionais pomposos e projeção social. Sutilmente demonstra desprezo por quem não tem os mesmos conhecimentos. Adora deixar as pessoas constrangidas, monopoliza as conversas e se irrita quando alguém interrompe seu discurso.

O que é uma mulher manipuladora?

Mulher sentada em poltrona segura um copo de whiskey.
cottonbro / Pexels

Entre as mulheres manipuladoras em um relacionamento afetivo, estas são as principais características:

Falsidade: na frente de todos, são verdadeiras bonecas de porcelana. Quando seu parceiro se afasta, é estúpida com as pessoas. Quando ele retorna, volta a ser um doce;

Sedução: ela usa a beleza como arma para conseguir o que quer. Acha um absurdo não ser elogiada e faz com que seu parceiro se sinta culpado por não ter feito isso;

Sensualidade: usa tom de voz sensual e promete mil maravilhas para que o seu parceiro satisfaça os seus pedidos;

Mistério: deseja que o seu parceiro adivinhe suas vontades e surpreenda com viagens, restaurantes e presentes de luxo. Fica revoltada se não é atendida;

Radical: quando está certa, quer provar que é melhor do que seu parceiro. Quando está errada, não admite e insiste até provar que está certa, ainda que isso seja impossível;

Emocionalmente instável: chora demais. Se o parceiro quer sair com outras pessoas, ela chora porque foi “traída”. Se ele perguntar como o carro foi arranhado, ela chora porque foi acusada de ser uma péssima motorista;

Fragilidade falsa: ela se mostra “frágil” a ponto de não conseguir carregar uma mala, de não conseguir abrir a porta do carro, tudo para ser servida por seu parceiro;

Ofensiva: durante um desentendimento, ela sempre dá um jeito de ofender alguém próximo a sua vítima, como a mãe, a irmã ou amiga de seu parceiro.

Como saber se você é uma pessoa manipuladora?

Para saber se você é um manipulador, basta analisar as ferramentas aqui citadas e pensar se algumas delas fazem parte do seu comportamento. Além disso, pense nas amizades que você deixou para trás, em como terminou os relacionamentos passados e em seu comportamento no trabalho, no ambiente acadêmico e na família.

Se você perceber que as pessoas se afastam de você porque se sentem controladas ou manipuladas por você, esse é um grande indício. Se você se identificar como uma pessoa manipuladora, isso já é meio caminho andado para um tratamento. Procure uma psicoterapia, exponha o seu problema e, pouco a pouco, vá corrigindo seu comportamento para ser uma pessoa melhor para si e para quem convive com você também.

Como desarmar a pessoa manipuladora?

Pessoa manipulando as cordas de uma marionete.
formulário / PxHere

Como vimos, os manipuladores agem de maneiras diferentes, dependendo do ambiente em que estão inseridos, mas há algumas atitudes que podemos manter para evitar que eles lancem suas garras sobre nós. Confira:

Seja firme e gentilmente dispense favores não solicitados. Quando o manipulador tirar o dia para bajular você, retribua os elogios, mas esclareça que você está apenas sendo você mesmo. O manipulador vai se surpreender com a sua firmeza e com a sua consciência de quem é.

Deixe claro que não acredita nas mentiras dele, mas não fique o colocando contra a parede, porque estará dando a atenção que ele quer. Procure demonstrar a ele que você o considera “café com leite”, alguém que todo mundo sabe que mente.

Caso sinta novamente que está sendo enganado, afaste-se lentamente. Fale somente o necessário e peça a opinião de outras pessoas sobre como lidar com a situação.

Em relação aos laços familiares, as coisas são mais difíceis, mas é preciso colocar um ponto final nesse círculo vicioso. Peça a opinião de pessoas fora do espectro familiar. Mesmo não sendo possível cortar o convívio, converse somente o necessário e deixe claro que a atitude dele causa desconforto.

Como se livrar de uma pessoa manipuladora?

Pessoas manipuladoras entram em nossas vidas porque veem que estamos passando por um momento de vulnerabilidade. Nós alimentamos essas pessoas fornecendo informações íntimas, antes de percebermos que elas são manipuladoras. Se deixamos elas entrarem em nossas vidas, cabe a nós mesmos tirá-las de cena. A tarefa é difícil, mas estas dicas podem ser úteis:

• Não se sinta culpado por não satisfazer os desejos do manipulador. Muitas vezes, essas vontades são irracionais e parecem coisas de criança birrenta que querem atenção a qualquer custo;

• Faça perguntas para sondar, questione o que mudará se você atender as vontades dele;

• Pergunte-se como eram seus sentimentos por essa pessoa antes e como são agora;

• Aprenda a falar “não” para quem não faz bem a você, porque isso representa falar “sim” para você;

Você também pode gostar

Se nada disso der certo, afaste-se. Caso não seja possível tirar a pessoa da sua convivência, afaste-se emocionalmente, fale com ela apenas o básico. Ninguém merece viver à sombra dos outros, ninguém merece viver precisando consultar alguém a cada passo. Independência emocional é a chave para uma existência feliz.

Caso a sua relação com a pessoa manipuladora seja afetiva, ou seja, vocês estejam em um relacionamento, só há uma saída: terminar essa relação. Quanto mais você ficar preso a ela, mais poder dará a essa pessoa. O término não será fácil, porque o manipulador vai fazer de tudo para que você se sinta culpado, incapaz e inseguro, mas cerque-se de pessoas que vão te ajudar e que vão sempre lembrar a você qual é o seu verdadeiro valor. Mesmo que doa e que você tenha sentimentos fortes por essa pessoa, seja firme, porque no futuro você vai ver como vai ficar tudo muito melhor. Se for possível, converse com pessoas que saíram de situações assim e ouça como elas estão melhores após abandonar seus parceiros manipuladores.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br