Energia em Equilíbrio Meditação

Comprovação da meditação pela ciência

Grupo de pessoas meditando em uma sala, lado a lado.
Foto: dolgachov / 123RF
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Para muitas pessoas, a receita para se livrar de problemas e doenças é simplesmente fechar os olhos e se conectar consigo. A meditação é uma prática muito frequente e vem demonstrando resultados positivos ao longo dos anos.

Ultimamente, a ciência está descobrindo que os benefícios da meditação são muitos e que comprovadamente vão muito além só do relaxamento. Se você quer entender como essa prática milenar está sendo analisada pelas pessoas que estudam a biologia dos nossos corpos, confira cada um dos tópicos a seguir!

Do passado ao presente

Mãos de uma pessoa sentada, que usa roupas budistas tradicionais.
Foto: Pexels / Pixabay

Meditação é o nome da atividade que tem como objetivo concentrar a atenção em um pensamento, em um objeto ou em uma questão a ser resolvida. No Oriente, onde surgiu, sobretudo na Índia, essa prática tem como objetivo alcançar uma elevação espiritual e maior clareza de pensamentos.

É comum, nesse caso, que as pessoas que realizam meditação tenham dificuldade de mantê-la, já que é preciso lidar com questões sobre si que nem sempre trazem prazer quando são analisadas. No entanto essa é a forma mais tradicional de meditar.

Com o tempo, a prática se popularizou também no Ocidente, mas com um sentido de garantir relaxamento, não mais de realizar uma reflexão sobre si. Apesar disso, houve alguns esforços para retornar a meditação ao que era no princípio.

A prática de yoga é um exemplo disso, visto que esse exercício busca a conexão entre corpo e mente. Outro exemplo é o guru indiano Maharishi Mahesh Yogi, que tentou convencer a banda Beatles a atravessar o planeta para aprender como meditar da maneira correta.

Atualmente, a meditação é utilizada de inúmeras formas, seja para desenvolver autoconhecimento ou para lidar melhor com situações estressantes. Mas foi só a partir de 2010 que ela foi reconhecida pela ciência como uma prática benéfica para a saúde do corpo e da mente.

Meditação e ciência

Duas pessoas sentadas no chão, em pose de lótus, meditando.
Foto de Polina Tankilevitch no Pexels

Para que a ciência comprove a eficácia de algum medicamento ou de alguma prática, são realizados testes com grupos de pessoas que fazem uso desse objeto de estudo e com grupos de pessoas que não fazem uso dele. Com a meditação, os testes foram conduzidos dessa forma.

Assim sendo, comparando o comportamento do cérebro de praticantes de meditação durante situações estressantes ao funcionamento do cérebro de quem não a pratica, foram identificadas diferenças relevantes.

Um estudo realizado com 15 voluntários pela Wake Forest Baptist Medical Center, dos Estados Unidos da América, em 2013, revelou as seguintes mudanças no cérebro de quem pratica a meditação: aumento da atividade do córtex cingulado anterior (área totalmente responsável pela atenção e concentração), do córtex pré-frontal (ligado à coordenação motora) e do hipocampo, área responsável por armazenar a memória.

Você também pode gostar

Também foi constatado que, além de estimular o cérebro, a meditação pode acionar a amígdala, que é responsável por regular as emoções, sendo responsável pela sensação de relaxamento que muitas pessoas sentem a partir da meditação.

No ano seguinte, em 2014, foi realizada uma nova pesquisa, dessa vez pela Universidade de Harvard, também dos Estados Unidos da América, liderada pela cientista Sara Lazar. O estudo observou a capacidade cognitiva de pessoas de meia-idade que praticaram meditação pela maior parte de suas vidas e constatou que elas tinham o cérebro de uma pessoa de 25 anos, em quantidade de neurônios.

Essas descobertas comprovaram que a meditação pode preservar a saúde mental de uma pessoa por mais tempo, além de combater doenças relacionadas ao hipocampo, como depressão e demência. A seguir, veja quais são os outros benefícios da meditação comprovados pela ciência!

Benefícios da meditação, segundo a ciência

1) Lidar melhor com situações de estresse

Mulher calma, meditando, enquanto dois homens gritam com ela em ambiente de trabalho
Foto: Aleksandr Davydov / 123RF

Uma pessoa se sente estressada quando precisa realizar atividades que demandam muita energia ou que não apresentam uma solução simples. Rapidamente, ela se sente impotente e sobrecarregada, podendo até mesmo desenvolver ansiedade.

Com a meditação, no entanto, o cérebro terá uma tendência a lidar melhor com situações estressantes. Isso não significa que o estresse deixará de existir, mas que será possível olhar para ele compreendendo sua origem, a fim de conseguir realizar outras atividades sem que esse sentimento seja limitante.

2) Aumento da resposta imunológica do corpo

Mulher sentada no chão, meditando.
Foto de Karolina Grabowska no Pexels

Quando uma pessoa não dedica tempo para cuidar do próprio corpo, é provável que seja afetada por resfriados e viroses com mais facilidade. A imunidade pode ser reduzida, se forem mantidos hábitos ruins de sono e de alimentação, por exemplo, que podem ser frutos de má gestão do tempo.

Ao praticar meditação, uma pessoa será capaz de dedicar mais atenção para cada atividade do seu dia, além de sentir mais facilidade para organizar a própria rotina. Reservar 20 minutos diários para relaxar o cérebro já garantirá que a sua resposta imunológica seja maior do que seria se a sua rotina fosse sempre exaustiva e atribulada.

3) Combate à depressão

Grupo de pessoas em uma sala, sentados no chão, sorrindo e meditando.
Foto de Gustavo Fring no Pexels

A depressão é um transtorno mental que atinge pessoas de todas as faixas etárias. Nem sempre há uma causa específica para esse problema, por isso é importante sempre realizar acompanhamento psicológico. No entanto refletir sobre si e sobre as questões que te cercam pode ser uma forma de se sentir menos depressivo(a).

A meditação é uma prática que pode ser usada como forma de autoconhecimento. Lidar com seus traumas e com as situações que causam sentimentos negativos em você é possível a partir desse exercício de reflexão. Sempre com acompanhamento médico, a meditação pode ser um dos fatores que evitará o desenvolvimento da depressão.

4) Aumento da capacidade de se concentrar

Mulher sentada no chão ao lado de seu cachorro, meditando.
Foto de cottonbro no Pexels

Para muitas pessoas, concentrar-se em uma atividade enquanto outras coisas estão acontecendo pode ser um desafio. Há transtornos mentais que causam esse problema, então é importante investigá-lo. Em outros casos, porém, a meditação pode ser uma prática eficiente para aumentar a capacidade de concentração.

Durante a meditação, você precisará direcionar a sua atenção para algo, seja para uma parte do seu corpo ou para uma questão sobre a qual você deseja refletir. Ao realizar esse exercício com frequência, a sua mente estará treinada para dedicar atenção plena a uma atividade de cada vez, favorecendo até mesmo a sua organização.

5) Melhoria na qualidade do sono

Homem sentado no chão, sem camisa, meditando.
Foto de cottonbro no Pexels

Muitas pessoas sabem que dormir bem é essencial para preservar a saúde do corpo e da mente, mas poucas conseguem colocar isso em prática. Uma rotina corrida e muitas tarefas para realizar são questões que podem dificultar uma boa noite de sono. A meditação, nesse sentido, é um método que pode ajudar.

Reservar alguns minutos do final do dia para meditar é trará relaxamento para o seu corpo. Dessa forma será mais fácil adormecer e permanecer dormindo pelo tempo ideal, limpando da sua mente todas as preocupações que perturbam você durante a noite. Faça o teste!

A meditação é uma prática milenar que teve a eficácia comprovada pela medicina. Se você quer trazer esse exercício para a sua vida, portanto, procure canais de meditação guiada, busque aulas de yoga e dedique um tempo do seu dia para desenvolver a sua capacidade de cuidar do seu corpo e da sua mente!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]