Maternidade Consciente Saúde Integral

Gravidez: 9 meses de mitos e pitacos

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
Se você está grávida ou pensando em ter um bebe, prepare-se para vivenciar longos noves meses de pitacos alheios. É praticamente automático, quando uma mulher diz que está grávida, as pessoas se acham no direito de opinar, aconselhar e por vezes até repreender.

Na maioria das vezes isso não acontece por mal, as pessoas geralmente querem compartilhar das suas experiências e falar sobre o que deu ou não deu certo durante sua gestação. O fato é que por vezes tudo isso é bem-vindo, mas em algumas situações acaba estressando ainda mais a mãe, que por conta da gravidez já está com os hormônios alterados.

As pessoas vão se aproximar, falar e principalmente querer tocar na sua barriga. Os psicólogos afirmam que mesmo que inconscientemente a sociedade enxerga a mulher grávida como uma espécie de “santa” e então tocar sua barriga é como tocar em uma divindade. Mas, ao contrário disso, é muito mais provável que durante a gestação a mulher tenha um ataque de nervos, ao invés de fazer milagre. Então, se as pessoas não conseguem enxergar um limite, é preciso que você mesma imponha.

Em algum momento alguém vai aparecer para te contar uma triste história do bebê de uma amiga da sua prima que faleceu, ou então que você nunca mais vai ter uma noite de sono completa, inclusive pelo fato do seu marido não ajudar em nada, ou ainda aquele conselho para você repetir o ultrassom, pois sua barriga está muito pequena ou extremamente grande. Enfim, pode apostar, você receberá uma enxurrada de informações, algumas vezes úteis, mas muitas delas não vão fazer o menor sentido, ainda mais para o seu estilo de vida.

O mais importante de tudo é fazer o pré-natal corretamente e ouvir em primeiro lugar as instruções do seu médico e, em segundo lugar, use o seu feeling que ficará ainda mais apurado durante os nove meses. Assim, você saberá quando alguém quer te ajudar ou apenas palpitar e te deixar mais nervosa. Se o palpite não fizer o menor sentido, deixe que entre por um ouvido e saia pelo outro. Caso a pessoa insista, responda educadamente que já resolveu essa questão e mude de assunto.

5 mitos sobre a gravidez

Sexo durante a gravidez prejudica o bebe

Sem essa, mamãe, sexo pode e pode muito! O sexo não afeta o bebê, pois ele está envolvido na placenta. Além de aumentar o fluxo sanguíneo na área da bacia e aumentando a oxigenação fetal, as endorfinas produzidas no orgasmo trazem a sensação de bem-estar e ajudam na preparação do parto. Só existe contraindicação caso o médico encontre algum risco na gestação.

Ficar em jejum reduz enjoo

Muito pelo contrário, ficar muitas horas em jejum aumenta o enjoo. Para diminuir essa sensação, é aconselhável comer em intervalos menores, porém em menor quantidade.

Mulher grávida deve comer por dois

Negativo! A mulher deve se preocupar em comer de forma saudável e aumentar no máximo 300 calorias por dia. Assim, garante uma gravidez saudável e sem ganho excessivo de peso.

Azia é sinal de bebê cabeludo

Essa história não tem pé e nem cabeça. A azia surge, pois o útero pressiona o estômago, causando um refluxo do ácido. Já o que vai determinar se o bebê vai ter cabelo demais ou de menos é a genética.

Exercício físico acelera o parto

Nunca! Praticar exercício físico com auxílio de um profissional, faz bem à saúde em qualquer etapa da vida.


Escrito por Natália Nocelli da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sua opinião é bem-vinda, sempre que colocada com a educação e o respeito que todos merecem. Os comentários deixados neste artigo são de exclusiva responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]