Energia em Equilíbrio

O papel do Mestre

Pedro Kupfer
Escrito por Pedro Kupfer

Guru significa “pesado” e é traduzido como “aquele cuja opinião tem peso”. É imprescindível perceber o papel fundamental do mestre na caminhada pelo autoconhecimento.

Afim de não se perder o rumo durante a caminhada é preciso ter a imagem do mestre como ponto de referência. Ele é um mentor que irá nos ajudar e nos orientar na busca. Existem pessoas que têm dificuldades em aceitar o papel do mestre.

No entanto, se temos mesmo nos estudos, porque não tê-los durante a busca interior?

Vejamos o que diz a Shiva Samhita sobre o papel do mestre:

“Apenas o conhecimento ensinado por um guru, através de seus lábios, é poderoso e eficiente. De outro modo, o conhecimento torna- se infrutífero, fraco e doloroso”. III:11.

“Aquele que se devota a qualquer tipo de conhecimento, servindo seu guru com toda a atenção, prontamente obtém o benefício desse conhecimento”. III:12.

“Não há a menor dúvida de que o guru é pai. O guru é mãe, e o guru é até mesmo Deus. Portanto, ele deve ser assim considerado e servido, em pensamento, palavra e ação”. III:13.

Essa passagem nos lembra do guru mantra:

Gururbrahma gururvishnu
gururdevo maheshvara
guruh sakshtparabrahman
tasmai shri gurave namah.

A tradução deste mantra é a seguinte:

“O guru é Brahma. O guru é Vishnu. O guru é Shiva. O guru é de fato Parabrahman. Meu guru, aceite esta saudação”.

“Pela graça do guru, tudo o que for bom para o próprio Ser é obtido. Portanto, o guru deve ser servido diariamente. De outro modo, nada será auspicioso”. III:14.

Desta maneira, é preciso que tenhamos um mestre sábio que nos ensine. O mestre é como um espelho ao qual podemos observar e aprender. É ele quem irá nos levar pela disciplina yogik mais adequada para nós mesmo.

Entenda, você não deve praticar apenas aquilo que lhe der na cabeça. Aprenda a ouvir o que o mestre tem a lhe dizer, isto fará toda a diferença na realização dos seus objetivos.

shutterstock_291051176Quando se é praticante você já tem elementos em mãos para compreender que nem sempre os professores de Yoga estão totalmente capacitados para lhe ensinar o que você precisa aprender.

Quando levamos em conta a filosofia do pegue e pague da sociedade de consumo em que vivemos, pode parecer fácil achar um mestre. Se você está preparado, seu mestre encontrará o caminho até você. Não é necessário ir até a Índia para encontrá-lo. Isto ocorre porque o estudante, numa certa altura do caminho, entra em uma sintonia sutil com quem pode ensinar o que se precisa aprender.

Um verdadeiro mestre não é de fato alguém muito visível, rico ou de relevância social, mas apenas uma pessoa que transcendeu o ego, uma pessoa simples e cheia de respeito em suas atitudes, que não busca se autopromover ou então publicidade com taxas em troca de iluminação.

É importante esclarecer que na prática do Yoga é necessário separar os mestres dos professores. O professor é, ao contrário do mestre, um aprendiz, alguém que ainda está buscando aprender e que faz isso com ajuda de seus estudantes.

Na era do autoconhecimento que estamos é sempre bom lembrar que não será um vídeo ou um livro que irão resolver a questão da nossa existência ou então, nos relevar a verdade sobre quem somos de fato! 

Sua opinião é bem-vinda, sempre que colocada com a educação e o respeito que todos merecem. Os comentários deixados neste artigo são de exclusiva responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

Sobre o autor

Pedro Kupfer

Pedro Kupfer

Pedro vive de vegetais, praia e surf. É casado com Ângela Sundari, com quem viaja com frequência para surfar, estudar, ensinar e compartilhar momentos bons com os seres humanos, plantas e animais deste belo planeta. Ensina Yoga há 30 anos. Move-se entre Portugal, Brasil, Índia, Indonésia e Chile, lugares que ama por diferentes motivos, sendo o mais importante de todos, as pessoas que conhece neles.

Oṁ Gaṁ Gaṇapataye namaḥ!

Site: www.yoga.pro.br
Facebook: http://www.facebook.com/pedrokupfer
SoundCloud: http://www.soundcloud.com/pedrokupfer