Autoconhecimento

ANSIEDADE

ansiedade
Carla Bettin
Escrito por Carla Bettin
Há alguns dias recebi um pedido especial por parte de uma leitora do meu blog/página, onde solicitou que eu escrevesse sobre ANSIEDADE.

Colocarei alguns fundamentos de pesquisa aliados ao ponto de vista, experiência e embasamento teórico.

“Ansiedade” é um estado psíquico de apreensão ou medo provocado pela antecipação de uma situação desagradável ou perigosa. 

A palavra “ansiedade” tem origem no latim anxietas, que significa “angústia”, “ansiedade”, de anxius = “perturbado”, “pouco à vontade”, de anguere = “apertar”, “sufocar”. 

O quadro de ansiedade vem acompanhado por sintomas de tensão, em que o foco de perigo antecipado pode ser interno ou externo.”

Esta fundamentação colabora com o início do artigo solicitado. Porém, para um cientista, o principal é saber como funciona, neste caso, embasado na parapsicologia, colocarei de acordo com a ótica do mentor Pedro Grisa que alicerçou seu método a partir de comprovações reais.

Qual pode ser a origem da ansiedade? 

A origem da ansiedade, está diretamente ligada ao processo de vida intrauterina, a gestação da pessoa que a sofre.

Neste período, se a mãe vivencia uma insegurança, sofre antecipadamente por um perigo, seja ele real ou imaginário, conforme fundamentado acima.

Por exemplo, se a situação atual da mãe é de dificuldade financeira, pode ter medo ou insegurança de que algo venha a faltar para o filho, assim, o feto, vivencia junto com a mãe esta ansiedade. Ansiedade em saber se haverá recursos suficientes para garantir sua sobrevivência no mundo ao qual está para chegar.

Particularmente falando, com a experiência de formação e de consultório, percebo que o sexo com o qual a pessoa nasceu, acaba sendo um fator de grande influência, isso se dá quando o bebê é esperado do sexo oposto, ou seja, os pais desejam um menino e nasce menina ou vice-versa. Neste caso, tanto insegurança quanto ansiedade se instalam no subconsciente deste ser, pois se sente inseguro quanto a ser aceito sendo do sexo oposto ao esperado e fica na ansiedade de nascer para ter certeza de que será querido pela família.

Quando fiz o curso de Doula, pude ter mais certeza da influência que esta questão exerce na formação da personalidade do indivíduo, porém pude perceber que isso pode inclusive influenciar no processo de nascimento, sabendo que o momento do parto é decidido pelo bebê, o mesmo pode tanto antecipar, na ansiedade de saber se será aceito, como prolongar, por medo de ser abandonado, já que seu sentimento é de que irá decepcionar os pais.

Como o bebê, um com a sua mãe no ventre materno, ainda não tem desenvolvida sua função consciente, ou seja, capacidade de decidir, racionalizar, pensar, calcular, prestar atenção, pois somente seu subconsciente está em atividade, registrando, gravando, generalizando e padronizando tudo o que a mãe está vivendo, sentindo e pensando, acaba recebendo tudo como verdade e assim vai sendo formada a personalidade deste projeto de ser humano que está para chegar.

Nascimento é a primeira vitória da vida de uma pessoa, o dia mais importante de sua vida, e assim, sempre que está diante de algo novo, importante ou desafiador (tão desafiador e importante quanto nascer – que também representa direcionar-se para o novo), acaba revivendo a mesma ansiedade.

A boa notícia é que hoje dispomos de muitas técnicas para reprogramação do subconsciente. 

ansiedade

Caso isso seja identificado logo após o nascimento, ou seja, os pais identificam que a mãe vivenciou ansiedade, pode-se trabalhar a causa já no processo educativo da criança.

Pode-se conversar com a criança durante o sono, colocar músicas relaxantes, estimular um ambiente calmo e sadio emocionalmente e então a harmonia vai fazendo parte de seu desenvolvimento.

Mas a maioria das pessoas que buscam ajuda por motivo de ansiedade, são adultos que sofrem com as consequências, e o maior deles, é que os seus sintomas roubam a atenção da pessoa tirando-a do momento presente, fazendo com que a mesma esteja mentalmente à frente dos acontecimentos e muitas vezes tirando conclusões precipitadas.

No processo terapêutico pode-se aprofundar nas causas e consequências pelo processo de regressão e hipnose.

De um modo geral, assim como sugerido que os pais façam ao bebê, a pessoa pode por sua própria conta criar as ferramentas necessárias para o seu próprio equilíbrio. Pode-se também trazer como aliado os métodos holísticos e naturais, como florais, óleos essenciais, yoga, massagem, meditação, etc.

Manter a mente positiva e focada nas condições reais e atuais também faz com que tenha uma noção maior daquilo que realmente está acontecendo. Estando atenta ao momento presente, pode então optar por pensamentos e palavras positivas e uma postura mental mais equilibrada e de acordo com a realidade.

Optar por harmonizar a própria vida, pode ser uma das maiores e mais importantes decisões da vida de um ser humano. Permite sair da postura vulnerável do bebê e tomar as rédeas de sua própria existência.

Sobre o autor

Carla Bettin

Carla Bettin

Formada em Administração e mais recentemente em Parapsicologia Clínica pela linha científica do Sistema Grisa. Atuação de trabalho com técnicas como: Reprogramação mental, análise da Tabela Familiar (Genetograma), Regressão, Hipnose, Orientação Parapsicológica individual, em grupo, familiar ou empresarial.

Carla Bettin - Parapsicóloga Clínica
Blog Carla Bettin
E-mail: [email protected]