Tarot

A Lua: conheça o significado dessa carta e como ler em seu tarô

Cheia de significados misteriosos, a carta A Lua vem para nos trazer sabedoria acerca de nós mesmos e de nossa espiritualidade. Pode ser encontrada em diversos baralhos de Tarô e é uma carta essencial para o autoconhecimento e elevação espiritual. Representada simbolicamente pela cor azul, nos faz refletir sobre a melancolia da vida e o significado espiritual da mesma. Que tal ficar por dentro de todo o misticismo desta carta?

Entre os 22 Arcanos Maiores do tarô, A Lua é a 18° lâmina (ou carta) dos arcanos maiores e é considerada uma carta enigmática por justamente falar do oculto aos olhos, da magia e das profundezas do inconsciente.

É preciso compreender muito bem essa carta para não gerar pré-conceitos e tratá-la como só negativo ou só positivo. É na compreensão do arcano que se revela o mistério. Ela representa a introspecção, a intuição, os sonhos e alerta sobre as ilusões.

Seus principais significados positivos são: intuição profunda, magia, espiritualidade, dons mediúnicos, autoconhecimento, revelações, descobertas, superação, introspecção. Já o oposto: ilusões, psicossomatização e problemas psíquicos, depressão, medos e emoções reprimidas, enganos e traição.

A cor dominante geralmente é o azul, por estar associado à intuição e o preto por associar ao mistério e às emoções mais profundas.

Quanto ao nome da carta, além de ser conhecida como A Lua, também é conhecida como The Moon (em inglês) e La Lune (em francês). Independentemente da nomenclatura, o essencial significado da carta é sempre o mesmo, como veremos a seguir.

Te convidamos a continuar a leitura e mergulhar na aura de mistério dessa carta tão importante no tarô. Aprenda seu significado, quais elementos a compõem e outras curiosidades que a envolvem!

Significado dos elementos da carta A Lua

A análise a seguir é com base no Tarô de Rider-Waite, um dos baralhos mais tradicionais e traz elementos importantes para o significado geral da carta. Confira!

  • Lua: o desenho da lua mostra todas as fase juntas e representa a mente subconsciente, as emoções e intuições. É um símbolo poderoso da noite, das águas e das profundezas ocultas da psique humana. Ao seu redor, gotas que simbolizam tantos as ilusões (sendo retiradas) quanto a fluidez da realidade.
  • Animais: o cão e o lobo representam o lado instintivo do ser humano, ora amistoso, ora agressivo. Já o lagostim (ou caranguejo), simboliza o oculto das emoções. Ou seja, esses animais representam os diversos estágios da psique emocional do ser humano, trazendo a necessidade de mergulhar nas profundezas de seu ser.
  • Torres: as duas torres representam as fortalezas do ser humano, nas quais é possível superar os desafios e os vícios durante o processo de autoconhecimento e das revelações que a vida apresenta.
  • Caminho: atravessando todo o cenário da carta, visualizamos um caminho sinuoso que começa no rio onde está lagostim, como se estivesse saindo do rio em direção à lua. Representa a jornada emocional e espiritual que o indivíduo deve percorrer para compreender seu subconsciente e enfrentar seus medos e instintos.

Similaridades e diferenças da carta A Lua em diferentes baralhos

Carta de tarot A Lua
Sketchify / NotjungCg

Além do baralho Rider-Waite, criado em 1910, por Arthur Edward Waite e William Rider, existem outras versões as quais, alguns detalhes mudam. Em sua maioria, as similaridades da lâmina trazem a lua e os animais cão, lobo e lagostim (ou caranguejo) como os principais elementos do arcano. Sabendo que existe outro tarot de Rider-Waite, a versão The New Vision Tarot (lançado em 2003), temos outra visão da carta. O cenário indica ser o que vem depois do caminho percorrido apresentado na carta original. Neste baralho, aparece um novo personagem no cenário – um homem vestido armadura da cabeça aos pés. Ele está como se estivesse saindo do rio indo em direção a um novo caminho que se apresenta diante dele. Se prestarmos atenção, ele se encontra depois das torres, ou seja, iniciou o caminho lá na carta original e aqui, está finalizando esta jornada para, em seguida, recomeçar. Os animais são os mesmos, porém, numa perspectiva diferente, pois o homem já mergulhou em suas profundezas e agora, vem se conectar com sua essência (animal) e trilhar um novo caminho. O que esta carta faz pensar é: o cavalheiro está pronto para se despir de sua armadura e assumir quem ele realmente é? Por fim, os pássaros que saem de uma torre para outra simbolizam o lado cíclico da vida e das autodescobertas e a lua, desenhada de forma que representa todas as fases juntas, iluminando todo o cenário.

Tarô mitológico

Criado em meados de 1980, por Liz Greene e Juliette Sharman-Burke (astróloga e taróloga, respectivamente), a carta da Lua nos mostra Hécate, a deusa das trevas e soberana da lua e da magia. É uma figura feminina misteriosa com três cabeças que refletem as inevitáveis mudanças da vida. Acima, vemos a lua sobre as cabeças de Hécate. Seu desenho representa as três fases lunares. Seus cabelos em tom prateado e suas vestes são brancas como as cores da lua – a cor do inconsciente. A sua frente, um cão, também com três cabeças, se mostra vigilante, pois é o guardião e animal de estimação de Hécate. Ambos estão em um pequeno riacho e, mais ao lado, vemos um caranguejo que representa o mundo dos sonhos – lugar onde surge as profundezas desconhecidas do ser e que se introduz no cotidiano na forma de imagens e sentimentos fortes que não.

Tarô de Marselha

Existem diversos modelos do tarô Marselha com pouquíssimas variações de figuras, detalhes e cores. Na tradicional carta, A Lua suga a energia terrestre, basta observar a direção das gotas, atraídas para a lua. Os animais uivam para a lua representando o lado instintivo. O lagostim está no lago de águas paradas (estagnação). Nesta carta, o lagostim representa a constelação de Câncer. No restante do cenário, vemos o chão e as torres em amarelo representando a primeira camada do intelecto, enquanto o azul, cor predominante do baralho, refere-se a introspecção e o inconsciente.

Tarô Egípcio

Essa versão de tarot e em todas as cartas, há uma divisão em 3 partes: superior (plano espiritual), central (plano mental) e inferior (plano material) e os simbolismos que cada carta carrega estão relacionados aos eventos e personagens e deuses da cultura egípcia. No plano superior, sempre aparecerá símbolos dos Espíritos Planetários Olímpicos, letra do Alfabeto dos Magos e Ideogramas. A Lua no tarot egípcio é conhecida como O Crepúsculo. No plano central, vemos duas pirâmides com cores diferentes que simbolizam as polaridades positivo e negativo do ser. Os animais são os chacais, também de cores diferentes para representar o que está oculto e o que está às claras. No plano inferior, um triângulo branco invertido com um escorpião dentro. Simboliza o veneno ou ressentimento emocional. Neste baralho, em especial o arcano A Lua, faz muitas referências ao sexo e aos relacionamentos, por exemplo, a traição conjugal (o escorpião), a insatisfação sexual (a cobra – ideograma no plano superior da carta) e o sexo em si (a lua vertida para baixo que deve ser convertida em sol – ideograma no plano superior da carta). Por fim, os símbolos astrológicos Escorpião e Urano e a letra hebraica Tzade.

The Wild Wood Tarot

Nesse tarot, inspirado na mitologia céltica e mergulhado na sabedoria xamânica, A Lua é chamada de The Moon on Water (em inglês). Nesta carta, um grande rio com a correnteza da água fluindo seu curso, sob a luz da lua que está na sua fase cheia. O brilho da lua é refletido na água, formando um círculo parecendo ser um espelho redondo. Mais ao fundo vemos um monte com árvores, um búfalo, um pássaro que lembra uma garça e outras aves que voam próximos à lua. A carta traz a sensação da escuridão e da necessidade de silenciar a mente para ouvir a própria essência de vida. Momento de introspecção e de descobertas das verdades da alma.

Tarô Alquímico

Nesse tarô de Robert Place, a carta A Lua é denominada The Moon (em inglês). Nesta carta, a mulher que aparece é Diana, deusa da Lua e da caça, junto de seus cães, que representam a dualidade apresentada em outros baralhos (as torres). Em suas mãos, Diana segura a lua e um cajado de fogo. Acima, vemos a lua em sua fase crescente, o signo de câncer e o próprio caranguejo para representar a constelação de Câncer. A operação alquímica nesta carta é a Pedra Branca, o primeiro estágio de criação da Pedra Filosofal. Representa repouso, retirada, antecipação, preparação e sonhos.

Como A Lua te ajuda a desenvolver seus dons espirituais?

Carta de tarot A Lua
Codioful (formerly Gradienta) de Pexels / Chikovnaya

A Lua nos convida a desenvolver os dons espirituais através da intuição, da introspecção e da magia natural. A sua conexão com o subconsciente nos faz chegar até as profundezas do Ser. Um dos caminhos para isso é a meditação, na qual é possível acessar lembranças, ideias, medos e despertares trazendo à tona a grandeza de nossa alma. Além disso, para quem gosta de trabalhar com a magia, A Lua floresce o nosso lado mais mágico em conexão com a Mãe Natureza, Deuses e Mentores Espirituais – pura magia! Por fim, como desenvolvimento de dons, este arcano nos ajuda a despertar e elevar habilidades como leitura de auras, interpretação de sonhos, leituras oraculares, mediunidade entre outras habilidades extrassensoriais.

A energia d’A Lua a força interior

A Lua desperta nossa energia e força interior através da sutileza vibracional. É ter a intuição mais aguçada, ouvir sinais mais sublimes como sons, cheiros e vibrações – assim como os animais têm em seu instinto. A percepção do que acontece dentro e fora de nós. Sentir as emoções em todos os tons e níveis da escala emocional e a explorar a nossa psique através do autoconhecimento, compreendendo quem somos por meio dos desejos, motivações, memórias, sentimentos, pensamentos e emoções. Tudo isso faz parte do processo de elevação da nossa força interior e a ter mais fluidez e flexibilidade na vida.

A Lua na astrologia

Cada baralho traz sua correlação astrológica. Nas descrições dos baralhos acima, vimos que no tarot egípcio faz referência ao signo de Escorpião e planeta Urano. Já em outras referências, vemos muitas associações com o signo de câncer e escorpião. Porém, é ao signo de Peixes que o arcano A Lua se conecta. Essa correspondência é baseada nos elementos como intuição, sensibilidade e profundidade emocional e a conexão com o subconsciente que ambos trazem. Tanto Peixes quanto a carta A Lua estão relacionados com a imaginação, os sonhos, a espiritualidade e a natureza misteriosa da mente humana.

Você também pode gostar:

O arcano A Lua nos faz compreender a importância de explorar o subconsciente, confiar mais em nossas intuições, enfrentar os medos e buscar as verdades do nosso Ser. Ao fazer isso, encontramos um caminho mais autêntico e significativo na jornada da vida e do crescimento pessoal e espiritual. O Todo faz parte de nós, assim como somos parte deste Todo. A Lua desperta o Poder Pessoal que habita em nós.

Artigo escrito em parceria com a numeróloga e taróloga Liggia Ramos, colunista do Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br