Saúde Integral

Plantas para ter no quarto

Quarto com várias plantas
Vorawich-Boonseng / Getty Images Pro / Canva
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Cuidar de um jardim é uma verdadeira terapia visual. É uma atividade que, além de promover um prazer intenso e manter a mente ocupada, ainda faz bem para o nosso emocional. E ver o resultado do nosso trabalho, com as plantas crescendo e o jardim florindo, é ainda mais gratificante para a alma.

Mas para cuidar de plantas, não necessariamente precisamos de um jardim grande ou externo. Só o fato de termos um espacinho no interior de casa já é um ganho imenso para o nosso bem-estar físico e emocional. Além, é claro, de trazer mais beleza e perfume para dentro do lar.

Cuidar de plantas nos torna mais felizes, promove bem-estar e tem efeitos terapêuticos. Não só pelo perfume que algumas exalam ou pelas suas cores, como também pelo trabalho de cuidar propriamente da terra, do plantio. E isso é comprovado por vários estudos científicos. Um estudo realizado pela Universidade de Surrey (Reino Unido) provou que as plantas ajudam a reduzir o estresse, melhorando a frequência cardíaca e a pressão arterial. Já outro estudo conduzido por pesquisadores europeus afirma que as plantas ajudam a manter o foco e a melhorar a produtividade no trabalho.

Há vários outros benefícios de estar em contato com o verde, mesmo que seja um pedacinho dele. A Universidade do Texas (EUA) revelou em uma pesquisa que o contato com plantas tem um efeito significativo sobre a felicidade dos trabalhadores. Já em um estudo feito pela NASA, pesquisadores chegaram à conclusão de que as plantas conseguem filtrar compostos orgânicos prejudiciais a nossa saúde.

Sem falar que o processo de plantar e regar, assumindo todos os cuidados com um jardim – ou mesmo um único vaso de planta – ajuda a recuperar a memória episódica (aquela relacionada com eventos autobiográficos), em especial dos idosos, pois essa atividade tem o poder de ativar a parte frontal média do seu cérebro, que está associada a processos cognitivos. Ou seja, a jardinagem também ajuda na prevenção de doenças como a demência.

Não há dúvidas de que ter um quintal arborizado, um jardim na varanda do seu apartamento, ou mesmo uma plantinha no seu quarto é mais do que benéfico para a saúde. A ciência comprova, e o nosso coração agradece. Veja algumas dicas de plantas que você pode ter no seu quarto e que podem dar aquele gás na decoração, criando um visual lindo e trazendo aconchego e harmonia para a sua vida.

Jasmim

Jasmim
Aleksei Poprotskii / Canva

Essa trepadeira de aroma deliciosamente doce, lindas pétalas brancas ou amarelas e que desperta todos os sentidos é muito usada como planta ornamental, especialmente em ambientes internos. O jasmim também é utilizado como perfume, chá, cosmético e até mesmo planta medicinal, tendo propriedades antissépticas, calmantes, revigorantes e relaxantes.

Essa planta é provavelmente originária da região do Himalaia, mas também se dá muito bem em regiões tropicais. Há mais de 300 espécies de jasmim, e as verdadeiras têm folhas ovais e brilhantes, crescem em um arbusto espesso e não são venenosas.

O jasmim tem várias simbologias, a depender de cada cultura. Antigamente no Oriente, ela simbolizava a beleza feminina. O deus indiano do amor, Kama, lançava setas de flores de jasmim para despertar o amor nas pessoas (tal como um cupido). Já sua cor branca evoca a pureza. Na Itália e na França, a flor está associada ao casamento.

Fique atento a alguns cuidados que você deve ter com essa linda e delicada planta:

• O jasmim não é muito chegado a sombra, ele gosta mesmo é de sol. Então coloque-o em um local onde a incidência da luz solar seja alta. Ele também aceita a meia-sombra, desde que fique, pelo menos, umas 5 horas sob solar direta.

• Junho e novembro são os meses ideais para plantar.

• Regue preferencialmente três vezes por semana. Em épocas mais quentes, aumente a frequência de regas. Mas evite o encharcamento.

• Faça a poda e retire folhas e flores secas sempre que possível. Tente também combater a invasão de outras plantas que possam ser prejudiciais ao jasmim.

• Dentro de casa, o jasmim precisa estar em uma área que tenha boa circulação de ar. Isso também ajuda a espalhar seu aroma.

Babosa

Babosa
ek_kochetkova / Getty Images Pro / Canva

A babosa é bastante conhecida entre as mulheres que têm cabelos cacheados. E seus benefícios para as madeixas já foi reconhecido por vários fabricantes de cosméticos – há várias linhas de produtos tendo essa planta como princípio ativo. Mas além dos benefícios capilares, a babosa – ou aloe vera – tem propriedades calmantes, cicatrizantes e anestésicas.

Há várias pesquisas em torno do uso medicinal da babosa, mas suas utilidades vão além dessa esfera. São várias as possibilidades de uso dessa planta: graças a sua viscosidade, ela pode ser utilizada como adesivo natural para próteses dentárias; o óleo de sua raiz é empregado como aromatizante de pudins, gelatinas e cervejas; as fibras de suas folhas têm bastante serventia no fabrico de cordas e tecidos mais rústicos.

A babosa tem um formato muito bonito, podendo ser usada como planta ornamental, inclusive dentro de casa, dando um toque bucólico ao ambiente. É uma planta de fácil cultivo e que floresce muito – na fase adulta, pode produzir até 30 folhas novas por ano, e ainda nos fornece flores lindas e superdelicadas.

Saiba como manter seu pé de babosa lindo e sempre saudável:

• Como é uma planta rústica, ela não demanda cuidados muito complexos. Um bom solo, um vaso espaçoso e uma certa distância da terra para as folhas não apodrecerem.

• Ela tolera bem variações bruscas de temperatura, mas atenção: abaixo de 4 °C, a babosa pode morrer.

• Uma vez por semana é a frequência ideal para a rega. Mas observe sempre o solo: se ele ainda estiver úmido, não há necessidade de regar imediatamente.

• A babosa prefere locais mais quentes e precisa de muita luz solar direta, embora também aceite meia-sombra.

• Faça a poda assim que notar que as folhas estão ressecadas ou quando quiser reduzir a quantidade de mudas.

Espada-de-são-jorge

Espada-de-são-jorge
Serezniy / Getty Images / Canva

Outra planta muito conhecida dos nossos jardins. Quem nunca teve um pé de espada-de-são-jorge em casa? Muito conhecida por afastar energias ruins, como inveja e mau-olhado, ela é bastante usada como planta ornamental, até mesmo em espaços pequenos.

Mas essa planta, originária do oeste africano, também tem outras propriedades cientificamente comprovadas, como a capacidade de absorver partículas tóxicas do ar, purificando os ambientes. Então dá para unir o útil ao agradável: é uma planta linda, que protege a casa e as energias e ainda é de fácil cultivo, além de ser bastante resistente. É ótima para quem ainda não tem grande experiência em jardinagem e é uma das poucas a suportarem bem ambientes com ar-condicionado, fumaça de cigarro e clima frio.

Veja aqui algumas dicas para manter sua espada-de-são-jorge sempre linda e bem cuidada:

• Essa é uma planta que adora luz, mas também resiste muito bem a espaços com pouca luminosidade.

• Deve ser regada a cada 10 dias, em épocas mais frias. Já no verão, regar uma vez por semana já basta.

• Não se esqueça: essa planta é tóxica para animais domésticos, portanto mantenha-os longe dela.

• Para mantê-la sempre bonita e saudável, retire todas as folhas secas e cheque sempre as condições do solo.

• Apesar de ser uma planta que sobrevive sem luz, para que ela possa desintoxicar o ar, é preciso que ela esteja sob iluminação solar direta.

Violeta-africana

Violeta africana
lynnebeclu / Getty Images / Canva

Pequena, porém poderosa, a violeta-africana é uma plantinha aparentemente delicada, com lindas flores e textura aveludada. Originária do Quênia e das florestas tropicais da Tanzânia, essa planta tem propriedades estimulantes. Quem comprova isso é um estudo conduzido pela NASA, que descobriu que a violeta-africana aumenta os níveis de energia e oxigenação no corpo, estimulando a liberação de adrenalina e ajudando a relaxar. E uma coisa boa: ela não é tóxica para cães ou gatos, podendo ser cultivada sem restrições para quem tem pets em casa.

Essa é uma planta que requer mais cuidados, não sendo de tão fácil cultivo.

Por isso, fique atento às seguintes dicas:

• A violeta-africana precisa de iluminação indireta. O contato direto com a luz solar pode queimar suas folhas. Preferencialmente, coloque-a em locais onde ela possa receber a luz do amanhecer ou do entardecer.

• É uma planta que gosta de temperaturas mais amenas – entre 18 °C e 24 °C –, mas pode suportar até 32 °C. No entanto, temperaturas abaixo de 10 °C são fatais para ela.

• O solo deve estar sempre úmido, mas evite molhar as flores diretamente, pois podem apodrecer.

• A umidade do ar é melhor que a umidade do solo para essa planta. Ela deve ser regada três vezes por semana no verão. No inverno, uma vez por semana já basta. A água pode ser ligeiramente morna.

• Deve ser adubada duas vezes por semana, com fertilizantes próprios para violetas.

Cacto

Cactos
sakdam / Getty Images / Canva

Lindo e peculiar. Com cores e formatos diversos, o cacto caiu no gosto das pessoas, proporcionando aos ambientes charme e um toque de delicadeza. Algumas espécies unem farpas e espinhos a flores belíssimas e quase perfeitas.

Essa exótica planta, que é um tipo de suculenta, é muito fácil de cuidar e tem boa resistência, especialmente em locais muito quentes ou áridos, pois acumula mais água que as plantas normais. Além disso, é ideal para quem não tem grandes habilidades para a jardinagem.

Para cuidar melhor dessa planta tão singular, aqui vão algumas dicas:

• Sim, os cactos gostam de água. Apesar de conseguirem reservar mais águas que a maioria das outras plantas, eles precisam de umidade. Em dias quentes, molhe a terra uma vez por semana. Já em dias frios, faça isso a cada 15 dias. Evite o encharcamento da planta, pois ela pode apodrecer.

• Geralmente os cactos não precisam de poda, mas pode haver essa necessidade. Proteja sempre as mãos na hora de manusear os cactos, pois seus espinhos machucam de verdade.

• Mantenha seu cacto em áreas arejadas, com bastante sol e uma corrente boa de ar. No seu quarto, procure colocar o vasinho perto da janela, onde o sol possa bater e o vento possa entrar.

• Não adube demais, não regue demais, não exponha demais ao sol. Tudo em excesso faz mal. Não exagere, ou sua planta pode morrer.

• Cactos podem ser plantados em qualquer tipo de recipiente, desde que ele tenha furos para viabilizar a drenagem da água.

• Atente-se para as condições do cacto: quando ele está saudável, suas plantas são compactas e unidas. Folhas separadas e com comprimento irregular podem indicar que seu cacto precisa de mais sol.

Begônia

Begônia
lenakorzh / Getty Images / Canva

Originária principalmente da América tropical, a begônia é uma das plantas mais comuns nos jardins de casa, além de ser de fácil cultivo. É uma planta que pode ser cultivada na sombra. Portanto podemos tê-la em qualquer cantinho da nossa casa. O colorido de suas folhas é um espetáculo à parte, tornando o ambiente gracioso e mais aconchegante.

Segundo o Feng Shui, a flor da begônia simboliza fertilidade, felicidade, cordialidade e delicadeza. São mais de 1.000 espécies, e há algumas que até são comestíveis – as famosas PANC (plantas alimentícias não convencionais) –, como a azedinha-do-brejo.

Algumas espécies de begônia são ótimas para serem cultivadas dentro de casa, até mesmo em espaços pequenos, como é o caso da Begonia rex, que pode ser plantada inclusive em cachepôs.

Para saber mais como cuidar dessa linda planta que floresce o ano todo, aqui vão algumas dicas:

• As begônias gostam de clima quente e luz indireta. Evite expô-las ao vento ou ao frio.

• A temperatura ideal para essa planta é entre 20 °C e 28 °C.

• O solo precisa ter uma boa drenagem, para evitar que água fique retida.

• A rega deve ser feita a cada três ou quatro dias. É preciso manter a umidade, porém evitando o encharcamento. Não molhe diretamente as folhas e flores, pois senão elas murcham.

• Sempre remova as folhas mortas. Assim você evita a proliferação de fungos.

Suculentas

Suculentas
kynny / Getty Images Pro / Canva

Suculentas são plantas com raiz, folhas ou talos mais grossos, o que faz com que elas consigam reservar mais água do que outras plantas. Com isso, as suculentas conseguem reter líquidos por muito mais tempo, o que é uma vantagem em ambientes secos e áridos, os quais são completamente hostis para espécies que não têm as mesmas propriedades.

Já falamos aqui do cacto e da babosa, que também são suculentas. Mas trazemos um outro tipo de suculenta que você também pode cultivar em casa: a echeveria, ou rosa-de-pedra.

Essa planta tem as folhas dispostas de tal forma que parecem uma rosa tradicional (daí um dos nomes). Suas cores podem variar do verde-azulado ao castanho. É uma planta que cresce com certa rapidez, podendo chegar até 20 cm. Uma de suas variantes, a echeveria de 50 folhas, pode armazenar até meio litro de água.

Atente para os cuidados com essa planta:

• Ela gosta de sol, solo mais seco e vento. Então, o ideal é colocar o vaso perto da janela, que é o local mais ensolarado do seu quarto. Mas se você acabou de comprar um exemplar dessa plantinha, vá acostumando-a aos poucos com o sol.

• Regue sua suculenta de cima para baixo, em um vaso furado (não use prato). Mas só faça a rega quando a terra estiver bem seca.

• Em caso de um arranjo de plantas, molhe a terra com um regador. Se forem poucas plantinhas, pode regar com uma seringa.

• Adube a terra com casca de ovo triturada, uma vez a cada mês. Além de prover mais cálcio, já que esse mineral é mais demandado para plantas que pegam muito sol, a casca do ovo afasta pragas.

Lavanda

Lavanda
Mattanin / Getty Images / Canva

Também conhecida como alfazema, essa planta tem uma cor púrpura deslumbrante e um perfume delicioso. Pode ser usada como arranjo floral seco, proporcionando charme e beleza ao cantinho que decora.

O óleo essencial de lavanda é um dos mais apreciados no mundo. É usado para aromatizar ambientes e serve de base para uma infinidade de produtos cosméticos e de limpeza – de amaciantes de roupa a sprays desodorizantes. Tem propriedades calmantes, auxiliando na redução do estresse e da ansiedade, além de melhorar a qualidade do sono.

Apesar de ser quase uma unanimidade quanto às suas propriedades como aromatizante, a lavanda é bastante usada na culinária – suas pétalas têm um gosto bem adocicado, podendo ser usadas em vinhos, sorvetes e também como tempero para carnes (já que a planta é da mesma família do alecrim). Também é possível obtermos de suas flores um mel de altíssima qualidade.

Aqui no Brasil, é mais comum encontrarmos a lavanda-francesa, que tem flores de cor lilás-acinzentada e folhagem bem abundante. É uma planta bastante inteligente, pois consegue detectar quando os dias são mais longos que as noites, e então floresce o verão inteiro.

Algumas dicas de como cultivar essa planta:

• A lavanda não tolera climas extremos, portanto o ideal é uma área que não tenha muita variação climática.

• Ela deve ser preferencialmente cultivada em solos calcários, já que eles são ricos em nutrientes e estimulam o crescimento de suas raízes.

• Se for cultivá-la em vaso, o ideal é escolher um que tenha de 30 a 40 cm de diâmetro.

• A lavanda precisa de luz solar direta por algumas horas. A janela do seu quarto é o cantinho ideal para ela crescer. Fora que o vento pode espalhar seu agradável aroma.

• Para deixar a planta mais bonita, realize a poda das partes que secarem. Mas não descarte essas flores secas. Uma ótima dica é colocá-las em saquinhos e guardar na gaveta ou em outros compartimentos para perfumar roupas e ambientes.

Clorofito

Clorofito
Adkasai / Getty Images / Canva

Bastante parecida com a espada-de-são-jorge, essa planta ornamental é ideal para ser cultivada dentro de casa porque purifica o ar, pois absorve odores e fumaça. Também conhecida como paulistinha ou gravatinha, essa planta é resistente e de fácil cultivo e manutenção. Na decoração, ela é muito usada em arranjos pendentes.

Suas propriedades purificadoras foram comprovadas por uma pesquisa realizada pela NASA. Segundo os pesquisadores, essa planta tem o poder de remover substâncias tóxicas como o xileno (composto utilizado na fabricação de solventes para resinas acrílicas e na formulação de tintas de impressão e pigmentos têxteis) e o monóxido de carbono. Esses dois compostos são encontrados facilmente até mesmo dentro de nossas residências.

Aqui vão algumas dicas para cuidar dessa planta:

• Apesar de ser uma planta de sol, o clorofito não suporta bem altas temperaturas. O ideal é que ele esteja exposto a no máximo 25 °C.

• Essa planta pode ficar à sombra também, desde que não impeça o contato com a luz solar.

• A terra para plantio deve ser bem adubada, já que as raízes do clorofito são bem grossas e absorvem água e nutrientes mais rapidamente, em comparação com plantas de raízes mais finas. A adubagem precisa ser feita, no mínimo, uma vez por mês.

• Por ter essa capacidade de reservar água e nutrientes, o clorofito é uma planta forte que suporta pode aguentar alguns dias sem rega, mas não pode ser por muito tempo.

• Caso plante o clorofito em um vaso, é preciso que seja de tamanho considerável, para prover espaço para suas raízes crescerem sem riscos de serem esmagadas.

Jiboia

Jiboia
loflo69 / Getty Images / Canva

Essa é uma planta que pode ser rasteira ou trepadeira, ótima para quem ainda não tem muita experiência em jardinagem. Além disso, é bastante adaptável: se for usada em ambiente externo, transforma-se em uma cerca viva, capaz de cobrir mais de 15 metros; já dentro de sua casa, ela pode ser cultivada em vasos no chão ou pendurados, com suas folhas não chegando a crescer mais do que 15 centímetros.

A jiboia é uma planta linda, suas folhas são verdes com rajadas amarelas, em formato de pequenos corações quando jovens e bem arredondadas quando a planta já cresceu. Entre seus benefícios, destaca-se o poder que ela tem de purificar o ar.

Algumas dicas para você começar a cultivar já essa planta tropical super-resistente:

• Essa planta gosta de sombra e luz indireta. Adora água e calor, portanto temperaturas mais baixas podem prejudicá-la.

• Se você quiser fazer um paredão com a jiboia, estimule o seu rápido crescimento, colocando-a sob a luz indireta. Por exemplo, perto da janela.

• Mas se não desejar que ela se espalhe muito, pode a ponteira de seus ramos mais altos a cada 6 meses.

• Regue a jiboia duas vezes por semana e, em épocas mais quentes, aumente esse aporte de água. Já em dias mais frios, o ideal é diminuir a frequência da rega.

• Por ser uma planta tóxica para animais, é recomendado mantê-los longe dela, de preferência em uma altura que eles não alcancem.

Lírio-da-paz

Lírio da paz
abhinav dubey / Getty Images / Canva

Essa é uma planta que se adapta com bastante facilidade dentro de casa. Inclusive é uma ótima indicação para quem mora em apartamento. Além de ser adaptável, é uma espécie bem resistente a pragas. Para os místicos, o lírio-da-paz elimina as energias ruins do ambiente, seja de quem está vivo, seja de espíritos mal-intencionados. Segundo eles, a planta suga essas más energias – e quando chega ao ponto de murchar, é porque deu o máximo de sua capacidade de proteção.

Já cientificamente falando, um estudo conduzido pela NASA indica que o lírio-da-paz é capaz de eliminar gases tóxicos que podem provocar irritações no rosto, causando dor de cabeça e tosse. Suas flores aumentam a umidade do ar, o que reduz a quantidade de micróbios alergênicos em um ambiente. Seu perfume também é terapêutico, com propriedades calmantes e que relaxam a musculatura.

Aqui vão algumas dicas de como cuidar bem do seu lírio-da-paz:

• Ideal para apartamentos, essa planta prefere locais com sombra ou meia-sombra.

• A frequência da rega irá depender das condições do clima. Se ela estiver com aspecto seco, faça a rega. Mas caso ainda esteja molhada ou úmida, não há necessidade de regar imediatamente.

• Não regue as folhas diretamente – algumas borrifadas já resolvem.

• O lírio-da-paz pode ser cultivado em vasos grandes no chão, mas lembre-se: nada de luz solar direta, ou então suas folhas se queimarão e ficarão amarelas.

• Apesar de ser uma espécie resistente a pragas, caso ela seja atacada, você deverá descartar as plantas infectadas.

• Essa é uma planta muito usada no Feng Shui. Portanto aproveite esse recurso para equilibrar as energias do seu lar.

Palmeira ráfia

Palmeira ráfia
blackboard1965 / Getty Images / Canva

Bonita, elegante, fácil de cuidar e totalmente adaptável a ambientes internos, essa palmeira de origem asiática apresenta múltiplos caules rústicos e folhas verde-escuras radiantes. É uma planta de fácil cultivo e, por se desenvolver bem em ambientes fechados, é muito usada para a decoração do interior das casas.

Essa planta é tida como um bom atrativo de riqueza e prosperidade, sendo indicada, por essa razão, para ornamentar escritórios e outros locais e trabalho. É ótima para nossa saúde, pois ajuda a purificar o ar, eliminando gases tóxicos e impurezas.

Veja como cuidar dessa planta ornamental:

• A ráfia gosta de meia-sombra, mas suporta ambientes com sol ou totalmente na sombra.

• Ela pode ser plantada em vasos ou em canteiros. Para ambientes internos, certifique-se de que vá ter espaço (especialmente altura) e um vaso adequado ao seu tamanho, já que essa palmeira pode atingir até 2 metros.

• A rega deve ser feita pelo menos uma vez por semana. Em épocas de mais calor, essa frequência deve aumentar. Borrifar as suas folhas é benéfico para ela. Evite encharcar o solo e garanta uma boa drenagem, usando pedriscos no fundo do vaso.

• Evite ambientes com ar-condicionado, pois o frio seco desses aparelhos pode queimar as pontas de suas folhas – se isso ocorrer, borrife água nelas.

• Se você deseja conter o crescimento da ráfia, realize a poda sempre que achar necessário. É recomendado podar também caso as folhas estejam escuras, queimadas ou manchadas.

Citronela

Citronela
AwakenedEye / Getty Images / Canva

Essa gramínea de origem asiática já é conhecida aqui no Brasil por fornecer um ótimo repelente de insetos. Parente do capim-limão, a citronela também tem um perfume agradável com propriedades calmantes.

O óleo essencial dessa planta é rico em geraniol e citronelal, responsáveis pelo perfume característico. Além do poder repelente, também é usada na produção de cosméticos e tem propriedades anti-inflamatórias. Suas folhas podem ser queimadas e usadas como incenso ou fervidas em água para limpeza de pisos. O chá da citronela também pode ser usado no banho dos seus pets, pois espanta pulgas e carrapatos (atente-se ao fato de que a planta pode causar alergia, então teste antes de usar).

Veja como é fácil manter essa planta em casa:

• Essa espécie é bem habituada ao clima tropical, então adora receber sol por algumas horas e precisa de muita luz (desde que seja bem hidratada).

• Tenha cuidado com as suas folhas, pois elas são cortantes. O ideal é usar luvas quando for manusear a planta.

• Para cultivar a citronela dentro de casa, coloque-a em vasos menores. Assim ela não cresce tanto a ponto de se tornar uma touceira.

• A citronela gosta de água em abundância, porém não suporta encharcamento. Então pode molhar bem a terra, evitando apenas o exagero.

Samambaia

Samambaia
Jeerayut Rianwed / Getty Images / Canva

Essa é a clássica planta de vasos pendentes para áreas internas da casa. Quem é que nunca teve pelo menos um xaxim com samambaia na sala? Muito popular no Brasil, essa planta tropical apresenta mais de dez mil espécies diferentes ao redor do mundo. É uma planta que precisa de sol e tem uma facilidade enorme de ser germinada – basta a ação do vento, e a samambaia se multiplica no ambiente.

Sua folhagem exuberante cresce para baixo, como se fosse uma cachoeira, o que a torna uma planta excelente para ser pendurada ou colocada sobre um aparador. Para o Feng Shui, a samambaia ativa o setor da prosperidade, graças à forma como suas folhas crescem, simulando uma cascata de abundância.

Curiosidade: o nome “samambaia” é de origem tupi-guarani e significa “o que torce”, ou “que se torce em espiral”.

Veja como cuidar da sua samambaia, para mantê-la sempre linda e frondosa:

• A samambaia é sensível ao vento, o que faz dela uma planta ideal para interiores. Sendo assim, evite colocá-la muito perto da janela ou de correntes de ar.

• Evite também expor a planta ao ar-condicionado, pois o frio resseca suas folhas.

• Ela gosta muito de sol, não tendo restrições quanto ao tempo de exposição. Coloque sua samambaia para tomar um sol ao menos pela manhã.

• A rega deve ser feita três vezes por semana. No verão ou em épocas de temperaturas mais elevadas, aumente essa frequência. Evite o excesso de água – encharcar suas raízes pode ser fatal para a samambaia.

• É recomendável podar as folhas assim que elas amarelarem e também retirar as mudas que vão brotando em volta.

Gostou das dicas? Já começou a se preparar para decorar o seu quarto com uma destas plantas? Aproveite para começar pelas que dão menos trabalho e requerem pouca experiência.

Você também pode gostar

À medida que você for se familiarizando com o cultivo, experimente “subir de nível” e partir para as plantas que demandem maior complexidade. Você vai ver como é gostoso e relaxante cuidar de um jardim, mesmo dentro de casa.

Sem falar nos benefícios que já mencionamos aqui, ter uma planta – ou várias – em casa só aumenta o bem-estar. Do corpo e da mente. É uma verdadeira terapia, você vai amar!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]