Autoconhecimento

Os benefícios de ser Antifrágil e como desenvolvê-la

Planta nascendo de dentro do concreto
photochikottawa / Pixabay
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Você já ouviu falar sobre antifragilidade? O que pode ser o oposto de fragilidade? Muita gente diz que é resiliência, isto é, passar por problemas, mas se manter o mesmo após o fim dessas situações negativas. O escritor e investidor Nassim Taleb, no entanto, discorda disso, por isso criou o conceito de antifragilidade.

Neste artigo, descubra quem é Nassim Taleb, o que é a tal antifragilidade, quais são seus benefícios e como aplicá-la e desenvolvê-la em sua vida.

Quem é Nassim Taleb?

Nassim Nicholas Taleb, nascido em Amioun, no Líbano, em 1960, é um escritor, palestrante e matemático conhecido por ter uma fortuna estimada em 30 milhões de dólares e por ter desenvolvido algumas interessantes teorias da filosofia moderna, como a antifragilidade e a teoria do cisne negro.

Ele também é um megainvestidor do mercado financeiro dos Estados Unidos, onde reside atualmente, e é professor do Instituto Politécnico da Universidade de Nova Iorque, além de presidente da Empirica, uma empresa de investimentos.

Livro aberto
Caio / Pexels

Um homem culto, Taleb é fluente em inglês, francês e árabe, além de falar também italiano e espanhol. Ele também afirma ler textos clássicos em grego, latim e aramaico. A carreira pregressa de Taleb é quase toda em bancos e outras instituições financeiras, como CSFB, UBS, BNPParibas e Bankers Trust, onde ele ocupou cargos de direção e gerência.

A origem de sua fortuna é incerta e ele pouco fala sobre isso, mas se supõe que ele ganhou bastante dinheiro no crash de 1987 da bolsa de valores dos Estados Unidos, evento conhecido como Segunda-Feira Negra, além de ter ampliado sua fortuna em outras crises semelhantes posteriormente.

Em primeiro lugar, vamos entender o que é antifrágil.

Uma das teorias de Nassim Taleb é a antifragilidade, que ele apresenta em seu livro “Antifrágil: coisas que se beneficiam com o caos” (Objetiva, 2012).

Segundo o dicionário Oxford Languages, frágil é aquilo “que se despedaça ou quebra facilmente” ou “que se danifica ou enguiça com facilidade”. De acordo com Taleb, a antrifragilidade é o oposto da fragilidade, é um antônimo daquilo que se despedaça ou se quebra facilmente.

Recentemente, muito se tem usado a palavra “resiliente” para se referir a algo que passa por dificuldades, mas não se deixa abalar por elas, já que o termo vem da física e se refere a algum material que passa por algum impacto, mas retorna à sua forma original. Taleb, porém, diz que a antifragilidade está além da resiliência, porque, segundo ele, aquilo que é resiliente passa por um impacto, mas se mantém o mesmo; o que é antifrágil, no entanto, recebe um impacto, mas fica ainda melhor e/ou mais forte por causa disso.

Flor-amarela que nasceu em terras secas
Ulrike Leone / Pixabay

Uma coisa é essencial para o desenvolvimento e o aprimoramento da antifragilidade, de acordo com o criador do termo: aceitar e aproveitar as incertezas e os acontecimentos inesperados. Taleb afirma que a antifragilidade se torna cada vez mais forte na personalidade de uma pessoa que entende que as melhores decisões são tomadas quando se aceita que é impossível prever o próximo grande acontecimento, tanto em questão de vida pessoal quanto em relação ao mundo.

Ser antifrágil, portanto, é praticamente desejar a vinda de acontecimentos inesperados e adversos, porque é somente a partir deles que se aprende a prosperar e se desenvolvem algumas habilidades essenciais na busca pelo sucesso e pela felicidade, sejam eles quais forem.

Quais são os benefícios de ser antifrágil?

Aquele que inclui a antifragilidade em seu caminho passa a ver o surgimento de eventos adversos como uma maneira de se aperfeiçoar pessoal e profissionalmente. Isso não pressupõe que não haverá desgaste, cansaço, tristeza ou sentimentos ainda mais negativos, como raiva, mágoa e fúria, apenas que você sentirá isso, mas crescerá e sairá da situação que o fez sentir essas emoções ainda melhor do que já era.

Para desenvolver essa capacidade, porém, é impreterível que não se evite o caos e a aleatoriedade, porque são somente acontecimentos inesperados e adversos que podem desenvolver capacidades que você ainda não tem. Segundo Taleb, não devemos nos esquivar e nos proteger de ataques ou de mudanças bruscas e surpreendentes somente porque elas são o oposto de um caminho seguro, porque caminhos seguros não promovem aprimoramento. A chave, segundo o autor, não é evitar situações que jogam luz sobre suas vulnerabilidades; o ideal é o oposto: desafiar suas vulnerabilidades, com o objetivo de aperfeiçoá-las.

Taleb diz que se fala muito sobre o estresse pós-traumático, isto é, o conjunto de emoções e sentimentos negativos que são decorrentes de uma situação inesperada e/ou traumática, mas pouco se fala sobre o crescimento e a superação pós-traumática. E o trauma é quase sempre inesperado, vindo da aleatoriedade e do caos, então aquele que deseja melhorar e se aperfeiçoar precisa aceitar a desordem como ferramenta extremamente necessária para o seu processo de crescimento.

Viver é estar constantemente correndo riscos e aberto a vulnerabilidades. Aquele que está empregado pode estar desempregado amanhã. Quem começa um relacionamento sabe que ele pode acabar a qualquer momento, possivelmente nos deixando com o coração partido. As pessoas que amamos podem morrer a qualquer momento. Um investimento financeiro pode fracassar, mesmo tendo tudo para dar certo. Adotamos um animal sabendo que, alguns anos depois, ele partirá. Temos filhos e, futuramente, eles nos deixarão para trilhar seus próprios caminhos. Enfim, a vida é cheia de situações inesperadas que, ainda que saibamos que podem acontecer, nos assustam.

Ilustração de uma cabeça com foco na parte interna que possui flores e um curativo
Elf-Moondance / Pixabay

Aquele que “quebra” diante desses acontecimentos inesperados é frágil. Aquele que resiste a essas ocorrências e se fortalece com elas é antifrágil. Retomando os exemplos do parágrafo anterior: reinventar a carreira e encontrar novos rumos profissionais após uma demissão, deixar para trás as mágoas de um coração partido, aceitar e superar um momento de luto, planejar novos investimentos após um fracasso, receber um novo animalzinho após a partida do anterior, apoiar os caminhos dos filhos, ainda que isso signifique que eles estarão distantes: tudo isso engrandece sua capacidade de lidar com os próximos desafios, seja pessoal ou profissionalmente.

Num mercado competitivo e com muita gente buscando emprego e querendo provar o seu valor, como temos hoje, ser capaz de se reinventar e de crescer com as adversidades se torna um diferencial muito grande. Em nível pessoal, problemas como depressão, transtorno de ansiedade e síndrome do pânico, por exemplo, muitas vezes se originam da incapacidade de lidar, superar e crescer com as adversidades, então o desenvolvimento da antifragilidade também é muito importante nessa esfera.

Como desenvolver o conceito antifrágil?

Não há como desenvolver a antifragilidade sem passar por crises e eventos adversos. Isso significa que você deve desejar o acontecimento de situações ruins e desconfortáveis? Não, apenas que deve aceitar quando elas surgirem e lidar com elas da melhor maneira possível, com o objetivo de crescer com isso. Um exemplo dado pelo autor é o do setor da aviação civil, que melhora seus mecanismos de segurança cada vez que uma falha ocasiona um acidente, o que evita muitos acidentes futuros.

Em seu livro, o autor deixa algumas dicas para lidar com situações adversas. Confira algumas delas:

• Nunca adie os seus problemas. Encare-os de frente, ainda que sejam assustadores, e encontre maneiras de lidar com eles e de resolver o que pode ser resolvido o quanto antes.

• Estimule o hábito de dar e receber feedback para as pessoas. Ficou chateado com a sua namorada ou o seu namorado? Fale com ele(a). Quer saber se desempenhou bem uma tarefa no trabalho? Pergunte ao seu chefe.

• Não existe fórmula para lidar com uma crise e é possível que você cometa outros erros quando estiver lidando com ela, mas aceite isso como parte desse processo de aprendizado. Quanto mais erros, mais crescimento.

• Quando estiver diante de uma adversidade, pergunte a si mesmo: você já passou por uma situação parecida antes? Se sim, como lidou com ela? Se não, alguém que você conhece já passou por isso? Converse com essa pessoa. Hoje, a internet possibilita ler sobre experiências de outras pessoas, o que pode ajudar a lidar com uma situação adversa.

• Está tudo bem em todos os campos da sua vida? Aproveite, mas saiba que em breve algo desestabilizador pode acontecer, então esteja preparado.

A antifragilidade nada mais é do que crescer diante de acontecimentos inesperados, estressantes ou desconfortáveis. Quanto mais virmos o caos como uma oportunidade de crescimento e desenvolvimento de novas habilidades e capacidades, mais cresceremos e nos fortaleceremos como seres humanos.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br