Saúde Integral

Como o estresse afeta o seu corpo

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Engana-se quem pensa que a mente é a única prejudicada pelo estresse. O estresse é algo tão comum nos dias de hoje que praticamente já se tornou parte da rotina. O ritmo alucinante da agenda da maioria dos jovens e dos adultos atualmente faz com que o corpo comece a falhar.

Existe a pressão para passar de ano na escola; depois, para ser aprovado no vestibular e, por fim, conquistar o diploma da universidade – e da pós-graduação, e uma boa posição no mercado de trabalho, e por aí vai.

Em outro estágio, estão aqueles que estão preocupados com o trânsito que fará com que os filhos cheguem atrasados na escola bem no dia daquela prova que eles estudaram tanto para aprender a matéria. Também não podem chegar atrasados ao trabalho, porque o chefe é intolerante e as contas precisam ser pagas.

Falando em contas, mais um cano estourou na cozinha, mais dinheiro será gasto e a compra mensal para reabastecer a despensa da cozinha ainda não foi feita. Nesse momento, você se lembra que a compra não foi feita porque o mês está na metade e o salário já foi embora. É uma bola de neve sem fim…

Tem como não ficar estressado? Impossível responder essa pergunta. Depende de cada um. De qualquer forma, fique atento aos seguintes sintomas:

Cansaço: sabe aquela sensação de cansaço constante, que não te permite fazer absolutamente nada sem que você sinta completa exaustão? Isso é culpa do estresse, que faz com que seu sistema muscular esteja sempre trabalhando (durante picos de estresse no corpo, os músculos ficam tensos), além de tantas outras partes do corpo que também têm seus sistemas afetados.

Pele, unhas e cabelo: nunca mais serão os mesmos – talvez um dia até voltem a ser, mas, para isso, você precisa deixar todo o estresse que sente de lado. Porque, enquanto isso não acontecer, espinhas surgirão em seu rosto, seu cabelo irá cair muito mais do que o de costume (em alguns casos, pode levar até mesmo à calvície), e dermatite atópica ou psoríase também podem acontecer.

Imunidade: não tem jeito. Estresse é sinônimo de imunidade baixa e organismo totalmente despreparado para combater qualquer vírus ou bactéria que tente penetrá-lo. Por mais que você seja conhecido por ter saúde de aço, esses dias acabaram. Prepare-se para um resfriado atrás do outro.

Menstruação: no caso das mulheres, a menstruação também é afetada pelo estresse, que torna os períodos menstruais muito mais irregulares e inconstantes. Você acaba perdendo o controle de quantos dias irá durar cada ciclo, além da intensidade e dos sintomas da TPM (Tensão Pré-Menstrual), que também pode sofrer alterações de duração e intensidade.

Estômago: uma das primeiras áreas a ser afetada é o estômago – todo o aparelho digestivo e gástrico, na realidade. Altos níveis de estresse fazem com que azias repentinas aconteçam, e aquela sensação de enjoo irá acompanhar você grande parte do dia. Além disso, pode-se desenvolver gastrite e, em casos ainda mais graves, úlceras.

Cérebro e coração: estresse contínuo é sinal de adrenalina no seu corpo. Com a liberação da adrenalina, a coagulação do sangue aumenta e os vasos cardíacos se contraem, aumentando as chances de um possível infarto. AVCs e aneurismas também possuem chances maiores de acontecerem, por conta da pressão arterial elevada.

Insônia: a ansiedade é uma velha conhecida de quem sofre os males do estresse e, por isso, dormir pode não ser tão fácil quanto para a maioria das outras pessoas. Ficar acordado até a madrugada chegar ou até mesmo acordar algumas vezes no meio da noite pode se tornar normal. Outros problemas relacionados ao sono também podem ocorrer.

Como combater o estresse

Mudar hábitos não é uma tarefa fácil, mas é preciso. Uma rotina mais saudável, com atividade física regular, uma dieta balanceada e organização no dia a dia farão com que os sintomas do estresse não sejam tão presentes e, com o tempo, quem sabe até o próprio estresse deixe de existir.

Yoga, pilates, meditação e exercícios de concentração e acesso ao subconsciente também podem ajudar. Em casos mais sérios, procurar auxílio profissional pode ser a solução adequada: psicólogos, psicanalistas e/ou psiquiatras saberão o que fazer para contornar a situação e melhorar a sua qualidade de vida.

O importante é não abrir mão de si próprio. Por mais que as prioridades sejam indispensáveis, sua saúde deve estar sempre dentre os principais tópicos de sua vida.


Escrito por Giovanna Frugis da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]