Plantas Medicinais Saúde Integral

Erva-doce: uma aromática planta medicinal

A erva-doce (Pimpinella Anisum) é um vegetal oriundo do Oriente Médio, pertencente à família Apiaceae. O cultivo e o uso da planta por egípcios, asiáticos e nativos das Ilhas Gregas data de mais de mil anos. O Império Romano também se interessou pela planta posteriormente e incorporou-a em sua cultura, cultivando-a no Mediterrâneo, na França e na Inglaterra.

Conhecida também pelo nome de anis, anis-verde ou pimpinela-branca, a erva-doce é originária do continente asiático, mas seu uso se espalhou rapidamente pela Europa e pelo resto do mundo.

A erva-doce, muito utilizada como tempero e aplicada em chás e cosméticos, também é usada para fins medicinais, pois ela é rica em ácido málico e cafeico, flavonoides, bioativos com propriedades digestivas, laxativas, carminativas e espasmolíticas, por isso é indicada para aliviar gases, náuseas, prisão de ventre, cólicas, má digestão e dores de cabeça, devido às suas propriedades analgésicas e anti-inflamatórias.

As sementes da erva-doce, que é a parte utilizada em nosso dia a dia, têm sabor adocicado e aroma intenso. Elas podem ser encontradas em supermercados, feiras e lojas de produtos naturais. Suas sementes secas são utilizadas para o preparo de chás e de receitas culinárias. A erva-doce também é usada para o preparo de tinturas e de óleos essenciais, que são utilizados em difusores para ambientes e massagens.

A erva-doce para a espiritualidade

Assim como muitas plantas que conhecemos, a erva-doce tem um grande papel no campo espiritual. Suas propriedades diuréticas ajudam a eliminar substâncias que prejudicam o funcionamento do organismo, agindo como um desintoxicador e purificador, não só para o corpo mas também para a alma, permitindo que sigamos a vida de maneira mais leve, sem más energias para nos atrapalhar em nossa jornada. A erva-doce também tem o poder de proteção e de fortalecimento, tanto físico quanto espiritual, sendo a erva ideal para atrair coragem, otimismo e até mesmo amor próprio.

Benefícios da erva-doce para a saúde

Os benefícios medicinais da erva-doce são inegáveis. Ela pode ser usada tanto para tratamento de complicações de saúde como de forma calmante. Aqui estão os benefícios mais conhecidos da erva-doce:

  1. Alivia cólicas
    Um dos maiores benefícios da erva-doce é suas propriedades antiespasmódicas, que ajudam a aliviar os sintomas das cólicas menstruais e das cólicas dos bebês (lembre-se de não dar o chá para um bebê menor de 6 meses).
  2. Alivia sintomas da menopausa
    A erva-doce auxilia na regularização dos níveis de estrogênio no corpo, que abaixam quando a mulher se aproxima da menopausa, o que faz com que os sintomas de ondas de calor, dor de cabeça e insônia sejam aliviados.
  3. Alivia a dor de cabeça
    O estragol, eugenol e linalol, compostos presentes na erva-doce, possuem propriedades analgésicas, agindo diretamente no sistema nervoso central e aliviando dores de cabeça. O anetol da planta possui ação anti-inflamatória, que auxilia no tratamento de enxaqueca.
  4. Fortalece o sistema imunológico
    Os compostos eugenol e linalol são bioativos, com propriedades antioxidantes, antivirais, antibacterianas e anti-inflamatórias que combatem os micro-organismos, fortalecendo o sistema imunológico. Além disso, auxiliam nos tratamentos de resfriados, garganta inflamada, alergias e tosse.
  5. Previne doenças do coração
    Os compostos bioativos flavonoides, ácido málico e a cumarina são antioxidantes, anticoagulantes e anti-inflamatórios. Eles fazem com que a circulação do sangue seja melhor, evitando coágulos e doenças como infarto, trombose ou derrames.
  6. Ajuda a combater a insônia
    A erva-doce possui efeito calmante, o que ajuda a melhorar a qualidade do sono e a evitar insônia ou distúrbios do sono.

Tabela nutricional

A erva-doce não possui tantas calorias, o que ajuda no processo de emagrecimento, além de possuir propriedades diuréticas, que diminuem o inchaço. Os valores energéticos para uma porção de 5g são:

Valor energético1,43 kcal
Carboidratos0,36 g
Proteínas0,07 g
Fibra alimentar0,14 g
Sódio2,5 mg

Como consumir a erva-doce?

A erva-doce pode ser consumida de diversas formas, como no preparo de chás, bolos, biscoitos, tintas, em saladas, sucos, sopas, molhos e como óleo essencial, podendo ser consumida crua, assada, grelhada, assada e refogada. É possível ingerir o caule, as folhas e as sementes da erva-doce, o que faz com que seu consumo seja amplo.

Caneca de vidro transparente com chá de erva-doce
congerdesign / Pixabay

Outras formas de usar a erva-doce

A erva-doce pode ser usada no preparo de óleos essenciais para massagens e relaxantes musculares, como sabonetes, que, além de remover impurezas, ajudam a prevenir e a tratar as rugas e a perfumar o corpo. Outro uso dessa erva é aplicando-a sobre a pálpebra, porque ajuda a reduzir marcas de tempo causados pela idade e pela área expressiva dos olhos, fazendo com que a pele rejuvenesça.

Como plantar a erva-doce?

A erva-doce pode ser plantada tanto num vaso quanto numa horta. Em caso de vasinho temporário, elas podem ser passadas a outro local quando atingirem 15 cm de altura, mas como podem atingir até 2 metros de altura, esse vaso precisa, no mínimo, ter 30 cm de profundidade, com cascalhos para drenagem.

A erva-doce deve ser plantada em um solo fértil e bem drenado. Em caso de plantar mais de uma plantinha, deixe uma distância de aproximadamente 25 cm entre elas e as cubra com 0,3 cm de terra própria de cultivo. A erva-doce se desenvolve melhor no sol ou parcialmente coberta por sombras, devendo ser aguada frequentemente, para que o solo permaneça úmido. Cuidado ao aguar demais, para que as raízes não apodreçam.

A erva-doce não é afetada por pestes ou doenças, mas existe a possibilidade de haver pulgões e moscas-brancas em suas folhas e, nesse caso, você precisará de um inseticida à base de piretrina.

Pode-se colher a erva-doce de 80 a 100 dias após seu plantio, mas se você colher quando a planta começa a se desenvolver, ela terá um gosto menos amargo. No caso de tirar as folhas, não arranque muitas de uma vez só, ou pode acabar prejudicando seu desenvolvimento.

Cuidado ao plantar a erva-doce junto a outras plantas, já que umas podem impedir o crescimento das outras. Não a plante em solos com pH diferente de 6 e 7, já que ela não gosta de solos ácidos.

Existem contraindicações?

A erva-doce é contraindicada para gestantes e lactantes — principalmente como chá, pessoas epilépticas, bebês e crianças pequenas. Pessoas em tratamento contra o câncer de mama também não podem consumi-la, pois ela interfere na produção de estrogênio no organismo.

Pessoas que necessitam de suplementos de ferro também não devem consumir, pois a erva-doce interfere na absorção do ferro. Ademais, não existem outras contraindicações para o uso da erva-doce ou casos de reações adversas graves. Ainda assim, recomenda-se que a erva-doce não seja consumida em excesso para não desencadear náuseas, vômitos ou quaisquer outras reações alérgicas em pessoas com sensibilidade.

Diferenças entre erva-doce e funcho

Ambos os nomes se referem a uma mesma planta, porém, utilizamos o nome erva-doce para se referir ao caule e às sementes da planta, enquanto o nome funcho denomina as folhas dessa espécie.

Receitas com erva-doce

Chá de erva-doce

Essa é uma receita bem simples, ótima para ser feita logo antes do sono.
Para ela, você vai utilizar:

Ingredientes:

  • 200 ml de água
  • 2 colheres de sopa de sementes de erva-doce seca

Modo de preparo:

Seu preparo é extremamente fácil, basta colocar a água para ferver, desligar o fogo quando estiver fervendo. Em seguida, adicione as sementes de erva-doce e deixe em infusão por cerca de 5 minutos. Após esse tempo, coa a mistura, depositando o líquido numa xícara ou caneca, e então adoce e se delicie com essa maravilha.

Chá de gengibre, erva-doce e hortelã

A erva-doce é uma planta medicinal, sendo essa uma das receitas mais indicadas para problemas digestivos, além de ser super fácil!

Ingredientes:

  • 1 litro de água
  • 1 pedaço de gengibre
  • 1 colher de sopa de erva-doce fresca picada
  • 1 colher de sopa de hortelã

Modo de preparo:

Ferva a água com o gengibre por 5 minutos, desligue o fogo quando estiver fervendo, acrescente a erva-doce e a hortelã, deixe em infusão por cerca de 10 minutos, adoce se necessário e aproveite!
É indicado que se tome o chá de três a quatro vezes ao dia.

Sopa de batata com erva-doce

Ingredientes:

  • 4 batatas inglesas médias cruas
  • 1 colher de sopa de erva-doce fresca picada
  • 2 colheres de sopa de hortelã
  • 1 colher de chá de óleo de soja
  • Pimenta-do-reino em pó a gosto
  • Sal refinado a gosto
  • 2 colheres de sopa rasas de tomilho picado
  • 1 litro de caldo de galinha preparado

Modo de preparo:

Para o preparo, descasque e rale as batatas e os bulbos de erva-doce e reserve-os em uma tigela com água gelada. Em uma panela, aqueça o óleo e junte a batata e a erva-doce já escorridas. Leve tudo ao fogo e refogue por aproximadamente dois minutos, então, adicione o caldo de galinha, o sal e a pimenta-do-reino e cozinhe por 25 minutos, mexendo de vez em quando. Acerte o sal, acrescente as ervas e retire do fogo. Sirva em seguida.

Cevadinha com beterraba e sementes de erva-doce

Ingredientes:

  • 4 xícaras de chá de água
  • 1 beterraba média crua
  • 1 xícara de chá de cevadinha em grãos
  • 1 colher de café de erva-doce fresca
  • 1 colher de café de sal refinado

Modo de preparo:

Em uma panela, coloque a cevadinha, a água e o sal e leve ao fogo médio em uma panela semitampada, até que a água seque quase totalmente. Junte a beterraba e deixe cozinhar até que a água seque completamente. Retire a cevadinha do fogo e junte as sementes de erva-doce. Esse prato pode ser servido quente ou frio.

Erva-doce assada com parmesão

Essa é uma ótima opção para um almoço.

Ingredientes:

  • 1 bulbo grande de erva-doce-de-cabeça
  • ¼ de xícara de chá de queijo parmesão ralado
  • Azeite a gosto
  • Sal e pimenta-do-reino moída a gosto

Modo de preparo:

Comece preaquecendo o forno a 200 ºC. Descarte a parte verde dos talos e corte o bulbo de erva-doce em 4 fatias grossas, no sentido do comprimento. Lave sob água corrente, com cuidado para não soltar as camadas, e deixe escorrer bem a água. Unte uma assadeira grande com azeite e disponha as fatias de erva-doce, uma ao lado da outra.

Regue com mais azeite, tempere com sal e pimenta-do-reino a gosto e polvilhe com o queijo parmesão ralado. Leve ao forno para assar por cerca de 25 minutos, até dourar. Sirva a seguir.

Você também pode gostar:

Deu pra perceber que a plantinha da erva-doce não serve apenas como um chá para fim de tarde, não é mesmo? Seus benefícios são muitos, e saber aproveitá-los pode tornar sua vida muito mais fácil e até saudável! A plantinha medicinal pode ser usada tanto para receitas como para o fortalecimento de campos energéticos. E aí? Gostou dos benefícios que ela pode trazer?

Outras plantas medicinais

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br