Autoconhecimento

Chega de “mi, mi, mi” – Sai do casulo e voa!

casulo
Andreia Ferrari
Escrito por Andreia Ferrari
Quantas vezes colocamos o “mas” naquilo que queremos?

“Quero iniciar um novo projeto! Mas…” “Esse é o meu sonho! Mas…”

Olhe aí dentro de você e veja quantos sonhos foram deixados para trás porque você focou sua atenção no que veio depois do “mas”, deu tanto poder que o início da frase passou despercebido, o inconsciente não gravou… Tudo bem, esses pensamentos limitantes pulam como pipocas na nossa mente, não é mesmo? Abaixo deles sabemos que existem situações mal resolvidas, crenças e padrões limitantes que aprendemos por toda a nossa vida, mas também sabemos que as coisas só mudam quando a gente muda e somos totalmente responsáveis por nossas vidas e já superamos inúmeros desafios, certo?

Então, que tal parar de alimentar as desculpas com “todinho”, lembrar-se das infinitas capacidades que você tem e partir para cima?

Eu sei que isso é um desafio, me percebo por várias situações da minha vida entrando nesse estado de vítima, e digo para vocês: apesar de nos dar um conforto aparente, isso drena a nossa energia e vamos perdendo a cada dia que passa a força para alçar novos voos!

O fato é que crescer dói, gera desconforto, fazer algo novo dá medo e gera tensão, mas isso é normal, natural mesmo! Mas chega uma hora que a dor tem que ir, para o novo vir!

O fato é que crescer dói, gera desconforto, fazer algo novo dá medo e gera tensão

Pense que estamos sempre em um movimento de gestar e parir o nosso próprio ser!

No útero materno, o nosso casulo temporário, estamos passivos, pois é hora de receber! Desenvolver o nosso corpo e nutrir-se de bênçãos. Depois de transcorrido o tempo gestacional, aquele espaço tão acolhedor começa a ficar desconfortável, o bebê cresceu, está chegando a hora de sair do casulo… O processo de nascimento é um desafio por si só! O canal por onde vai passar é estreito… Exige esforço para chegar à nova vida!

E passamos por esse processo repetidas vezes! Morremos para aquilo que achamos ser e renascemos com novas convicções, sentimentos e atitudes!

Pense bem, você é a mesma pessoa de um ano atrás? E de cinco ou dez anos? Estamos sempre nos transformando, moldando o nosso próprio ser! O momento de recolhimento se faz necessário para resgatar todo o aprendizado e se preparar para as próximas experiências da jornada evolutiva.

Mas e quando a alma se expande? O corpo grita para sair do casulo e algo em nós resiste?

casulo

Ei, queridas! O casulo está apertado?

Então, voaaaaa!

Até quando vai ficar dando ouvidos para esse “mi, mi, mi“?

Preste atenção nas suas asas espremidas que estão prontas para mostrar as suas belezas e encantos aqui do lado de fora! O mundo quer te ver!

Pois bem, essa “metamorfose ambulante” que aqui vos fala vai dar algumas pistas para aumentar o tônus de suas asas:

***INSPIRE AMOR, EXPIRE A DOR!

Pratique um estado de vigília, se coloque como uma observadora dos seus pensamentos. A partir daí perceberá quais emoções eles atraem. Não critique e nem se rotule! Não se castigue, promete?

Inspire intencionando aceitação e autoacolhimento, ao expirar foque na sensação desconfortante que o pensamento te trouxe e solte todo o peso, tudo o que te oprime. Faça isso quantas vezes forem necessárias até sentir que o vento levou o desconforto que esse pensamento te trouxe…

***ATIVANDO O PODER DA “MULHER MARAVILHA”

Estamos na matéria, certo? Então, uma das formas mais fáceis de mudar as nossas emoções e, consequentemente, os nossos comportamentos é por meio do nosso corpo!

Ele responde a tudo o que pensamos e, consequentemente, sentimos… Se está triste, observe o seu corpo… Automaticamente a sua postura se inclina, os seus ombros se abaixam e o seu físico se torna um servo respondendo ao comando do que as suas emoções estão dizendo a ele…

Pensando nisso, quando se perceber entrando nessa onda, mude intencionalmente o seu campo físico! Dê o comando certo e ele te obedecerá!

Faça a postura da mulher maravilha!

Mãos na cintura, braços para trás, abrindo o peito, cabeça ereta e olhar fixo para um ponto! Dois minutinhos nessa postura e adeus baixo astral!

Está na dúvida? Faça e verá por si mesma!

Você também pode fazer caminhadas ou dançar, observando o seu movimento e se permitindo esvaziar a preocupação da “cachola”, apreciando o momento presente.

***AGRADEÇA!

Está aí a arma mais poderosa para eliminar de vez com o “mi, mi, mi”!

Visualize tudo o que você tem na vida e emane um sentimento de gratidão ao universo! Mas tudo mesmo, hein!? Pessoas, coisas, capacidades internas e por aí vai…

A gratidão é a energia mais poderosa do universo! Tudo o que emanamos volta para nós, certo? Então, entramos nesse fluxo do dar e receber e em troca o universo nos presenteia com mais situações para que possamos nos sentir gratas!

Então, o milagre acontece! Eita, universo generoso!

casulo

 

“RESUMO DA ÓPERA”:

***Ao respirar conscientemente estamos dando um comando para que, por meio da inspiração, eu me nutra com o prana da vida e ao expirar eu solto, me desapego e deixo ir aquilo que me impede de voar.

***A mudança na nossa fisiologia interfere em nossos padrões de pensamentos, sentimentos e, consequentemente, em nossas ações. Então, exerça o seu poder de cocriadora e dê o comando certo para o seu corpo! Caminhe, dance, cante, mude a postura! Pare de alimentar os pensamentos que te botam para baixo e depois me conta!

***Entrando no fluxo da gratidão, o “mi, mi, mi” desaparece porque focamos a nossa energia naquilo que temos e tiramos o foco daquilo que não temos (ainda)… Nos lembramos dos inúmeros motivos pelos quais não devemos desistir dos nossos sonhos, pois podemos sentir a luz de todas as pessoas que nos amam impulsionando essa nova etapa e despertamos para o nosso poder interno que nos dará a guiança para esse maravilhoso e desconhecido caminho que se abre quando acreditamos na vida!

Eis o ciclo ininterrupto da jornada da guerreira:

A vida é um eterno morrer e renascer…

Tudo na vida é impermanente, abra mão do controle…

As dores do renascimento são naturais, pois nos fortalecem…

Mas elas têm o momento de ir e vir…

Desapegue-se delas e vai!

A gente se encontra em um desses voos!

Sua amiga ora lagarta, ora borboleta…

Como dizia o poeta Raul: “Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo”.
  casulo

Com amor, 💓 Andréia Ferrari.

 

 


 Você também pode gostar de outros textos da autora: A bússola mágica

Sobre o autor

Andreia Ferrari

Andreia Ferrari

É terapeuta holística , tecendo a harmonização do ser por meio de terapias vibracionais e de frequência do som, coaching emocional e técnicas de programação neurolinguística.

Master Practitioner em PNL, Coach Emocional, Praticante de terapias vibracionais há mais de 20 anos.

Facilitadora do “Curandeiras”- Círculos do Sagrado Feminino. Idealizadora dos projetos “Cantos e Encantos” e “Chá de Amor”- acolhimento para gestantes, canalizadora de cantos de cura, formada na Arte do Ser Cantante por Cecília Valentim.

Além disso, também atua como Coach de empoderamento feminino, Master Practitioner em PNL, Barras de Access, Terapeuta Holística e Vibracional.

Facebook: Andréia Ferrari - Curandeiras da Terra
E-mail de contato: [email protected]
Telefone de contato: (11) 97245-0470