Autoconhecimento Comportamento

Por que estou sempre solteiro? Reforma íntima para atrair a alma gêmea

Mulher olhando pensativa para a cidade pela janela
Free-Photos / Pixabay / Canva
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Cada um busca a própria felicidade de maneira única. Algumas pessoas estão sozinhas há muito tempo e gostam de apreciar a quietude da própria companhia. Já outras não suportam a ideia de estarem sós, e entre um relacionamento e outro sempre se queixam por estarem solteiras, principalmente quando esse tempo se estende mais do que o esperado por elas.

Já dizia o velho ditado: antes só do que mal acompanhado. Mas será mesmo que a busca pela pessoa ideal depende tanto assim do outro? Você já parou para pensar sobre os porquês de permanecer solteiro por muito tempo?

Antes de culpar a falta de comprometimento do outro ou dizer que não encontra ninguém compatível com você, talvez seja válido olhar para dentro de si e buscar entender por que tem sido tão difícil encontrar alguém ou, quando encontra, por que é tão difícil se entregar a essa pessoa.

Para quem está solteiro há algum tempo e procurando um parceiro romântico para compartilhar os grandes momentos da vida, saiba que tudo é questão da hora certa e do momento certo. E como saber se esse é o meu momento certo?

Bem, muitos dos problemas que encontramos quando nos relacionamos com alguém são causados por questões pessoais profundas que podem estar bloqueando nossas relações interpessoais. Não conseguimos nos conectar com outra pessoa plenamente antes de aprendermos a lidar com as dores adormecidas dentro de nós. Veja a seguir, quais são alguns dos aspectos emocionais que podem estar impedindo você de encontrar um novo amor:

Não saber quem você é

Antes de se preocupar em encontrar a pessoa certa, precisamos entender que somos seres únicos. Não devemos procurar alguém que nos complete, porque não há nada faltando em nós: um parceiro precisa vir apenas para somar!

Mulher meditando
Natural Women Collection / Canva

Nós aceitamos aquilo que achamos que merecemos. Então só estaremos preparados para encontrar um grande amor quando estivermos bem com nós mesmos. Enquanto estiver solteiro, aproveite esse tempo para se conhecer e se aperfeiçoar.

Reconheça seus pontos fracos e valorize suas maiores qualidades. Somente depois de saber exatamente do que gosta e quem você é quando está sozinho, você poderá ter uma visão mais clara do que está procurando.

Não saber diferenciar o real do idealizado

Somos diariamente bombardeados por fotos nas redes sociais de casais aparentemente perfeitos e em absoluta harmonia. Entretanto, sejam anônimos ou famosos, cada um só expõe o melhor de sua vida nas redes sociais. Jantares românticos, presentes caros ou surpresas inesperadas, nada disso garante que o relacionamento é perfeito o tempo todo.

A verdade é que raramente expomos momentos tristes ou brigas, e ao elevar muito o padrão do que esperamos de um relacionamento, estamos ignorando que somos seres humanos. Às vezes estamos cansados, às vezes erramos, e o amor verdadeiro se mostra mais forte naqueles momentos de maior dificuldade.

Procure alguém com características que sejam realmente importantes como bom humor, honestidade, senso de responsabilidade e justiça e, principalmente, observe se a pessoa sabe te ouvir e se preocupa com você. Não devemos buscar por perfeição nem nos compararmos com outros casais, pois isso não nos leva a outro caminho, senão à frustração.

Egocentrismo

Representação do ego com um peão de xadrez vendo o reflexo como uma rainha
vkara / Getty Images Pro / Canva

Há uma sutil diferença entre autoconfiança e egocentrismo. Ter uma autoestima sólida é essencial, principalmente dentro de um relacionamento amoroso. Assim, você sabe exatamente o que merece e jamais aceitará pouco da outra pessoa. Mas se amar não é sinônimo de ser egoísta, e não podemos agir como se o resto do mundo existisse apenas para nos servir.

Não há, afinal, nada mais desconfortável do que alguém que só fala de si, das suas conquistas, do seu dia e da sua aparência. Mostre-se interessado pela outra pessoa! Ouça o que ela tem a dizer e repare naquelas coisas que ela ainda não disse, mas deixou transparecer.

Abandone a ideia de que o mundo gira em torno de você, tenha mais empatia e se coloque no lugar do outro. Muitas brigas dentro de um relacionamento acontecem pela falta do diálogo. Ao invés de presumir algo, converse! Pessoas que só conseguem pensar em si mesmas não estão prontas para uma relação madura e afetuosa com outra pessoa.

Esconder-se do mundo

Sem dúvidas, se você acabou de terminar um relacionamento, é esperado querer um tempo para si, mas ele não deve se perpetuar por toda a vida. Quando ficamos muito tempo solteiros, acreditamos que é menos trabalhoso estar sozinho a conhecer alguém, e muitas vezes desperdiçamos oportunidades de encontrar alguém legal para ter ao lado.

Encontrar um amor para chamar de seu nem sempre é tão fácil como nos filmes e você dificilmente encontrará no rapaz bonito que se sentou na poltrona ao lado do avião ou ainda, na moça que você esbarrou a caminho do trabalho e te convidou para tomar um café.

Abra-se para o mundo! Não tenha medo de aceitar convites de amigos e não ignore oportunidades de conhecer novas pessoas, mesmo que isso signifique mudar um pouco a rotina. O amor não surgirá magicamente e nós precisamos dar uma chance para que ele possa acontecer.

Isso fica mais fácil a partir do momento que abrimos nosso coração. Se você já teve seu coração partido, é normal que o medo de uma possível rejeição seja uma barreira para que você se aproxime de alguém novamente, mas não tenha receio de mostrar sua personalidade ao conhecer novas pessoas. Quem se interessar por você, vai gostar por você ser exatamente como é!

Bloqueios emocionais

Ao longo de nossa vida, passamos por diversas situações que podem abalar nossa autoestima. Crises em relacionamentos antigos, contratempos na vida profissional, relações familiares conflituosas, isso sem falar em inseguranças relacionadas a alguma característica pessoal.

Mulher chorando sendo consolada por alguém
Polina Zimmerman / Pexels / Canva

Muitas vezes, certos bloqueios surgem da somatória de várias feridas emocionais que fomos negligenciando ao longo da nossa vida. Medo do abandono, por exemplo, é uma situação bem comum que impede que muitas pessoas se joguem em um novo romance!

Pessoas muito inseguras costumam se autorrotular, antever o que o outro pensará sobre ela, e o medo de dar errado costuma ser maior do que a vontade de que um novo romance dê certo. Para que um relacionamento se desenrole naturalmente, deixe que a pessoa descubra mais sobre você com o tempo.

Exercitar a nossa autoconfiança é algo muito positivo, mas certamente você precisará chegar em lugares mais profundos para entender de onde vêm esses bloqueios emocionais. A psicoterapia auxilia bastante nesse processo de autoconhecimento e de entender como podemos nos curar dessas emoções prejudiciais.

Ser impaciente

Não é incomum depositarmos todas nossas esperanças em um relacionamento, e caso esse termine, acreditarmos que não vamos mais ser felizes, pois a nossa chance de encontrar o amor da nossa vida já passou. Terminar um ciclo não é sinônimo de fracasso e muito menos devemos pensar que já passamos da idade para viver um grande amor!

Cada pessoa tem uma jornada diferente na vida. Isso quer dizer que o tempo de cada um é único e você não precisa desistir de se relacionar amorosamente por achar que já está velho demais para isso ou então aceitar um amor pela metade por medo da solidão.

Com isso, você pode fechar os olhos para algo muito maior em sua vida. Tenha certeza de que quando o amor chegar, não haverá quaisquer dúvidas em seu coração!

Se alguma vez você já se decepcionou com alguém ou então cresceu em uma família onde as brigas eram constantes, você precisa se libertar de sentimentos negativos que costuma atribuir a relacionamentos.

Mulher feliz sendo abraçada
fizkes / Getty Images / Canva

Fora isso, diferentemente dos contos de fadas, relacionamentos reais nem sempre são felizes o tempo todo. Quando duas pessoas escolhem ficar juntas, devem abrir mão do orgulho para que a convivência seja harmônica e, claro, nada como uma conversa sincera para garantir a longevidade do relacionamento.

Mas e agora, o que fazer para mudar? Antes de pensar em uma nova história de amor, foque em entender quais são os seus traumas passados. Identificar seus medos é o primeiro passo para poder se curar dessas sequelas. Para ser feliz com alguém é preciso estar bem emocionalmente, e alguns métodos podem auxiliar nesse processo de cura:

Procure ajuda psicológica

Feridas emocionais podem se curar sozinhas com o tempo, mas em muitos casos podemos contar com a ajuda de um profissional para que não se tornem um problema ainda maior e sejam projetadas em futuros relacionamentos. Por meio da terapia, o psicólogo nos ajuda a enxergar quais são os maiores obstáculos que podem estar nos atrapalhando e entender como podemos superá-los. A Terapia Cognitivo Comportamental, por exemplo, é um ramo da psicologia que nos auxilia a entender de que maneira interpretamos os acontecimentos de nossa vida para aprendermos a lidar melhor com eles.

Livros podem ajudar

A leitura é uma excelente opção, mas você não precisa procurar necessariamente por títulos óbvios sobre como encontrar um amor. É importante, nesse processo, focar no seu “eu interior”. Busque livros cujo conteúdo instigue o autoconhecimento, fortaleça a autoestima e amplie o conhecimento.

Pessoa lendo livros deitada no sofá
Lolostock / Canva

Um exemplo é “A parte que falta”, de Shel Silverstein, um clássico da literatura juvenil capaz de impactar leitores de todas as idades. O livro traz à tona vários questionamentos sobre o que é amor e sobre dependência emocional.

Equilíbrio por meio da meditação

A meditação também pode ser um grande passo para o processo de cura interior. Diversos vídeos de meditação guiada estão disponíveis na internet e certamente serão essenciais para desbloquear algumas emoções por meio do autoconhecimento e controle da ansiedade.

A ansiedade pode boicotar novas experiências, pois é comum que as pessoas desistam de um relacionamento antes mesmo de ele ficar mais sério, apenas por medo de reviver alguma situação negativa. Meditar é o encontro do corpo com a mente e vai te ajudar a identificar a raiz dos seus medos e atrair boas vibrações.

Em síntese, o autoconhecimento é a questão-chave para entendermos as razões pelas quais estamos sozinhos. Depois de identificadas, é essencial modificarmos pensamentos e hábitos que podem estar nos impedindo de iniciar um relacionamento amoroso, como certos comportamentos pessoais, ou até mesmo decidir se não é a hora de romper alguns ciclos com pessoas que já foram importantes, mas hoje não nos acrescentam mais nada.

Lembre-se de que equilibrar as energias é um fator importante para atrair coisas boas para sua vida. Colocar-se em primeiro lugar pode ser o que está faltando para você encontrar sua alma gêmea. Comece tendo mais afeto consigo, cuide dos seus pensamentos e das suas atitudes. Sem dúvidas, logo a pessoa amada aparecerá em sua vida!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br