Convivendo

Cem maneiras de ser a diferença na vida das pessoas – Capítulo 4

Capa do livro Cem maneiras de ser a diferença na vida das pessoas, capítulo 4.
Benedito Milioni
Escrito por Benedito Milioni

Capítulo 4 – DIGA “NÃO” COM DOÇURA 

A palavra em si já é muito… negativa, se perdoa o(a) caro(a) leito(a) o trocadilho meio bobinho. Deve ser a palavra mais ouvida por todos nós, até que, amadurecendo e virando adultos, assumimos o direito de proferi-la e de infernizar a vida de muita gente, assim como feito conosco. Caetano Veloso, felizmente para nós brasileiro e baiano, em 1969 apresentou uma emblemática música “É proibido proibir!” , talvez jogando para fora os “não” que ouviu de Dona Canô, amantíssima mãe ou dos tempos cinzentos que à época vivia-se no Brasil.

O fato é que a palavra é mesmo uma pancada nas levezas das nossas almas e ninguém permanece a mesma pessoa ao ouvi-la, mesmo que seja em situações banais, dessas que pedaços de nós não arrancam, mas até nelas o “não” assume dimensões sinfônicas e deixa aquele que a ouve com vontades entre esganar a quem disse ou desaparecer por uns três dias, até a passe a dor e os sentimentos ruins que ela desperta.

Mulher branca de óculos segurando plaquinha preta escrito não em frente do rosto.

Veja a historinha do desaparecimento da letra ”a” e do sinal “til” da parede da sala de aula do grupo escolar! Sumiu , sim, da noite para o dia, e foi um alvoroço danado, com professoras nervosas correndo para todos os lados e uma diretora prometendo oficiar à Secretaria da Educação, caso não fossem imediatamente achados tão importantes sinais gráficos da nossa amada língua, trazida do outro lado do oceano por bravos marujos portugueses! Um pandemônio na escola! Até a simpática e zelosa “tia” que cuidava da merenda da meninada corria assustada atrás dos símbolos surrupiados possivelmente por um meliante querendo alfabetizar-se por meios esdrúxulos…e deixou o mingau de aveia queimar! Quando tudo parecia caminhar para uma erupção vulcânica na escola, eis que Biscoito, Gordinho e Pinhoco, três amigos de muitas aventuras, mais tarde apresentaram-se como autores do delito e a todos surpreenderam, justificando esse ato como uma tentativa de se ouvir menos “não” na escola, sabendo eles, danadinhos de espertos, que, sem “a” e sem “til”, não se fala e nem se escreve NÃO!


Continue acompanhando a série

Anterior Capítulo 4 Próximo

Ir para o primeiro capítulo

Sobre o autor

Benedito Milioni

Benedito Milioni

Graduado em Sociologia e Administração, 46 anos de carreira executiva e técnica em Desenvolvimento de Pessoas, autor de 32 livros, autor de 5 e-books, co-autor de 15 livros e autor de 25 manuais técnicos.

Dirigiu treinamento para mais de 3.349 grupos (cerca de 81.000 treinandos), dos quais 36.760 da área de RH, cerca de 24.736 Gestores e Líderes, 18.610 na área Comercial e 3.318 em Competências de Negociações . Formou cerca de 2.450 Instrutores e Multiplicadores Internos e 610 Consultores Internos Participa, regularmente, como conferencista sobre Tecnologia de Gestão em T&D em eventos nacionais e internacionais.

Apresentou mais de 2.104 conferências e palestras para mais de 200.000 pessoas. Prestou serviços a mais de 440 empresas, no Brasil e no exterior (América Latina, América Central, África e Europa). Júri de prêmios de Excelência na Gestão de Pessoas.

Publisher da GESTÃO DE PESSOAS EM REVISTA.

Contatos:

Av. Paulista, 2.202 , 3o. Andar CEP 01310-300 - São Paulo – SP
Site: www.milioni.com.br
Email: [email protected]
Telefone: 11 3508-1990 | 4158-7435 | 99909-5858
Facebook: www.facebook.com/bmilioni Linkedin: linkedin.com/benedito-milioni

Canal no Youtube