Energia em Equilíbrio

Cinco dicas para praticar meditação

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

A meditação é um estado de profunda concentração mental. O termo vem do latim meditare, “voltar-se para o centro no sentido de desligar-se do mundo exterior” e “voltar a atenção para dentro de si”. Surgiu na Índia há mais de 5 mil anos antes de Cristo. A técnica era praticada pela civilização védica. Esta civilização é a mais antiga do mundo. O nome vem dos Vedas, quatro obras escritas em sânscrito védico, idioma que originou o sânscrito clássico. A meditação é constantemente associada à espiritualidade. Mas, a técnica é antes de tudo um processo de aprimoramento pessoal e encontro com a essência. A meditação é uma prática em filosofias religiosas orientais e artes marciais. Confira algumas delas:

Filosofias religiosas do oriente

Bramanismo

Fruto da religião Védica. O famoso sistema de castas tem origem do corpo de Brahman, deus que criou o universo. Da cabeça surgiram os Brâmanes, seres com ares quase divinais que detinham o monopólio da religião. Dos braços de Brahman nasceu a casta dos Kshátriyas, os nobres e os guerreiros. Das pernas surgiram os Vaiciais, agricultores e comerciantes. Dos pés de Brahman nasceram os Sudras, pessoas de pele mais escura, que trabalhavam como artesãos e também os escravos. Os Parias ou Chandâlas eram pessoas que não pertenciam a nenhuma casta, por isso, chamados de “os sem berço”

Budismo

Religião e filosofia indiana criada por Sidarta Gautama (Buda) por volta do século VI a.C. No budismo, o que fazemos nessa vida é levado para a outra (carma). A pureza espiritual vem quando encaramos os sofrimentos. Neste momento as reencarnações acabam. Existem cinco comportamentos morais capazes de amenizar o carma da próxima encarnação: tratar bem os seres vivos, não roubar, não caluniar ou difamar, não mentir e evitar drogas/estimulantes. Os budistas costumam ser vegetarianos.

Tantra

O tantra era secreto até o século V d.C. Essa filosofia comportamental tem por objetivo o desenvolvimento físico, mental e espiritual. O masculino é representado por Shiva e Shakti e o feminino pelas forças yin e yang. No tantra, há um equilíbrio entre prazeres materiais e intenções espirituais. O sexo tântrico é uma das práticas dessa filosofia. A exploração da sexualidade ocorre pelo contato visual, toque e exploração dos sentidos. O sexo tântrico é uma das maneiras para alcançar a plenitude mental e espiritual.

Outras filosofias religiosas

Sufismo

A meditação cresceu de maneira independente no sufismo. Na corrente mística do islamismo, o espírito humano vem do espírito divino. O canto e a dança são maneiras de entrar em contato com o divino. Os praticantes do sufismo buscam viver uma experiência mais próxima a Deus. Os autores mais conhecidos do sufismo são: Omar Khayyam (1048-1131), Al-Ghazali (1058-1111) e Rumi (1207-1273). As obras foram traduzidas por filósofos, escritores e teólogos ocidentais.

Artes marciais

– I-chuan

A tradução literal é “boxe do pensamento”. Criado em 1920 pelo mestre Wang Xiangzhai, o I-chuan trabalha com o chi (energia vital) e não com a força física. A arte marcial é apoiada no Zhan Zhuang série de exercícios que acabam com o estresse, preocupações, cansaço físico/mental e tudo o que atrapalhe o fluxo externo de energia. O I-chuan é tido como a arte marcial perfeita.

– Tai chi chuan

Arte marcial chinesa criada na observação da natureza. Essa meditação em movimento harmoniza corpo e mente. O resultado é o equilíbrio físico, psíquico e energético. A prática traz vários benefícios, tranquilidade, coordenação motora, fortalecimento do sistema imunológico, entre outros. O tai chi chuan é uma das artes marciais mais praticadas no mundo.

Objetivos da meditação

A meditação um encontro de volta a essência. O autoconhecimento e o autocontrole são os objetivos. A prática harmoniza corpo, mente, emoções e o campo energético. Com a meditação, a pessoa percebe a si e o mundo de outra forma, consequentemente abandona hábitos destrutivos. A técnica exige preparação física e do ambiente. A meditação deve ser feita em local limpo, arejado e silencioso. O quarto de dormir é o lugar mais recomendável.

Você pode meditar com as pernas cruzadas no estilo oriental (postura de lótus), ou então, de barriga para cima, com as pernas esticadas e os pés unidos. A postura de lótus é a melhor, pois, ela estabiliza o corpo. Veja como seu corpo deve estar durante a meditação com as pernas cruzadas:

  • Sem roupas justas, joias, relógios, óculos e cintos. Seu corpo precisa estar livre para receber boas energias.
  • Sentar em almofada ou colchonete confortável.
  • A coluna, pescoço e cabeça devem estar retos.
  • Não apoiar a coluna em nada. Na meditação, a energia entra na coluna e espalha pelo corpo.
  • Rosto relaxado. Um sorriso leve e sincero ajuda a relaxar a musculatura facial.
  • Mãos sobre o colo. Um dorso sobre a palma da outra mão. O suave toque das pontas dos polegares estimula a circulação de energia.
  • O maxilar e a boca ligeiramente cerrados. Ponta da língua deve estar suavemente atrás dos dentes superiores.
  • Para os iniciantes, olhos ligeiramente abertos e fixos em um ponto imaginário, a uma distância de um metro.
  • Joelhos aquecidos. Caso estiver frio, cobri-los com toalha ou manta. Isso é necessário porque a circulação desacelera.
  • Respiração lenta e profunda. Inspire pelo nariz e expire pela boca. Quando expirar, faça de conta que seu corpo está se livrando das impurezas. Repita o exercício, caso não ficar relaxado.

As técnicas mais utilizadas são:

  • Auditivo: repetição de nomes sagrados, mantras e orações.
  • Visual: exames dos seres da natureza ou objetos.
  • Cinestesia: estímulos que nos levam a consciência do movimento, corpo, peso, resistência e posição do corpo.
Por que meditar?

Podemos dividir os benefícios em físico e mental. Vamos listar cada
um desses parâmetros.

Físico

  • Ameniza dores de cabeça, musculares e nas articulações.
  • Aumenta a produção de serotonina, hormônio ligado ao bom humor.

Mental

  • Aumenta a intuição.
  • Aumenta a criatividade.
  • Estabilidade emocional.
Meditação para crianças

Meditar faz bem a todas as idades. E as crianças também se beneficiam. Elas podem ser apresentadas a técnica a partir dos 8 anos. Dalai Lama explica porque a importância da meditação infantil: “se ensinarmos a meditação a cada criança de oito anos, eliminaremos a violência em apenas uma geração”. Não há estudos sobre isso, porém, já está comprovado que a meditação melhora a concentração das crianças. Pesquisadores da universidade de Cambridge (Inglaterra) avaliaram 30 crianças de 10 e 11 anos em um curso rápido de meditação. Os pesquisadores perceberam que as crianças tiveram melhorias no desempenho escolar. O estudo abre margem para o tratamento de crianças com hiperatividade e déficit de atenção.

Celular, tablets, jogos virtuais… Como desconectar as crianças da tecnologia e levar para a meditação? Obviamente não é de uma hora para outra. O ideal é começar com um minuto por dia, sempre após ouvir uma história ou direcionamento. Você pode dizer “feche os olhinhos, pense no ar que está enchendo o seu peito, conte… ar entrando, ar saindo… ar entrando, ar saindo… agora preste atenção no toque do sino…”. Uma iniciativa interessante é o do templo de budismo tibetano Odsal Ling, em Cotia (SP). No primeiro domingo do mês acontece a Ciranda do Dharma. O lama Norbu conta histórias para crianças de 5 a 11 anos e ministra atividades. Em um desses encontros, foi contada a historia do padeiro avarento que aprendeu a dividir. Depois disso, as crianças fizeram pães.

Meditar aumenta a liberação de endorfina (hormônio do bem-estar) e reduz os níveis de adrenalina e cortisol (hormônio do estresse). Estudiosos afirmam que meditar cinco minutos antes da aula faz a criança reter o que aprendeu. A meditação infantil ganha cada vez mais entusiastas. Gostou da ideia? Quer mostrar a técnica ao seu filho? Veja o que mais ela faz pelas crianças.

  1. Sistema imunológico mais forte
  2. Aumento da autoestima
  3. Menos agitação e ansiedade = dormir melhor
  4. Menos impulsividade = mais serenidade
  5. Mais responsabilidade sobre as emoções e atitudes
  6. Mais empatia e gratidão
  7. Maturidade para enfrentar dificuldades e frustrações
  8. Vida adulta mais madura

Em meio ao barulho

A meditação pede silêncio. Mas, como encontrar um lugar silencioso nas grandes cidades? Essa agitação toda deixa nossa mente sempre nos 220. E agora? Preparamos dicas para você silenciar o mundo ao seu redor e sua mente.

  • Praticar ioga acalma a mente e aguça a concentração.
  • Incorpore a pranayama (técnica das narinas alteradas). Essa técnica de respiração harmoniza os hemisférios do cérebro, ajuda em tratamento de problemas respiratórios e circulatórios e regula a temperatura corporal.
  • Dieta vegetariana. Coma vegetais verdes, frutas, feijões e grãos.

Você já aprendeu o que é meditar, como fazer e os benefícios para todas as idades. Mas, como tornar a meditação um hábito diário? Nós temos dicas para ajudar a incorporar este hábito saudável.

Encontrar uma brecha na agenda

Meditar é sempre bom. Pela manhã é melhor ainda, pois, deixa você disposto o dia inteiro. Mas, se você não “funciona direito de manhã” não tem problema, pode ser antes do almoço. Se não tiver nenhum cantinho tranquilo na empresa, pode ir para o seu carro. Meditar nesse horário ajuda a não sentir aquela preguiça do meio da tarde, momento que nos sentimos muito íntimos da máquina de café.

Escolher a técnica

Os CDs de meditação guiada são úteis. As meditações guiadas mais indicadas são a Hari Om e Shanti. Hari quer dizer “o removedor”. Om é a vibração que fez surgir o cosmo e a criação. O mantra “Hari Om” é o mantra universal que elimina o sofrimento. Shanti significa paz. Essas técnicas são perfeitas para pessoas com mente muito acelerada.

Observação: a meditação guiada não substitui a meditação orientada por um profissional.

Desafio dos 60 dias

As mudanças mais contundentes aparecem em 60 dias. Durante essa fase de adaptação, registre suas impressões sobre a experiência. Coloque no papel tudo o que sente. Faça um blog, caso queira compartilhar suas descobertas com outras pessoas. Quando quiser desistir, leia seus relatos. Será bem difícil abandonar a mediação.  

Não se cobre

Os novatos vão se cobrar muito. Querem meditações ultra profundas logo de cara. Mas, os resultados não vêm da noite para o dia. A meditação exige calma, paciência e liberdade. A liberdade em se livrar do perfeccionismo doentio que nos leva a obsessão. Quem está começando agora precisa entender que às vezes os veteranos não vivem em plenitude 24 horas por dia. Mesmo tendo alcançado um enorme grau de consciência, praticante de longa data enfrentam dias não muito bons. Para não se cobrar, pratique as “três chaves de ouro” de Sri Sri Ravi Shankar:

  • Eu não quero nada – deixar seus anseios de lado, inclusive querer viver uma experiência meditativa profunda logo no segundo dia.
  • Não estou fazendo nada – deixar de lado seu esforço pela perfeição e se concentrar para o seu bem-estar  
  • Eu não sou nada – deixar de lado os rótulos que você colocou em si mesmo e os que absorveu ao longo da vida.

Estude meditação

Converse com praticantes experientes, leia livros ou assista vídeos sobre as conversas profundas de Sri Sri Ravi Shankar. Ampliando seus conhecimentos sobre meditação, seu entusiasmo aumentará dia após dia.

Meditar é um caminho para descobrir a essência. Esse mergulho precisa de preparação e assiduidade. Nenhum mergulhador encontra belezas de uma hora para outra. Ele estuda o local e reúne seus equipamentos para fazer seu trabalho de forma segura. Com a meditação é a mesma coisa. Você precisa conhecer o assunto, preparar o local e sua alma. Sua alma precisa estar liberta de cobranças e distorções sobre personalidade, estes sempre acompanhados de comportamentos destrutivos. Não se cobre porque não atingiu a plenitude. Todas as conquistas vêm a longo prazo. É preciso paciência e coragem para mudar e se dedicar ao bem.

Incorporar a meditação, estudar o tema e viver os desafios diários implícitos em toda mudança trará bem-estar físico e mental, além da maravilhosa sensação de ser uma pessoa capaz de pensar pela própria cabeça. Se você pensa em desistir, mesmo antes de começar, leia e reflita esse pensamento:

“Quem se entrega à vaidade e não se entrega à meditação, com o tempo invejará aquele que se esforçou na meditação”.


  • Escrito por Sumaia Santana da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]