Energia em Equilíbrio

Aterramento energético: como fazer e qual a finalidade

Mulher com seus pés descalços em pedras ao lado de um rio
Caroline Hernandez/ Unsplash
Gabriella Hausen
Escrito por Gabriella Hausen

O aterramento, ou grounding, é uma prática utilizada para equilibrar a nossa energia vital. Muito explorada, principalmente em vertentes da psicologia Reichiana ou psicologia corporal.

O termo “grounding” vem de ground, um substantivo inglês, que faz referência à terra, ao solo e, consecutivamente, a alguma base sólida. Essa técnica serve para “aterrarmos”, ficarmos mais “pé no chão”, e, em conjunto, encarar as situações da forma como se apresentam, sem fantasias, racionalismo ou fuga.

Esse método pode ser feito por qualquer pessoa, em especial aquelas que se sentem sem muita vitalidade, que se sentem pouco conectadas com o seu corpo físico, que sentem dificuldade de estar no momento presente, e, muitas vezes, possuem muita conexão espiritual, mas que, em alguns momentos, se sentem com dificuldade de se estruturar na vida física, ou de entender as suas emoções e pensamentos de uma forma mais clara. Se esse for o seu caso, seria muito interessante você começar a equilibrar as suas energias por meio do aterramento. Essa ferramenta é muito útil também para quem se sente ansioso, inquieto, insatisfeito e que estuda bastante. Nessas situações, o grounding auxilia na descarga energética do corpo (deixando a energia fluir).

Quando colocamos muito foco em alguma coisa, que não seja o agora, acabamos por desequilibrar a nossa energia. O grounding chega como uma proposta para nos firmarmos na situação presente.

Estar em grounding nos permite vivenciar as situações, emoções e sensações, muitas vezes extremas, sem sair do agora, do contato com a realidade. Em conjunto, essa ação, muitas vezes interna ou externa nos ajuda a manter uma organização interna, em momentos conflituosos, ou até mesmo no dia a dia.

Como fazer o aterramento energético

Pessoa com pés descalços em um gramado
Nick Page/ Unsplash

A técnica pode ser feita de diversas formas. Inclusive, podemos fazer o enraizamento de uma forma externa (exercícios, ações) ou interna (presença). Irei explanar, no geral, algumas formas de fazê-lo.

A ferramenta de aterramento traz a frequência do elemento terra, trazendo consigo, dessa forma, a facilidade para o foco, a presença, a força. E uma forma muito útil para isso, na minha opinião, são os exercícios. Sendo assim, irei passar alguns deles. Vale a pena você testar.

Agachamento na parede:

Esse exercício, auxilia na descarga energética da energia vital (primeira camada da aura, e, portanto, mais densa), fazendo com que, a energia se equilibre.

Com esse exercício, ativamos as nossas pernas e os nossos pés, e, em soma os chacras que se apresentam nesses locais. Dessa forma, entramos em contato com a energia da terra.

Esse exercício pode ser feito em casa ou na natureza, de preferência com os pés descalços.

Formas de fazer:

Mulher com os pés descalços em um gramado com flores
Annie Spratt/ Unsplash

Agache-se na parede, deixando suas pernas na linha dos ombros e fique nessa posição até sentir suas pernas tremerem ou “queimarem” — a tremida é um sinal de “descarga” e liberação energética. Fique nessa posição por alguns minutos ou segundos, conforme for confortável para você. Contudo, é legal aguentarmos o desconforto, pois é esse desconforto que fortalecerá o nosso campo energético e a nossa personalidade, basicamente falando. Faça essa posição todos os dias, se for possível. Ou alternando os dias.

Aterramento de pé:

Fique de pé, com os pés na altura dos ombros e com os joelhos levemente flexionados. Em seguida, jogue o corpo para a frente, em direção ao chão, de forma muito delicada. E deixe o seu corpo sendo sustentado pelas suas pernas. Fique assim até sentir seus pés formigarem. Lembre-se de respirar, de preferência conscientemente.

Exercício interno:

Mulher de olhos fechados respirando profundamente
Eli Defaria/Unsplash

Para auxiliar nos exercícios externos, podemos fazer “aterramentos internos”, junto disso, no momento dos exercícios corporais, podemos imaginar alguma situação que esteja nos incomodando (sem focar muito, pois a proposta é estar mais presente) e deixar isso ir em direção à terra. Podemos também fazer respirações mais intensas e até fazer algum barulho com a boca, para nos ajudar.

Uma postura muito bacana para nos mantermos mais aterrados é estar na presença plena (mindfulness).

Você também pode gostar

Podemos fazer isso colocando a atenção na nossa respiração, por exemplo, ou ao tomarmos um copo de água, ao fazermos alguma refeição, ou marcando alguns momentos do dia para repetir internamente “eu estou aqui, eu estou presente”. Enfim, ficando no agora.

Algumas pesquisas apontam uma melhora na nossa vida como um todo, após os aterramentos, principalmente no nosso bem-estar. Na nossa forma de nos expressarmos e nos abrirmos para os prazeres da vida de uma forma mais ampla.

Assim concluo o assunto de hoje, deixando um convite para este aterramento. Permita-se penetrar na terra, no profundo, na força da Mãe Terra.

Sobre o autor

Gabriella Hausen

Gabriella Hausen

Olá! Sou a Gabriella e trabalho com terapias holísticas, envolvendo cromoterapia, radiestesia e estudo das energias. Mas me dedico com mais intensidade aos cursos de Reiki, os quais administro principalmente online, e aos atendimentos em astrologia, feitos também online.

Gosto muito de assuntos envolvendo mitologia, astrologia, psicologia (em especial psicanálise, analítica e ACT) e espiritualidade em geral.

Tenho alguns projetos online, que envolvem um canal pessoal, e outros em conjunto no YouTube. Administro também um curso gratuito de cromoterapia.

Contatos
Email: [email protected]
Youtube: Psique Holística l Espiritualidade e Psicologia
Instagram: @linguagem_novaera