Espiritualidade

Lições da vida passada

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Antes de falar sobre vidas passadas, é essencial entender o conceito de reencarnação. Podemos definir reencarnação como sendo uma ideia de variados sistemas religiosos e filosóficos, onde o espírito, que até então se encontrava em um meio físico, retorna ao sistema material para ajudar na evolução do espírito reencarnante. Ou seja, é a capacidade do espírito de encarnar repetidas vezes depois da morte física, o que significa que a morte não é o final.

A ideia de reencarnação tem origem desde os primórdios da humanidade e desenvolveu-se a partir de teorias que afirmam que todos nós temos alma, e esta pode ser afastada de nosso corpo, seja de forma permanente (morte) ou temporária (durante o sono).

Ela é uma oportunidade que o espírito tem para alcançar aperfeiçoamento intelectual, através do estudo e do trabalho, e moral, através de caridade e do amor. Toda reencarnação é planejada por seres superiores para que, assim, o reencarnante possa se desenvolver e tirar proveito máximo da nova vida.

Praticamente todas as civilizações de nossa história creem na vida após a morte. Entretanto, não existe qualquer fato que refute ou aprove cientificamente essa hipótese.

Uma pesquisa feita pelo já falecido neurologista e psiquiatra Ian Stevenson, da Universidade da Virgínia, analisou mais de três mil casos que susteriam que a reencarnação realmente existe. Segundo ele, as personalidades atuais apresentam certas características que nunca desenvolveríamos ou não podem ter sido herdadas na nossa existência atual.

Algumas pessoas acreditam que as marcas de nascença possuem ligação com ferimentos mortais de vidas passadas. Certas doenças psicológicas e físicas também podem ser originárias da encarnação anterior, e há uma alta dificuldade na cura, até se descobrir, com a regressão, o motivo da consternação.

Entretanto, a doença pode indicar a necessidade que o nosso eu de verdade tem para alertar a pessoa quanto a falta de vontade para ajudar os outros, à intolerância ou quanto ao potencial criativo que vem travando dura batalha para se expressar.

Assim, a morte não deve ser vista como o fim definitivo dos vínculos estabelecidos com as pessoas que amamos e nossos familiares, mas sim como uma oportunidade de amadurecimento e de crescimento.

Quando relembramos fatos que ocorreram em reencarnações anteriores, pode ajudar na eliminação e no controle de dores, de culpa, na diminuição de tensões, ansiedades e formas variadas de medo. Além disso, libera potenciais mais pessoais, ajuda no desenvolvimento da concentração e há uma melhora do senso de responsabilidade.

Aqueles que fazem parte dessa nossa existência, nossos pais, sejam eles adotivos ou biológicos, desempenham papéis diferentes em cada reencontro, onde o convívio e a educação possuem o desafio e o compromisso de mudar para melhor o comportamento emocional que carregamos de nossas vidas passadas.

Informações de reencarnações passadas nos são reveladas de diversas formas:

Através de sonhos, de regressão com finalidade terapêutica ou do tipo espontânea. Não é comum nos lembrarmos de maneira espontânea de vidas passadas. A menor parcela das memórias fica guardada no nosso inconsciente, sendo a base sobre a qual a nossa mente e a nossa personalidade se forma.

Na Terapia de Regressão, memórias guardadas no fundo de nosso inconsciente podem ser reveladas. Quando encontramos a origem de nossos problemas, o processo de evolução se torna mais fácil. No entanto, não se deve buscar esse tratamento por pura curiosidade. O uso deste tipo de informação é apenas para fins terapêuticos, porque objetiva auxiliar o indivíduo na superação de sofrimentos e de traumas.

Na lógica da reencarnação, a nossa existência atual é apenas um capítulo de nossa vida. Por isso, se queremos amadurecer na esfera emocional e sentimental, devemos prestar mais atenção aos vícios de comportamento e tendências mais negativas. Nestes casos, a regressão pode ajudar a abrir portas para memórias que se encontram ocultas no nosso inconsciente se transformarem em evolução, vida e essência.


  • Texto escrito por Flávia Faria da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sua opinião é bem-vinda, sempre que colocada com a educação e o respeito que todos merecem. Os comentários deixados neste artigo são de exclusiva responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]