Convivendo

Home office deve aumentar até 2020

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Conversamos com as duas jornalistas fundadoras do blog Adoro Home Office para entender melhor essa tendência.

Trabalhar em casa parece até um sonho. Quantas pessoas não gostariam de ficar em casa trabalhando tranquilamente? Agora esqueça o pijama, o sofá, o seriado. Se você deseja trabalhar em casa, saiba que existem vantagens e desvantagens. O principal é a organização. É preciso ser disciplinado para conseguir realizar todas as atividades necessárias. E saiba que existem muitos percalços e, quando vê, você pode estar sentado no sofá assistindo à TV. E aí os problemas podem surgir.

Conversamos com a Marcia Breda e a Juliana Frazon, duas jornalistas que criaram o site “Adoro Home Office” para mostrar vagas pra quem quer trabalhar em casa, discutir essa forma de trabalho e muito mais. Na entrevista, elas nos contam o que é bom e o que não é tão bom. Confira!

Juliana e Marcia (foto de Anna Fischer da Doca Coworking)

Eu sem Fronteiras: Me conte um pouco de vocês. Onde nasceram, moram, qual a formação e como se conheceram?

MARCIA

Nasci no Paraná e moro em Porto Alegre há 5 anos. Sou jornalista, já trabalhei com assessoria de imprensa e docência. Desde que me mudei para o RS, meu foco é comunicação digital e social media. Nessa área, trabalhei em algumas agências até decidir adotar o formato home office. Eu e a Ju fomos colegas numa agência aqui em Porto Alegre.

JULIANA

Nasci no interior do Rio Grande do Sul e moro em Porto Alegre há 13 anos. Sou formada em jornalismo e conheci a Marcia em 2012, quando trabalhamos na mesma agência.

ESF: O que é o Adoro Home Office?

MARCIA

O Adoro Home Office é um espaço para troca de ideias sobre as melhores formas de se trabalhar em casa e, de vez em quando, fora dela. Falamos sobre métodos de trabalho, dicas de organização, decoração e até mesmo sobre experiências de outros profissionais que também fazem home office.

Talvez o post de abertura possa dar mais detalhes sobre qual é nossa intenção com o blog.

ESF: Como o blog surgiu?

MARCIA

Assim que decidi adotar o formato home office, em março de 2015, decidi que uma das prioridades seria tocar alguns projetos paralelos, não necessariamente relacionados com o trabalho. Pensei que um blog de home office poderia ser bacana, até para aprender e tentar me adaptar melhor. Nessa mesma época, a Ju, que já tinha mais experiência com home office, também teve a mesma ideia. Conversamos, percebemos que era uma vontade das duas e resolvemos começar o blog.

JULIANA

Um dia eu estava trabalhando, já em home office, quando fiz uma foto da minha mesa de trabalho para postar no Instagram. Na hora de postar, procurei uma hashtag brasileira relacionada a home office e não encontrei. Então, pensei que seria legal se existisse um site sobre trabalho remoto e procurei a Marcia para tocarmos o projeto em conjunto. E o mais legal é que ela já também já tinha pensado sobre isso.

ESF: Qual o propósito do site?

MARCIA

É ser um espaço para discutir, escrever, reunir pessoas, para falar sobre o home office. Tem muita gente falando sobre empreendedorismo, startups e como ser mais produtivo no trabalho. Mas e quem trabalha em casa? As necessidade e dificuldades são diferentes, então pensamos em dividir nossa experiência e nossas dúvidas. Hoje, já conseguimos criar uma comunidade bem bacana que interage com a gente por e-mail e também pelas redes sociais.

ESF: O home office tem sido a escolha de muitas pessoas. Por que esse caminho?

MARCIA

Acredito que em função de um movimento forte da geração que busca qualidade de vida acima de tudo. Vejo muita gente da minha idade (32) pouco preocupada com estabilidade e carreira. As pessoas querem ser mais felizes e mais livres. A internet também trouxe a possibilidade de muita gente poder trabalhar remotamente, então por que ficar preso, não é mesmo?

JULIANA

Também acredito que esteja relacionado à busca por mais qualidade de vida e ao questionamento de antigos padrões, como a jornada de trabalho de oito horas e o porquê de gastar horas se deslocando até a empresa quando posso fazer o mesmo trabalho de casa.

ESF: Como enxergam o futuro do Home Office?

MARCIA

De tudo o que tenho lido, acho que é um caminho sem volta. Se as empresas quiserem reter os bons profissionais, flexibilidade e trabalho remoto precisam ser palavras-chave na hora da contratação. Caso contrário, os bons profissionais decidem trabalhar como freelancers e podem atuar com mais liberdade.

JULIANA

Vejo o home office como uma alternativa. Sempre tem quem vá preferir trabalhar em casa e quem vá sentir necessidade de trabalhar num escritório tradicional, assim como teremos empresas abertas ao trabalho remoto e outras totalmente contra. Não gosto de ver o home office como uma imposição do tipo: “Você tem que trabalhar remoto por que isso é melhor para você, sua empresa tem que aderir etc”. Acho importante que cada um entenda como funciona melhor e busque oportunidades dentro dessa perspectiva.

ESF: Na percepção de vocês, qual a maior dificuldade de trabalhar em Home Office?

MARCIA

É preciso ter muita disciplina e comprometimento com as entregas. As tentações são muitas e, se você não prestar atenção, vai acabar passando a tarde no sofá vendo seriado. Não dá pra pensar que home office é sempre vida boa. Tem dias que não dá pra sair da frente do computador mesmo.

JULIANA

Como freelancer, é a questão de ser o “faz tudo” do negócio. Você precisa se dedicar à prospecção de clientes, à parte administrativa e burocrática da atividade, tem que cuidar do financeiro e ainda fazer o trabalho propriamente dito.

ESF: A modalidade home office tem sido muito praticada por quem faz freela. Qual a dica que vocês dão para os rendimentos de produção aumentarem?

MARCIA

A vantagem de ser freela é que você pode eventualmente fazer trabalhos bem bacanas e diferentes, mesmo que sejam pontuais. É fundamental ter uma boa base de contatos, já que a recomendação é uma das coisas que mais traz clientes.

JULIANA

Como a Marcia disse, é fundamental ter uma boa base de contatos já que a maioria dos jobs acaba rolando por indicação mesmo.

ESF: Praticar meditação e ioga pode ser algumas das formas para sair um pouco do automático e da frente da tela do computador quando se trabalha em casa. O que vocês acham disso?

MARCIA

Eu adoro! Mas acho que cada um deve procurar uma coisa que faça bem. É essencial sair de casa. Praticar um esporte, meditar ou até mesmo marcar um café com um amigo no meio da tarde para trocar uma ideia.

JULIANA

Acho que é importante manter uma atividade física e de preferência fora de casa para sair do ambiente de trabalho. Meditação nunca tentei. Pratiquei ioga, mas não me adaptei. Gostaria de tentar outra modalidade para desenvolver consciência corporal e melhorar a postura.

ESF: Deixe uma mensagem:

MARCIA

Nem todo mundo se adapta ao home office. Apesar da flexibilidade de horários ser incrível, é preciso ter muita disciplina para conseguir trabalhar. Muitas vezes, se você mora com sua família, pode ser impossível conseguir um espaço para concentração e silêncio. Então, faça o teste. Se não der certo, tudo bem!

JULIANA

O home office é legal, mas como tudo na vida também tem suas desvantagens. Aquela história de “vou trabalhar remoto enquanto viajo o mundo inteiro” é muitas vezes só um sonho. A realidade do home office é muito mais sobre rotina, trabalho duro e controle financeiro rígido.


Entrevista realizada por Angelica Weise da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]