Saúde Integral

10 ervas anti-inflamatórias: Conheça suas funções

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Inflamações são respostas do organismo a lesões ou infecções. Os principais sintomas são calor, inchaço, vermelhidão e dor e podem ser crônicas ou agudas. As inflamações crônicas têm duração superior a 3 meses e as agudas possuem duração bem menor.

O primeiro anti-inflamatório, o ácido acetil salicílico, surgiu no final do século 19. De lá para cá vários remédios surgiram, mas você sabia que as ervas também podem ajudar? Conheça 10 ervas anti-inflamatórias e suas formas de utilização.

Gengibre

Planta herbácea nativa da Índia, Ilha de Java e China, o gengibre é muito usado na culinária. O gingerol combate as inflamações e age nos receptores e terminações nervosas. Pesquisas indicam que pacientes com artrite que tomaram suplementos de gengibre apresentaram redução da dor e inchaço. O gengibre também diminui dores de inflamação nos joelhos.

Contraindicações: gestantes, mulheres amamentando, pessoas com pedra na vesícula e que utilizam medicamentos anticoagulantes.

Cúrcuma

Também conhecido como “açafrão da terra”, a cúrcuma é nativa da Ásia e pertence à família do gengibre. O tempero é o responsável pelo amarelado do curry, famosa especiaria indiana e é usada no preparo da mostarda.

A curcumina, ingrediente ativo, tem propriedades anti-inflamatórias. A raiz da cúrcuma também possui esta característica e sua utilização é difundida nas medicinas indiana e chinesa.

A ação anti-inflamatória da cúrcuma é tão poderosa que supera o ibuprofeno e ácido acetil salicílico, segundo estudo publicado na revista americana Oncogene. Por exemplo, o tempero reduz os sintomas da uveíte (inflamação intraocular) e também da inflamação dos rins. A quantidade diária ideal é de 400 a 600 gramas.

Contraindicações: pessoas com histórico de alergias.

Pimenta caiena

Popularmente chamada de “dedo de moça”, a pimenta caiena tem esse nome devido à cidade de Caiena (Guiana Francesa). México, Índia e Estados Unidos são os países que mais usam a “rainha das ervas” na culinária.

A capsaicina, composto responsável pelo ardor das pimentas alivia as inflamações. Esta substância dificulta a atividade da Substância P que envia o alerta de dor ao cérebro. Pessoas com dores musculares e articulares devem incluir a pimenta caiena na dieta ou aplicar a pomada, veja como fazer a pomada:

  • 2 colheres de sopa de pimenta caiena;
  • ½ xícara de óleo de coco ou manteiga de cacau.

Modo de preparo e utilização

Misture bem os ingredientes e massageie suavemente o local.

Contraindicações: gestantes, mulheres amamentando, diabéticos e pessoas com problemas estomacais não devem consumir a pimenta caiena sem orientação médica. Faça um teste colocando uma pequena quantidade atrás da orelha e não use se tiver alguma reação.

Manjericão

Original da África, Ásia e Índia, este tempero é usado como medicamento desde a Grécia Antiga. É um anti-inflamatório que fornece ferro, cálcio, cobre, manganês, ômega 3 e vitaminas A, C e K. O manjericão diminui o inchaço comum da artrite e possui ação semelhante aos principais remédios anti-inflamatórios.

Contraindicações: gestantes, mulheres amamentando e menores de 12 anos.

Salsa

Original do Mediterrâneo, a salsa é um tempero muito comum no Brasil e fornece vitaminas A, B 12, C e K. A luteolina é o responsável pela eficácia contra as inflamações. O chá de salsa ajuda a prevenir a artrite reumatoide e a osteoatrite. Se consumido com aspargos, a salsa torna-se ainda mais potente.

Modo de preparo e consumo do chá

Lave um maço de salsa e pique o correspondente a 2 colheres de sopa. Deixe a erva ferver em 500 ml de água por 5 minutos. Após esse tempo, tampe a panela por 10 minutos até amornar e beba. Tome o chá 2 vezes por dia por duas semanas.

Contraindicações: gestantes, mulheres com fluxo menstrual intenso, diabéticos, doentes renais, alérgicos e pessoas com pressão baixa.

[block]1[/block]
Erva baleeira

O “anti-inflamatório natural do Brasil” é um arbusto nativo da Mata Atlântica. A ação medicinal vem do óleo essencial utilizado em massagens que tratam dores musculares, artrites, reumatismo e nevralgias. Massagens com cremes e géis à base de erva baleeira também são eficazes.

O chá também é benéfico no tratamento das inflamações. Para fazer, ferva 5 folhas em meio litro de água. Molhe uma compressa na bebida e coloque na área afetada.

Para a sua segurança, compre a erva baleeira dentro de pacotes lacrados em casas especializadas.

Contraindicações: não há registros.

Artemísia

Planta originária das áreas montanhosas da Península Balcânica, a artemísia bloqueia a produção de prostaglandinas, substâncias responsáveis pelas inflamações. As propriedades anti-inflamatórias são superiores aos chamados anti-inflamatórios não esteroides.

Pesquisa realizada em 1980 na Grã-Bretanha revelou que o consumo diário de cápsulas de folhas secas de artemísia ajudam a aliviar crises de enxaqueca. A planta ainda atua contra as dores da artrite reumatoide.

Contraindicações: pessoas que tomam remédios anticoagulantes devem procurar orientação médica. Para o público em geral a recomendação também se aplica.

Malva

Encontrada no sul do Brasil, a malva trata inflamações bucais como gengivite e periodontite. Pesquisadores da Universidade Federal do Paraná e a Universidade Estadual de Ponta Grossa comprovaram que a malva diminui a quantidade de moléculas causadoras dessas inflamações.

O chá traz muitos benefícios e pode ser ingerido 4 vezes por dia. Aprenda como fazer:

Modo de preparo e consumo do chá

Coloque 2 colheres de sopa de malva em uma xícara de água fervente. Mantenha a infusão por 10 minutos, coe e beba.

Contraindicações: gestantes e mulheres amamentando.

Alcaçuz

Planta da família das leguminosas, o alcaçuz é nativo da Europa e Ásia. É 15 vezes mais doce que a cana e possui considerável poder anti-inflamatório. O alcaçuz reduz a rigidez, dor muscular, alivia os sintomas da artrite reumatoide de polimialgia reumática. A planta ainda é benéfica para inflamações bucais.

Contraindicações: gestantes, hipertensos e pessoas com problemas renais.

Boswellia

Conhecido como “incenso indiano”, a boswellia é nativa da Índia e Arábia Saudita. Tem esse nome porque é empregada na fabricação de incensos. Muito utilizada na Medicina Ayurveda é um poderoso anti-inflamatório. Pesquisas revelam que o extrato de boswellia é eficaz no tratamento da colite, inflamação no intestino grosso. Voluntários que ingeriram 400 mg, três vezes por dia por seis semanas, apresentaram melhoras nos sintomas. A boswellia também reduz os sintomas de osteoartrite e artrite reumatoide.

Contraindicações: pessoas com problemas gastrointestinais devem consultar o médico.

Siga as orientações de uso e aproveite os benefícios das ervas anti-inflamatórias. Não esqueça de nos contar o que sentiu após o consumo.

Atenção: as ervas não substituem nenhum medicamento.


Texto escrito por Sumaia de Santana Salgado da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]