Alimentação consciente Nutrição

Por uma alimentação consciente – Passo 2

Juliana Ferraro
Escrito por Juliana Ferraro
Como falei no artigo passado, o ato de se alimentar envolve milhares de coisas que comumente não consideramos quando nos sentamos à mesa, mas influenciam bastante no modo como seu alimento vai ser incorporado, aproveitado e qual vai ser o resultado dessa sua ação sobre ti e sobre o planeta.

Agora vamos olhar mais de perto o segundo passo da alimentação consciente. Depois de ir ao mercado e escolher seus ingredientes, vamos cozinhar. Pode ser que você não cozinhe, mas já comece a ver por aqui o quão importante é cozinhar ou saber que quem está te preparando o alimento gosta do que faz e está colocando uma boa intenção nesse alimento.

“Pode ser que você não cozinhe, mas já comece a ver por aqui o quão importante é cozinhar ou saber que quem está te preparando o alimento gosta do que faz”

Sabemos que tem muita água nos alimentos e em nosso corpo. Um fotógrafo japonês, Masaru Emoto, fez uma experiência científica com a água, tirando fotos das partículas do elemento depois de tocadas músicas ou de palavras serem ditas e intenções serem mentalizadas. Os resultados são surpreendentes. O que mais me surpreendeu neste experimento é que tiraram foto da molécula de água de um rio poluído e a foto é caótica e de cor marrom. Então colocaram essa água perto de monges entoando mantras. Tiraram nova foto. A água estava como um cristal, azul. Impressionante, né?

Esse é o poder que temos enquanto preparamos o alimento. O poder dos mantras, de uma reza, de pensamentos positivos em geral é totalmente absorvido pelas moléculas de água que formam seu alimento e seu corpo físico. Portanto, mesmo que você tenha comprado um alimento que não sabe de onde veio, pode mesmo assim levar boas energias para ele enquanto cozinha. Cozinhando como? Com prazer!

healthy vegetables and fruit food - collage

Se estiver cansada ou com raiva, não cozinhe. Aliás, se estiver com raiva, nem coma. Espera passar. Cozinhe de espírito leve e concentrando-se na tarefa, de repente rola colocar uma música. Por isso que as refeições de domingo com a família saem sempre tão gostosas: a gente está fazendo tudo juntos, ajudando, conversando na cozinha, contando piadas, rindo… E aí fica sempre bom!

Isso fica muito evidente com massa de pães, tortas e bolos. Dependendo de como você está no dia em que prepara a massa, ela vai dar um resultado. Talvez colocando mais paciência ou cantando uma música, ela dá uma ajeitada e se resolve, mesmo se a massa do pão desandou quando você começou a amassar. Lembre-se disso, porque a intenção é o início de tudo.

Portanto, invista também, pelo menos uma vez a mais por semana, um tempo para cozinhar e colocar sua criatividade em prática. Quando for comer fora de casa, sinta bem o local e as pessoas que trabalham lá, porque é isso que você vai ingerir junto com seu alimento e vai carregar pelo resto do dia.

Passo 1

Sua opinião é bem-vinda, sempre que colocada com a educação e o respeito que todos merecem. Os comentários deixados neste artigo são de exclusiva responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

Sobre o autor

Juliana Ferraro

Juliana Ferraro

Juliana Ferraro é psicóloga por formação e viajante por amor às coisas novas da vida. Seu contato com diferentes línguas e culturas começou quando ela ainda trabalhava no Club Méditerranée, depois disso fez um mochilão pelo mundo em busca de autoconhecimento. Em pouco mais de 1 ano conheceu diversos países asiáticos, em especial a Índia, onde fundou uma paixão profunda pelo Yoga e pela meditação. Hoje, ela é professora de Yoga e terapeuta reikiana em Paraty, RJ.

Contatos:

Facebook: /juliana.ferraro | /lotusviajante
Instagram: @ferrarojuju | @lotus_viajante
Site: www.lotusviajante.com | www.casadodharma.com
E-mail: [email protected]