Autoconhecimento Psicanálise

O bebê e o adulto em estado de desamparo

Jaqueline Souza Alves
Que recursos um bebê de 18 meses tem para compreender a dor e o sofrimento?

Ainda sem buscar o entendimento através de uma resposta técnica, o que nota-se é que o bebê sente dor, a dor física e orgânica provocada pela fome e que sugere ao bebê a falta de cuidado ou de amor. Ao mesmo tempo em que o desconforto orgânico da fome tem-se a dor psíquica, que significa o sofrimento, e com o sofrimento o reforço da possibilidade da morte.

A dor física provocada pela fome e o sofrimento psíquico provocado pela sensação de ausência de cuidados e amor, gera o medo da morte, do aniquilamento iminente desse indivíduo, ainda que o bebê seja inocente. O medo. O medo de não vingar, de ficar pelo caminho, o direito à vida que lhe é negado, a rejeição, o impedimento, a interdição inquestionável. Não bastasse a dor física da fome e o medo iminente da morte, que tomam todos poros sensoriais do bebê, percebe-se no mesmo ambiente do bebê: os 5 irmãos.

Esses, observam com o mesmo medo, o bebê chorando no berço. Ele percebe além dos irmãos, o pai fora do seu estado de consciência, situação produzida pelo uso de álcool e, por fim, percebe a mãe, muito triste e chorosa com a realidade da família, recém despejada e sem energia para buscar recursos materiais. A sensação de desamparo do bebê, física e psíquica, gerada a partir da falta de provisão básica de alimentação, funde-se agora à situação familiar e o bebê, notando o estado de sofrimento externo, julga como sua a responsabilidade por tanta dor e sofrimento produzido a todos da sua família.

Temos o que caracteriza o chamado Trauma de Berço. Mesmo assim, muitas famílias rompem com o sofrimento, as circunstâncias mudam, a energia é retomada e vence o amor e o trabalho. A família prospera e as crianças crescem. Mas as marcas do momento psíquico de sofrimento ficam registrado no inconsciente. De qualquer forma, tudo parece superado e permanecem apenas algumas lembranças dos adultos que são eternizadas em histórias de superação a serem contadas às crianças. Superação de um tempo de sofrimento que é compensado por felizes memórias dos dias atuais e tudo parece resolvido.

Porém, aquele conteúdo que gerou sofrimento no passado, ainda permanece ativo inconscientemente e influencia toda a vida atual do indivíduo adulto, podendo gerar consequências conflitiva nas suas escolhas, decisões, comportamentos e relacionamentos. Essas memórias emocionais do passado estão intactas no inconsciente, provocam o surgimento de várias defesas que se manifestam sutilmente no seu comportamento, em vários núcleos da sua vida, fazendo-o perder equilíbrio e com o tempo a saúde, devido ao uso de grande energia para manter aquele conteúdo emocional conflitivo fora do campo consciente.

Nota-se um comportamento centralizador, indivíduos “workaholic”, alta exigência de si e dos outros em níveis inalcançáveis, altos níveis de estresse, geração de outros aspectos e conflitos na vida de relações, como o aumento de expectativas e respectiva frustração, mágoas, culpas (RAMEN = Registro Automático de Memória Emocional Negativa), que podem trazer consequências e sofrimento para si e/ou para os outros.

Trazendo agora a compreensão de uma abordagem técnica, muitos autores atribuem à manifestação do Transtorno de Pânico ou Síndrome do Pânico em indivíduos com essa predisposição, o conjunto somatório: RAMEN, sexualidade desajustada e o Trauma de Berço. A análise e compreensão da situação passada vivida em sofrimento, o amor e o perdão, aceitação da nova realidade e adoção de uma nova forma de pensar e agir, mais conscientes, podem levá-lo ao autoconhecimento e à descoberta da sua verdade. Nesse contexto, um importante mestre ensinou: “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”.

Sobre o autor

Jaqueline Souza Alves

Jaqueline Souza Alves

Psicanalista Clínica, atua na análise e orientação de adolescentes, adultos e
família com uso de processo de Individuação (Jung) e Métodos de Acesso Direto ao Inconsciente.

Atuou por 15 anos em Multinacionais Americanas nas áreas de Manutenção, Saúde, Meio Ambiente e de Segurança do Trabalho, contribuindo como líder na formação de equipes de alto desempenho nas cidades de Campinas, Mogi Mirim, Valinhos, Guarulhos, São Jose dos Campos e Guaratinguetá - SP e Caxias do Sul – RS com foco na mudança de comportamento para construção da cultura organizacional sustentável.

Participou de programas corporativos de formação de liderança com foco em gestão de mudanças e comportamento: Influencer & Leading Change – Cleveland/EUA

- Future Leaders - San Juan/Porto Rico & Pittsburg/EUA • Green
Belt Training – Cleveland/EUA, além de conferencias e auditorias corporativas:
Lead Assessment - Kings Mountain/EUA • Wordwild Conference - Chicago /EUA
- Annual Summer Meeting - Nashiville/EUA • Lead Assessment – San Juan/Costa
Rica.
- Contribuiu com as comunidades chave por onde passou, desenvolvendo projetos de educação ambiental e inclusão.
- A formação na área de Bioquímica e Engenharia Sanitária pela PUC-Campinas e UNICAMP, somados a experiência profissional, agregam importante valor na atuação clínica, permitindo o uso de ferramentas e métodos adaptados ao perfil e a necessidade do indivíduo.

Contatos:
Site: psiquelab.com.br
Facebook: facebook.com/psiquelabecoaching/
E-mail: [email protected]
Telefone: 11 9.8218-8804

Especialidades:
Gestão pessoal de conflitos, life coaching, desenvolvimento e sexualidade,
individuação, hipnose.