Autoconhecimento Coaching Comportamento Psicologia

Arquétipos: a técnica que bombou nas redes e virou uma ferramenta para atrair o que você deseja

Você provavelmente já ouviu falar sobre os artigos. Esse assunto, que não é novo, está em alta nas redes sociais por prometer transformar vidas e realizar desejos. Mas será que é tão fácil como parece? Neste artigo, você confere mais detalhes sobre esse assunto, inclusive o passo a passo, benefícios e perigos dessa ativação. Leia agora!

Você sabia que os arquétipos não são invenções novas? Na verdade, esse é um elemento bastante antigo que pode ser encontrado nas mais variadas áreas de conhecimento e trabalho, desde a psicologia até a literatura, o cinema, o marketing e por aí vai.

Agora, os arquétipos se tornaram muito populares entre pessoas que querem desenvolver comportamentos específicos e ativar certas características em suas personalidades. Por isso, esse é um assunto que vem sendo amplamente discutido nas redes sociais.

Porém, é preciso ter cuidado e as informações certas para não ativar os elementos errados e acabar atraindo negatividade para a sua vida. Para ajudar você nessa missão, desenvolvemos um guia completo sobre o assunto. Continue lendo para saber como os arquétipos podem transformar sua jornada!

O que são arquétipos?

Com origem na psicologia, os arquétipos foram desenvolvidos em 1919 por Carl G. Jung. Eles tinham o objetivo de descrever e categorizar certos padrões de comportamento, emoções e personalidade.

Para o profissional suíço que fundou a psicologia analítica, a sociedade normalmente recebe certas atitudes de maneira igual. É claro que questões como cultura, gênero e época influenciam nas percepções, mesmo assim, é possível perceber um modelo comum entre as reações.

Com base nisso, Jung identificou alguns arquétipos que tinham o objetivo de auxiliar a identificar, analisar e tratar esses hábitos com mais facilidade e, dessa forma, ajudar as pessoas a entender melhor a si mesmas e aos outros.

O papel dos arquétipos em diferentes ambientes

A divisão de Jung se tornou tão interessante e popular que logo passou a ser utilizada nos mais diversos meios.

Na literatura e no cinema, por exemplo, os arquétipos são utilizados como guias para a criação de personagens e situações. Eles ajudam a tornar tudo mais real e reconhecível, causando identificação entre o público e a obra.

Já na publicidade e no marketing, eles ajudam marcas a se conectar emocionalmente com seus consumidores e garantir uma comunicação sempre padrão.

Agora, os arquétipos ultrapassaram o universo profissional e também é utilizado de forma pessoal por indivíduos que buscam não só entender mais sobre si mesmo, mas também ativar certos comportamentos em sua vida.

Por exemplo, uma pessoa mais introvertida pode querer se desafiar e ativar a extroversão nela. Para isso, precisará escolher o arquétipo certo e seguir alguns passos para iniciar essa transformação.

A febre dos arquétipos no TikTok

Nos últimos anos, o tema arquétipos vem se tornando muito popular nas mais variadas redes sociais. Porém, foi no TikTok, plataforma de vídeos, que esse assunto passou a ganhar mais espaço.

Lá, as pessoas interessadas em psicologia e autoconhecimento trocam experiências e informações sobre esse universo e também contam mais sobre sua própria jornada na ativação de diferentes padrões de personalidade. Mas seus objetivos não se limitam somente a alcançar a mudança de seus comportamentos, e sim, entender mais sobre si mesmos e seus relacionamentos.

Ou seja, a popularização dos arquétipos no TikTok indica que, hoje, as pessoas estão cada vez mais propensas a embarcar em uma jornada de autoconhecimento e buscar soluções para as suas angústias.

Por utilizar linguagens simbólicas, frases de autoafirmação e exemplos de personagens, perfis e celebridades populares no imaginário popular, fica mais fácil passar por esse tipo de transformação e ainda se sentir parte de uma comunidade.

Confira os arquétipos mais populares:

Embora essa popularização possa ter suas limitações e críticas, a disseminação do conceito de arquétipos no TikTok pode ser vista como uma oportunidade para as pessoas refletirem sobre si mesmas e suas relações com o mundo ao seu redor, buscando maior autoconhecimento e desenvolvimento pessoal.

O mais interessante é que essa é uma febre que não se limita a um gênero ou a uma faixa etária específica: ela abrange homens e mulheres, adolescentes e adultos, enfim, todos que desejam dar uma repaginada em suas vidas.

Arquétipos mais famosos

Como podemos ver acima, os arquétipos são elementos universais do inconsciente coletivo, presentes em todas as culturas e povos ao longo da história da humanidade. Desde que Jung os definiu em sua teoria, muitos se tornaram conhecidos e foram explorados em diversas áreas. Veja, agora, alguns dos mais populares atualmente e quais são suas principais características:

Ilustração de silhuetas de várias cabeças sobrepostas, cada uma com uma coloração diferente
Black Salmon / Shutterstock

Arquétipo da Cleópatra

O arquétipo da Cleópatra busca canalizar as principais características da última rainha do Egito. Sendo assim, representa o poder, a sedução e a inteligência feminina que eram típicas dessa figura histórica, além de sua autoconfiança, coragem e independência. Esse arquétipo também pode ser associado à ambição, ao desejo de controle e a capacidade de utilizar a inteligência para conquistar diferentes metas e objetivos.

Arquétipo da Sereia

O arquétipo da sereia representa as principais características dessa criatura mitológica. Sendo assim, tem como elementos marcantes a sedução, o encanto e o mistério. Mas não para por aí: esse arquétipo também é associado à liberdade, à sensualidade e à capacidade de se adaptar a diferentes ambientes (no caso deste ser, seria a terra e o mar. No caso dos humanos, seria nos diferentes perfis e relacionamentos, como o profissional e o familiar).

Arquétipo de Lilith

O arquétipo de Lilith é um símbolo da rebeldia, independência e liberdade feminina, já que canaliza a energia de uma figura feminina forte e determinada, que se recusa a seguir normas e tradições impostas pela sociedade. Esse arquétipo é frequentemente utilizado para expressar o desejo feminino de liberdade, controle, igualdade, confiança e independência, especialmente em relação à dominação masculina.

Arquétipo do Mago

O arquétipo do mago é uma figura mística que representa sabedoria, poder e transformação, tudo isso por meio da comunicação. Frequentemente associado à figura do velho sábio, esse arquétipo tem tudo a ver com a capacidade de ver além do mundo material e a conexão com questões como a espiritualidade, o meio ambiente e os mistérios do mundo, tendo forte ligação com a vontade de promover mudanças positivas e marcantes.

Arquétipo do Flamingo

O arquétipo do flamingo é uma representação de beleza, lealdade e equilíbrio. Ele simboliza a capacidade de se destacar da multidão e atrair atenção positiva, além da elegância, da sociabilidade e da adaptabilidade. Esse arquétipo também é símbolo de equilíbrio e harmonia entre diferentes elementos e inspira as pessoas a terem mais autoconfiança, a desenvolver um senso de equilíbrio e a encontrar aquele amor fiel e verdadeiro que dura a vida toda.

Arquétipo da Nefertiti

O arquétipo de Nefertiti é frequentemente associado ao espírito de liderança e sabedoria. Relacionado à coragem, à generosidade e à determinação, esse arquétipo inspira a busca pela justiça e pela beleza em todos os aspectos da vida. Consequentemente, torna as pessoas mais seletivas em relação àqueles que vão fazer parte de sua rotina e círculo de amizades, promovendo maior organização em todas as áreas, desde a profissional até a pessoal.

Arquétipo da Marilyn Monroe

O arquétipo de Marilyn Monroe é o da femme fatale. Ela representa a mulher sedutora, bela e enigmática que cativa todos ao seu redor com muita facilidade e carisma. Porém, também tem o seu lado ansioso e inocente, que, muitas vezes, é aflorado somente em momentos de solidão. Ou seja, esse arquétipo representa dualidade entre a força e a fragilidade feminina.

Explore mais o universo dos arquétipos e ative o seu:

Arquétipo do Afortunado Arquétipo da Jasmine
Arquétipo de Afrodite Arquétipo do Leão
Arquétipo de AtenaArquétipo de Lilith
Arquétipo da CleópatraArquétipo da Lua
Arquétipo do CupidoArquétipo do Mago
Arquétipo das DeusasArquétipo da Marilyn Monroe
Arquétipo do Explorador Arquétipo de Ouro
Arquétipo da Fada Arquétipo da Prosperidade
Arquétipo do FlamingoArquétipo da Rosa Vermelha
Arquétipo do Guerreiro Arquétipo da Sereia
Arquétipo do Herói

Como funcionam os arquétipos?

Já ouviu a frase, “quem acredita sempre alcança”? Ela tem tudo a ver com a lei da atração. Afinal, ambas se baseiam no poder dos pensamentos e das energias para alcançar diferentes metas e objetivos.

Os arquétipos também funcionam dessa forma! Não existe uma receita mágica para ativá-los de um dia para o outro. Tudo depende de um processo que deve ser feito com muita atenção e seguir alguns passos importantes.

Em primeiro lugar, é importante familiarizar-se com os arquétipos. Você já teve um gostinho em nosso artigo e pôde perceber que cada um apresenta características distintas e pode ser invocado para manifestar desejos específicos, mas é sempre interessante buscar mais informações.

Depois, você deve identificar com atenção os arquétipos relevantes para o seu objetivo. Por exemplo, se deseja sucesso no romance, pode invocar o arquétipo do flamingo; mas se busca sabedoria e melhorar sua capacidade de comunicação, vai dar preferência ao arquétipo do mago.

Ao identificar os arquétipos adequados, você pode se conectar com eles por meio da visualização, meditação ou rituais simbólicos.

Mulher no meio de um campo, na natureza, com os cabelos ao vendo e o sol se pondo ao fundo
Zolotarevs / Shutterstock

Além disso, é importante incorporar os traços e comportamentos associados aos arquétipos em sua rotina. Isso envolve adotar pensamentos, emoções e ações alinhados com o arquétipo escolhido.

No começo, poderá ser algo um pouco difícil de realizar. Porém, com esforço, você vai perceber que ao longo do tempo isso se torna mais fácil, até que seja completamente natural.

Mais trabalho do que você imaginava? Pois é, os arquétipos são assuntos complexos, que devem ser tratados com muita seriedade.

Além disso, é importante lembrar que a ativação deles deve ser realizada com a mente e o coração abertos. Fazer por fazer, sem realmente acreditar em seu poder, não irá gerar nenhum fruto para você. Lembre-se da frase que trouxemos no início esse tópico, ok?

Aprofunde-se sobre os arquétipos:

Benefícios e perigos dos arquétipos

Se você leu a descrição dos arquétipos que trouxemos até agora, provavelmente identificou algumas características que você gostaria de possuir, certo? Isso é natural do ser humano. Mas incrementar a sua própria personalidade é apenas um dos benefícios de ativar esses padrões em sua vida. Veja mais:

  1. Autoconhecimento: os arquétipos são ferramentas poderosas para explorar e compreender os aspectos mais profundos de nossa psique, possibilitando o desenvolvimento de um maior autoconhecimento e crescimento pessoal.
  2. Empoderamento: ao identificar e invocar os arquétipos adequados, podemos acessar qualidades e recursos internos que nos ajudam a enfrentar desafios, alcançar metas e manifestar nossos desejos, promovendo um senso de empoderamento pessoal.
  3. Expansão da criatividade: fonte de inspiração criativa há séculos, os arquétipos podem despertar nossa imaginação, desbloquear novas ideias e fornecer uma base simbólica rica para explorar e expressar nossa criatividade em diversas áreas, como arte, escrita e projetos pessoais.

Interessante, né? Porém, é importante ter cuidado na hora da sua ativação. Se você não seguir os passos que trouxemos, realizar as atividades sem atenção e fazer tudo sem o apoio correto, pode sofrer com alguns perigos, como:

  1. Superficialidade: utilizar arquétipos sem um entendimento aprofundado pode levar a uma compreensão superficial e distorcida, resultando em uma aplicação simplista ou estereotipada, limitando seu potencial e reduzindo sua riqueza.
  2. Identificação excessiva: sem conhecimento adequado, existe o risco de nos identificarmos excessivamente com um arquétipo específico, limitando nossa autenticidade e a capacidade de explorar outros aspectos de nossa personalidade. Isso pode levar à rigidez e a uma visão restrita de nós mesmos e dos outros.

Portanto, é importante buscar um conhecimento aprofundado dos arquétipos, seja por meio de estudos, orientação profissional ou práticas adequadas, para utilizar essas ferramentas de forma consciente e responsável.

Ufa! É muita informação, né? Esperamos que tudo que trouxemos aqui ajude você a alcançar a vida que deseja e merece. Lembre-se que você pode encontrar vários outros materiais aprofundados sobre os arquétipos por aqui, tá bom? Estamos com você nessa jornada!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br