Saúde Integral

Cólon: o que é, para que serve e como cuidar dele?

O corpo humano é formado por vários sistemas: o nervoso, o endócrino, o cardiovascular… Cada um tem sua importância, e o bom funcionamento de todos eles é essencial para que estejamos saudáveis e tenhamos qualidade de vida. Um dos mais relevantes sistemas do nosso organismo é o digestivo. Mas você conhece todas as partes que o compõem?

Um dos órgãos mais importante do nosso sistema digestivo é o cólon. Talvez você nunca tenha ouvido falar sobre ele com esse nome, mas já tenha lido ou escutado por aí a respeito do intestino grosso, certo? Pois os dois são a mesma coisa! E você sabe para que serve o intestino grosso, o cólon? Preparamos um artigo que explica quais são as suas principais funções, que problemas podem afetá-lo e de que forma é possível mantê-lo saudável. Confira!

O que é o cólon e quais são suas funções?

Também conhecido como intestino grosso, o cólon de um adulto mede cerca de 1,5 metro e tem entre 4 cm e 8 cm de diâmetro. Além de sua parte central, o cólon tem outras duas partes menores: o reto (parte final do tubo digestivo, responsável por armazenar as fezes, para que seja feita a absorção final de nutrientes e de água) e o ceco (responsável por receber o conteúdo do intestino delgado e iniciar o processo de reabsorção da água, que seguirá ao longo do intestino grosso).

O cólon é a última parte do sistema digestivo e tem várias funções nesse sistema, mas a principal delas é absorver nutrientes que não tenham sido digeridos pelo intestino delgado e também regular a quantidade de água no organismo.

Mulher fazendo um coração comas mãos em frente à sua barriga
Kindel Media / Pexels

Outra função bastante importante do cólon é a ação das chamadas bactérias de putrefação, que atacam, entre outras coisas, a celulose contida nos alimentos vegetais. Se esse processo não acontecesse no cólon, seria impossível digerir a celulose, porque o organismo não produz em nenhum outro órgão as enzimas necessárias para fazer isso.

Erroneamente, algumas pessoas acreditam que o intestino grosso é o responsável pela modificação e digestão dos alimentos, mas esses processos são, em sua maioria, realizados antes, no estômago e no intestino delgado. O intestino grosso, por sua vez, tem maiores responsabilidades na função de absorção de água.

O cólon na Linguagem do Corpo

A Linguagem do Corpo é uma terapia alternativa pseudocientífica, segundo a qual os nossos pensamentos e os nossos sentimentos exercem influência sobre a nossa saúde física. De acordo com essa teoria, problemas no intestino – e no cólon, especificamente – podem ser causados quando “seguramos” emoções e reflexões e não permitimos que elas fluam livremente.

Uma boa analogia para explicar isso é a água. Quando fica parada, ela está exposta a bactérias e permanece sempre igual, fechada em si mesma. A água corrente, porém, está sempre se renovando e se misturando a outras águas, percorrendo novos caminhos e desbravando o mundo. É isto o que devemos fazer com nossos sentimentos e pensamentos também: deixá-los livres e independentes, em vez de presos e remoendo angústias.

Mulher deitada no chão segurando um caderno em cima do seu rosto
Keira Burton / Pexels

Abandonar o passado é algo fundamental para que abramos espaço para novas emoções, novas situações e novos acontecimentos em nossa vida. Então mude a sua postura de viver conectado ao que já passou ou querendo voltar atrás e corrigir algo que não deveria ter feito. Aproveite o momento presente e construa um novo futuro para você a partir dele.

Quando vivemos presos a situações do passado ou “represamos” as nossas emoções e os nossos pensamentos, isso pode repercutir em nosso intestino, que reage a essa prisão emocional, fazendo o mesmo que estamos fazendo em nossa mente: tendo dificuldade de se livrar daquilo que faz mal ao organismo, trabalhando mais lentamente e causando sensações de desconforto, como gases, sensação de queimação e de estufamento.

Cuide da sua comunicação e pare de colocar o pé no freio na hora de expressar o que pensa e sente. Deixe que tudo flua e siga seu curso natural.

Principais problemas no cólon

A maior parte dos problemas graves relacionados ao cólon são cânceres. E quase todos os casos de cânceres de cólon se originam a partir dos pólipos (lesões em formato de cogumelo que eventualmente surgem na mucosa do intestino grosso).

Remoção de um pólipo colônico com uma alça de fio elétrico durante uma colonoscopia - ilustração 3D
burgstedt / 123RF

Pessoas com idade de risco de desenvolvimento de câncer de cólon (após os 50 anos de idade) estão no grupo que deve realizar colonoscopias de rotina. A colonoscopia é o exame que avalia a condição do cólon. No procedimento colonoscópioco, o médico já pode fazer a retirada dos pólipos. Quando são removidos totalmente, não é comum que se desenvolvam novamente.

Além de tumores e cânceres, outros problemas podem afetar o funcionamento do cólon e causar consequências ruins. Confira s seguir alguns deles:

— Síndrome do intestino irritável: essa doença ocorre quando há inflamação das vilosidades intestinais, que são as “dobrinhas” que formam a parede do intestino. Os sintomas incluem dor, excesso de gases, inchaço abdominal e variação entre prisão de ventre e diarreia. Estresse e ingestão de determinados alimentos podem piorar essa condição, então controlar esses dois fatores é essencial, já que, dependendo do caso, é uma doença sem cura.

— Doença inflamatória intestinal (DII): existem dois tipos comuns, que são a doença de Crohn e a retocolite ulcerativa. A doença de Crohn causa inflamação no intestino, bem como estreitamente ou mesmo perfuração do órgão; suspeita-se que seja uma doença hereditária. Já a retocolite ulcerativa ataca apenas o cólon e o reto, causando dores abdominais e inflamação intestinal. Ela ataca a parte mais superficial da mucosa e pode causar câncer de cólon, caso não seja controlada.

ilustração 3D de dor no instestino
unlim3d / 123RF

— Obstipação: esse problema não é uma doença, mas um conjunto de sintomas. É caracterizado por dificuldade ou desconforto para evacuar, bem como convívio com dores abdominais e distensões. Se quadros de constipação estiverem acontecendo com frequência, há a obstipação, então é importante investigá-la para descobrir o verdadeiro problema que está causando essa situação.

— Diverticulite: é a inflamação da parede interna do intestino, que forma bolsas e cistos salientes, chamados divertículos, que inflamam e causam esse problema. Dores abdominais, gases e sensação de inchaço são os sintomas mais comuns desse problema. É uma doença que não evolui para câncer e para a qual existe tratamento, então procure um médico caso apresente os sintomas.

Diante de quaisquer sintomas apresentados anteriormente, procure um médico gastroenterologista, que ouvirá as suas queixas e receitará medicamentos ou pedirá exames que possam determinar o que está acontecendo com você.

O que fazer para ter um cólon saudável?

Manter o seu intestino saudável é essencial para ter qualidade de vida e evitar problemas mais graves, como câncer. E ter essa atenção não é tão complicado assim! Separamos abaixo 7 cuidados que você pode ter para manter o seu cólon saudável. Confira:

— Não ignore sintomas: constipação, prisão de ventre, diarreia, sensação de queimação e de estar estufado… Volta e meia, alguma comida cai mal e temos algum desses sintomas, certo? Mas se um ou mais deles têm acontecido com frequência na sua rotina, ligue o sinal de alerta e procure um médico para falar sobre esses incômodos.

— Ingira mais fibras: alimentos como grãos integrais, verduras, frutas e legumes aumentam a quantidade de bactérias no intestino, o que é bastante benéfico para o seu funcionamento, porque estimula que a flora intestinal funcione a todo vapor.

Frutas, verduras, legumes e sucos dispostos em cima de uma mesa
Polina Tankilevitch / Pexels

— Evite alimentos nocivos: alto consumo de carne vermelha, enlatados, defumados e embutidos pode fazer muito mal ao intestino. Nutricionistas recomendam o consumo de 200 gramas de carne vermelha por semana, ou seja, no máximo dois dias numa mesma semana.

— Controle o seu peso: um estudo da Universidade de Maastricht, na Holanda, publicado em 2015, confirmou que pessoas com obesidade têm risco 25% maior de desenvolver câncer de cólon e reto. Então manter-se no peso saudável é essencial para que o intestino esteja saudável também.

— Não fume: centenas de estudos científicos publicados nos mais diversos países do mundo –como uma pesquisa publicada em 2010 por um grupo de pesquisadores americanos na revista científica “Journal of the National Institute Cancer” – já comprovaram a relação entre o cigarro e o câncer de intestino. As substâncias tóxicas do cigarro, como a nicotina, estimulam mutações genéticas em todos os órgãos, e não é diferente com o cólon.

— Pegue leve no álcool: três latas de cerveja, três taças de vinho ou três doses de uísque por dia já são suficientes para aumentar o risco de problemas no intestino, incluindo o câncer. Portanto controlar o consumo é importante para evitar problemas no futuro.

Garçom servindo vinho para um homem
Andrea Piacquadio / Pexels

— Faça exercícios físicos: um estudo feito por pesquisadores da Universidade de Oregon, nos Estados Unidos, publicado em 2005 na revista científica “Mental Health and Physical Activity”, é até hoje uma base sólida que comprova que 30 minutos de atividade física em cinco dias da semana ajudam o intestino a funcionar melhor, porque estimula a movimentação do órgão, diminui o estresse e ajuda a controlar o peso.

— Esteja com os exames em dia: se você tem sintomas ou desconfortos relacionados com o intestino, já sabe que deve procurar um médico. Mas, quando chegar à idade acima de 50 anos, consultar-se regularmente — ao menos uma vez ao ano ou mais, caso seja recomendado pelo profissional — é essencial para saber se está tudo com o seu intestino e para iniciar um tratamento o quanto antes, caso exista, de fato, algum problema.

Chás para o intestino

Tem maneira melhor de cuidar do seu corpo do que recorrer à natureza? Não, né? Por isso, uma boa maneira de combater problemas intestinais é fazer o uso de chás. Confira a seguir alguns chás que você pode usar para determinados problemas intestinais:

— Prisão de ventre: o chá de sene (2 g de folhas secas de sene + 250 ml de água) aumenta os movimentos intestinais e alivia a prisão de ventre, já que tem senosídeos, mucilagens e flavonoides, que apresentam efeito laxante. Outra boa opção é o chá de psyllium (3 g de semente de psyllium + 100 ml de água), uma planta medicinal que absorve a água do intestino e incentiva os movimentos intestinais, já que essa planta é rica em fibras. Por fim, uma terceira opção é o chá de cáscara-sagrada (0,5 g de cáscara-sagrada + 150 ml de água), que é rica em cascarosídeos, que provocam uma irritação benéfica no intestino, favorecendo a eliminação das fezes.

Você também pode gostar

— Gases intestinais: o melhor chá para combater gases é o de hortelã-pimenta (6 folhas frescas de hortelã-pimenta + 150 ml de água), que tem efeito relaxante e ajuda a diminuir a tensão dos músculos do sistema digestivo. A segunda opção é o chá de erva-doce (1 colher de sopa de erva-doce + 150 ml de água), que diminui a quantidade de gases, evita cólica abdominais e alivia também dores no estômago. A última recomendação é o chá de erva-cidreira (1 colher de sopa de folhas de erva-cidreira + 150 ml de água), que trata o excesso de gases e outros distúrbios digestivos, porque tem óleos essenciais como o eugenol, que ajuda a aliviar a dor e os espasmos intestinais que formam gases.

Mas lembre-se: os chá são seus aliados e são maneiras naturais de combater problemas digestivos, mas não substitua uma consulta médica por métodos naturais, caso o problema persista, porque eles podem ser sintomas de algum problema mais grave.

Como você pôde perceber, o cólon, ou intestino grosso, é um órgão fundamental do nosso organismo. Portanto é essencial também cuidar dele e garantir que esteja em pleno funcionamento e em perfeito estado. Mantenha hábitos saudáveis e procure um médico caso perceba alguma alteração ou desconforto abdominal. Cuide do seu intestino e, dessa forma, de si mesmo!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br