Energia em Equilíbrio Meditação

9 dicas de meditação de Paramahansa Yogananda

Escrito por Eu Sem Fronteiras

Ospraticantes de meditação consideram a prática como uma viagem, uma exploração de seu interior e de todas as artimanhas de sua mente. Ao contrário do que muitos pensam, meditar não é livrar a mente de todos os pensamentos e ficar desconcentrado, mas sim concentrar-se em certos pontos dentro de si, descobrir o funcionamento de sua mente e dentro dela, novas sensações.

O efeito da meditação consiste em paz de espírito, pela calma gerada ao entrar em si e por lá ficar. A harmonia floresce e o corpo livra-se de cobranças, estresses e motivos de ansiedade.

A meditação

A prática não tem origem definida, faz parte de diversas religiões e principalmente de rituais do oriente. Na Índia foi difundida, principalmente, pelas correntes budistas e bramanistas.

Meditar também está presente em outras religiões e até mesmo na prática de certos esportes orientais.
Seus efeitos são considerados benéficos para todo fim em que se deseja conhecer melhor o corpo e controlar melhor suas sensações. Todos aqueles que praticam meditação relatam-se mais concentrados, pacientes e conscientes de si e seu próprio comportamento e reação.

O objetivo final, não necessariamente visado nem alcançado por todos os praticantes, é o estado chamado Nirvana. Em tal nível, a meditação alcança seu ápice, descrito por buda (dentro da crença budista) como a libertação máxima, um estado de paz e pureza de transgride o âmbito físico.

As posições e maneiras de meditação são diversas, algumas correntes preservam o silêncio, outras utilizam mantras, outras ainda utilizam diversas posições e por aí vai. As variações são inúmeras sempre em prol da jornada interior.

Paramahansa Yoganda

Mas quem foi Paramahansa Yoganda? Ele foi um iogue indiano conhecido pela iluminação e missão espiritual recebida, tornando-o um guru do hindu.

yogananda_1 Sua história ficou conhecida principalmente depois da publicação de sua autobiografia: “Autobiografia de um Iogue”, que conta sua vida desde sua infância e o espanto com as missões religiosas que se explicitavam por meio de gurus religioso na Índia, até sua influência na disseminação da meditação e filosofia hindu no Ocidente.

Yoganda viajou aos Estados Unidos em 1920 e fundou a “Self-Realization Fellowship” (Associação da Autorrealização)- responsável pela publicação se sua autobiografia-  pela qual iniciou sua missão de difundir e ensinar ao Ocidente as práticas e ensinamentos de yoga.

Suas lições passadas por meio de palestras, instituições e “tarefas” para meditação, trouxeram tais preceitos para um novo mundo e hoje, estes têm grande espaço e cada vez mais adeptos no mundo moderno.

Dicas de meditação Paramahansa

Uma das maiores dificuldades da meditação, principalmente no Ocidente, está no contraste de seus efeitos com a vida real. Ou seja, o estado que tanto se busca por meio dela se perde facilmente em todas as dificuldades do dia a dia.

O objetivo maior é se fortalecer para conseguir, com prática e paciência, passar os ensinamentos e efeitos da yoga e meditação para a rotina e vida corrida, cheia de obstáculos e empecilhos para a prática da paz, paciência e consciência.

De acordo com a meditação de Paramahansa Yoganda, algumas dicas são importantes para a efetivação e adequação da prática ao dia a dia:

1. Não desistir

Quando as pessoas iniciam na meditação, um desânimo imediato costuma vir devido à dificuldade em concentrar-se e ficar inquieto ao invés de se permitir passar um tempo “sem fazer nada”.

Isso é normal e acontece por conta de estarmos acostumados a sempre correr e pensar em mil coisas ao mesmo tempo.

A calma e paciência para conseguir na meditação é essencial principalmente no começo, já que, aos poucos, a prática lhe trará mais calma e lhe permitirá concentrar-se em si mesmo, não de imediato.

2. Duração da meditação

Não é necessário que as meditações sejam longas. De nada adiantará ficar forçando meditar quando sua cabeça não está inteiramente dentro da atividade. É preferível que os períodos de meditação sejam mais curtos desde que ela seja mais intensa, ou seja, é melhor trabalhar o propósito principal de autoconcentração por menos tempo do que não completar o objetivo da prática.

Aos poucos suas meditações serão naturalmente mais longas, isso faz parte de um treino e de autoevolução.

3. Acredite no poder da meditação

Um dos primeiros passos para meditar de forma efetiva é acreditar em seu poder. Não adianta iniciar como um “teste” desafiando seus efeitos. Não torne a meditação uma dificuldade, apenas deixe fluir e tenha fé na proximidade e presença da felicidade, libertação e calma. Elas estão logo ali, dentro de você. 

4. Nem 8, nem 80

Assim como é necessário acreditar no poder da prática, também é necessário não exagerar no empenho. Ou seja, aquele que dedica-se demais a meditar cada vez por mais tempo ou de forma mais intensa, porém em exagero, faz da meditação algo forçado e não conseguirá se livrar de amarras deixando o ato de meditar fora de seu estado natural.

Novamente, apenas deixe fluir. Dentro de seu tempo e de sua evolução particular.

5. Sair da consciência “comum”

Quando de fala em ter consciência de si a partir da meditação, significa alcançar um estado de supraconsciência. Ou seja, seus pensamentos não estão mais no corpo físico, mas sim além dele, no corpo astral.

É necessário que, aos poucos, você consiga livrar sua mente do procedimento de pensamento comum e passe a interpretar as informações de seu cérebro de outro jeito, conhecendo-as mais profundamente a partir do estado de calma que seu corpo e mente se encontrarão durante o ato de meditar.

6. Seu corpo e alma agradecem

Entenda que meditar faz bem principalmente para a sua alma. No momento em que você medita, sua alma se conecta com seu espírito encontrando a razão de sua existência e manifestação.

Se sua mente criar bloqueios para esse contato, é hora de fazer os pensamentos transgredirem o plano da “vida real” para que o encontro entre alma e espírito seja facilitado e guiado por ti.

7. Valorize as sensações

Após entrar no estado de supraconsciência você será capaz de sentir coisas diferentes. Aproveite este momento, mesmo após o fim da prática, para ver outro significado nas coisas comuns. Torne as coisas simples e objetos de manifestação divina e valorize a cor de cada folha da árvore, o poder de cada raio de sol que toca sua pele.

8. Fugir do sono

Devido à calma e silêncio que exige a meditação, algumas pessoas entram num quadro de sonolência. Paramahansa indica que aperte bem os olhos durante algumas vezes e olhe fixo antes de meditar, assim evitará sentir sono.

9. Doses diárias

Como qualquer outra atividade, a meditação exige prática. A evolução só virá a partir do treino. Para isso, pratique todos os dias pelo menos um pouco de meditação. Reserve um horário para isso e torne-a um hábito de sua rotina.

Aquele que praticar com devoção e dedicação terá os resultados visíveis e efetivos que ela pode proporcionar.


Texto escrito por Júlia Zayas da Equipe Eu Sem Fronteiras. 

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br