Coaching Astrológico Energia em Equilíbrio

Signos astrológicos e mitos: Câncer

Tereza Gurgel
Escrito por Tereza Gurgel
Câncer: de 21 de junho a 20 de julho

Câncer, o quarto signo do Zodíaco, inicia-se com o solstício de verão (quando ocorre o dia mais longo do ano, e a noite mais curta), na estação da fecundação e da concepção. É o tempo em que a Natureza chega ao seu máximo esplendor, fazendo triunfar as forças geradoras da Terra. O elemento de Câncer é a água e o signo leva em si o arquétipo da Mãe, fonte da Vida.

O significado de gestação e maternidade de Câncer se encontra na simbologia do próprio Zodíaco, como uma das portas pela qual passavam as almas que estavam prontas para se encarnarem. Em Câncer está contido o sentido de todo o ciclo da Vida: nele se manifesta o nascimento, mas também o devir e o consumar-se da existência.

A primeira camada protetora de Câncer (como a carapaça do caranguejo, a imagem mais apropriada atribuída a este signo) é a inibição, a autodefesa passiva e receptiva que o permite isolar-se e proteger-se do ambiente, evitando o impacto violento com a realidade. O verdadeiro drama de Câncer é o conflito entre o real e o imaginário.

Os nativos deste signo não apreciam a luta e a competição agressiva. Se ocorrer a derrota amarga, a desilusão desencadeia a regressão, a saudade de condições e épocas anteriores mais tranquilizadoras. Isto pode impedir o processo de amadurecimento, levando-os ao isolamento, a fim de tentarem controlar a emotividade através da “couraça” lógico-racional. Mas como a contradição faz-se presente neste signo, alguns nativos podem aderir a uma procura exasperada por novas sensações, deixando as emoções ainda mais instáveis.

A luta mais dura de Câncer é contra a sedução do passado (sempre idealizado), a nostalgia, a lembrança. A conquista do presente o deixa exausto. O mundo inteiro é visto a partir de si mesmo, tornando-o uma pessoa de difícil convívio. Se não puder viver seus sonhos idealistas, poderá passar sua vida em uma imobilidade protetora, refugiando-se inconscientemente em um mundo infantil, flutuando entre o útero e o mundo.

Neste signo, muitos mitos se refletem, mas o principal é o drama de Édipo: o indivíduo tem em si a necessidade inconsciente de voltar sempre para a Mãe, na dimensão nostálgica da Lua.

Laio, rei da cidade grega de Tebas, foi advertido por um oráculo que haveria um grande perigo para a sua vida e para o seu reinado, se o seu filho recém-nascido crescesse. Laio manda matar o bebê, mas o pastor encarregado da tarefa o deixa amarrado pelos pés em uma árvore. Um casal de camponeses vê a criança e a salva, criando-o como seu próprio filho e dando-lhe o nome de Édipo (que significa: “pés distendidos”).

Já adulto, Édipo fica sabendo de sua maldição: mataria o próprio pai e casaria com sua própria mãe. Horrorizado e imaginando serem os camponeses seus verdadeiros progenitores, Édipo abandona o lar e viaja para longe. Em uma estrada, encontra Laio e, durante uma discussão, acaba matando-o, sem saber que se tratava de seu verdadeiro progenitor. Seguindo adiante chega à cidade de Tebas, onde um monstro, a Esfinge, aterrorizava os cidadãos. Édipo se propõe a matar o monstro e após derrotá-lo, torna-se rei da cidade e casando-se com Jocasta, viúva do rei Laio e sua verdadeira mãe.

Alguns anos depois, ao descobrir toda a verdade, Édipo fura seus próprios olhos e foge de Tebas, morrendo após uma dolorosa peregrinação.

O caminho pessoal deste signo é reconciliar seu conflito interno: viver na realidade e abandonar a ilusão. Se conseguirem realizar isso, são capazes de inspirar muitas pessoas com suas ideias. São amigos fiéis, ligados à família e excelentes gestores.


Referências

“Astrologia e Mito” – R. Sicuteri – Editora Pensamento – São Paulo – 1978;

“O Livro de Ouro da Mitologia” – Thomas Bulfinch – Ediouro Publicações Ltda. – Rio de janeiro – 2003.

Sua opinião é bem-vinda, sempre que colocada com a educação e o respeito que todos merecem. Os comentários deixados neste artigo são de exclusiva responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

Sobre o autor

Tereza Gurgel

Tereza Gurgel

Formada em Psicologia (F.F.C.L. São Marcos - SP). Filiada à ABRATH (Associação Brasileira dos Terapeutas Holísticos) sob o número CRTH-BR 0271. Atua na área Holística com Reiki, Terapia de Regressão e Florais de Bach. Mestrado em Reiki Essencial Metafísico e Bioenergético Usui Reiki Ryoho, Shiki, Tibetano e Celtic Reiki. Ministra cursos de Reiki e atende em São Paulo (SP).

E-mail: [email protected]
Telefone: 11 987728173
Site: mtgurgel.wixsite.com/mundoholistico
Blog: terezagurgel.blogspot.com.br
Skype: tk.gurgel