Alimentação consciente Nutrição Saúde Integral

O que são Fodmaps?

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
No dia a dia o mais comum é dividir os alimentos entre proteínas e carboidratos, principalmente durante uma reeducação alimentar ou numa dieta bem balanceada.

No entanto, existem outras classes de alimentos entre estas duas. Umas delas é a dos Fodmaps (em inglês: fermentable oligosaccharides, disaccharides, monosaccharides and polyols ou em português: oligossacarídeos, dissacáridos, monossacáridos e polióis fermentáveis), que tem um nome estranho, passível de se confundir até com questões geográficas, mas que na verdade são carboidratos presentes em alimentos muito comuns na rotina alimentar de qualquer pessoa, por exemplo a cebola, o alho, a maçã, entre outros.

Estes alimentos são considerados fermentáveis e não são absorvidos corretamente pelo organismo humano, causando desconforto intestinal. Ou seja, eles possuem uma característica em comum: nem todas as pessoas têm facilidade em digeri-los.

Assim, quando chegam ao intestino, provocam inflamações na mucosa, gerando gases em excesso, cólica, inchaço e até diarreia. Sintomas muito parecidos com a Síndrome do Intestino Irritável (SII), gerando confusões de diagnóstico. Além disso são osmóticos, ou seja, levam água para dentro do trato gastrointestinal, favorecendo a fermentação.

Quando consumidos por um longo período a situação pode até piorar, gerando um aumento na sensibilidade alimentar e dificultando a ingestão de nutrientes. Muitos profissionais de nutrição sugerem que pessoas que sofram com os Fodmaps suspendam sua ingestão de 30 a 90 dias. Neste período, entram na dieta apenas itens que tenham baixo carboidrato deste tipo, como pepino, banana, uva, leite de coco, entre outros — gorduras saudáveis e proteínas.

Depois deste período de pausa, aconselha-se que os Fodmaps sejam introduzidos gradualmente na dieta diária, observando-se sempre se há alguma intolerância, mas geralmente todos os alimentos voltam a fazer parte da rotina alimentar.

Esta pausa do consumo e depois o retorno a ele é uma das maneiras mais aconselhadas para identificar corretamente a intolerância aos Fodmaps.

Os Fodmaps no dia a dia:

– Frutose: frutas, mel, xarope de milho de alta frutose.

– Lactose: laticínios.

– Frutanos: trigo, alho, cebola, inulina, etc.

– Galactanos: leguminosas como feijão, lentilha, soja, etc.

– Polióis: adoçantes contendo isomaltol, manitol, sorbitol, xilitol e frutas de caroço, como abacate, damascos, cerejas, nectarinas, pêssegos e ameixas.

Segundo a Sociedade Brasileira de Nutrição Parental e Erental, podemos dividir os alimentos em ricos ou pobres dentro da classificação de Fodmaps. Veja na lista abaixo essa divisão com adaptações para a população brasileira:

► Frutas ricas em FODMAP
  • Maçã, pera, pêssego, manga, melancia, nectarina, cereja, abacate.

  • Sucos naturais, frutas secas, mel, frutose, xarope de milho.

► Frutas pobres em FODMAP
  • Banana, amora, carambola, uva, abacaxi, melão, kiwi, limão, lima, laranja, tangerina, morango, maracujá.
► Laticínios ricos em FODMAP
  • Leite de vaca, cabra ou ovelha, sorvete, iogurte (mesmo desnatado), queijo fresco e cremoso (ricota, cottage, cream cheese).
► Laticínios pobres em FODMAP
  • Leite sem lactose, iogurte sem lactose, leite de soja, leite de arroz ou amêndoa, manteiga e queijos curados como cheddar, parmesão, brie ou camembert.
► Hortaliças e Leguminosas ricas em FODMAP
  • Alcachofra, aspargo, beterraba, brócolis, couve, alho, alho-poró, quiabo, cebola, couve-flor, ervilha, grão de bico, feijão, lentilha.
► Hortaliças e leguminosas pobres em FODMAP
  • Broto de bambu, cenoura, aipo, milho, berinjela, alface, cebolinha, pepino, abóbora, abobrinha, alface, tomate, espinafre, batata, batata doce.
► Cereais e massas ricos em FODMAP
  • Pães, bolos, biscoitos ou cereais contendo trigo e centeio e cereais com xarope de milho.
► Cereais e massas pobres em FODMAP
  • Farinhas, pães, macarrão e biscoitos sem glúten; produtos com farinha de milho ou mandioca; quinoa, arroz, tapioca, macarrão de arroz.

A dieta pobre em Fodmaps é muito indicada para pacientes que sofrem com a Síndrome do Intestino Irritável (SII), mas o ideal é sempre seguir as orientações do seu médico nutricionista.

No entanto, não coloque os Fodmaps na lista dos alimentos inimigos! Mesmo tendo efeitos indesejados, são ricos em nutrientes e não devem ser excluídos totalmente da rotina alimentar sem a indicação de um profissional.


Escrito por Gabrielle Carreira da equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]