Saúde Integral

Tratamentos para o câncer de mama. Qual a melhor escolha?

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Podemos definir câncer como sendo o crescimento de forma desordenada e rápida de algumas células. E elas acabam adquirindo a capacidade de se multiplicar, tornando-se incontroláveis e agressivas. Podemos chamar o câncer também de neoplasia.

Os tumores do tipo maligno podem se espalhar para outras regiões do corpo humano. O câncer de mama, por sua vez, como o nome mesmo diz, ataca as mamas. Segundo o Inca, o Instituto Nacional de Câncer, esse é o tipo maligno de tumor que leva mais mulheres à morte.

Mas, apesar de toda a severidade da doença, esse tipo de câncer é considerado raro antes dos 35 anos. No entanto, mulheres acima dessa faixa etária apresentam mais riscos de incidência da doença. Devemos lembrar aqui que esse tipo de câncer acontece também em homens, mas, é claro, em números bem menores. Além disso, nem todo o tumor na mama é considerado maligno.

A magnitude e a gravidade do nódulo só podem ser confirmadas através da realização de exames específicos.

Quando o câncer é diagnosticado no início, ou seja, quando o caroço ou nódulo encontrado ainda é menor que 1 centímetro, a chance de cura é de 95%. Apesar de não serem facilmente percebidos através do toque, os nódulos são identificados através da mamografia. Por isso, é de extrema importância que toda mulher, com mais de 40 anos, torne a mamografia um hábito anual.

Como fatores de risco para o aparecimento da doença podemos citar o parentesco em primeiro grau com outras mulheres que tenham sofrido com a doença, a menarca precoce (a primeira menstruação antes de completar 11 anos), avanço da idade, nunca ter engravidado, menopausa depois dos 55 anos e não ter tido o primeiro filho depois de completar 30 anos.

No caso de câncer de mama, podemos citar como sintoma mais comum, a aparição de um nódulo (ou caroço) que em geral é duro, não causa dor e é irregular. Vale ressaltar que esse tipo de tumor tem mais chance de ser maligno. Por isso, é importante procurar a ajuda de um médico especializado. Parte da mama inchada, quando o mamilo se volta para dentro, dores no mamilo, aparecimento de irregularidades, aparecimento de irritação na pele, nódulos nas axilas, aparecimento de secreções e descamação ou vermelhidão nos mamilos podem ser outros sintomas da doença.

O que a maioria das mulheres não sabe é que existem diversos tipos de tratamento para a doença e eles acabam variando de acordo com o grau e o metabolismo de cada paciente.

Quando o câncer de mama ainda se encontra em fase inicial, há a possibilidade de se tratar o problema com terapia local. Isso significa dizer que é realizado um tipo de cirurgia total ou parcial do local em que o câncer se encontra. Em seguida, são realizadas sessões de radioterapia.

Breast cancer survivorJá a terapia sistêmica, trata o câncer com o uso de uma série de medicamentos utilizados de forma intravenosa ou via oral. Nesse tipo de tratamento, encontram-se três modalidades: a hormonioterapia, a quimioterapia e a terapia-alvo.

A quimioterapia pode ser realizada depois ou antes de uma cirurgia. Nesse tipo de tratamento, são utilizados medicamentos intravenosos ou administrados por via oral. O objetivo principal é inibir e combater o crescimento e a multiplicação das células cancerígenas ou até mesmo destruí-las.

Já a hormonioterapia só é utilizada em pacientes que já apresentem ao menos um tipo de receptor hormonal. O objetivo desse tipo de tratamento é fazer com que os hormônios que gerem a multiplicação e o crescimento das células cancerígenas sejam impedidos disso. É feito com a utilização de drogas por via oral que suprem e bloqueiam os efeitos desses hormônios sobre os órgãos que se encontram comprometidos.

Por último, a terapia-alvo, também conhecida como terapia dos anticorpos monoclonais, é realizada através da administração de drogas que impedem a passagem de algumas proteínas que se encontram nas células com câncer. Ou seja, esse tipo de tratamento visa abranger pontos mais específicos.

Vale ressaltar que o tipo ideal de tratamento para cada paciente deve ser prescrito através de médicos especialistas. Somente esses profissionais são capazes de indicar o melhor tratamento para cada grau da doença.

  • Escrito por Flávia Faria da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]