Autoconhecimento

8 atitudes de quem tem depressão, mas não demonstra

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

A depressão é sim uma doença a qual é muito recorrente entre os brasileiros e muitos outros cidadãos ao redor do mundo.

As causas podem ser diversas, normalmente associadas ao modo de vida moderno que incita muitas pressões, cobranças e ansiedades, exigindo um esforço exagerado do corpo e mente e maior dificuldade de mantê-los em equilíbrio e harmonia, trazendo distúrbios facilmente e ocasionando diferentes reações em cada um.

Causas principais

Como já dito, a loucura da rotina pode ser a principal causa no desenvolvimento de uma depressão. Entretanto, esta rotina inclui alguns fatores específicos que auxiliam no progresso do quadro depressivo.

Algumas pessoas tem predisposição genética à depressão, sendo assim a presença de fatores externos como o estresse e ansiedade são potentes ativadores dos sintomas depressivos. A instabilidade hormonal proveniente do uso de remédios ou certos períodos da vida, principalmente nas mulheres, também é uma causa considerável.

As comuns complicações da rotina são também um caminho para adoecer. Diante de grandes decepções, perdas, expectativas não correspondidas ou situações de tristeza, os hormônio são alterados e nos tornamos mais sensíveis à depressão e outras doenças.

Problemas físicos, de autoestima e aparência influenciam muito em nosso humor e estado de espírito. Aqueles que se deixam levar pela tristeza caminham para os sintomas da depressão.

Efeitos

A depressão é uma doença patológica, ou seja, as alterações são efetivas e biológicas. O indivíduo que sofre de depressão apresenta desvios estruturais e funcionais nas células. No caso de um quadro depressivo as células mais atingidas são os neurotransmissores, na verdade o alvo são as substâncias responsáveis pelo contato e transmissão de informações entre eles. Algumas destas substâncias são: dopamina, noradrenalina e serotonina.

Dentre os principais sintomas estão:

– Irritabilidade frequente;

– Falta de disposição;

– Pessimismo;

– Cansaço físico e mental;

– Dificuldade em se divertir com coisas que eram antes prazerosas;

– Baixa autoestima;

– Falta de confiança em si e quaisquer situações ou circunstâncias novas;

– Falta de vontade de sair de casa e realizar atividades;

– Falta de apetite ou compulsão por certo tipo de comida ou hábito alimentar;

– Concentração e foco falhos;

– Dores e tensões musculares;

– Choros sem motivo especifico,

– Emoções à flor da pele.

Sintomas disfarçados

Estes são apenas alguns dos sintomas mais comuns ao quadro depressivo, entretanto, muitas pessoas caminham para a depressão porém não a percebem ou procuram negá-la como doença. No modo automático em que vivemos passamos por cima de algumas atitudes sem perceber os efeitos que causam em nossas vidas e em nosso ser, ou tememos assumi-las pensando que será apenas mais uma fase ruim, porém, pode ser muito mais do que isso.

Cabe aos familiares e amigos atentar para a identificação de características depressivas em alguém próximo a fim de minimizar o processo, descobrir e cortar suas raízes e proporcionar melhora desde o início da doença.

Abaixo algumas das atitudes mais comuns para identificar um indivíduo com comportamento depressivo:

  1. Máscara de felicidade:

As pessoas que escondem a depressão ou não a percebem tendem a criar uma máscara em que estão sempre alegres e sorridentes quando estão em público, porém estão sempre tristonhas em casa e desanimadas com quaisquer atividades por mais simples que sejam. Não necessariamente aparentando desânimo ou sofrimento, mas fingindo estar bem para não assumir a responsabilidade de uma alteração sentimental mais feroz.

  1. Irritabilidade constante:

Quem sofre de depressão costuma se irritar facilmente com pequenos motivos e, ao contrário do que se pensa para o quadro, não fica calado e guardando as emoções, mas sim explode em diversas situações e desconta até mesmo em quem não tem nada a ver com a história.

  1. Frieza:

Por dificuldade de reagir às situações como normalmente, o indivíduo depressivo tem sua sensibilidade também alterada. Sendo assim, apresenta-se mais frio e menos carinhoso. Mesmo sem perceber passa a não corresponder ou nem mesmo identificar palavras e gestos de afeto deixando de fazer da ação recíproca.

  1. Outro ritmo:

Por sentir-se cansada e indisposta, a pessoa diminui o ritmo de trabalho e das atividades que exercia normalmente. Passa a fazer menos coisas durante o dia e abdicar de tarefas que antes faziam parte de sua rotina. Os esportes passam a ser motivo de grande desânimo e dificuldade e grandes planos como longas viagens são sempre cancelados.

  1. Extremos de alimentação:

Existem dois polos de comportamento relacionados à alimentação do depressivo. Um deles está no excesso de comida. A pessoa passa a incontrolavelmente ingerir alimentos que gosta sem pensar nas quantidades ou consequências ignorando quaisquer comentários que venham por outras pessoas que a observam. O outro lado é a falta de vontade de se alimentar. O indivíduo deixa de sentir prazer em comer e ignora a importância de se alimentar bem diariamente pulando refeições ou comendo muito pouco.

  1. Convites negados:

Se você convidar uma confeiteira para fazer um bolo em diferentes situações, horários e dias e resposta for sempre “não”, algo está errado. Quem está com depressão não sente prazer nem mesmo nas atividades que mais gostava de exercer ou mais tenha habilidade.

  1. Oscilações de humor:

Esta pessoa pode num dia acordar extremamente feliz e animada e em outro totalmente sem vontade e triste. As oscilações de um e disposição são comuns do quadro e não tem periodicidade nem duração permanentes, são inesperadas e turbulentas.

  1. Culpa:

Quem tem depressão se culpa por tudo de ruim ou errado que acontece em sua vida, ou até mesmo na dos outros. A falta de confiança e as inúmeras incertezas que rodeiam esta mente alterada faz com que ela não ache outra razão para os problemas a não ser ela mesma.


Texto escrito por Júlia Zayas da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sua opinião é bem-vinda, sempre que colocada com a educação e o respeito que todos merecem. Os comentários deixados neste artigo são de exclusiva responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]