Blog do Editor

Conheci Amit Goswami!

Feriado de Páscoa de 2019, e lá estava eu, cara a cara com Amit Goswami, renomado phd em física nuclear, referência em mecânica quântica que participou do filme “Quem Somos Nós”, que eu assisti algumas vezes, autor de vários livros que eu tanto estudei nas mais diversas abordagens e técnicas de vários outros autores e terapeutas, em uma imersão incrível sobre espiritualidade e física quântica.

Amit é um homem simples, doce, com amor no olhar, que fala de perto, com doçura, alegria, entusiasmo e, ao mesmo tempo, tranquilidade.

Amit Goswami sorrindo em frente ao jardim de uma universidade, vestindo camisa e chapéu vinhos, além de um terno preto.

Que incrível foi estar ali, pertinho de uma figura tão importante desse mundo quântico, onde a ciência explica Deus e a criação da realidade falando de amor e meditação.

Puxa! Aquele homem encantador era o autor do primeiro livro de mecânica quântica que eu li, “O Universo Autoconsciente”, um livro que foi de leitura um tanto difícil para mim na época, tinha sido escrito por aquele homem amoroso, que estava lá, falando de amor e energias. Amei conhecê-lo.

Muitos temas foram abordados: Deus, morte, sentido da vida, inteligência, dualidade entre materialismo e espiritualidade e suas semelhanças na incapacidade de dar sentido satisfatório à vida.

Condicionamentos e crenças que não preenchem o vazio existencial de uma alma ignorada. Vazio que não se preenche nem parcelando em 12 vezes no cartão de crédito tudo aquilo que compramos sem parar.

Segundo Amit, somos nós quem escolhemos a nossa visão de mundo; aquilo que ressoa, ou não, conosco como forma de entender o mundo. Seres humanos funcionam pela razão, não pela lógica.

Precisamos aprender a responder a cada estímulo da forma apropriada com a expansão da consciência e não de forma automática seguindo todos os condicionamentos que a sociedade onde fomos criados nos impõe.

Quando estivermos infelizes, precisamos nos perguntar o que está acontecendo e não apenas nos enganar comprando, gastando e bebendo para preencher um vazio que não será preenchido com nada disso.

Enquanto estava falando em compras e outras adicções, incluindo o uso do celular, ele fez um comentário que tirou risos nervosos da plateia, de que mulheres adoram comprar sapatos quando estão aborrecidas porque a pressão nos pés deixa os órgãos sexuais excitados e a mulher se sente mais sexy, mais atraente e, assim, se sente bem a seu respeito!

A psicanálise tem uma versão um pouco diferente, mas uma identificação imediata aconteceu por lá.

Mulher escolhe entre um salto rosa claro e um vermelho na prateleira de uma loja de sapatos.

A conversa enveredou para o tema da manipulação, e, como na maioria das vezes, estamos inseridos num mundo determinista, onde acabamos não tendo escolhas, somos levados. Nesse ponto ele levantou o celular como veículo moderno para alienação, pelo excesso de informação e consideração que damos a opinião de pessoas famosas, populares e como somos guiados e manipulados por essas opiniões que, na verdade, podem não são ser importantes para nossa alma. Acabamos encontrando significado para nossa vida baseados nas opiniões dos outros. Triste, pois ficamos frustrados por não ser o que, na verdade, nunca seríamos mesmo.

Ele começou então a explicar que o Ativista Quântico é aquele que pratica o Ativismo Quântico e a questão principal dele é: qual o sentido da minha vida?

Putz, que pergunta mais comum a quem está no processo do Despertar… E qual é a resposta?

Ele discorreu sobre vivermos sob dois Sistemas de Crenças: Materialista x Espiritualista, e, em ambos, está tudo sempre determinado, obviamente que não por nós, que não temos nenhuma opção de escolha…

Na visão materialista, o mundo já é determinado pela ciência, Einstein, Darwin, e a elite comanda e faz cumprir. O que sentimos não tem importância nenhuma e, dessa forma, vivendo sob esse paradigma só nos resta, por nosso livre arbítrio, escolher nosso manipulador preferido, seja o Bem ou seja o Mal.

Homem caminha para a ponta de uma pedra, como se estivesse prestes a pular no abismo.

Na visão espiritualista/religiosa, está tudo igualmente determinado, porém aqui é Deus quem determina tudo, e todos esperam receber agrados Dele e aguardam o pós-morte para serem finalmente felizes.

Já pela visão Quântica de mundo, o grande mal é suprimir a liberdade de escolha de outra pessoa.

Aqui a regra é ouvir o nosso coração e agir conforme nossa própria intuição e insights.

No mundo do ativista quântico, o significado de nossa própria vida não vem dos condicionamentos; nele, nós mesmos o buscamos e ele é individual.

Isso significa fazer escolhas próprias e encontrar a nossa forma correta de viver. Isso é a felicidade.

Nesse mundo lindo, Felicidade vem da etapa seguinte ao Prazer, que é desejo do ego, sempre baseado nos condicionamentos sociais do que precisamos ser e ter.

Mulher sentada na praia observando o horizonte, com um copo de café na mão.

O ativista quântico tem escolhas e, apesar de viver no ego, que está pleno de condicionamentos e determinismos e nos faz reagir conforme o que nos foi ensinado, temos a liberdade de dizer não. Não sucumbimos aos desejos do ego.

Sabemos dizer não a ele.

Isso foi sensacional para mim! O caminho do meio é uma busca pessoal; e ouvir dele que vivemos, sim, no ego, que ele é útil e necessário para a existência, porém não somos obrigados a obedecê-lo, vai de encontro à filosofia do Yoga, que eu amo. Não precisamos matar o ego, mas sim conviver harmoniosamente com ele, sem lutas, brigas ou confusões, cientes de que ele é funcionário do Eu Superior; e, aliás, pode ser um funcionário maravilhoso porque é muito bem aparelhado. O ego precisa se expandir, porque é com ele que criamos, ele não é nosso inimigo.

O ego tem o poder de dizer não a cada emoção negativa, ao excesso de prazer, ao excesso de informação. Temos opção de são sermos servos do ego. Oba!

O condicionamento do ser humano no paradigma materialista substituiu o SER pelo TER, e favorece a cultura do centramento em MIM, que virou objeto para TER ao invés de SER, enquanto na visão quântica focamos no SER.

Homem medita de olhos fechados em meio a um gramado.

Precisamos expandir a consciência e, para isso, precisamos dizer não a certas tendências de dominação.

A única forma saudável de influenciar alguém deve ser pelo exemplo e jamais pela força ou poder, como tem sido feito há muito tempo.

Ele sugeriu algumas afirmações diárias para uma nova proposta de vida para quem sentir o chamado de sair do paradigma materialista e tornar-se um ativista quântico:

Da mesma forma, disse Gandhi: “Seja você a mudança que quer no mundo.“

Ghandi sorrindo, vestindo seus trajes característicos e um óculos redondo.

Essa é a proposta do Ativismo Quântico.

A resposta para a pergunta lá de cima de “qual o sentido da minha vida”, tem como resposta: aprender a sermos nós mesmos, livres dos condicionamentos, livres da escravidão de ceder aos desejos do ego e, assim, manifestar o Estado de Fluxo, onde a intenção tem poder e o inconsciente não condicionado cria a realidade, por isso a necessidade da expansão da consciência.

Seguindo o Fluxo da Vida, as coisas acontecem por si.

A cocriação acontece entre o ego e a Consciência Una.

O texto seria muito longo para contar tudo que foi vivido por lá.

Eu sei que existem cursos online que são ferramentas incríveis porque facilitam o acesso à informação, mas estar lá, naquela egrégora de afins, com ele, ali, no corpo físico, presencialmente, trabalhando energias, foi simplesmente sensacional! Uma experiência maravilhosa que, com certeza, pretendo repetir.

Eu já tinha minhas convicções, mas sai de lá ainda mais determinada a abrir mão dessa realidade que cobra culpa, dor e julgamento, e escolher a coragem de sair dos condicionamentos, fazendo valer minha consciência, que cria tudo de melhor para mim e para o Todo.

Pesquisei para trazer a dica de eventos presenciais de apenas um dia com ele que a Quantum Academy está promovendo.

Não, não é publicidade e não estou ganhando nada com isso, é apenas uma dica para quem sentir vontade de conhecer pessoalmente esse homem simples, de chapéu, que come na mesa com a gente, limpa a louça e passeia pelos jardins, mas é referência mundial nos estudos em conciliar ciência e consciência.

Nossa proposta aqui no site é partilhar conhecimentos e coisas boas.

Tour Amit Goswami

Namastê.


Você pode gostar de outros artigos dessa autora. Confira também: Sistema Límbico, Inteligência Emocional e Autoestima.

Sobre o autor

Monica Marchese Damini

Monica Marchese Damini

Psicanalista Clínica e Editora do Eu Sem Fronteiras

Em certa altura da vida, senti o chamado para descobrir o que havia além da rotina, da vida material, do físico. Foram muitos os caminhos trilhados, muito estudo, muitas vivências e descobertas, muitos desafios, vários mestres. Gratidão a cada um deles.

Autoconhecimento, espiritualidade, física quântica, o universo, yoga, budismo, doutrinas, meditação, retiros, silêncio, corpo, mente, alma, o Ser, o Amor Maior.

Ser livre do mundo externo, do sofrimento de Maya, a ilusão.

Torna-se co-criador da própria realidade.

Colocar em prática o Dharma, o dom e recursos recebidos em prol da sociedade, privilegiar o Todo, trabalhar, estudar, compartilhar, amar, evoluir, sem apego ou aversão.

Despertar para o Divino em cada um de nós. Aprender a enxergar o Ego e deixar que ele apenas trabalhe a favor dos propósitos do Todo, aprender a praticar o desapego e a aceitação… tem que buscar, tem que querer, e eu quero!

Assim como eu, muitos estão nessa jornada, e com este propósito de nos juntar, criamos o Eu Sem Fronteiras, projeto amoroso de compartilhamento e ponte entre quem quer dar e quem busca receber todo tipo de informação e conhecimento, livre de dogmas, julgamentos e crenças, para que cada leitor aproveite o que desejar em cada momento de sua vida.

Transformar conhecimento em sabedoria.

Trabalhoso, mas tem muita gente vibrando na mesma sintonia e disposta a compartilhar o que sabe, e nessa nova era onde o coletivo impera sobre o individual, conseguimos uma equipe linda de profissionais em sinergia com nosso projeto para juntar todo o bem e todo o bom aqui neste portal.

Aprender a perdoar, se perdoar, nos libertar de sentimentos negativos, mágoas, culpas e tudo que gera padrão negativo. Há muitas formas e ferramentas, mas precisa trabalho e enfrentamento.

Quanto maior a massa crítica vibrando positivamente no amor universal, mais rápida a transformação deste planeta.

Queremos participar!

Contato:
E-mail: [email protected]
Facebook: Monica Damini
Instagram: @monicadamini