Autoconhecimento

Atitudes de quem tem depressão, mas não demonstra

Pessoa com um quadro na frente do rostocontendo uma carinha triste
Stevanovicigor / Getty Images Pro / Canva
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), de fevereiro de 2020, estima-se que a depressão afete mais de 350 milhões de pessoas no mundo. Conhecida como o mal do século, essa doença é incapacitante e pode prejudicar consideravelmente a qualidade de vida de quem ela acomete, tirando até mesmo a sua vontade de viver. Mas tudo isso pode ser evitado, porque a depressão tem cura!

Antes de seguirmos com este artigo, é importante ressaltar que a depressão é uma doença de cunho individual, ou seja, ela se manifesta de maneiras diferentes em cada pessoa, pelo fato de afetar emoções e o corpo físico, em especial, nossa parte neurológica. Portanto não trate este texto como um diagnóstico. Procure ajuda de um psicólogo ou psiquiatra para avaliar o seu comportamento e entender se você sofre de depressão.

Dito isso, é importante ressaltar que, de acordo com a OMS, desde 2020 a depressão é a doença mais incapacitante do planeta, isto é, a que que mais impede uma vida com qualidade e bem-estar. Ainda segundo os dados do órgão, os casos de depressão cresceram cerca de 20% desde 2010, números potencializados pela pandemia da Covid-19, que impôs a todo mundo isolamento social, novas ansiedades, medos, incertezas, angústia e, para alguns, luto, agravando o panorama geral da doença, que já era preocupante.

Mulher depressiva abraçando os joelhos.
RyanKing999 / Canva

O que é depressão?

Conhecido simplesmente como depressão, o transtorno depressivo maior (TDM) é um distúrbio mental caracterizado principalmente por pelo menos duas semanas de sentimentos frequentes de tristeza e apatia, acompanhados de outros sintomas, que listaremos mais à frente.

A depressão é uma doença que se manifesta de maneira distinta para cada um. Enquanto uma pessoa pode sofrer perda de apetite e oscilações de humor, outra pode ver seu apetite aumentar e sentir fadiga extrema. Por isso, é importante consultar um profissional para entender a situação.

As causas da depressão são diversas. Ela pode ser desencadeada a partir de traumas ou de descontentamentos, por exemplo, bem como por luto, isolamento, solidão desilusões, desmotivações e outros sentimentos e situações, mas também pode ter causas genéticas e biológicas. E é por essa razão que é tão variável.

Se você tem notado que seu comportamento anda estranho ou uma pessoa não tem agido da mesma forma que antes, preparamos uma lista para explicar algumas condutas que uma pessoa depressiva tem e costuma não demonstrar – às vezes pode ser porque ela nem percebe; mas, na maioria dos casos, é para fugir do estigma que essa doença traz.

Atitudes de quem tem depressão e não demonstra

Pessoa sentada nas escadas com as mãos sobre o rosto.
Pixelfit / Getty Images Signature / Canva

Como explicado anteriormente, a depressão é uma doença que atinge cada pessoa de uma forma diferente, então é essencial consultar um psicólogo ou um psiquiatra para entender se os seus sintomas são de depressão ou de algum outro mal. Mas preparamos uma lista com atitudes de pessoas que estão sofrendo com essa doença, mas não sabem ou o escondem. Confira.

Falsa felicidade

Você se sente muito mal, solitário, triste e deprimido quando está sozinho, mas tenta mascarar esses sentimentos e pensamentos quando está perto de outras pessoas? Esse é um sintoma comum da depressão, por dois principais fatores: o primeiro é que somos ensinados desde sempre que a felicidade é o único estado emocional possível, então estar triste poderia ser vergonhoso; o segundo é que a depressão é bastante estigmatizada na sociedade, então reconhecer que sofre com isso pode ser muito danoso social, profissionalmente e em outras esferas.

Pense sobre os outros sintomas para entender se está apenas passando por uma fase em que a solidão e outros sentimentos ruins incomodam ou se pode ser depressão.

Irritabilidade

Se atividades, pessoas e situações que antes não o irritavam (ou que não o irritavam a ponto de estressá-lo) agora o irritam, fique atento a isso. Como tristeza e descontentamento profundos fazem parte dos sintomas da depressão, é comum que a pessoa que sofre com a doença esteja quase sempre desconfortável, a ponto de “explodir”.

Então, se você se sente emocionalmente estressado ou fisicamente afetado por situações que antes não causavam agressividade, tremores, suor excessivo, gritos, entre outros sinais de irritação, fique atento, pois pode ser sintoma de depressão.

Pouca sensibilidade

Dizem que o mundo de uma pessoa depressiva perde as cores, os cheiros e os sabores. É uma metáfora que demonstra como a sensibilidade dessa pessoa é afetada. Mas o que isso significa exatamente?

Homem triste olhando pensativo pela janela.
Marjan_Apostolovic / Getty Images / Canva

Se você percebe que não sente mais tanto prazer e alegria com aquilo que sempre o animou, ou se até mesmo não tem ficado tão triste ou comovido, por viver num estado melancólico quase permanente, isso pode ser um sintoma. Preste atenção a se você tem se sentido “anestesiado”, como se tanto a alegria quanto a tristeza impactassem menos sua rotina e suas emoções.

Menos disposição

Você percebe que tem dado menos conta das muitas atividades que sempre realizou, ou que até situações e atividades simples geram preguiça, cansaço e fadiga excessivos? Pode ser um sinal de depressão.

Os depressivos costumam sentir uma fadiga que nunca passa, mesmo que descansem bastante. Então a “energia” vai se reduzindo, as coisas vão ficando pela metade, demora-se muito mais tempo em atividades simples, entre outras demonstrações de que há um cansaço permanente.

Alimentação bagunçada

Como está o seu peso? Você tem ganhado ou perdido muito peso? Tem se alimentado corretamente, como sempre se alimentou ou tem sofrido com falta ou aumento de apetite?

Disfunções na alimentação são comuns entre pessoas que sofrem de depressão. Mas, como a doença atinge cada pessoa de uma maneira diferente, alguns podem acabar comendo mais do que costumam comer, enquanto outros podem reduzir a alimentação. Há até quem não coma nada, o que pode ser bastante perigoso. Você conhece seu apetite, seu corpo e sua dieta, então fique atento.

Dificuldade de socializar

Se a sua rotina com os amigos, a família, os colegas de trabalho e o seu par foi afetada consideravelmente por causa do seu desânimo de estar com eles, fique atento. Se você estiver com depressão, até mesmo atividades prazerosas, como um dia ao lado do seu amor ou uma noite com os amigos podem representar estresse e vir com aquela sensação de “Ah! É melhor eu nem sair de casa hoje, vou inventar uma desculpa”.

Se você percebe certa mudança na maneira (e na vontade) de se relacionar com as pessoas, é importante estar atento a esse possível sintoma.

Oscilações de humor

Sim, é normal se sentir triste e feliz num mesmo dia. Somos humanos, e é assim que as nossas emoções se manifestam. Mas, se você tem notado mudanças bruscas, intensas e até mesmo violentas no seu humor, é bom ficar atento a isso.

mulher estressada pressionando o cenho com os dedos
kieferpix / Getty Images Pro / Canva

Um dos sintomas da depressão é uma frequência elevada em oscilações de humor. Então uma tristeza profunda pode dar lugar a uma felicidade repentina, que logo em seguida é substituída por um desânimo quase completo. Observe a intensidade e a frequência dessas oscilações.

Demonstrações de culpa

Dizem que a depressão é uma doença em que há excesso de passado, o que é uma metáfora bastante representativa. Se você tem vivido um estado de tristeza, em que costuma remoer erros do passado ou se culpar por situações nas quais, quando para e leva em consideração a racionalidade, sabe que não teve culpa, isso pode ser um sintoma de depressão.

Como essa doença pode afetar bastante a sua autoestima, é normal que você se culpe excessivamente e veja em si erros que não cometeu ou que nem mesmo existem.

Dores no corpo

Na correria do dia a dia, quem não sente uma dor nas costas, nas articulações ou nos músculos, por exemplo? Quando sentimos dores, porém, é comum que saibamos sua origem. “Dor nas costas? Carreguei peso no fim de semana”. “Dor no joelho? Talvez por causa do futebol ou daquela corrida”. “Nos músculos? Ah! Foi aquela pancada na cama”.

Enfim, dores “comuns” têm origem. Mas, se você vem sentindo dores em vários pontos do corpo para as quais não encontra explicação, saiba que esse pode ser um sinal de depressão. Muitos acham que a depressão afeta somente as emoções, mas ela tem bastante influência sobre o nosso corpo.

Isolamento social

Ainda que às vezes queiramos estar sozinhos para curtir um tempo em nossa própria presença ou fazer determinadas atividades, ninguém gosta de se sentir solitário, não é? Por isso, se você tem percebido que está trocando o tempo com as pessoas que ama pela solidão (e, pior, que não encontra prazer nos momentos sozinho), é bom estar atento.

Mulher sentada com os olhos fechados e as mãos sobre o rosto
MasimbaTinasheMadondo–1388843 / Pixabay / Canva

Esse quadro de isolamento social ficou ainda pior na pandemia, em que, ainda que quiséssemos, não pudemos estar perto das pessoas amadas. Então pense em como o isolamento causado pela quarentena afetou a sua rotina e a sua vontade de estar perto dos outros. Se perceber que o isolamento social tem causado sérias consequências em você, procure ajuda.

Depressão tem cura!

Mas a coisa mais importante que você precisa saber é que a depressão tem cura! Com a ajuda de terapia com um psicólogo, auxílio de um psiquiatra e medicamentos, se forem necessários, você certamente vai conseguir superar um quadro de depressão, independentemente da gravidade dele. O importante é que você procure ajuda profissional no instante em que perceber que alguns dos sintomas descritos acima fazem parte da sua rotina.

Você também pode gostar

Como estamos sempre expostos a traumas, dores, desilusões, entre outras situações desagradáveis, é comum estarmos vulneráveis a uma doença como essa. Por isso, é importante se prevenir, e essa prevenção inclui fazer terapia com frequência (há atendimento psicológico gratuito em quase todas as cidades do Brasil) e se cercar de pessoas que formem uma rede de apoio para te ajudar a sair dessa. Mas, reforçando, o essencial é ter em mente que, assim como um machucado que se cura e se fecha, essa doença vai passar, e sua vida vai melhorar. Acredite e esteja atento aos sintomas!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br