Saúde Integral

Lavanda para insônia

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Dormir bem traz inúmeros benefícios. Entretanto, nem todos conseguem. A rotina cada vez mais atribulada faz muita gente brigar com o travesseiro. A insônia, o mais frequente distúrbio do sono, caracteriza-se pela ausência de sono, mas, também pela interrupção do sono.

A insônia é mais frequente na fase adulta. Segundo o Instituto do Sono, 63% da população possue queixas em relação ao sono. Dados do instituto comprovam que moradores dos centros urbanos sofrem mais com a insônia.  De acordo com Instituto do Sono, 25% dos paulistanos apresentam dificuldades para dormir, 27% acordam no meio da noite e 36% têm dificuldades para manter o sono.

As mulheres são mais propensas ao distúrbio. O neurologista Fernando Morgadinho ressalta que as alterações hormonais ocorridas na Tensão Pré Menstrual, na gravidez, no pós-parto e na menopausa explicam essa incidência, mas, não são fatores isolados. A dupla jornada trabalho/casa, preocupação com os filhos e o uso indiscriminado de remédios também estão relacionados. O cérebro da mulher que sofre com insônia fica em alerta por mais tempo, fazendo-a despertar por ruídos mínimos.

E a insônia não quer poupar ninguém. Por mais saudável que a pessoa seja, em alguma fase da vida, enfrentará dificuldades para dormir, ou, perderão o sono após duas ou três anos. O médico Mauricio Bagnato, ex-presidente da Sociedade Paulista de Medicina do Sono aponta que entre 30% a 40% das pessoas um dia sofrerão de insônia.

Causas e duração

A insônia pode ser classificada como primária ou secundária. Primária quando é a doença principal e secundária quando for sintoma de outra doença ou efeito colateral de algum remédio. A duração varia, o distúrbio pode ser:

  • Transiente (ou de curta duração): Duram de poucos dias até três semanas. Provocada pelo estresse advindo de problemas de saúde, problemas familiares, desemprego e problemas nos relacionamentos amorosos.
  • Intermitente: Limitada a determinadas fases da vida.
  • Crônica (ou de longa duração): Duram mais de três semanas. Relacionada ao estresse prolongado, maus hábitos de sono, abuso de cafeína e drogas e depressão.

Confira quais os elementos que mais atrapalham o sono:

shutterstock_242461018Estresse e ansiedade

Desemprego, dificuldades financeiras e problemas de saúde mantém a mente ativa durante a noite. Não raro, quem sofre de insônia apresenta pelo menos um desses problemas. Quem tem insônia fica tenso a medida que anoitece. Essa ansiedade intensifica a dificuldade.

Idade

A melatonina é um hormônio produzido pelo cérebro e nos ajuda a pegar no sono. Sua produção diminui conforme vamos envelhecendo. Por isso a insônia é mais comum nos adultos.

Iluminação

Usar no celular, computador ou tablet deitado na cama. Locais muito iluminados. Dormir e acordar em horários diferentes todos os dias. A iluminação diminui os níveis de  melatonina. Portanto, nada de conferir mensagens ou assistir televisão até tarde.

Comer muito tarde

Refeições ricas em gorduras deixam a pessoa mais pesada. Azia e refluxo provocados pela alimentação inadequada prejudicam o sono. Faça um lanche leve antes de dormir.

Café, cigarro e álcool

A cafeína não provoca insônia. A substância presente no café, chá preto e refrigerantes à base de cola não devem ser ingeridos até seis horas antes de dormir. Ou seja, se você costuma ir para a cama às 10 da noite, o horário limite para consumir cafeína é 4 da tarde.A nicotina presente nos cigarros também é estimulante. O álcool atrapalha os estágios mais profundos do sono e faz a pessoa acordar no meio da noite.

Medicações

Antidepressivos, antialérgicos, medicamentos que contenham cafeína e remédios para controlar a pressão arterial prejudicam a qualidade do sono.

Doenças

Dores crônicas, distúrbios metabólicos hormonais como a tireoide, insuficiência cardíaca, doença pulmonar, AVC, Mal de Parkinson e Mal de Alzheimer podem desencadear quadros de insônia.

Sintomas
  • Irritabilidade
  • Dificuldade de concentração
  • Dores de cabeça
  • Problemas gastrointestinais

Diagnóstico

Clínico geral, neurologista e psiquiatra estão aptos a diagnosticar a insônia. O paciente será questionado sobre seus hábitos noturnos, se passou ou está passando por momentos de estresse, se toma algum medicamento, se faz uso indiscriminado de cafeína, cigarro e álcool, entre outras perguntas.

Serão realizados. Testes para monitorar os movimentos dos olhos, respiração, batimentos cardíacos e ondas cerebrais. Exame de sangue, a fim de verificar a existência de problemas na tireoide, ou de qualquer outra patologia também pode ser solicitado.

Tratamento

Os remédios prescritos são chamados de hipnóticos, tranquilizantes ou indutores do sono. O suplemento de melatonina também costumam ser indicados, para repor esse hormônio. As medicações trazem sensação de tranquilidade, consequentemente, fazem dormir mais rápido. Porém, o sono pode estender-se para o dia e deixar a pessoa menos atenta.

Alguns médicos pensam mil vezes antes de receitar um remédio. O doutor Drauzio Varella é um deles. Para justificar sua relutância, o médico usa a experiência de um engenheiro alemão. Certa vez, ele teve que viajar para um país distante, pois, a empresa onde trabalhava ia construir uma gigantesca barragem. A troca de e-mails, intermináveis conversas telefônica, incontáveis videoconferências e o pensamento invadido pelos cálculos e os problemas na construção fizeram o engenheiro acordar três horas mais tarde que o habitual.

O engenheiro decidiu tomar um tranquilizante. Foi para a cama, conversou um pouco com a esposa e apagou. Ele acordou às sete da manhã e não se lembrava da noite anterior. O engenheiro conversou com seu médico, que explicou que aconteceu uma amnésia transitória, um  acontecimento raro, sem  consequências graves.

Tratamento com lavanda

shutterstock_296586302O tratamento da insônia pode ser feito com produtos naturais. Os óleos essenciais, compostos aromáticos extraídos de plantas aromáticas são muito usados na aromaterapia. O óleo essencial de lavanda, um dos poucos que podem ser usados diretamente na pele é o queridinho. A planta promove o sentimento de confiança no próximo, de acordo com o periódico científico Frontiers in Psychology e ainda alivia a insônia, dor de cabeça e ajuda no tratamento da depressão.

A aromaterapia com lavanda melhorou a qualidade do sono das mulheres de meia idade. O estudo “O Efeito da Aromaterapia com Lavanda no Sistema Nervoso Autônomo de Mulheres de Meia Idade com Insônia”, recrutou 67 mulheres com idades entre 45 e 55 anos, a partir de um programa de cuidados de saúde sobre higiene do sono. As pesquisadas estavam dentro dos critérios de insônia do Índice de Qualidade de Sono de Pittsburgh.

As mulheres foram que foram submetidas ao tratamento aromaterápico, receberam vinte  inalações de lavanda, duas vezes por semana durante três meses. Elas não consumiram cafeína e álcool três horas antes da sessão. Antes da inalação, elas relaxavam em uma cadeira confortável. Foram usados 0,25 milímetros de óleo essencial de lavanda e 50 mililitros de água em um difusor de aromaterapia ultrasônico ionizador, mantido de 10 a 15 centímetros de distância das pacientes.Os resultados desse estudo apontam redução na frequência cardíaca média, além de melhorias na qualidade do sono.

Benefícios da lavanda

A lavanda é uma planta da região mediterrânea. É usada na indústria da perfumaria, medicamentos e alimentos. As flores são lilás e as folhas cobertas com um revestimento de prata. É fácil de cultivar, tanto que você pode plantar em vasos de barro ou cimento, ou então,  no jardim. A planta precisa receber de três a quatro horas de sol diariamente. Não coloque pedras ao redor dela, pois, o calor pode queimá-la. Use argila ou cascas de pinos. A poda é feita no outono. Deve ser feita três dedos acima da bifurcação de cada talo. Para retirar do vaso, basta apertar onde ela está e colocar em outro vaso, já preparado para o plantio, com a terra do vaso anterior, misturando com a nova terra.

Pode ser usada para combater a insônia, nos tratamentos dos problemas digestivos, dor de cabeça,  hipertensão, desinfecção de feridas, massagens no alívio de problemas reumáticos e para remover a oleosidade facial.

Lavanda, lavanda, lavanda

shutterstock_283533926

A lavanda pode ser usada em vários momentos, durante o banho, antes de dormir, como escalda pés. Veja como extrair o melhor da planta e criar um ambiente acolhedor.

Aromatizar a casa

Pendure na porta principal um ramo de lavanda desidratada. Na sala, deixe na mesa de centro ou no aparador três vasos pequenos com lavanda.

Amarre três ou cinco ramos de lavanda desidratada com uma corda bem fina. Use barbante para pendurá-los no teto do banheiro. Dica: pendure em alturas diferentes, no canto, ao lado ou de frente para o espelho.

Costure saquinhos de tule lilás e coloque lavanda desidratada. Feche-os e deixe dentro das gavetas e dos guarda-roupas.

Insenso de lavanda deixa a casa super cheirosa e afasta o clima pesado. Deixe queimar por 45 minutos e veja como o ambiente ficou mais leve. Se não quiser usar o incenso, faça um aromatizador de ambientes. Coloque em um borrifador 20 gotas do óleo essencial e 150 ml de água. Agite a embalagem antes de borrifar o suave cheiro de lavanda pelo ambiente.

Para levar na bolsa

Procure nas casas de artigos para aromaterapia uma versão do óleo essencial de lavanda para levar na bolsa. Quando estiver com dor de cabeça, esfregue o óleo no pulso.

No banho

Encha a banheira com água a 37º. Coloque os sais de banho. Vinte minutos são suficientes para sentir os benefícios da lavanda. Os sais de banho também podem ser usados no chuveiro. Coloque dentro de uma esponja de banho. Molhe a esponja e faça movimentos leves. Tomar banho com lavanda alivia o cansaço e as dores.

Chá

As propriedades calmantes da lavanda fazem maravilhas. O chá tradicional é feito com 4 colheres de chá de lavanda fresca (se for seca, 1 colher de sopa). Se quiser variar, acrescente camomila. Coloque em um recipiente 1 colher de chá de lavanda, 1 colher de chá de camomila e 230 ml de água quente. Pode tomar quente ou morno, de preferência sem açúcar.Uma xícara antes de dormir é sinônimo de noite tranquila.

Antes de dormir

Pingue 5 gotas do óleo essencial de lavanda em um aromatizador ou pote com água bem quente. Feche a porta do quarto por alguns minutos para o aroma se espalhar. Coloque algumas gotas no travesseiro ou nos lençóis.

Você também pode usar o óleo essencial de lavanda no escalda pés. Em uma bacia com água quente, misture 10 ml de óleo essencial e uma colher de sal grosso. Deixe os pés por 15 minutos. Fazendo esse escalda pés uma vez por dia, suas pernas e pés não ficarão cansados ou inchados.

Viu só como a lavanda é um excelente aliado? Super fácil de cultivar em casa. Tendo essa horta você pode incorporar a sua rotina o hábito de tomar o chá todos as noites. Porém, sozinha a planta não faz milagres. Você precisa mudar alguns hábitos. Confira nossas dicas:

  • A temperatura ideal varia entre 18º e 19º;
  • Paredes, lençois, objetos do quarto devem ser de cores claras;
  • Use a cama somente para dormir e fazer sexo;
  • Não pratique atividade física durante à noite, prefira exercícios de relaxamento;
  • Tome um banho quente;
  • Faça refeições leves;
  • Remédios para dormir, apenas com prescrição médica.

Dormir bem é essencial para o bem-estar. Pesquisas revelam que o sono nos mamíferos é crucial para combater as infecções, para que o cérebro processe informações, armazene memórias e trace estratégias para a sobrevivência. Pessoas que não dormem o suficiente não têm energia, ficam irritadas, deprimidas, envelhecem rapidamente e como não conseguem se concentrar, correm mais riscos de sofrerem acidentes automobilísticos.

A privação de sono aumenta a incidência de hipertensão arterial, doenças cardiovasculares e obesidade. Para se ter uma ideia, a insônia inibe a produção de insulina (hormônio que retira o açúcar do sangue) pelo pâncreas, além de aumentar o nível de cortisol (hormônio do estresse). Em um estudo realizado pela Universidade de Stanford, nos Estados Unidos ficou comprovado que dormir menos de quatro horas por noite durante uma semana, aumenta a intolerância à glicose (estado pré diabético).

Não há consenso sobre o número de horas, entretanto, dormir menos de cinco horas não é suficiente para repor as energias perdidas ao longo do dia. Entretanto, a média da população adulta precisa de 7 a 9 horas de sono.

Quem dorme bem vive mais e melhor. E as plantas podem ajudar. A lavanda é bonita, perfumada e tem propriedades calmantes. Siga nossas dicas e tenha bons sonhos.


  • Texto escrito por Sumaia Santana da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]