Autoconhecimento Comportamento

Como ter inteligência emocional em tempos de crise?

Homem com semblante pensativo. Em sua cabeça, há desenho representativo de engrenagens.
Ion Chiosea / 123RF
Moshé Bergel
Escrito por Moshé Bergel

Como ter inteligência emocional em tempos de crise? Certamente enfrentamos a crise mais desafiadora de nossas vidas em termos coletivos: risco de contrair um vírus mortal, hospitais cheios, restrição de circulação de pessoas e de abertura de comércio, depressão econômica, crianças em casa sem escola e um ambiente político inflamado.

Para completar, não existe uma data certa para esse caos chegar ao fim, portanto, nossas esperanças estão depositadas em um futuro incerto. Manter o equilíbrio para não se deixar levar pelo desespero e pela frustração em um contexto como esse, sem dúvida, não é tarefa fácil.

Mas é necessário. Afinal, se a situação está difícil, ela só tende a piorar se não estivermos na melhor das condições para tomarmos decisões que podem impactar não só a nossa vida, mas a de todas as pessoas que nos cercam ou que são dependentes de nós.

Neste artigo, pretendo passar algumas dicas para ter melhor domínio de suas emoções nesta e em outras crises que possa enfrentar no futuro.

Inteligência emocional para quem tem pressa

Imagino que você deva ter ao menos uma vaga ideia do que seja inteligência emocional, pois se trata de um conceito que circula há muito tempo no meio acadêmico e na mídia. Contudo, para não correr risco de ruído de comunicação e para eliminar imprecisões, vale uma definição rápida sobre o assunto antes de fornecer mais detalhes sobre como ter inteligência emocional.

Inteligência emocional é a habilidade de lidar com as nossas emoções e com a forma como reagimos a elas. É uma competência que, para ser desenvolvida, exige que tenhamos autoconhecimento, entendamos quais emoções nos acometem em determinadas circunstâncias da vida e aprendamos a melhor forma de nos comportarmos diante delas.

Imagem monocromática de homem sentado na grama. Seu rosto está sob o braço, que repousa sobre os próprios joelhos.
Darwis Alwan / Pexels

Uma pessoa que tem dificuldade de controlar os seus sentimentos irá invariavelmente reagir de forma inadequada, impulsiva, inconsequente, e claro que tal comportamento acaba gerando frustrações – conduta e ânimo sem dúvida a se evitar a todo custo em tempos nos quais a frustração é quase uma rotina.

A pessoa que consegue gerir bem as suas emoções geralmente se mostra mais resiliente a intempéries de toda ordem, pois detém mais habilidades, recursos, estratégias para manter o equilíbrio e não deixar sentimentos nocivos influenciar na tomada de decisões.

Uma característica comum aos grandes líderes é justamente a habilidade de controlar o lado emocional, ter sangue frio e deixar a racionalidade falar mais alto para evitar precipitações que podem se revelar desastrosas, seja em curto prazo, seja em longo espaço de tempo.

Inteligência emocional é comida caseira, não fast-food

Ao usar a frase “como ter inteligência emocional?”, não significa que estou prometendo que você irá recebê-la no final do artigo embalada em uma caixinha colorida ilustrada com palavras que vendem saúde.

Estou propondo uma série de ações que vão ajudá-lo a desenvolvê-la e a mantê-la no momento em que ela é mais necessária: em época de crise. Afinal inteligência emocional precisa ser gestada, preparada com os ingredientes certos e submetida a pressões e temperaturas determinadas. É um processo.

Quem lhe prometer algo diferente trabalha desafiando a sua inteligência emocional, e não a alimentando.

Como ter inteligência emocional em tempos de crise?

Vamos ao ponto-chave deste artigo. Quais práticas você pode adotar para não se deixar levar pela gangorra de emoções intensas e preocupantes que essa crise nos suscita a cada manchete?

Como aprender a gerir melhor as suas emoções?

Normalize os seus sentimentos

A primeira coisa a ter em mente para ter inteligência emocional é que a negação só piora as coisas. Negar que está amedrontado, triste ou frustrado não faz esses sentimentos desaparecerem, apenas os fortalece, pois ficam reprimidos e se acumulam.

Com o tempo, o resultado é uma explosão, descontrole, atitudes impensadas alimentadas pelo desejo de restabelecer a paz a qualquer custo.

Mulher pressiona a cabeça entre as próprias mãos. Seu semblante está aflito, com o cenho franzido.
David Garrison / Pexels

Uma atitude para evitar esse acúmulo danoso é divulgar esses sentimentos, falar em voz alta o que está sentindo. Por isso, conversar, aproximar-se de pessoas que lhe querem bem, que estejam sentindo o mesmo que você, ajuda a ter mais apoio e normalizar esses sentimentos.

Preste atenção em si mesmo

Seguindo com as dicas de como ter inteligência emocional, quando você tiver sentimentos intensos e que costumam dificultar o seu julgamento, as suas ações (medo, raiva, alegria, amor etc.), preste atenção no que ocasionou essas emoções.

Feche os olhos, observe sua reação interna e o seu comportamento externo. Com o tempo, ao entender quais são os seus gatilhos, o que o leva a sentir tais sensações e a se comportar de determinada maneira, terá condições de usar isso a seu favor.

Por exemplo, usar a raiva para impor limites ou ficar de luto quando algo triste ocorre para depois recomeçar.

Informe-se com qualidade e moderação

Pensando em como ter inteligência emocional em tempos de pandemia, uma medida providencial é se informar em período determinado do dia e por meio de fontes confiáveis.

As notícias pelos próximos meses não prometem ser mais positivas do que negativas. Por isso, ficar o tempo todo recebendo informações, procurando-as, sendo bombardeado por elas não fará bem ao seu emocional.

Homem lê site de notícias em tablet. Ele está sentado à mesa e, sobre ela, há uma xícara de café.
Kaboompics .com / Pexels

A recomendação não é se isolar do mundo, viver em uma tribo ou uma caverna, mas se informar apenas em período determinado do dia para poder processar as informações de uma vez e passar o resto do tempo sem esquentar muito a cabeça.

Boatos podem provocar estresse e medos desnecessários. Por isso, tente se informar apenas com fontes confiáveis.

Use o tempo com criatividade

Se você está respeitando as normas da OMS ou tem condições de respeitá-las, está em quarentena. Mas, mesmo se não estiver, suas opções são limitadas. Afinal, ao menos enquanto escrevo este artigo, várias cidades e vários estados brasileiros estão em lockdown, ainda que suave se comparado àquele posto em prática na Europa.

Isso significa que você terá que ficar muito tempo em um mesmo local, encerrado e, quando não tiver trabalhando, com tempo livre e ocioso. Esse é um ótimo momento para conversar com amigos e familiares, escrever ou ler um livro, aprender um novo idioma.

Mulher sentada à janela lê um livro.
Thought Catalog / Pexels

Manter-se ocupado e em contato com pessoas é fundamental para evitar a sensação de isolamento e sentimentos negativos como ansiedade, depressão etc.

Outra prática interessante para aliviar a pressão é fazer meditação.

Busque ajuda profissional

Fechando as dicas de como ter inteligência emocional, há pessoas que, mesmo seguindo todas essas dicas, não conseguem abrandar a pressão e permanecer no controle. Isso pode ocorrer em razão de dificuldade crônica de se manter estável emocionalmente, dificuldade derivada de traumas na infância ou no decorrer da vida adulta.

Para esses casos, a melhor opção é buscar apoio profissional.

A psicoterapia é o tratamento mais usual. Ela ajuda o individuo a identificar os traumas passados que repercutem no presente e a lidar melhor com eles. O paciente passa por exercícios mentais para ressignificar esses eventos e aprende técnicas para dominar as emoções em momentos específicos de crise.

Mulher escreve em folha sobre prancheta. Ao fundo, em segundo plano, há um homem deitado no sofá em sua frente.
Alex Green / Pexels

Uma técnica que tem se popularizado, apesar de há muito ser praticada, é a hipnoterapia, um tratamento que usa métodos hipnóticos para acessar o subconsciente do paciente e identificar as experiências anteriores mal processadas.

Sua popularidade se deve ao fato de obter resultados mais rápidos e, na maioria dos casos, dispensar o uso de medicamentos, que podem gerar dependência se consumidos por longo período.

Você também pode gostar

A crise, ao que tudo indica, infelizmente vai demorar a passar. Mas uma hora passará. E, para que possamos comemorar e viver esse grande momento que nos espera da melhor forma possível, não podemos relaxar com a nossa saúde física e mental.

Estude sobre o tema, converse com pessoas, busque ajuda. Juntos, vamos sair mais fortes e com um futuro todo pela frente.

Gostou deste conteúdo sobre como ter inteligência emocional? Então curta, compartilhe, avalie. Seu apoio faz a diferença!

Sobre o autor

Moshé Bergel

Moshé Bergel

Moshé Bergel é formado em:

- Hipnoterapeuta certificado pela National Guild of Hypnotists (fundada em Boston desde 1950)
- Seminário Internacional em Hipnoterapia Ericksoniana – Jeffrey Zeig PhD. – Fundador e Diretor do Instituto Milton H. Erickson Foundation – E.U.A.
- Formação de Hipnoterapia do Básico ao Avançado – Método TESS
- Curso Intensivo em Segredos da Hipnose Ericksoniana – George Szenészi – Certified Master Trainer em PNL e Diretor da Metaprocessos – Mudanças Humanas Aceleradas
- Coaching Estrutural Sistêmico pela Metaforum International
- Coaching Estilo Americano pela International Society of Coaching
- Coaching Emocional pela Metaprocessos – Mudanças Humanas Aceleradas
- Terapia da Linha do Tempo pela Metaprocessos – Mudanças Humanas Aceleradas
- Master Practitioner em PNL
- Monitor de Practitioner em PNL
- Pós-graduado em Cultura Judaica pelas Faculdades Renascença
- Graduado em Bachelor of Talmudic Law pela Ner Israel Rabbinical College (Baltimore, MD – EUA)
- Pedagogo pela Michlalah Jerusalem College
- Contador de Histórias pelo instituto Sedes Sapientiae

Contatos:

Agendamento pelo WhatsApp: +55 11 9870-65121
Email: coachmoshebergel@gmail.com
Site: moshebergel.com.br
Facebook: hipnoterapeutamoshebergel
Instagram: @hipnoterapeutamoshebergel
Linkedin: Moshé Bergel