Energia em Equilíbrio Incensos

Incenso de canela: sensualidade e prosperidade em todos os sentidos!

Imagem de vários incensos acesos
DE AR / Pexels
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Os primeiros incensos do mundo surgiram de forma simples e com um propósito nobre. Ao observar algo queimando, os povos antigos perceberam que a fumaça provocada por esse ato alcançava o céu, morada dos seres divinos. Então, para agradar essas divindades, os povos antigos faziam fogueiras incendiando coisas aromáticas, como, por exemplo, madeira ou ervas de cheiro agradável.

Há registros da utilização do incenso em vários povos e culturas, entre eles os indianos, persas, gregos, egípcios, árabes, chineses e japoneses. Era utilizado para purificar o ambiente, trazer relaxamento e evitar possíveis infecções. Além disso, era considerado algo muito precioso, utilizado em cultos de adoração e, até mesmo, de morte.

O incenso de canela é conhecido desde o antigo Egito pelo seu poder de atrair prosperidade, além de emanar alegria e esperança ao ambiente desmotivado. É dotado de um aroma amadeirado e adocicado, podendo ser considerado como um incenso sensual, pois a canela é muito usada para compor fragrâncias femininas. Em consequência disso, aumenta o poder de sedução, fomenta os desejos sexuais e restabelece a autoconfiança. Entre os signos, virgem e gêmeos são os que se adaptam melhor ao incenso.

Para que serve o incenso de canela?

Esse incenso tem várias utilidades e vamos listar todas elas. A primeira é que ele consegue elevar a prosperidade financeira. A energia emanada por esse aroma traz boas vibrações, deixando o ar carregado de sucesso e abundância. Além de atrair positividade para o ambiente, também tem o poder de espalhar alegria e otimismo para o corpo e o espírito.

Incensos queimando
Denis Oliveira / Unsplash

A terceira função do incenso de canela é despertar a sensualidade. Seu aroma afrodisíaco tem a capacidade de restaurar a autoconfiança e aflorar os instintos sexuais. Por fim, ele consegue atrair bem-estar físico e emocional, pois devolve a sorte, estimulando a alegria e esperança ao local.

Como utilizar o incenso de canela?

Para fins sexuais, é só acender o incenso e deixar que a fumaça envolva o lugar no qual acontecerá a noite de amor. Se quiser potencializar o poder de sedução, você pode girar o incenso por todo o corpo minutos antes do ato. Com isso, a fumaça será absorvida melhor pelo físico, inspirando-lhe e trazendo mais confiança.

Já na questão da prosperidade, você pode acender esse incenso no começo do mês, permitindo que a fumaça adentre por todos os cômodos da sua casa, em especial a porta, que é local de saída e entrada de tudo.

Incenso de canela e sal grosso

O sal grosso é conhecido por auxiliar no afastamento de más energias de uma pessoa ou local. Em conjunto com a canela, remove as más energias e as substitui por alegria e prosperidade.

Incenso de cravo e canela

O incenso de cravo traz prosperidade e pureza a um local. Juntamente com a canela, ajuda a deixar o ambiente tranquilo e livre de toda energia negativa, atraindo criatividade e força. Além disso, a canela é um ótimo catalisador de atenção, ou seja, auxilia para que os pensamentos sejam leves e bons.

Passam-se séculos e séculos e os benefícios e modo de utilizar o incenso acabam sendo os mesmos. É um material milenar que, para cada povo, carrega histórias e significados diferentes. O incenso de canela é um dos mais antigos do mundo e tem várias utilidades, que vão desde a prosperidade, até o estímulo da libido. Sabendo utilizá-lo da forma correta conforme o desejado, trará muita energia positiva e satisfação.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br