Energia em Equilíbrio Yoga

10 tipos de yoga e suas explicações

Prática milenar, a Yoga é uma filosofia de origem hindu que visa ao alinhamento do corpo, da mente e do espírito por meio de exercícios que são, na verdade, uma meditação ativa. Ao longo dos anos, essa prática se solidificou e deu origem a novas maneiras de ser realizada, se desmembrando em várias vertentes. Separamos algumas dessas técnicas para você conhecer e se aventurar no mundo yogi, venha ver!

Hatha

Hatha Yoga é considerado o estilo mais popular e fácil de yoga, sendo o mais indicado para iniciantes. Embora pareça desafiadora no começo, essa prática não apresenta grandes dificuldades, já que respeita os limites de cada um e pode ser praticada por qualquer pessoa, de todos os tipos e idades. Introduzida por Yogui Swatmarama, no século 15, na Índia, a Hatha Yoga envolve exercícios respiratórios (pranayama), posturas (asanas) e meditação (dharana e dhyana).

As asanas, que envolvem esforço físico, aliadas à respiração e à meditação, têm como objetivo proporcionar o relaxamento que auxilia no alívio de dores e estresses, prevenção de doenças e equilíbrio energético, além de promover flexibilidade corporal.

Ashtanga

Para quem busca conhecimento filosófico e espiritual, a Ashtanga Yoga é a prática mais indicada, já que tem como objetivo o alinhamento de oito limbos para a purificação do corpo e da mente. Niyama (observância religiosa), Asana (postura), Pranayama (contenção da respiração), Samadhi (estado de supraconsciência), Dhyana (meditação), Dharana (concentração), Pratyahara (abstração dos sentidos) e Yama (autodisciplina) são os oito limbos, que fazem com que todas as partes do corpo sejam trabalhadas, o que exige maior força e flexibilidade do praticante.

Portanto, a Ashtanga Yoga é adequada a quem gosta de desafios, já que é uma categoria de maior dificuldade e frequência, por normalmente ter posturas que são realizadas igualmente todos os dias. A quem sofre com alguma lesão corporal ou tem sensibilidade nas articulações, recomenda-se procurar outro tipo de Yoga.

Imagem de uma mulher realizando a Vinyasa Yoga
f9photos/ Canva

Vinyasa

O Vinyasa Yoga é outra prática bastante indicada para iniciantes, já que não apresenta empecilhos, principalmente por ter níveis diferentes de dificuldades, respeitando os limites e experiências de cada um. Foi apresentado por Tirumalai Krishnamacharya, o embaixador do Yoga no Ocidente, que se tornou um dos yoguis mais importantes e influentes dos últimos anos por isso.

Nessa modalidade, há o equilíbrio entre movimento rítmico, alinhamento de postura, meditação e muito suor! Entre respiração, concentração e esforço físico, a mente, o corpo e a alma trabalham juntos, auxiliando o funcionamento dos pulmões e aumentando a resistência física.

Iyengar

Muito indicada para quem está começando ou quer pegar bem leve, a Iyengar Yoga é uma prática que consiste, principalmente, no uso terapêutico, já que é muito utilizada por quem tem restrições de movimento. Com uma abordagem bem lenta e que tem foco maior no alinhamento da postura, esse tipo de Yoga apresenta mais de 200 asanas (posturas) com risco quase nulo de lesões, devido ao ritmo das aulas.

Um dos maiores diferenciais dessa prática é o uso de acessórios, que proporcionam mais suavidade e autoconfiança ao aluno, auxiliando nos exercícios. É a opção perfeita para quem não quer grandes desafios e está disposto a ter momentos de pleno silêncio e relaxamento, proporcionando paz de espírito, fortalecimento e flexibilidade corporal a longo prazo.

Kundalini

De abordagem mais espiritual, a Kundalini Yoga tem como proposta a reprogramação de um estilo de vida. Ideal para quem procura libertação e despertar para uma maior consciência de si e do mundo, a Kundalini Yoga não é mera prática física, não sendo ideal para quem busca apenas fortalecimento físico.

Diferente da maioria dos tipos de yoga, essa vertente é mais contemplativa e individual, o que pode apresentar dificuldades no início, principalmente em pessoas mais hiperativas e ansiosas. De todo modo, a Kundalini é indicada para qualquer pessoa, de quaisquer tipos e idades!

Bikram

Também conhecida como Hot Yoga, o principal diferencial da Bikram Yoga é a exigência de a prática ser feita em salas muito quentes. Isso porque, para o mestre indiano Bikram Choudhury, que criou a vertente, o calor e o suor colaboram para a eliminação de toxinas e a circulação sanguínea, além de prevenirem doenças e lesões, e estimularem a determinação, a paciência, o autocontrole e a autoconfiança.

Com posturas e técnicas de respiração, as sessões duram cerca de 90 minutos e prometem a queima de muitas calorias, ideal para quem quer perder peso e investir pesado em uma atividade física. Mas há contraindicações: o Hot Yoga não pode ser feito por gestantes, pessoas com problemas de pressão e nem por menores de 12 anos.

Imagem de uma mulher praticando Yoga Core
Georgijevic de Getty Images Signature/ Canva

Core

O Core Yoga é tem como foco principal o fortalecimento do abdômen. Isso porque, segundo o Ayurveda (medicina alternativa hindu), a região do abdômen é uma das áreas mais importantes do corpo, já que abriga os órgãos do sistema digestivo, responsáveis por um dos processos mais essenciais do organismo.

Então, para muito além de proporcionar uma barriga definida, o Core Yoga tem como objetivo ativar os músculos abdominais e seus subconjuntos, num trabalho com posturas que equilibram o peso do corpo, aumentam o metabolismo, auxiliam na digestão, previnem doenças do estômago e reduzem o estresse. Porém a prática apresenta um nível de dificuldade maior, devendo ser iniciada aos poucos, de modo leve, e deve também ser evitada em episódios de diarreia.

Yin Yoga

Com benefícios que podem ser definidos como os de uma sessão de acupuntura, a Yin Yoga é uma prática que se destaca pelo ritmo mais lento, muito mais lento que o de outros tipos de yoga. Com bastante foco na respiração e nos processos meditativos, há posturas da Yin Yoga que podem ser mantidas por até dez minutos ou mais, o que é bastante indicado para pessoas sedentárias se iniciarem aos poucos ao exercício físico.

Mesmo assim, para além dos desafios da movimentação do corpo, essa prática pode apresentar bastante dificuldade por ser uma atividade introspectiva e monótona, principalmente para pessoas ansiosas e/ou hiperativas.

Yoga Aéreo

Unindo as técnicas de Yoga tradicionais com movimentos de acrobacia, o Yoga Aéreo é uma prática que se utiliza de acessórios presos ao teto para a prática das posturas. Permitindo, com isso, que se atinja poses mais desafiadoras e que promovem maior relaxamento à região da cabeça, o Yoga Aéreo melhora a flexibilidade, o autoconhecimento e a amplitude dos movimentos do corpo.

Contudo, há contraindicações, já que essa modalidade pode não ser uma boa alternativa a pessoas que têm medo de altura, e não é recomendada para quem sofre de pressão alta, está no período menstrual ou passando por qualquer outro tipo de sangramento.

Você também pode gostar

Raja

Outra modalidade que tem a meditação como foco principal, o Raja Yoga é uma prática processual dividida em oito passos: Yamas, Niyamas, Asanas, Pranayama, Pratyahara, Dharana, Dhyana e Samadhi. Unindo as posturas tradicionais da Yoga com técnicas de respiração e conceitos filosóficos, o Raja Yoga é sobre limpeza espiritual, a fim de se conquistar um estado de supraconsciência (a consciência mais elevada) a longo prazo de prática, indo muito além de um mero exercício físico. Portanto, não é recomendado para quem não está disposto a cumprir com os objetivos da modalidade, e pode apresentar dificuldades nesse caso. Fora isso, pode ser realizado por pessoas de quaisquer tipos e idades.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br