Convivendo

Sonhos loucos durante a pandemia

O que são os sonhos?

Os sonhos são uma pequena janela para o seu inconsciente, os quais o ajudam a processar as coisas que lhe aconteceram tanto no passado quanto no presente. Entre as pistas mais comuns encontradas em sonhos, estão os medos, os traumas e os fatos que marcaram sua vida.

Jung, um dos maiores psicanalistas de todos os tempos, chama essa área, em que ficam escondidos os traumas e as memórias abandonadas, de sombra. Para Freud, é nos sonhos que ela se apresenta, como uma tentativa de deixar o Id (parte inconsciente) atingir o consciente, para o devido processamento.

Claro que, durante a pandemia de coronavírus, muitas pessoas estão passando por momentos de luto, seja pela perda de alguém, de algum trabalho ou até da sua liberdade. Consequentemente, as sombras começam a aparecer em seus sonhos, dando origem a sonhos loucos e aparentemente desconexos.

Entenda melhor a influência das sombras durante os sonhos na pandemia por meio de alguns estudos acerca do tema e o que isso pode representar em sua vida.

Por que estamos tendo sonhos loucos durante a pandemia?

Muitas pessoas estão tendo sonhos loucos durante a pandemia aparentemente sem sentido e até desconfortáveis. A quantidade de sonhos considerados reais também está aumentando. Por outro lado, a qualidade do sono diminui consideravelmente, mantendo o cansaço ao longo do dia.

Isso está acontecendo por causa de um efeito traumático coletivo que tem origem na pandemia. Diversos estudos observaram esse fenômeno durante a ascensão de Hitler ou depois do 11 de setembro, pois existe uma linha tênue entre o indivíduo e a sociedade, causando uma experiência social compartilhada.

Dessa forma, o cérebro procura formas de processar todo esse trauma atual, o processo de luto pelas diversas perdas no período e o medo da doença por meio dos sonhos. Claro que nem sempre as imagens do sonho farão sentido, afinal são os recortes do inconsciente e o processamento de emoções reprimidas.

Entenda melhor essa relação com alguns estudos que estão avaliando a atual situação, seja no Brasil ou no mundo.

Existem estudos sobre os sonhos durante a pandemia?

Existem diversos estudos realizados nessa pandemia para tentar explicar o fenômeno do sonhar em tempos de crise. Entre eles, estão pesquisadores brasileiros e muitos outros ao redor do mundo. O sonho, afinal, é uma poderosa janela para o que nos atinge como sociedade. Veja alguns dos principais estudos:

Homem usando máscaras sentados em bancos.
Dollar Gill / Pexels

● Pandemic Dreams (Sonhos da Pandemia): realizado pela Universidade de Harvard e liderado por Deirdre Barrett;

● Dreaming during Covid-19 pandemic: Computational assessment of dreams reveals mental suffering and fear of contagion (Sonhos durante a pandemia de Covid-19: a avaliação computacional dos sonhos revela sofrimento mental e medo de contágio): realizado pelo Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão em Neuromatemática da UFRN;

● Sonhos confinados: realizado em parceria pela UFMG, USP e UFRGS.

Quais são as referências para os estudos dos sonhos durante a pandemia?

A base teórica utilizada para fundamentar o estudo dos sonhos nesses artigos científicos é ampla e percorre um longo trajeto, desde eventos sociais de grande impacto psicológico até teorias de interpretação dos sonhos, como as de Jung e Freud.

Para a coleta de dados, a internet é a solução para essa fase de pandemia, sempre com critérios bem definidos. Normalmente, os dados são coletados por formulários, com envio de áudios dos participantes e análise do seu teor.

Depois de vistos individualmente, são processados como nuvens de palavras, para compreender quais são os termos e os sentimentos mais comuns a todas as pessoas. E é a partir daí que se consegue compreender melhor o coletivo e o que estamos sofrendo como sociedade.

Estamos sonhando mais durante a pandemia?

Um dos pontos mais interessantes retratados nos estudos sobre sonhos loucos durante a pandemia é o fato de que as pessoas têm sonhado mais. Até mesmo aquelas que não costumavam se lembrar dos sonhos, passaram a ter essa experiência ao acordar.

Homem branco olhando pro céu pela janela.
Dylan Ferreira / Unsplash

Além de mais frequentes, os sonhos têm se apresentado mais intensos, mais tangíveis. Cheiros, cores, sensações, sons… muito mais reais, eles estão consumindo mais energia do que antes. Como resultado, pessoas mais cansadas e estressadas para encarar uma rotina em meio a um ‘novo normal’.

Os sonhos refletem o momento pelo qual estamos passando?

As pesquisas realizadas e em andamento estão mostrando que sim, os sonhos são um reflexo desse momento atual. Um período traumático, repleto de medo, como o do desconhecido, o da doença, o da morte, o da perda e isso se reflete não apenas nas interações do dia a dia, mas também no sonhar coletivo, com sinais similares em todos os cantos do mundo.

Além disso, também estamos todos passando por diversos processos de luto, desde a perda da liberdade, dos laços sociais, do toque, do afeto tão inerente ao cerne humano. Nem é necessário mencionar o luto pelas milhares de mortes em todo o mundo, pessoas que perderam o trabalho ou a família.

Dessa forma, o sonhar – como ferramenta de processamento de medos, dores e traumas – reflete claramente o momento atual. Sendo mais reais, desconfortáveis ou verdadeiros escapes da realidade, eles apresentam elementos para ajudar a superar essa fase que a humanidade está compartilhando.

Quais os sentimentos comuns aos sonhos durante a pandemia?

Entre os sentimentos mais comuns apresentados pelos participantes das pesquisas, estão obviamente o medo da morte, da contaminação e da solidão. Ademais, aparecem fortes traços de revolta com o sistema, com a doença, consigo mesmo, com as pessoas em geral.

Outro sentimento comum é o de perda, seja de algo tangível – como as chaves, o carro no estacionamento, o celular etc. – ou de memória, controle e afins. Também é comum perceber o sentimento de perda de pessoas, como em um show ou em meio a uma confusão na rua.

Quais as palavras comuns aos sonhos durante a pandemia?

Como um fenômeno coletivo, ter sonhos loucos durante a pandemia provoca uma série de sentimentos comuns, independentemente da condição social ou do país onde a pessoa vive. E eles aparecem na narrativa do que foi sonhado com uma semântica muito similar.

Você também pode gostar

Ou seja, as palavras comuns estão presentes em sonhos de pessoas ao redor do mundo e as mais comuns são: medo, nojo, limpeza, contaminação, susto, horror e monstros. Também estão presentes as palavras sozinho, esquisito, vívido/real, pesadelo, perda, morte, raiva e tristeza.

Como são os sonhos de quem atua diretamente com a COVID-19?

Médicos, enfermeiros, agentes de descontaminação e muitos outros profissionais atuam na linha de frente contra o coronavírus em todo o mundo. Dessa forma, a dor, o sufocamento, a perda diária e a exaustão fazem parte da rotina deles. Consequentemente, seus sonhos vão refletir de forma muito mais intensa essa pandemia.

Além dos sonhos típicos do coletivo com todos os sentimentos e as palavras já mencionadas, quem atua diretamente com a COVID-19 tende a ter pesadelos terríveis. Isso é resultado do estresse pós-traumático, podendo ser representado pela escolha entre dar o respirador para um paciente e deixar outro morrer ou ver corpos alinhados no corredor do hospital.

Como são os sonhos de quem está em casa de quarentena?

Para quem está em casa cumprindo corretamente a quarentena e evitando sair sempre que possível, pode ser que também tenha pesadelos similares aos trabalhadores de frente, porém com menor intensidade.

Apesar disso, o processamento do trauma é evidente, mesmo que a pessoa não consiga se lembrar do sonho. Geralmente, acordam mais cansados, não tão recuperados para viver o dia seguinte.

Quais as previsões dos estudos sobre os sonhos durante a pandemia?

No momento em que esse artigo é escrito, a pandemia ainda encontra o seu auge no Brasil, apresentando certo declínio em países que se organizaram de forma mais eficaz. Dessa forma, os estudos ainda estão em andamento, analisando os aspectos relativos a cada uma dessas situações.

Em linhas gerais, o impacto da pandemia – seus riscos e o isolamento – sobre os sonhos é significativo. Afinal, eles são formados a partir de elementos sociais e emoções pessoais, todos fortemente ligados ao COVID-19. Isso explica os sonhos loucos durante a pandemia, mas alerta o perigo para a saúde mental.

Sonhos loucos durante a pandemia podem sinalizar sofrimento mental?

Mulher branca sentada numa janela lendo livro.
Mika Baumeister / Unsplash

Como os sonhos são frutos do processamento desde traumas a emoções positivas, eles podem, sim, sinalizar sofrimento mental. Ainda mais em época de pandemia, em que a maior parte das pessoas está lutando para fazer o seu melhor e conter o vírus. Para saber mais sobre o que seu sonho pode estar tentando dizer, clique aqui.

Além do estresse, os sonhos loucos durante a pandemia podem estar evidenciando a ansiedade provocada pelo isolamento e pelo medo. Consequentemente, há maior propensão ao desenvolvimento de doenças oriundas do sofrimento mental e maior necessidade de acompanhamento.

Claro que essa é apenas uma fase e vai passar, mas suas sequelas devem ser processadas corretamente para não se tornarem problemas no futuro. Por isso é sempre bom procurar ajuda e, caso o peso esteja maior do que consegue suportar, ligue para o Centro de Valorização da Vida no telefone 188 ou converse via chat em seu site. Lembre-se de que tudo vai ficar bem.

Sobre o autor

Sonho Astral

O Sonho Astral é um portal dedicado ao significado dos sonhos e à espiritualidade que tem o principal objetivo de informar e auxiliar no autoconhecimento e no desenvolvimento pessoal por meio da interpretação dos sonhos. Buscamos sempre fornecer informações acuradas e com o máximo de detalhe possível.

Email: sonhoastralinfo@gmail.com