Autoconhecimento Comportamento

Como saber se você é uma pessoa ansiosa?

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Está chegando o dia daquela prova na escola ou na faculdade, a hora combinada para conhecer aquela pessoa especial com quem você vem conversando há algum tempo ou o dia de um evento muito especial pelo qual você vem esperando… Quando algo do tipo acontece, algo que gera em nós expectativa e incerteza sobre o futuro, sentimos aquilo que chamamos de ansiedade.

O conceito de ansiedade é variado, até porque há vários tipos de ansiedade. Há aquela ansiedade gostosa, aquela que sentimos, por exemplo, quando está chegando o dia daquele show ou daquela festa planejada há muito tempo. Mas há também vários tipos de ansiedade negativos, aqueles que geram medo, apreensão, angústia, tensão e desconforto, que é o que experimentamos antes da prova ou temendo uma possível rejeição daquela pessoa especial que vamos finalmente conhecer.

Além do sentimento negativo e angustiante que nos causa, o tipo negativo de ansiedade causa sintomas físicos, como aquela sensação de suar frio, tensão muscular, fadiga, dificuldade de concentração, impossibilidade de se manter parado e por aí vai. Só quem sentiu já sabe! “A sensação de ansiedade é parte da personalidade do ser humano. A ansiedade é causada pela expectativa. Quando antevemos o futuro e ele nos parece negativo, sentimos essa angústia, porque nos preocupamos com a possibilidade de que o futuro negativo se torne realidade. Bem como quando pensamos naquele esperado reencontro, para dar um exemplo, sentimos aquela vontade de que a hora passe logo para que aquele momento chegue”, explica a psicóloga clínica Helena Martinelli, que segue: “Então é normal se sentir ansioso. Todos nos sentimos ou nos sentiremos ansiosos alguma vez. O problema é quando esse sentimento angustiante se torna frequente e começa a nos impedir de viver, aí é um quadro clínico que tem nome: transtorno de ansiedade.”

Imagem em preto e branco de um rio. Sobre ele uma ponte onde está uma mulher ansiosa. Ela usa roupas de inverno e uma touca e está olhando para o rio.
Imagem de Arek Socha por Pixabay

O que é transtorno de ansiedade?

Há vários tipos de transtorno de ansiedade. O mais conhecido dele é o transtorno de ansiedade generalizada, popularmente conhecido como TAG. “O TAG acontece, de maneira bem geral, quando o sentimento de ansiedade é excessivo, constante, permanente ou persistente, ou seja, quando a pessoa percebe que se sente ansiosa quase sempre por um período longo, que pode variar de semanas a meses”, detalha Martinelli.

Os motivos do transtorno de ansiedade podem ser vários: preocupações com a vida financeira, profissional ou acadêmica, saúde, problemas familiares ou conjugais e por aí vai. “Eventos ou períodos estressantes, como a proximidade de um casamento, de um divórcio ou de uma prova estudantil ou mesmo traumas, como términos de relacionamentos, demissões no trabalho ou brigas na família podem causar um transtorno de ansiedade, fazendo com que a pessoa se sinta desconfortável e com medo com frequência, além, é claro, de experimentar os sintomas físicos”, discorre a especialista.

Entre os sintomas físicos mais comuns estão suor nas mãos e nos pés, aumento da temperatura corporal, suor excessivo, boca seca, desconforto no estômago, enjoo, tensão muscular, dificuldade de encadear pensamentos e de falar e desânimo. Muitos outros poderiam ser listados aqui, já que é uma doença que se manifesta de maneira individual em cada caso, mas esses são os mais comuns.

Imagem em preto e branco do rosto de uma mulher ansiosa refletida no vidro de uma janela. As mãos da mulher estão sobre o vidro.
Imagem de KLEITON Santos por Pixabay

Como saber se você é uma pessoa ansiosa?

O Manual de Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, produzido pela Associação Americana de Psiquiatria, lista nove principais sintomas de transtorno de ansiedade e exige que pelo menos três deles estejam presentes na vida de um paciente adulto para que ele seja diagnosticado com TAG. Entre as crianças, mais de um desses sintomas já indica um possível caso da desordem. É importante lembrar que esses sintomas acontecem de maneira frequente durante um longo tempo no caso das pessoas com TAG. Confira a lista de sintomas:

– Irritar-se com muita facilidade, com problemas pequenos ou com situações que nunca o incomodaram em demasia.

– Perturbações do sono, seja dormir demais, não dormir o suficiente ou acordar várias vezes durante a noite.

– Incapacidade de se sentir tranquilo e relaxado, por estar tenso tanto física quanto mentalmente.

– Inquietação constante, tanto física quanto mentalmente, o que se caracteriza por estar sempre com os nervos à flor da pele.

– Tensão muscular em qualquer parte do corpo.

– Fadiga extrema ou rapidez em sentir-se fatigado.

– Esquecimentos e “travamentos”, como sentir que “deu um branco”, não conseguir terminar uma fala ou se esquecer de algo do qual não se esquece com frequência.

– Dificuldade ou impossibilidade de concentração.

– Sentimento recorrente de ter chegado a um limite.

Imagem de homem solitário e ansioso. Ele está sentando em um pier olhando para um lago.
Imagem de jwvein por Pixabay

Tratamento

“Se você tem sentido mais de três desses sintomas por alguns meses, procure um psicólogo ou psiquiatra, que conversará com você para entender o seu problema. Hoje, transtorno de ansiedade, transtorno do pânico e depressão se confundem muito, então é essencial fazer um diagnóstico preciso, porque, além da possível necessidade de tomar medicamentos, começar uma análise clínica, uma psicoterapia, é importantíssimo para aprender a lidar com o desconforto causado pela ansiedade e, acima de tudo, entender o que causa ou causou ele”, explica a psicóloga.

Algo que impede muita gente de procurar tratamento é o temor de ser julgado socialmente por isso ou ainda de afirmar para si mesmo que precisa de ajuda. “Somos fracos como seres humanos, passamos por problemas e por doenças e precisamos de ajuda para enfrentá-los. Assim como ninguém se cura de uma dor crônica nas costas sem procurar um ortopedista, a pessoa ansiosa não se cura do transtorno de ansiedade enquanto não receber acompanhamento psicológico e psiquiátrico. E lembre-se: você não está sozinho nessa, porque milhões de pessoas enfrentam e estão tratando esse mesmo problema, então não há motivo para sucumbir a preconceitos”, opina Martinelli. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que, apenas no Brasil, 18,6 milhões de pessoas sofrem com transtornos de ansiedade, o que representa quase 10% da população.

E o que acontece se não tratar? A especialista explica, de maneira geral: “A pessoa pode acabar virando refém do transtorno, deixando de fazer aquilo que faria em condições saudáveis, parando de sentir prazer em atividades ou com pessoas que antes lhe faziam tão bem e desenvolvendo uma incapacidade de tomar decisões por temer futuros que existem só em sua imaginação. Enfim, um transtorno como esse tira o controle que temos sobre nossas próprias vidas.”

Imagem em preto e branco de um casal de homem e mulher, ambos aparentam estar ansiosos.
Imagem de Виктория Бородинова por Pixabay

Outros transtornos de ansiedade

Além do TAG, que é mais comum, outros transtornos de ansiedade podem surgir em nossas vidas, então somente um profissional da psiquiatria ou da psicologia poderá diagnosticar com precisão. Confira uma breve lista de alguns outros transtornos de ansiedade abaixo:

– Agorafobia: sintomas de ansiedade que “despertam” em resposta a uma situação em que a pessoa se sinta insegura ou das quais imagine que não conseguirá escapar, como estar em ambientes fechados ou ser forçado a se socializar.

Você também pode gostar

– Sociofobia: caracterizado por medo, tensão e sensação de alerta ao precisar interagir com outras pessoas ou realizar atividades em que seja assistido por outrem.

– Transtorno de ansiedade de separação (TAS): sensação extrema de estresse, medo e desconforto ao ser afastado dos lugares e das pessoas com as quais a pessoa se sente confortável.

– Fobias específicas, como medo de altura, medo de espaços abertos, claustrofobia, medo de animais etc.

Múltiplos transtornos de ansiedade podem aparecer simultaneamente, então procure ajuda se achar que está passando por um quadro desses.

Artigo escrito por Lucas Alencar, da equipe do EuSemFronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]