Autoconhecimento Energia em Equilíbrio Espiritualidade

15 exercícios para praticar o autoconhecimento

Ilustração de mulher meditando com planetas saindo de sua cabeça
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Você já parou para pensar na importância de se autoconhecer? Se não, agora é a hora! Nunca se falou tanto na relação entre bem-estar mental e físico e amor-próprio quanto nos dias atuais. Comprovou-se que, ao se conhecer e saber seus gostos, desgostos e limitações, é muito mais fácil alcançar (ou até mesmo descobrir) seus verdadeiros objetivos de vida, tornando mais leve e feliz a jornada diária.

Ao evoluir internamente, o desenvolvimento ultrapassa barreiras e os resultados obtidos são observados no modo como a pessoa é e também na área profissional e social, uma vez que só é possível uma pessoa estar de bem com o mundo quando ela está de bem consigo mesma. Mas, afinal, não deve ser tão difícil assim adquirir a habilidade de se autoconhecer, não é? Confira a seguir alguns passos que podem te ajudar nessa tarefa e que te farão ir além na compreensão do seu eu interior, alcançando os três passos do autoconhecimento: o pensamento, que é tudo aquilo que você pode desenvolver utilizando apenas a sua própria mente; a expressão, que são os exercícios para avaliar e desenvolver a forma como você se expressa em termos de crenças, valores e atitudes; e a implementação, que pode ser aplicada no mundo e em sua vida para alcançar os objetivos desejados.

Ilustração de homem meditando

15 exercícios para desenvolver o autoconhecimento

O autoconhecimento anda lado a lado com a inteligência emocional, por isso é que alguns dos passos para se conhecer melhor são justamente exercícios que promovem, também, a inteligência emocional:

1. Antes de tomar qualquer decisão, pergunte a si mesmo: “Por quê?”. Depois que obtiver a resposta, pergunte-se novamente: “Por quê?” e depois uma terceira vez. Se você puder encontrar três motivos verdadeiros para continuar tomando essa decisão, você terá mais clareza em sua mente, conseguirá agir de forma mais racional, evitará más ações – normalmente tomadas por impulso – e ficará mais confiante. O autoconhecimento te leva a conhecer seus motivos e a determinar se eles são “corretos” para você.

2. As emoções geram reações físicas e comportamentais que vão além do que conhecemos como “feliz” ou “triste”. Por isso é que colocar seus sentimentos em palavras têm um efeito terapêutico em seu cérebro, uma vez que, se você não consegue colocar para fora como se sente, isso pode criar estresse e outras sensações negativas. O exercício é aumentar seu “vocabulário emocional” com uma nova palavra que te ajude diariamente a expressar exatamente o que você está sentindo e não tenha receio de se aprofundar em seus sentimentos. Afinal, entendê-los é vital para o autoconhecimento.

Ilustração homem dizendo "não"

3. O poder do “não”! Dizer “não” a si mesmo pode te impedir de fazer algo que te deixaria feliz apenas naquele momento para conquistar o que te dará satisfação a longo prazo. Há muitas tentações diárias que podem te desviar do seu objetivo – redes sociais, junk food, fofoca, trocar o yoga pela soneca – e você deve se esforçar para reconhecê-las, saber que elas são obstáculos e evitá-las. Com o objetivo de dizer “não” a cinco tentações diferentes a cada dia, essa prática pode ser reforçada. Quanto mais você diz “não” a pequenos desafios diários, mais chances você terá de suportar grandes tentações.

4. Você já ouviu a expressão “estar no piloto automático”? Uma pessoa sem autoconhecimento vive dessa forma e responde a determinadas situações com reações inesperadas. Um bom índice de autoconhecimento permite que você avalie cada caso de forma objetiva e racional. Assim sendo, respire fundo antes de agir, especialmente quando uma situação desencadeia raiva, frustração ou estresse. Isso te dará tempo para reavaliar sua resposta ou sua atitude, como dito no exercício número 1, e definir se ela será mesmo a melhor a ser tomada.

5. Esteja ciente das suas falhas, de seus erros e acertos, pois não aceitar a responsabilidade pelas suas próprias ações acaba deixando o trabalho feito pela metade. Muitas vezes criticamos os outros e ignoramos as nossas próprias falhas, mas ninguém é perfeito. O autoconhecimento ajuda a aumentar nossa percepção sobre nós mesmos, criando um espelho interior que previne que tenhamos comportamentos hipócritas. A evolução e o autoconhecimento só acontecem quando você reconhece as falhas. Adote o hábito de assumir suas responsabilidades, em vez de dar desculpas, e veja como você pode melhorar em cada uma delas.

Ilustração de homem pensando

6. Há pensamentos incessantes em nossas cabeças, muitas vezes pensamentos que nem são úteis, o que leva à “autofala” negativa, que desencadeia quadros de estresse e depressão. Atente-se à maneira como você responde aos seus sucessos e fracassos. Você sempre considera suas conquistas apenas sorte ou se culpa muito depois de falhas? Os contornos de feedback positivos e negativos se formarão em sua mente com base em como você responde a sucessos e falhas. Comemore suas vitórias, perdoe suas perdas e aprenda com elas. É um bom caminho para ampliar as chances de autoconhecimento.

7. Observe-se em um vídeo para melhorar sua consciência na linguagem corporal, pois essa consciência melhora a sua confiança. Note que tomar uma “pose de baixa potência” (meio morna, com os braços largados, jogado na cadeira) aumenta o cortisol e alimenta a baixa autoestima, enquanto estar de pé ou ter uma “pose de alta potência” estimula a testosterona e melhora o seu desempenho. Usar gestos de mão também ajuda a articular seus pensamentos e afeta a forma como as pessoas se atentam a você. Grave um discurso ou apresentação e avalie sua postura e gestos. Assista a vídeos de oradores qualificados e adote seus maneirismos para melhorar os seus.

8. Conhecer o seu tipo de personalidade permite que você maximize seus pontos fortes e gerencie seus pontos fracos. Compreender suas forças e talentos pode ser a diferença entre uma boa escolha e uma ótima escolha. Comece com a compreensão de onde você cai no espectro introvertido/extrovertido e então crie e registre uma análise SWOTstrengths, weaknesses, opportunities, and threats – pessoal, ou seja, aponte seus pontos fortes, fracos, oportunidades e ameaças.

Ilustração de mulher meditando

9. Um exercício excelente é manter um diário e acompanhar seus desempenhos e progressos diários. Por exemplo, como você classificaria seu nível de autoconsciência atual, de zero a dez? Pense em quantas vezes você disse coisas das quais se arrependeu, adotou hábitos ruins, tomou decisões distraídas ou teve pensamentos erráticos. Este é um exercício poderoso para o autoconhecimento e pode ser feito a qualquer momento. Defina metas regulares, quebre essas grandes metas em marcos menores e pergunte-se, ao final de cada dia: “O que eu fiz bem hoje?” e “como posso melhorar isso amanhã?”.

10. Todos temos pontos cegos em nossos padrões de pensamento e comportamento. Pedir comentários de feedback construtivos regulares pode ser útil para que sua força de autoconhecimento seja desenvolvida também com base em visões externas e diferentes. Busque como mentores aquelas pessoas que você respeita, mas que não sejam complacentes com vocês. Essas pessoas dirão o que você precisa ouvir, não o que você quer ouvir.

11. A meditação é uma prática fundamental para melhorar seu autoconhecimento. Concentrar-se unicamente em sua respiração é focar em um processo interno chave. Com essa prática, você perceberá como sua mente fica vagueando em momentos nem sempre adequados e entenderá como melhorar para se livrar dessas distrações. Se você é um iniciante, comece com sessões de dez minutos. Encontre um lugar quieto para se sentar e respire pelo nariz e pela boca. Conte suas respirações em silêncio, lendo sua mente quando ela vagueia. Veja quantas respirações você pode encadear juntas.

Ilustração de homem questionando em ponto de interrogação

12. Comece a perceber que nem sempre suas opiniões estão ou precisam estar totalmente corretas. Questionar-se é essencial e vai ajudar muito em seu desenvolvimento pessoal. Sempre que você estiver sendo muito duro ou fechado em si mesmo, coloque uma interrogação no lugar dos pontos finais e comece a pensar se suas convicções fazem mesmo sentido ou se realmente precisam ser tão pouco flexíveis. Isso vai te ajudar a lidar melhor com outros pontos de vista e até a rever certos posicionamentos.

13. Autoconhecimento é lidar melhor consigo mesmo, mas isso também inclui entender como as pessoas reagem quando estão com você e o impacto que você causa nelas. Por isso, quando estiver falando com alguém, olhe essa pessoa nos olhos e procure compreender o que suas reações, gestos e expressões estão querendo dizer. Você consegue deixá-la confortável e confiante? Ou essa pessoa sempre parece com medo e ansiosa para terminar a interação? Isso vai dizer muito sobre você e sobre pontos que você precisa desenvolver.

Você também pode gostar de:

14. Normalmente as pessoas têm crenças e valores que servem como guias e direcionamentos para suas vidas, como se fossem aqueles “valores” sempre citados por uma empresa. Então por que não tomar nota disso? Coloque todos os seus mantras, valores e crenças em um documento. Aproveite para refletir sobre cada um desses pontos e entender se você realmente os tem seguido. Se a resposta for negativa, pense também em como você pode voltar a andar pelo caminho que deseja seguir.

Ilustração mulher colando lembretes na parede

15. O último ponto, mas nem um pouco menos importante, é saber se organizar e, principalmente, conseguir estabelecer prioridades. Por isso, um exercício interessante é, todos os dias antes de dormir, anotar as tarefas do dia seguinte e então definir as prioridades em termos de execução. Para que dê certo, marque no máximo três tarefas como mais importantes e aprenda a realmente criar uma noção de prioridade. Assim você otimiza seu tempo e consegue ser mais produtivo.

Embora todos estes exercícios te guiem para que você possa começar a praticar o autoconhecimento, é vital que você tenha em mente o básico: investigue a si mesmo para que você se compreenda, respeite seus limites, valorize suas qualidades e capacidades e nunca deixe de aprender com seus erros, entendo-os como pontos que devem ser melhorados na sua pessoa. Só assim você encontrará o equilíbrio e a paz interior que te ajudarão a ter uma relação melhor consigo mesmo e com quem está do lado de fora.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]