Energia em Equilíbrio Yoga

O que são bandhas e como ativá-los

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Do sânscrito “fixação”, ou “fecho”, bandha é o nome do conjunto de técnicas usadas no hatha yoga. São contrações de áreas específicas do nosso corpo que estão diretamente relacionadas aos centros de energia vital e canalizadores de fluxo energético, os chakras. São elas que, se acionadas corretamente, colocam a prática do hatha yoga em pleno funcionamento. É uma ativação muscular que coloca todo o corpo em harmonia.

São quatro os bandhas principais: jalandhara (contração/ativação da garganta), uddiyana (contração/ativação do abdômen), mula (contração/ativação do assoalho pélvico) e jihva (contração/ativação do céu da boca com a língua). Além destes, no hatha yoga existem outros bandhas combinados utilizados em determinadas meditações e posições.

Na prática, os bandhas são uma espécie de mecanismo de segurança para a realização de técnicas respiratórias e posturas feitas durante a prática. Fisicamente, se ativados corretamente, os bandhas evitam dores e problemas posturais, pois mantêm o corpo aquecido; já no campo energético são usados para direcionamento de energia e concentração do fluxo energético. A ativação correta dos bandhas também promove diversos benefícios à saúde do praticante como no sistema endócrino, funcionamento dos órgãos, sistema nervoso e obviamente na saúde da mente, que se torna mais focada e apta para a concentração.

O ideal é que ao longo da prática, as pessoas possam ativar os bandhas durante atividades cotidianas, pois o benefício vai além do hatha yoga. A ativação torna nosso corpo físico mais atento e mais inclinado a agir e raciocinar corretamente, tornando mais harmoniosa toda a vivência consigo mesmo e com o mundo externo.

Dos citados acima, dois bandhas são considerados primordiais para uma prática correta da hatha yoga. Saiba abaixo como ativá-los:

– Mula bandha

Significa algo como “fecho da raiz” e é a contração e elevação do assoalho pélvico.

Para ativar o mula bandha, deve-se contrair a musculatura dos esfíncteres do ânus e da uretra e depois acionar de forma sutil a elevação destes músculos. Inicie treinando a ativação desta contração com espaçamentos de tempo entre elas e, aos poucos, tente mantê-la por períodos cada vez mais longos.

– Uddiyana bandha

Significa “fecho do fluxo ascendente” e é a contração abdominal que direciona o fluxo energético para cima.

O Uddiyana bandha é ativado contraindo-se a musculatura abdominal, principalmente a região do umbigo, como se quiséssemos colocar esta área um pouco para dentro e para cima. Assim como na bandha acima, faça isto por curtos períodos e vá aumentando o tempo de contração até que se sinta seguro; quando conseguir integrar o movimento à respiração, o objetivo foi alcançado e o movimento está sendo feito de forma correta.

Contraindo e ativando os dois bandhas simultaneamente, você perceberá uma melhora no seu cotidiano com o correto redirecionamento da energia vital em seu corpo.


  • Texto escrito por Roberta Lopes da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]