Nutrição

Antes de largar o açúcar, faça isso

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Pensando em largar o açúcar? Primeiro faça estas 5 coisas

Nós vivemos em uma cultura em que o açúcar é praticamente inevitável e, na maior parte das vezes, indispensável. E ele aparece de diversas formas, portando nomes crípticos como dextrose anidra, frutose cristalina e suco de cana evaporado. O açúcar por si só é um carboidrato refinado e a fonte de calorias que nossos corpos usam para armazenar energia ou gordura. Por falar nisso, o açúcar não é ruim: ele é encontrado naturalmente em frutas e em outros alimentos que nos fornecem os nutrientes necessários para a nossa sobrevivência. Mas o excesso de açúcar, inclusive aqueles colocados no nosso dia a dia sem que percebamos, não nos faz bem. 

Você sabia que consumir açúcar faz com que o cérebro libere dopamina, o mesmo neurotransmissor ligado ao uso da cocaína? Ele te deixa mais animado e depois te desanima, fazendo com que queira repetir a dose. Um ciclo perigoso com certeza e que muitos de nós relacionam com o que chamamos carinhosamente de “goma de açúcar”. Costumamos associar essa palavra às crianças, principalmente porque nossos corpos de adultos estão tão acostumados com esse ciclo que nem percebemos mais que temos sofrido nossas vidas inteiras com o excesso de açúcar. Aumento do apetite, insônia, dispersão, conversas mentais, depressão e outros sintomas muito piores gerados a partir do consumo desse ingrediente.

Em 1989, a Organização Mundial da Saúde recomendou que os adultos reduzissem seu consumo de açúcar em apenas 10% da sua ingestão diária. E novamente em 2002. E mais recentemente, em 2015, sugeriu que fosse reduzido mais 5% do consumo de energia diário. Isso significa que nós, como população, temos ignorado esses avisos por volta de duas décadas. Fora isso, a indústria de alimentos tornou-se cada vez mais esperta quanto à adição do açúcar nos alimentos até agora — quase 75% dos alimentos nas prateleiras contém açúcares e adoçantes. Eles sabem que o consumo excessivo do açúcar faz com que desejemos mais, então é do interesse deles que continuamos a consumir, sem saber o que estamos consumindo.

Sabendo de tudo isso, você está buscando ter uma vida mais saudável e sob controle. Você não está sozinho. Descubra agora como embarcar nessa jornada com mais chances de sucesso:

1. Escreva o que come

Comprometimento é tudo quando falamos sobre adquirir novos hábitos. Visualizar o que você tem colocado no seu corpo escrevendo ou contabilizando num aplicativo são as melhores formas de ver o quanto a sua comida e os seus nutrientes são uma mentira. Você não quer ficar obcecado sobre cada mordida que dá, mas visualizar a maior parte das calorias que você consome vai te ajudar a elaborar uma nova rotina.

Também sugiro que escreva os objetivos que pretende alcançar durante esse tempo. Não seja muito radical, estabeleça pequenas metas a cada semana e vá aumentando. Leia seus objetivos em voz alta todo dia e medite sobre eles. Todo dia, encontre um tempo para notificar ou refletir sobre como você se saiu. Se tiver um contratempo, então poderá compensar no dia seguinte. Mas comprometa-se e torne seus objetivos reais escrevendo-os.

2. Alimente seu corpo adequadamente

Em geral, você quer consumir calorias através de uma dieta balanceada de macronutrientes como proteínas, carboidratos e gorduras saudáveis. Se você se concentrar em comer adequadamente — se livrando o máximo possível de alimentos processados —, será capaz de cumprir com seu plano alimentício.

A proteína ajuda seu corpo a se sentir satisfeito por mais tempo, assim, aumentar o consumo dela na sua dieta diminuirá a compulsão, principalmente na hora do lanche. Tente comer nozes e iogurtes e incorpore mais ovos e carnes magras nas suas refeições. Seu corpo vai te agradecer por isso.

Os carboidratos se dividem em 3 categorias — açúcares, amido e fibras —, mas o organismo divide os carboidratos completos em açúcares simples. Tem pensado naquelas batatas fritas, pão e sushi? A sua fixação por açúcar se origina no excesso de carboidratos. Evite os farelos de trigo brancos e refinados, como arroz, massas, e pães — e opte por nozes, sementes e grãos integrais. Se o carboidrato está em sua forma natural, então é uma boa escolha. Quando sua vontade estiver em alta, invista em alimentos ricos em fibras — como grãos integrais, frutas e vegetais — para encher a sua barriga e manter seu sistema digestivo funcionando. E não fique preso no jogo de alimentos! Coma ovos no jantar, abacate no café da manhã e aveia no almoço.

3. Utilize óleo essencial de hortelã-pimenta

Uma das formas mais fáceis de começar o seu dia é utilizar óleos de ótima qualidade para treinar o seu cérebro a resistir aos desejos do açúcar e para revitalizar a sua vida. Várias pesquisas têm sido feitas sobre a relação dos óleos essenciais e a vontade de comer. O mais famoso é o estudo feito pelo Dr. Alan Hirsch, que descobriu que o óleo de hortelã-pimenta é ótimo para reduzir esse desejo. Simplesmente inalar o cheiro desse óleo acorda os sentidos e permite que o cérebro se concentre no que está acontecendo agora. Mesmo que seja difícil de acreditar que um odor possa te manter longe do açúcar, a aromaterapia pode ser a chave para muitas das preocupações relacionadas à saúde, como uma maneira totalmente natural de cuidar da vitalidade e do bem-estar.

Outros óleos essenciais que podem ajudar a conter o desejo são a pimenta preta, bergamota, cássia, canela, cravo, ervaidoce, toranja, limão, manjerona e laranja selvagem. Enquanto você prefere encher os seus sentidos com odores açucarados, eu prefiro os que tonificam os meus sentidos, como o hortelã-pimenta e os óleos de citrino.

4. Distraia-se do desejo

O desejo pelo açúcar pode aparecer todos os dias nos mesmos horários — no meio da manhã, meio da tarde e tarde da noite logo antes de dormir. Conecte-se com seu corpo e tente reconhecer se ele realmente precisa desse alimento como combustível. Beba um copo de água para ver se esse desejo não passa. Se não passar, é hora de se cuidar.

Procure pelos óleos essenciais! Colocar uma gota ou duas em uma bola de algodão no lenço ou num difusor vai ajudá-lo como um plano B. Hortelã-pimenta e toranja são os meus favoritos.

Exercite-se! Vá caminhar. Levante-se e se mexa. Faça exercícios regularmente e chame seus amigos para que a hora do social não se resuma apenas a comer e beber. O hortelã-pimenta e a toranja podem inclusive te ajudar a querer ficar mais em movimento. Se você ainda não tiver experimentado o yoga, eu recomendo não apenas para alongar o corpo e tonificar o físico, mas também para dar à mente e ao corpo um tempo propício para se conectarem e entrarem em contato um com o outro. Adicionar óleos essenciais, como cedro e patchouli, vai ajudá-lo a centralizar e focalizar a sua mente, permitindo um estado de consciência ainda mais profundo.

Medite! Encontre um tempo para si mesmo e concentre-se no que realmente importa na sua vida. As chances do açúcar estar no topo dessa lista são poucas. Encontre sua paixão, estabeleça o equilíbrio na sua vida e procure a paz e a felicidade, amando a si mesmo o suficiente para quebrar esse hábito de consumir açúcar. Se você se concentrar numa afirmação positiva durante o yoga, algo como “eu sou o suficiente” ou “o açúcar não tem poder sobre mim”, estará preparando seu corpo para reagir bem a essa mensagem.

5. Descubra sua real necessidade por açúcar com essas três perguntas

Para muitos de nós, o açúcar tem sido uma recompensa desde criança. Obedeça e ganhará um pirulito; termine seu jantar e ganhe a sobremesa; vamos comemorar com um sorvete. Nossas mentes têm sido condicionadas a pensar que toda coisa boa que fazemos merece uma gratificação e, para muitas pessoas, é o açúcar.

Ainda mais comum é associar o açúcar à vida social. Quando você sai com seus amigos, você toma uma bebida mista? Você come uma sobremesa ou algo que normalmente não faria em casa? Mime-se ocasionalmente, não habitualmente.

E quanto aos momentos estressantes, de dor ou aquelas épocas específicas do mês? Quando transformamos o açúcar num alimento de conforto, treinamos nossos corpos a desejá-lo a todo momento quando nos encontramos nessas situações emocionais. Permita-se expressar as suas emoções, ao invés de mascará-las com o açúcar.

Os óleos essenciais também podem te ajudar nesses momentos. Lavanda e ylang-ylang contêm incríveis propriedades calmantes que ajudam o corpo a se livrar do estresse e da ansiedade. Misturar e equilibrar óleos como patchouli, madeira de cedro e incenso pode ajudar o corpo a se acalmar, reequilibrar e recuperar o controle perdido com distrações. E, para aquela semana terrível do mês das mulheres, o óleo essencial de salvia sclarea é ótimo para aliviar os sintomas e recuperar o controle dos hormônios.

Lembra-se das anotações que falamos anteriormente? Conforme for escrevendo o que come, você pode começar a perceber seus padrões de consumo de açúcar. Olhe para eles e veja se consegue perceber onde tem mais desejo. Então, escreva uma alternativa para isso. O que você fará quando se vir nessa situação de novo? Faça um plano e trabalhe em cima dele!

Comece com um hábito de consciência — esteja ciente sobre os rótulos que ingere, dos momentos que sente a necessidade desse alimento e sobre seu bem-estar pessoal.
Aqui está a verdade sobre se livrar do açúcar: todos temos coisas a mudar nas nossas dietas, nas nossas vidas e nas nossas mentes.

O açúcar pode ser apenas o começo. Não o corte drasticamente da sua vida, causando uma desintoxicação desconfortável. Vá devagar e deixe seu corpo se ajustar. Utilize óleos essenciais de qualidade para focar a sua mente e o seu corpo a confiarem menos no açúcar e mais no poder da aromaterapia. Só você pode fazer essa mudança na sua vida e substituir o açúcar por um estilo de vida positivo que alimentará sua mente, seu corpo e a sua alma.


Escrito por Amanda Magliaro Prieto da equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]