Chakras Energia em Equilíbrio

O que você precisa saber sobre os seus chakras

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Existem ao todo sete chakras, que são regidos por princípios da nossa própria consciência e leis espirituais, que podem ser utilizados para adquirir mais felicidade, harmonia e bem-estar em todo o mundo e em nossas vidas.

Chakra raiz: primeiro centro

O muladhara, também chamado de chakra raiz, se localiza bem na base da nossa espinha dorsal. Este primeiro centro é governado pela lei espiritual do Karma.

Quando ele está nítido, a energia acaba fluindo livremente, fazendo com que nos sintamos confiantes, seguros e com todas as nossas necessidades preenchidas. Mas quando esta área é bloqueada, podem ocorrer preocupações e a sensação de ansiedade.

Toda ação resulta em uma reação. A fim de que essa possibilidade seja maximizada, devemos fazer com que o nosso corpo possa ser utilizado como um meio de instrumento de escolhas.

Chakra da criatividade: segundo centro

O svadhishtana, chakra da criatividade, como o próprio nome diz, encontra-se ligado a criatividade, em todos os campos de expressão. Este centro pode ser utilizado para reprodução, já que se localiza na área dos órgãos sexuais. Por outro lado, quando este se encontra em centros mais altos de energia, acaba servindo como combustivo para a criação.

Neste chakra, é ativado a Lei do menor esforço. Isso significa dizer que a solução de cada tipo de problema nunca é, ou raramente se encontra, no mesmo nível do problema. Este chakra utiliza toda a matéria prima do chakra raiz, para que um novo mundo seja criado por dia.

Chakra da energia: terceiro centro

A manipura, chakra da energia, se localiza no plexo solar, onde encontramos o seu poder no nosso mundo. Assim, quando este chakra está aberto, os desejos e intenções do indivíduo são manifestados.

Esse terceiro centro é governado pela Lei da Intenção e do Desejo.

Chakra do coração (ou cardíaco): quarto centro

Podemos localizar o manahata no centro de nosso peito, e ele representa a energia unificadora da compaixão e do amor. Ele se dedica para a superação da separação e da divisão. Quando este não está fluindo, há uma certa percepção de alienação em relação aos indivíduos que nos cercam.

Este chakra é regido através da Lei de dar e de receber. Ou seja, cada vez que você é presenteado na vida, está oferecendo a alguém a grande oportunidade de doar.

Chakra da expressão: quinto centro

O visshuddha, chamado de chakra da expressão, é considerado o centro da expressão. Quando este se encontra fluindo e aberto, o indivíduo se torna capaz de falar sobre as suas necessidades.

Este chakra é governado pela Lei do Desapego.

Chakra da intuição: sexto centro

Ajna, também chamado de chakra da intuição, por estar localizado na nossa testa, é considerado o centro da intuição e da visão. Quando ele se encontra aberto, você acaba se sentindo guiado através de suas escolhas, fazendo com que adquira um senso profundo de conexão com o seu eu interior. No entanto, quando ele é bloqueado, aparecem a desconfiança e a insegurança.

A lei da causa e efeito, ou Lei do Dharma é responsável por reger o sexto centro.

Chakra da consciência: sétimo centro

O dahaswara, também chamado de chakra da consiência, é visto como uma flor de lótus que tem em sua cabeça uma coroa. Vale ressaltar nessa altura que a essencial natureza é algo ilimitado, e você nada mais é do que um espírito disfarçado de pessoa. Isso significa dizer que está é a unificação da individualidade com a universalidade e da ação com o ser.

O sétimo chakra é governado através da Lei da Potencialidade.


Texto escrito por Flávia Faria Santos da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]