Saúde Integral

Plantas para ter no quarto

plantas para ter no quarto
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

As plantas são terapêuticas, purificam o ambiente, deixam o ar mais fresco e ajudam a prevenir doenças. Só o contato com a terra já faz bem, cuidar de plantas diminui as tensões e aumenta a autoestima. A jardinagem é super recomendada para pessoas depressivas. Ricardo Monezi, pesquisador do setor de Medicina Comportamental da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), afirma que cuidar de plantas e ver o desenvolvimento delas traz orgulho e satisfação. Para Monezi, a alegria em assistir o resultado dessa satisfação deixa a pessoa feliz e com ânimo para se dedicar ainda mais.

O bem-estar da jardinagem vai além: a atividade nos deixa mais inteligentes.

Pesquisadores da Sociedade Americana de Microbiologia descobriram uma bactéria que vive na terra. Quando mexemos na terra, respiramos ou ingerimos essa bactéria, o que facilita o aprendizado e o raciocínio. Testes com ratos comprovaram isso, os animais foram alimentados com o micro-organismo e colocados em um labirinto. Eles encontraram a saída antes dos ratos que não consumiram a bactéria. Estudo semelhante foi realizado em 2007, quando cientistas ingleses concluíram que o micro-organismo promove a produção de serotonina. O neurotransmissor faz a comunicação entre os neurônios e ainda regula o estado de ansiedade.

Cuidar de plantas é ótimo para quem vive nas grandes cidades. É uma válvula de escape do barulho e agitação. A “urban gardening” (jardinagem urbana) é tendência em Berlim. A agitada capital alemã tem quase 4 milhões de habitantes e, como em qualquer metrópole, as pessoas correm para cumprir seus compromissos. A jardinagem urbana na capital alemã também é uma forma de comunicação. Vegetais plantados em terrenos baldios e vasos de flores nos restaurantes passa a mensagem que sempre haverá espaço para delicadeza.

Seja na rua ou dentro de casa, as plantas embelezam e purificam o ar.

Nos espaços internos, existe uma variedade de plantas para a sala, cozinha e banheiro. Lança-de-são-jorge, pau d’água, entre outras, mudam a cara da sala de estar. Hortelã e manjericão são ideais para ficar na cozinha. Violeta e asplênio são ótimas para o banheiro. Mas podemos ter plantas no quarto? Com certeza você já ouviu que não pode. Só que a história não é bem assim. Vamos esclarecer isso.

Durante a noite, as plantas aumentam o índice de gás carbônico e diminuem o de oxigênio. O ser humano gasta na respiração vinte vezes mais oxigênio que os vegetais, consequentemente, consome vinte vezes mais oxigênio. Então, seria mais perigoso dormir com outra pessoa. O botânico Gilberto Kerbauy, da Universidade de São Paulo (USP) defende a presença de plantas no quarto. Para Kerbauy, se fizesse mal dividir o espaço de dormir com vegetais “não haveria um índio vivo na Floresta Amazônica”. Mas não é qualquer planta que pode ficar no quarto. Existem espécies com efeito sedativo e outras que absorvem substâncias tóxicas. Vamos conhecê-las?

Jasmim

plantas para ter no quarto

O jasmim surgiu em áreas do Himalaia, China, Oriente Médio e Índia. A flor representa amabilidade, modéstia e simplicidade. Na Índia, é oferecido à honra dos deuses e dos mortos. No ocidente, o jasmim branco simboliza carinho, sensualidade e amor eterno. Essa variedade é excelente para buquê das noivas e decoração nos casamentos. O jasmim amarelo alegra e ilumina o ambiente, sendo bom presente para quem obteve conquistas profissionais e acadêmicas.

O chá de jasmim possui propriedades medicinais.  A longevidade dos habitantes da ilha japonesa de Okinawa vem da bebida. Muitos dos moradores passaram dos cem anos. O recomendado é misturar folhas de jasmim com chás tradicionais (chá verde, chá branco, chá vermelho e chá preto). Duas xícaras são suficientes, uma pela manhã, outra antes de dormir.

O chá tem ação analgésica, anti-inflamatória, antioxidante e digestiva. Ele ainda abaixa o colesterol ruim e acelera o metabolismo, ou seja, o corpo queima as calorias mais rápido. A bebida ainda possui efeito calmante, combate estresse, ansiedade, irritabilidade e garante sono tranquilo. Quem sofre com síndrome do pânico e hiperatividade também pode beber o chá.

O óleo essencial é indicado para estresse, cansaço mental e depressão. Ainda é bom para dar elasticidade e reduzir rigidez facial, além de aliviar cólicas menstruais. É possível fazer o óleo em casa, confira o passo a passo:

Separe 100 gramas de jasmim. Esmague as folhas com um moedor e coloque-as em uma vasilha de vidro com fechamento hermético. Cubra as flores com óleo de amêndoas e adicione gotas de vitamina E. Feche a vasilha e deixe macerar por um mês longe da luz solar e umidade. Mexa o frasco a cada dois dias. Troque de frasco após um mês e coloque outras flores esmagadas. Deixe macerar por mais três semanas.

Você mesmo pode cultivar a flor. Para o quarto, a espécie mais indicada é a Jasminums sambac, cujas folhas são próprias para o chá. O jasmim dá sementes ao término do verão, elas estão dentro de vagens. O vaso não pode ser muito pequeno, para não atrapalhar o crescimento. Veja o passo a passo do plantio e cuidados com o sol:

  • Aplique substratos para mudas na terra do vaso
  • Coloque as sementes em uma camada de um centímetro de terra
  • Molhe as sementes com um borrifador, mas sem encharcar
  • Repita o passo acima por um mês, quando aparecem os primeiros brotos
  • Exposição a sol não muito forte, cinco ou oito horas no máximo

Babosa (aloe vera)

A babosa (nome científico aloe vera) é do norte da África. É uma planta medicinal usada há quase 6 mil anos. As rainhas egípcias Nefertite e Cleópatra tinham a planta como item de beleza. No século 20, chegou à Itália, França, Itália, Alemanha, Holanda, Estados Unidos, China e Japão. Também é conhecida como erva babosa, babosa de jardim, babosa de botica e caraguatá. Existem mais de 200 espécies, a mais indicada para o consumo humano é a Barbadensis Miller. A babosa é cicatrizante, laxante, anestésica, anti-hemorrágica, anti-inflamatória e bactericida. O gel da babosa é rico em vitaminas A, E, B1, B2, B3, B6, B12 e C. Os nutrientes hidratam e regeneram células da pele. A planta ainda fortalece o sistema imunológico e ajuda na perda de peso.

A babosa afasta substâncias químicas dos produtos de limpeza. Gostou dela e quer plantá-la? O clima não pode ser muito úmido nem muito frio. A primavera e o outono são as melhores estações. Escolha um vaso de barro ou terracota porosa. Brotos e mudas de planta adulta são as melhores maneiras de cultivar. Confira o passo a passo do plantio:

  • Adicione drenagem de cascalho com dois dedos de altura na base do vaso
  • Coloque terra de jardim, estrume e adubo orgânico
  • Introduza o broto, cubra com terra e deixe até nascerem as folhas
  • Espere duas semanas para regar (após, a periodicidade é de 15 a 20 dias)
  • Deixe a planta onde tenha luz solar e um pouco de umidade

Espada-de-são-jorge

A espada-de-são-jorge (macho) ou espada-de-santa-bárbara (fêmea) é uma herbácea nativa da África. Pode chegar a 90 centímetros de altura. Da espada-de-são-jorge nascem flores pequenas, brancas ou amarelas. É muito usada em trabalhos espirituais, por espantar “olho gordo” e demais sentimentos negativos. Nas religiões de matrizes africanas, a espada-de-são-jorge macho é conhecida como espada-de-ogum (esverdeada) ou espada-de-oxossi (esverdeada com bordas amarelas).

Nessas religiões, é comum fazer banhos com a planta. É preciso uma espada cortada em sete pedaços no sentido do comprimento (cortar com as mãos ou faca plástica). Em seguida, coloque as partes em três litros de água em ebulição. Mexa em sentido horário. Tampe a panela e deixe cozinhar por sete minutos. Desligue o fogo e mantenha abafado por três horas. Coe em um balde e coloque água do chuveiro. Tome o banho habitual e jogue do pescoço para baixo.

A planta ganha espaço cada vez maior em projetos paisagísticos. É considerada a melhor planta para ter no quarto. A espada-de-são-jorge é um filtro que elimina do ar o benzeno, formol, tricloroetileno e tolueno. A planta ainda emite oxigênio durante a noite.

A espada-de-são-jorge é muito resistente. Ela aguenta sol forte, ar-condicionado e fumaça de cigarro. O cultivo e o cuidado não dão trabalho. Confira o passo a passo:

  • Escolha um vaso alto
  • Coloque argila expandida em 1/3 do vaso. Complete com manta bidim e areia. A mistura impede o apodrecimento das raízes.
  • Coloque sobre a areia substrato com composto orgânico na terra
  • Posicione as mudas
  • Deixe a planta à meia-sombra ou em lugar onde bata luz solar por 5 horas diariamente
  • Regue uma vez por semana, no verão molhe duas vezes
  • Troque de vaso quando as raízes estiverem fora da terra

Outras flores para ter no quarto

Violeta africana

A Saintpaulia ionantha foi descoberta em 1892 pelo pesquisador alemão Walter Von Saint Paul, nas montanhas do nordeste da Tanzânia. São 18 espécies com 6 mil variedades. A violeta é uma das mais populares do Brasil. As pessoas costumam cultivar em vasos de plástico. Porém, o ideal mesmo é o vaso de barro. Esse tipo absorve o excesso de umidade e evita o apodrecimento das raízes. Se você quiser plantar a sua violeta, saiba que é super fácil:

  • Coloque uma camada de pedriscos ou um caco de cerâmica no fundo do vaso
  • Coloque em mais da metade do vaso duas partes de terra comum de jardim, duas partes de terra vegetal e uma parte de vermiculita
  • Centralize a raiz e complete com a mistura
  • Molhe até a água escorrer pelo prato. Espere alguns minutos e molhe novamente.

Os cuidados são bem simples. Não molhe as folhas, pois elas podem apodrecer. Para regar por baixo, coloque água no prato. Regue por cima uma vez por mês. Violetas não gostam de água com cloro. Ferva a água e regue quando ela estiver bem fria. A violeta não gosta de sol direto e a temperatura ideal é 25º. Para deixar no parapeito da janela, mude a posição do vaso (sempre no mesmo sentido) para crescimento simétrico. Adube com fertilizantes químicos específicos para violetas. Esses fertilizantes têm a fórmula NPK. É bom alternar com fertilizante orgânico, como farinha de osso e húmus.  

Cactos

Os cactos pertencem a família dos Cactaceae. São 84 gêneros e 1400 espécies originárias das Américas. Ao contrário do que se pensa, eles não roubam oxigênio. Os cactos abrem seus estomas (poros) durante a noite e trocam gases com o ambiente. Assim, a planta não perde água. Quer outro motivo para ter um cacto no quarto? Não dá trabalho nenhum, é ótimo para quem não tem tempo ou não leva jeito. Veja como cuidar de um cacto:

  • Regar a cada 15 dias, caso fique exposto ao sol. Se estiver em lugar fresco, é possível passar um mês sem molhar. Especialistas indicam regar quando a terra estiver seca.
  • Adubar a cada três meses com farinha de osso ou torta de mamona. É só misturar na terra antes de regar.
  • Não precisa podar. Podados, os cactos parecem que foram decepados.

Begônias

São mais de 1000 espécies de begônias. Elas são nativas da América Central e do Sul. Existem begônias brancas, rosas, vermelhas e amarelas. Essa planta simboliza jovialidade e fertilidade. As espécies para cultivar em vaso são: begônia sarmentosa (begonia sarmentacea), begônia de folha (begonia x sementacea) e begônia olmo (begonia ulmifolia) ou prateada (begonia venosa). As begônias são uma das flores mais vendidas em todo o mundo. Não deve ser exposta ao sol, chuva e a temperaturas entre 20º e 28º. Precisam ser regadas a cada quatro dias, porém sem encharcar. Não pode molhar as folhas e as flores. Veja como plantar:

  • O vaso precisa ter furos de três centímetros na base
  • Coloque turfa (substância produzida pela decomposição de vegetais acumulados em terrenos alagadiços), casco de pinheiro e areia de rio.
  • Coloque as sementes no meio do vaso e cubra-as com turfa
  • Quando criar raiz, adicione fertilizante líquido
  • No verão, regue duas vezes por semana. No inverno, a cada dez dias
  • Quando murchar, tire as flores para não criar sementes

E você pensando que não podia ter plantas no quarto. Aqui tem para todos os gostos. Escolha a sua, e tenha ótimos sonhos.


Escrito por Sumaia Santana da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sua opinião é bem-vinda, sempre que colocada com a educação e o respeito que todos merecem. Os comentários deixados neste artigo são de exclusiva responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]