Quiropraxia Saúde Integral

Quando procurar pela Quiropraxia?

Imagem de um kit para uso na quiropraxia composto por duas toalhas na cor laranja, pedra, flores brancas, velas e a estátua do Buda.
Nico H. / Pixabay
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Boa parte das pessoas sente dores nas costas, no pescoço e nas articulações, mas para obter alívio não desejam fazer uso de medicamentos, pois já perceberam que é possível buscar alternativas saudáveis e eficazes para resolver o problema de uma forma segura e mais natural.

Dentre as muitas alternativas, a quiropraxia é uma técnica que além de tratar e eliminar as dores, é também preventiva dos desajustes do sistema neuromusculoesquelético, com efeitos benéficos em toda a saúde do organismo. Existente no Brasil desde os anos 1920, somente há alguns anos ela vem se tornando popular.

A quiropraxia foi criada pelo canadense Daniel David Palmer, nos Estados Unidos, em 1895. É reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como técnica terapêutica eficaz para aliviar, curar e prevenir disfunções mecânicas. Vale lembrar que não se trata de massagem, mas de manipulação e manobras para alinhar a coluna vertebral e corrigir disfunções tanto nela quanto nas partes que ela influencia.

Primeiramente, a palavra quiropraxia deriva do grego – quiro (mãos) e praxis (praticar) – e significa “praticar com as mãos”. Nessa técnica são utilizadas as mãos para exercer uma força controlada sobre uma determinada região do corpo, inclusive se ouvindo estalos, com o objetivo de restaurar as funções daquela área específica, bem como promover o ajuste das atividades orgânicas. Assim, dentre os benefícios da quiropraxia estão:

  • Reorganizar os desequilíbrios físicos, orgânicos e do sistema nervoso central;
  • Tratar de cervicalgias, lombalgias, ciatalgias etc.;
  • Remover a compressão nos nervos da medula espinhal;
  • Melhorar a comunicação entre o sistema nervoso central, tecidos e órgãos do corpo e vice-versa;
  • Estimular o estado de alerta;
  • Aliviar enxaquecas;
  • Ajudar nos tratamentos de fibromialgia;
  • Promover o equilíbrio energético e o bem-estar;
  • Gerar relaxamento e tranquilidade;
  • Regular o sono,
  • Melhorar a qualidade de vida em geral, no controle do estresse, na potencialização da memória e da atenção.
Imagem de uma mulher de cabelos castanhos deitada de bruço sobre uma maca forrada com uma toalha felpuda na cor branca. Ela está recebendo uma massagem de quiropraxia das mãos de um terapeuta.
Marko Bukorovic / Pixabay

Então essa é uma técnica com grande abrangência, que vem ganhando força na vida cotidiana por estar sendo muito popularizada e também porque faz parte das Práticas Integrativas e Complementares do Sistema Único de Saúde. Assim, ela pode ser indicada como alternativa complementar aos tratamentos médicos, com gratuidade à população.

E mesmo que você não sofra com qualquer tipo de dor, você pode obter outros benefícios com ela e conquistar uma vida mais feliz. Mas uma pergunta que surge é para quem a quiropraxia é indicada? Continue na leitura e saiba quando procurar por essa técnica.

Como saber se devo fazer a quiropraxia?

Geralmente as pessoas buscam a quiropraxia quando sentem dores dorsais, lombares ou cervicais. Também quando sofrem com enxaqueca, osteoartrite, dor no joelho, artrose ou com fibromialgia. A quiropraxia é também indicada para aliviar o estresse, trazer tranquilidade e bem-estar e intervir positivamente na regulação do sono.

Ainda atua para alinhar a coluna, principalmente para quem trabalha durante muito tempo numa mesma posição ou com má postura e para quem tem uma vida muito sedentária. É recomendável, ainda, para quem deseja melhorar a circulação sanguínea ou simplesmente obter vigor físico.

Além disso, o quiropraxista (profissional que aplica a quiropraxia) fará um diagnóstico, incluindo alguns exames clínicos, por exemplo palpativos, biomecânicos, ortopédicos, neurológicos, de caminhada curta, com medição de pernas, de força muscular etc. Ele poderá, ainda, solicitar exames de imagem. Se houver, porém, dores agudas e permanentes ou indisposição generalizada, é fundamental que um médico seja consultado.

Quando procurar pela quiropraxia, tenha em mente que se o quiropraxista for competente e consciente, ele próprio fará a indicação para que se consulte um médico especialista assim que identificar a insuficiência da prática para resolver o problema ou que a aplicação da técnica pode agravá-lo ainda mais.

Como escolher um bom Quiroprata?

É comum o termo quiroprata, no entanto, o correto é quiropata, pois ele se refere àquele que se especializou em quiropraxia ou quiropatia (termo já em desuso). De qualquer forma, a palavra que melhor expressa a designação desse profissional é quiropraxista. Mas, independentemente do termo atribuído a quem realiza a técnica, é fundamental que o profissional seja bem qualificado e experiente.

Imagem de uma mulher de cabelos loiros, deitada de lado sobre uma maca. Ela está recebendo uma massagem de quiropraxia nas costas.
Rolf Montag / Pixabay

Para escolher um bom quiropata é importante averiguar se ele tem curso universitário de bacharelado em quiropraxia ou um curso de pós-graduação oferecido a profissionais da saúde já graduados, reconhecido pelo Ministério da Educação. É fundamental também que ele seja credenciado pela Associação Brasileira de Quiropraxia (ABQ).

É apropriado, ainda, verificar se a clínica em que o quiropraxista atua é credenciada, bem organizada, segura, bem higienizada e oferece conforto e bem-estar. Esse tipo de informação pode ser obtido numa consulta à internet e nas redes sociais sobre as referências e opiniões das pessoas que nela foram atendidas ou fizeram tratamento, bem como em visita ao local.

Eu posso fazer a quiropraxia?

A quiropraxia pode ser aplicada em bebês, crianças, adultos, gestantes e idosos, sendo uma prática não invasiva e não medicamentosa. Apesar disso, em alguns casos, o ideal é procurar um médico, por exemplo o clínico geral ou um especialista, por exemplo o ortopedista, quando a dor estiver acompanhada de dormência, formigamento e perda de força nos braços e nas pernas.

Além disso, a técnica não é indicada quando a pessoa tiver fratura, câncer nos ossos, osteoporose grave, risco acentuado de acidente vascular cerebral, infecções ósseas e espondilite anquilosante (um tipo de artrite inflamatória crônica e autoimune). É importante lembrar que há enfermidades para as quais algumas terapias, além de não surtirem os resultados esperados, ainda podem agravar o problema.

Imagem de uma pessoa deitada de costas recebendo uma massagem de quiropraxia em suas costas.
Kian2018 / Pixabay

Em resumo, a quiropraxia é uma técnica indicada para todas as idades, com o objetivo de ajustar e equilibrar o sistema neuromusculoesquelético e promover a saúde geral do organismo. Com benefícios amplos, conquistados em sessões rápidas e de custo acessível, ela é oferecida pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Um quiropata ou quiropraxista habilitado, credenciado e experiente é quem deve diagnosticar e aplicar a técnica, com o uso das mãos, em manobras que podem provocar estalos. Somente ele pode resolver dores lombares, cervicais e musculares e gerar bem-estar por meio da quiropraxia.

Essa técnica do século XIX , desenvolvida por Daniel David Palmer, nos Estados Unidos, é reconhecida pela Organização Mundial da Saúde como complementar aos tratamentos convencionais de grande parte da população que sofre de diversos tipos de dor, em muitos países.

Então se você se interessou pela quiropraxia para ter a saúde em ordem, siga as recomendações sobre como identificar um bom quiropraxista e permita-se adotá-la na sua rotina para conquistar bem-estar. Cuide sempre do seu corpo, da sua mente e do seu espírito. Preserve a sua saúde para usufruir de tudo o que a vida oferece de melhor!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br